Você está na página 1de 24

DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTES DE ENERGIA PARA SOLDAGEM


A ARCO VOLTAICO

Autores:
Francisco Avelino Mendes Filho
Felipe Costa do Nascimento
Francisco Wendel de Paiva Gomes
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

HISTÓRICO

Fontes tipo gerador ou


moto-gerador (1905) Transformador (1920)

Inversor com chaveamento no secundário


Transformador-Retificador (1950)
(1980)
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

HISTÓRICO

Inversor com chaveamento no secundário (1980)

Inversor com chaveamento no primário (1980)


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE TIPO GERADOR


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE TIPO TRANSFORMADOR


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE TIPO TRANSFORMADOR RETIFICADOR


(DIODO)
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE TIPO TRANSFORMADOR RETIFICADOR


(TIRISTOR)
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE TIPO INVERSORA

Representação de uma fonte inversora chaveada no primário


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

REQUISITOS DE UMA FONTE PARA SOLDAGEM


Requisitos Básicos:
• Produzir saídas de corrente e tensão em níveis e com
características adequadas para o processo de soldagem (baixa
tensão e alta corrente);
• Permitir a regulagem adequada dos valores de corrente e/ou
tensão para aplicações específicas;
• Serem conhecidas a variação e a forma de variação dos níveis de
corrente e/ou tensão de acordo com os requerimentos do processo
de soldagem e aplicação.
Requisitos Adicionais:
• Estar em conformidade com normas e códigos relacionados com a
segurança e funcionalidade;
• Apresentar resistência e durabilidade à ambientes fabris, com
instalação e operação simples e segura.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

REQUISITOS EXTRAS PARA UMA FONTE MODERNA


• possuir interfaces para monitoramento e/ou sistemas de
automação;
• possuir versatilidade e precisão nos controles dos parâmetros.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

CARACTERÍSTISCA ESTÁTICA DA FONTE


Comportamento em regime da mesma quando submetida a
diferentes cargas (resistivas, capacitivas ou indutivas).
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE DE TENSÃO CONSTANTE


• É aquela que permite a regulagem da tensão de trabalho
relativamente constante (neste caso, a corrente de soldagem
que passa a não ser regulável, tornando-se dependente da
fixação dos demais parâmetros de soldagem.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE DE CORRENTE CONSTANTE


• É aquela que permite a regulagem da corrente de trabalho e
que tem uma curva CEF que tende a produzir uma corrente de
trabalho relativamente constante (a tensão de soldagem não é
regulável e passa a ser uma variável depende da fixação dos
demais parâmetros).
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

TIPOS DE REGULAÇÃO
• Contínua: quando a posição das curvas características são
reguladas por pequenos incrementos
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FONTE DE CORRENTE CONSTANTE


• Por escalões ("taps"): para o qual este incremento é maior e
não permite a fixação de valores intermediários a cada escalão.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FUNCIONAMENTO DE UMA FONTE DE SOLDAGEM


• Uma vez regulada a fonte para um determinado valor de tensão
(fontes tensão constante) ou corrente (fontes corrente
constante), na verdade está se regulando uma característica
estática desta fonte (CEF).
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

TENSÃO EM VAZIO DAS FONTES DE SOLDAGEM


• Quando a fonte não está submetida a nenhuma carga
(corrente = 0), o valor da tensão fornecida por esta fonte é
chamado de tensão em vazio. Independente do tipo de CEF, a
mesma sempre fornecerá uma tensão em vazio para cada
ajuste, a qual será maior ou igual à tensão de trabalho.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

TENSÃO EM VAZIO DAS FONTES DE SOLDAGEM

• A tensão em vazio (Vv) de uma fonte é, pois, a tensão lida


nos terminais da fonte (quando ligada) sem carga (arco aberto).
• Quanto maior a tensão em vazio da fonte, mais fácil é a
abertura e a manutenção do arco, entretanto, maior é o risco
de choque elétrico.
• Normalmente as fontes de soldagem apresentam tensão em
vazio entre 50 e 90V.
• Valores menores conduzem a arco instáveis, enquanto valores
maiores levam a risco de segurança.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

CICLO DE TRABALHO OU FATOR DE CARGA


• Em termos práticos, pode-se definir o Fator de Carga como o
tempo máximo, em percentagem, que uma fonte de soldagem
pode operar fornecendo energia durante intervalos sucessivos
de tempo, sem que a temperatura atinja um calor crítico.
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

CICLO DE TRABALHO OU FATOR DE CARGA


• O ciclo de trabalho (fator de trabalho) é definido como a
relação entre o tempo de arco aberto (tempo de operação da
soldagem) pelo tempo base de funcionamento (10 minutos,
normatizado) em percentual.

TEMPO _ ARCO
FT  100
TEMPO _ BASE
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

PLACA TÍPICA DE IDENTIFICAÇÃO


DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

PADRÃO INTERNACIONAL PARA SELEÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Transformado

Transformador-retificador de três fases

Inversor de três fases

Fonte de energia combinada CA/CC de


uma fase

Corrente contínua

Corrente alternada
DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• http://www.ufjf.br/profab/files/2016/09/Fontes-de-
Soldagem.pdf <aceso em 25/11/2018>
• http://www.lcam.ufpa.br/attachments/article/30/Fontes%20de
%20Soldagem%2004.10.11.pdf <aceso em 25/11/2018>