Você está na página 1de 36

Anemia Ferropriva

Rejane Nina
Mar/ 2018
Anemia Ferropriva
 Anemia por deficiência de ferro

 Alta prevalência em todo o mundo

 Não é diagnóstico final! - Pesquise a causa

 Prognóstico bom
Andrews, NEJM, 1999.
Zhu, Dig Dis Sci, 2010
Dieta pobre em ferro
 Baixo nível sócio-econômico
 Erro alimentar
 Dietas não-balanceadas:
– idosos
– dietas de emagrecimento
– vegetarianos
 Em adultos é fator contribuinte
 Frequente em crianças (multifatorial)
Causas
 Absorção inadequda
– Pobre biodisponibilidade
– Terapia com antiácidos ou pH gástrico alto
– Dieta excessiva de farelos, tanino, fitatos, amido
– Competição por outros metais (ex. cobre ou chumbo)
– Disfunção ou diminuição da absorção dos enterócitos
– Ressecção intestinal
– Doença celíaca
– Doença inflamatória intestinal
– Defeito intrínseco do enterócito

Andrews, NEJM, 1999


Causas
 Perda aumentada
– Sangramento pelo TGI
 Epistaxe
 Varizes
 Gastrite
 Ùlcera
 Tumor
 Divertículo de Meckel
 Parasitoses
 Enteropatia induzida por leite na 1a infância
 Malformação vascular
 Doença inflamatória intestinal
 Diverticulose
 Hemorroidas Andrews, NEJM, 1999
Causas
 Perda aumentada
– Sangramento pelo trato urinário
 Menorragia
 Câncer
 Infecção crônica
– Sangramento pulmonar
 Hemossiderose pulmonar
 Infecção
– Outras perdas sanguíneas
 Trauma
 Exacesso de flebotomia
 Grandes malformações vasculares

Andrews, NEJM, 1999


Alleyne, Am J Med, 2008
Aumento da demanda
 Crescimento rápido:  Gravidez:
– Adolescência – sobrecarga de ± 500
 Meninas (menarca) mg/270 dias (2
– 6 meses aos 2 anos: mg/dia)
 Reservas esgotam – principal// no 3º
 Desmame sem trimestre
suplemento de ferro
 Leite de vaca  Lactação

 Perda sanguínea crônica  Menstruação abundante

 Parasitoses
Aumento das perdas sanguíneas
 É a principal causa de anemia  Neoplasias
nos adultos.
– Homens: TGI  Salicilatos
– Mulheres: TGU
 TGI:
 Epistaxe
– Verminoses, Gastrites,
Úlceras, Hérnia de hiato,
Divertículos e Colite ulcerativa,  Hemodiálise
Hemorróidas
 TGU:
– Menstruação: 15 - 30mg de
ferro/ mês
– Hematúria
– ITU crônica
– Menorragia
Má-absorção intestinal
 É rara
 Cirurgias p/ úlcera péptica e obesidade:
– local da absorção
– acloridria
 Enteropatias e doenças inflamatórias:
– jejuno proximal e duodeno (doença celíaca)
 Cólon irritável
– Diarreia, esteatorreia e aumento do trânsito intestinal
Metabolismo

Andrews, NEJM, 1999


Transporte do ferro
 Transferrina I e II

 Síntese hepática

 Saturação normal: 30-33%


Reservas de ferro
 Ferro no organismo
– Homem: 45-50mg/Kg
– Mulher: 35mg/Kg
 70-75% nas hemáceas (heme)
 25% ferritina e hemossiderina
 2%: plasma ligado à transferrina sérica
Excreção de ferro
 Não há via fisiológica para eliminação do Fe

 A ÚNICA proteção contra intoxicação é conferida pelo


próprio local da absorção (regulação)

 Descamação e renovação celular da mucosa intestinal


 Fezes: perda
 Descamação da pele e perspiração
 Lactação / Menstruação

1. Hemotransfusões repetidas → HEMOSSIDEROSE


2. Ferropenia = quase sempre perda sanguínea
Hemograma
 FASE INICIAL: normocitose e normocromia

 FASE AVANÇADA:
 VCM e HCM ↓ : microcitose e hipocromia
 RDW ↑ : Anisocitose
 Poiquilocitose
 Leucócitos normais : 15% tem leucopenia
 Trombocitose: 75% dos pac.
 Reticulócitos: N
– ou ↑ ( perda ? reposição de ferro?)
Diagnóstico diferencial

 TALASSEMIA MINOR

 Anemias das doenças inflamatórias crônicas


Estágios da deficiência de Fe
Depleção Eritropoese ANEMIA
NORMAL
do depósito deficiente em FERROPRIVA
de ferro ferro

Anemia AUSENTE AUSENTE PRESENTE PRESENTE

Hemácia NORMAL NORMAL NORMAL Mc / Hp

Ferritina > 30 < 100 < 25 10 < 10

Fe Sérico 115± 50 < 115 < 60 < 40

Transferrina 330±30 330-360 390 410

Saturação < 16% 16 %


da Normal N ou ↓
Transferrina 20-50%
Estágios da deficiência de ferro

Alleyne, Am J Med, 2008


Anemia Ferropriva e Ferritina

Zhu, Dig Dis Sci, 2010


Killip,
AFP,
2007
Manejo clínico

Killip, AFP, 2007


Tratamento
 ETIOLÓGICO: identificar a causa

 SINTOMÁTICO: elevar os níveis de Hb


repor as reservas de ferro
*Dietético

*Medicamentoso

***TRANSFUSÕES SANGUÍNEAS ( ? )
Alleyne, Am J Med, 2008
Necessidade de suplementação

Alleyne, Am J Med, 2008


Tratamento com ferro VO
Absorção: (Vit C e HCl favorecem), melhor 1h antes das refeições
Tempo: Hb sobe em 2 meses > reservas sobem 2-3 meses

Crianças: 5 mg /Kg/dia/ ferro elementar : 2 - 3 tomadas


SULFATO FERROSO 1mL = 25mg de Fe elementar
FERRO QUELATO 1mL = 21mg de Fe elementar
FUMARATO FERROSO 1mL = 50mg de fe elementar

Adultos: 180-240mg de Fe elementar/dia : 2 a 3 tomadas

SF=5 x a quantidade de fe elementar (20%) /


1) 300 mg de SF=60 mg de fe elementar = 3 a 4 comp/dia
2) 500 mg de SF=100 mg de fe elementar = 2 comp/dia
Tratamento com ferro VO
 EFEITOS COLATERAIS
– Gastro-intestinais em 15-20% dos pacientes
– Epigastralgia, náuseas, vômitos e diarréia.
– São minimizados com a ingesta junto com as
refeições > aderência e tolerância do paciente
– Coloração de dentes: evita-se com escovação

 CONTRA INDICAÇÕES
– Hipersensibilidade
– Sobrecarga de Ferro
Quais as causas de falha do
tratamento?

 Diagnóstico etiológico da anemia está errado


 A anemia é multifatorial
 Não há aderência ao tratamento
* Intolerância ao sulfato ferroso > mudar
* Tomada irregular ou doses não terapêuticas
 Persistência do sangramento
 Causa oculta de má-absorção
O tratamento está sendo eficaz ?
Qual a duração da terapia com o ferro oral?
 Contagem do pico reticulocitário
– Adultos: 5-10 dias
– Crianças: 5-7 dias
 Hb: aumenta em 1-2 meses
 Repor estoque : 3 - 4 meses
 Tempo total de tratamento: 6- 12 meses
 Controle: ferritina
Tratamento com Ferro IM/EV
 Intolerância ao Ferro oral.
 Síndrome de má-absorção duodeno-jejunais (ex.: doença celíaca)
 Intolerância as preparações orais
 Refratariedade à terapia oral
 Necessidade de reposição imediata dos estoques de ferro
 Preparação disponível: Ferro-dextran, gluconato férrico, etc
 Apresentação: 1 amp=2 ml (IM) e 5 ml (EV)
 Desvantagens: custo
efeitos colaterais mais graves
 Efeitos Colaterais :
– Locais
– Sistêmicos: hipotensão, cefaléia, mal-estar, náusea, urticária e
ANAFILAXIA
Zhu, Dig Dis Sci, 2010
Profilaxia com ferro oral
 Grávidas RN Inicio Dose Tempo
– OMS: sais de ferro
 Crianças 6 a 18 meses PT 30º 2mg/ 2m >
– MS / SBP >
RNT dia de kg/ abaixo
– Dieta
– Controle de parasitoses
PIG vida dia
 Dialisados RNT Com 1mg/ Até 24
– EPO, CH, etc AIG des- kg/ meses
mame dia
Seixas, CNAP, 2006

Você também pode gostar