Você está na página 1de 58

Tanatologia Médico-Legal

Alfredo José Dixini


Unipam
Tanatologia médico-legal
• Ramo da Medicina Legal que estuda o morto e
a morte, assim como os fenômenos dela
decorrentes
Tanatologia médico-legal
• Difícil conceituar a morte
• Mesmo que se apresente como um evento
único, que ocorre em um instante preciso,
engloba uma série de transformações
sucessivas que se prolongam no tempo
• A morte é um processo dinâmico
Tanatologia médico-legal
• Para Simonin
– Processo que se inicia nos centros vitais cerebrais
ou cardíacos e se propaga a todos os órgão e
tecidos
– Ocorre a morte funcional e depois a morte tissular
• Antigo conceito
– Cessação total e permanente das funções vitais
Tanatologia médico-legal
• Atualidade
– Morte circulatória
• Parada cardíaca irreversível
– Morte cerebral
• Morte encefálica geral e não apenas da porção cortical,
ainda que o coração esteja em atividade
• Importância com o advento do transplante de órgãos
Tanatologia médico-legal
• Morte cerebral
– Condições para determinar a realidade da morte
• Há morte cerebral quando
– Observam sinais clássicos da morte
– Depressão circulatória que provoque uma parada respiratória
ou cardíaca que não responde a tratamento, no final de
doença incurável e progressiva ou no curso de uma perda
gradual das funções vitais
Tanatologia médico-legal
• Morte cerebral
– Condições para determinar a realidade da morte
• Pode ocorrer morte cerebral antes que cessem os
batimentos cardíacos
• Considera-se o cérebro morto após 12 horas de
inconsciência com falta de respiração espontânea,
midríase bilateral e traçado do EEG isoelétrico, ou
angiografia revela cessação da circulação intracraniana
durante 30 minutos
Tanatologia médico-legal
• Morte cerebral
– Condições para determinar a realidade da morte
• Caso ocorra a parada cardíaca e o sistema cerebral se
mantiver intacto ou com possibilidade de recuperação,
iniciar a reanimação , caso os batimentos não
retornem, pode-se dar o indivíduo como morto
Tanatologia médico-legal
• Outras definições
– Morte aparente
• Indivíduo apresenta uma redução da atividade
metabólica e circulatória
• Inconsciência, relaxamento muscular, respiração
diminuída
• Lei exige que se transcorra 24 horas para inumação
– Morte anatômica
• Parada total e permanente de todas as funções
orgânicas
Tanatologia médico-legal
• Outras definições
– Morte histológica
• Morte das células que compõem os vários tecidos e
órgãos
– Morte relativa
• Estado de parada cardíaca reversível
• O organismo não ultrapassou o ponto de não retorno
Tanatologia médico-legal
• Outras definições
– Morte intermediária
• Cessação progressiva das atividades orgânicas sem que seja
possível a recuperação da vida
– Morte real ou absoluta
• Cessação de toda atividade biológica do indivíduo
– Caso não haja aparelhagem especial para a
determinação do momento da morte usa-se ao
conceito clássico de que ocorreu com a parada
irreversível da respiração e circulação (morte clínica)
Tanatologia médico-legal
• Tipos de morte:
– Natural
• Resulta da alteração orgânica ou perturbação funcional
provocada por agentes naturais, inclusive os
patogênicos sem a interveniência de fatores mecânicos
em sua produção
– Súbita
• Morte imprevista, que sobrevém instantaneamente e
sem causa manifesta, atingindo pessoas em aparente
estado de boa saúde
Tanatologia médico-legal
• Tipos de morte:
– Violenta
• É aquela que tem como causa determinante a ação
abrupta e intensa, ou continuada e persistente de um
agente mecânico, físico ou químico sobre o organismo
– Ex.: Homicídio, suicídio ou acidente
– Fetal
• Morte de um produto da concepção antes da expulsão
ou da extração completa do corpo da mãe
independente da duração da gravidez
Tanatologia médico-legal
• Tipos de morte
– Materna
• Morte de uma mulher durante uma gestação ou dentro de
um período de 42 dias após o término da gestação,
independente da duração ou localização da gravidez
– Catastrófica
• É toda morte violenta de origem natural ou de ação dolosa
do homem em que por um mesmo motivo, ocorre um
grande número de vítimas fatais
– Presumida
• É a morte que se verifica pela ausência ou desaparecimento
de uma pessoa, depois de transcorrido um prazo
determinado pela Lei
Tanatologia médico-legal
• Aspectos médicos legais da morte
– Noções preliminares
• "Assim que o indivíduo começa a viver, tem a idade
suficiente para morrer“
• "O ser humano é o único ser vivo que é consciente de
sua morte e finitude"
Tanatologia médico-legal
• Importância médica
– É um fenômeno comum na vida do médico
– Envolve aspectos éticos em relação a doações de
órgãos e transplantes, pesquisa médica,
eutanásia, etc
– Maioria das vezes é de fácil diagnóstico, mas exige
critérios técnicos rigorosos
Tanatologia médico-legal
• Importância jurídica
– É um fenômeno intimamente ligado ao direito
– Cessa a personalidade civil adquirida com o
nascimento e advém as conseqüências jurídicas
– Põe a termo a capacidade jurídica
– Termina a aptidão de ser titular de direitos
– Seus bens se transmitem desde logo para seus
herdeiros
– Com a morte do réu extingue-se a punibilidade
– Extingue-se o pátrio poder etc
Tanatologia médico-legal
• Tanatognose
– Parte da tanatologia forense que estuda a
realidade da morte
• Cronotanatognose
– Parte da tanatologia que se ocupa da
determinação do tempo em que a morte ocorreu
• Ambas se baseiam nos fenômenos
cadavéricos
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
– A morte não ocorre em um instante preciso
– Existe dificuldade em determinar seu momento
– Definição
• São as várias transformações pelas quais o corpo passa
na sua transição da vida para a morte
– Dividem-se em dois grupos (Lorenzo Borri)
• Abióticos
• Transformativos
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
– Abióticos
• Imediatos
– Perda da consciência
– Imobilidade
– Relaxamento muscular
– Relaxamento dos esfíncteres
– Parada cardíaca
– Ausência de pulso
– Parada respiratória
– Insensibilidade
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
– Abióticos
• Consecutivos
– Resfriamento do corpo
– Rigidez cadavérica
– Hipóstases
– Livores cadavéricos
– Desidratação
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
– Transformativos
• Destrutivos
– Autólise
– Putrefação
– Maceração
• Conservadores
– Munificação
– Saponificação
– Calcificação
– Corificação
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos imediatos
– Não servem como sinais de certeza para afirmar a
ocorrência da morte
• Perda da consciência
• Imobilidade
• Relaxamento muscular
• Relaxamento dos esfíncteres
• Parada cardíaca
• Ausência de pulso
• Parada respiratória
• Insensibilidade
– Pode-se lançar mão de alguns procedimentos
• Eletrocardiograma
• Prova de fluoresceína por via intravenosa
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos
consecutivos
– Maior importância na determinação do momento
da morte
– Resfriamento do corpo – algidez cadavérica
• Depende de vários fatores
– Temperatura corporal no momento da morte, temperatura e
umidade locais, idade, panículo adiposo, vestimentas, etc
• Há discussão quanto à velocidade de perda de calor
pelo corpo
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos
consecutivos
– Rigidez cadavérica
• Ocorre pelo aumento do ácido lático nos músculos e
consequente coagulação de miosina
• Inicia na mandíbula, músculos do pescoço, tórax,
membros superiores, abdome, membros inferiores
• Inicia-se com 3 a 5 horas do óbito, completa-se em 8 a
12 horas e mantém-se por um período de 12 a 24 horas
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos
consecutivos
– Rigidez cadavérica
• De forma excepcional pode ser observada em até 3 dias
do óbito
• Em mortes rápidas e violentas a rigidez pode se instalar
de forma abrupta – espasmo cadavérico
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos consecutivos
– Livores cadavéricos e hipóstases
• Pela ação da gravidade, quando se tem a parada da
circulação, o sangue tende a se depositar nas partes mais
baixas do corpo, de acordo com a posição do cadáver
• Coleções sanguíneas encontradas nos órgãos e cavidades do
corpo tomam uma coloração vermelho-púrpura
externamente
• Livores paradoxos – coloração mais clara
– Áreas opostas, superiores, ou nas quais o corpo está pressionado
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos
consecutivos
– Livores cadavéricos e hipóstases
• Surgem em 2 a 3 horas após a morte
• Com 8 a 12 horas fixam-se pela coagulação do sangue
• Importantes para a determinação da posição do
cadáver no momento do óbito
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos abióticos
consecutivos
– Desidratação
• Evaporação de água que leva a perda de peso do
indivíduo
• Gira em torno de 8 a 18 g/kg/dia
• Verifica-se o pergaminhamento da pele, dessecação da
mucosas, redução do tônus do globo ocular,
aparecimento de mancha negra na esclera do indivíduo
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos transformativos
destrutivos
– Autólise
• Morte celular e rotura das membranas celulares e
desintegração dos tecidos
• Sinais e provas laboratoriais
– Sinal de Labord - Introduz-se uma agulha de aço bem polida
no tecido e após 30 min., retira-se a agulha. No caso de
morte, permanece o brilho metálico
– Sinal de Lecha-Marzo - Coloca-se nos globos oculares o papel
azul de tornassol. Fecham-se as pálpebras por 3 minutos. Se
há acidez (morte), há mudança de tonalidade
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos transformativos
destrutivos
– Autólise
• Sinais e provas laboratoriais
– Sinal de Sílvio Rebelo - Introduz-se um fio corado pelo azul de
tornassol, através de uma agulha,numa dobra de pele e o fio
fica amarelado se há acidez (morte)
– Sinal da forcipressão química de Icard - Pinça-se a pele, flui
uma serosidade que no vivo é alcalina (neutra) e no morto é
ácida
– Sinal de Brissemoret - Anebard - Faz-se biópsia de fígado e
baço com um trocador e constata-se a sua acidez com papel
de tornassol
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos transformativos
destrutivos
– Putrefação
• Inicia-se logo após a autólise
• Atuação de germes inicialmente no intestino grosso dando
origem a mancha verde abdominal e se espalha pelo
organismo
• Obedece 4 fases
– Fase de coloração
– Fase gasosa
– Fase coliquativa
– Esqueletização
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos
destrutivos
– Putrefação
• Fase de coloração
– Surge em 20 a 24 horas
e pode durar até 7 dias
– Inicia-se com a
formação da mancha
verde abdominal que se
espalha pelo corpo
– Nos afogados inicia-se
na cabeça e parte
superior do tórax
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos destrutivos
– Putrefação
• Fase gasosa
– Consequente a putrefação
dos tecidos
– O cadáver adquire aparência
de agigantamento
– Ocorre protrusão da língua e
inchaço dos genitais
– A epiderme se destaca e
existe a formação de bolhas
sanguinolentas
– Inicia-se com 2 a 7 dias do
óbito e pode durar de 7 a 30
dias
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos
destrutivos
– Putrefação
• Fase coliquativa
– Ocorre a dissolução do
cadáver
– Pode durar de 1 mês a 2
a 3 anos
– Termina com a
esqueletização
» Cabelo e dentes
resistem mais ao
tempo
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos
destrutivos
– Maceração
• Ocorre em duas situações
– Submersos em meio
líquido contaminado
(maceração séptica)
– Fetos retidos a partir do
5º mês de gestação
• Os ossos se soltam dos
tecidos e o abdome se
achata
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos
conservador
– Saponificação
• O cadáver adquire
consistência untuosa e
mole como sabão ou cera
• Atinge geralmente partes
moles
• Ocorre quando o corpo já
se encontra em adiantado
estado de putrefação e é
facilitado por solos
argilosos
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos
transformativos
conservador
– Mumificação
• Processo natural ou
artificial
• Natural ocorre em
condições climáticas que
favorecem a rápida
desidratação do corpo
impedindo as bactérias
que levam a putrefação
de atuarem
Tanatologia médico-legal
• Fenômenos cadavéricos transformativos
conservador
– Calcificação
• Atinge fetos retidos na cavidade abdominal
• Situações de gravidez tubária
– Corificação
• Observado em corpos encerrados em caixões metálicos
hermeticamente fechados, principalmente de zinco
• O corpo fica em parte preservado da decomposição
• A pele assume coloração de couro curtido, vísceras e
musculatura permanecem conservadas, mas amolecidas
Tanatologia
• Fauna cadavérica
– Importante para a determinação da cronologia da
morte, principalmente em corpos deixados ao ar
livre
– Seu estudo se baseia na especificidade de certas
espécies de animais por certas fases da
decomposição do corpo
– Fauna cadavérica é composta de todos os
organismo vivos que concorrem para a destruição
do cadáver
Tanatologia
• Fauna cadavérica
– Composta de todos os organismo vivos que
concorrem para a destruição do cadáver
– Somente os insetos que vivem do corpo em sua
fase larval
• Flamínio Fávero
– 3 faunas distintas
• Fauna do ar livre
• Fauna dos túmulos
• Fauna aquática
Tanatologia
• Fauna do ar livre
– Dividida em 8 legiões distintas
– Mais rica de todas
• Fauna dos túmulos
– Cronotanatognose
• Determinar o tempo de enterramento de acordo com
número de gerações encontradas, não pela existência
de legiões
Tanatologia
• Fauna aquática
– Lesões produzidas por mamíferos, aves, peixes e
crustáceos
Tanatologia
• Comoriência
– Duas pessoas morrem simultaneamente, sem que
se possa indicar qual faleceu primeiro
• Primoriência
– Quando se consegue determinar quem veio a
óbito primeiro
• Código civil 2002 art 8º
Tanatologia
• Determinar a cronologia de mortes muito
próximas tem importância em questões
sucessórias
• Se o exame pericial dos corpos determinar
qual veio a óbito primeiro, estabelece-se a
ordem sucessória em favor de seus
descendentes
Tanatologia
• Diagnóstico jurídico da morte
– Classificação jurídica da morte
• Homicídio
• Suicídio
• Morte acidental
– Óbitos provocados por causas naturais, caso não
haja implicação sucessória oferecem poucas
dificuldades aos peritos
Tanatologia
• Diagnóstico jurídico da morte
– Mortes flagramente violentas são de fácil
diagnóstico
– As que se necessita um exame mais minucioso são
os casos em que a violência não é evidente -
mortes suspeitas
Tanatologia
• Mortes
– Naturais
• Lentas
• Rápidas
– Médico-legais
• Violentas
Tanatologia
• Mortes
– Médico-legais
• Suspeitas
– Pela subtaneidade (morte súbita)
– De violência oculta
– De violência indefinida
– De violência definida
– De infotúnio do trabalho
Tanatologia
• Morte súbita e morte por inibição (reflexo de
Hering)
– Morte súbita em que não há violência manifesta,
são consideradas suspeitas por serem inesperadas
– Avaliar antecedentes que podem fornecer auxílio
ao diagnóstico
– Múltiplas causas
• Distúrbios cardiovasculares, respiratórios, anafilaxia,
fadiga, etc
Tanatologia
• Morte súbita e morte por inibição (reflexo de
Hering)
– Uma importante causa de morte súbita é o reflexo
de Hering (morte reflexa por inibição vagal)
– Ocorre por inibição cardiorrespiratória sem que se
possa encontrar causa determinante
– Pessoas com maior predisposição ao fenômeno e
a estimulação externa (física, química,
psíquica)podem apresentar esse evento
– Zonas-gatílho
Tanatologia
• Morte súbita e morte por inibição (reflexo de
Hering)
– Condições para sua suspeita
• Morte súbita e inesperada de pessoa sadia, geralmente
por parada cardiorrespiratória
• Traumatismo ou irritação periférica de pequena monta,
sobre certas partes do corpo
• Ausência de lesões capazes de justificar o óbito
Tanatologia
• Morte súbita e morte
por inibição (reflexo de
Hering)
– Zonas reflexógenas
Tanatologia
• Morte súbita e morte por inibição (reflexo de
Hering)
– Morte por inibição é quase sempre acidental
(quedas)
– Pode ter origem criminosa (golpes de artes
marciais, estrangulamento)
Tanatologia
• Morte suspeita de violência oculta
– Quando os corpos não apresentam leões externas,
mas podem ocultar algum tipo de lesão
(traumatismo, envenenamento, sevícias)
– Geralmente classificadas pela autoridade policial,
ao requisitar os exames periciais como morte a
esclarecer ou encontro de cadáver
– Pode incluir corpos em adiantado estado de
decomposição
Tanatologia
• Morte suspeita de violência indefinida
– A violência existe e é evidente, mas o exame
externo não determina com precisão a causa das
lesões, os diagnóstico jurídico do evento
– Exemplo corpos atingidos por composições férreas
– As lesões podem mascarar outras produzidas
antes do atropelamento
Tanatologia
• Morte suspeita de violência definida
– O corpo mostra lesões externas definidas quanto á
sua causa, mas a etiologia jurídica do evento não é
clara
– Encontro de um corpo na água, afogado, pode
apontar para uma causa acidental, não permite
descartar hipóteses como suicídio ou homicídio
Tanatologia
• Morte por infortúnio
– A dúvida aqui ocorre no nexo causal entre a
atividade laborativa e as lesões observadas
– Indispensável a realização da necropsia