Você está na página 1de 29

Escola de Engenharia de

Piracicaba
TÍTULO: Projeto de uma Coluna de Destilação.

ALUNO: Paulo Roberto Damasco RA: 200060826

PROFESSOR: Prof. Dr. Jorge Marcos de Moraes


Escola de Engenharia de
Piracicaba
Introdução

-Cada vez mais exigidos pelo mercado sucroalcooleiro, os


Engenheiros Mecânicos, são procurados para solucionar
problemas de transferência de calor e massa na indústria,
buscando aumentar a produção etanol por área plantada.

-É nessa conjuntura que se insere o presente trabalho, através


do cálculo de uma coluna de destilação, utilizando os métodos
de MacCable e Lewis Sorel.
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Objetivo

-Realizar o pré-dimensionamento de uma coluna de


destilação, com a utilização do vinho fermentado, oriundo
da simples extração seja ele obtido via difusor ou moagem.

-Identificar os principais equipamentos empregados na


produção de etanol, proporcionando assim uma visão do
processo de obtenção do etanol via destilação.
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Definição e classificação das colunas de destilação;

-As colunas de destilação são caracterizadas por vários


componentes, cada um deles utilizados tanto para a
transferência de energia, quanto para aperfeiçoar a
transferência de massa entre eles;

-Classificações: Aparelhos, Colunas, Gomos, Torres, Plantas,


Destilarias, Alambiques, Separadores térmicos.
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Descrição de uma coluna de destilação

-É basicamente um conjunto de bandejas envolvidas por uma


virola (casco), com bocais para entrada de vinho, entrada de
vapor, saída de vinhaça e saída de alcool.

O vinho que entra é aquecido pelo trocador de calor “K”.


Escola de Engenharia de
Piracicaba
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Detalhamento de uma coluna de destilação calotada

-Bocais - são seções de tubos soldados ao casco, com flanges para conexão e
tubulação;
-Bandejas – são pratos de destilação geralmente calotados, com a função de
misturar liquido x vapor;
-Calotas – componente fixados as bandejas, com a finalidade de promover a
uniformidade na distribuição do vapor ao meio liquido;
-Virola – corpo da coluna em formato cilindrico, casco, canudo,coluna, fica
externa a coluna e tem a finalidade de espaças as bandejas.
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Bandejas e Calotas .
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Projeto termico de uma coluna de destilação
yi fração molar do componente ‘i’
na fase vapor
-Cálculo da volatilidade relativa – di j 
xi fração molar do componente ‘i’ na
yj fase líquida

xj

N teórico
-Dimensionamento da coluna – 0  N x100
pratos
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Projeto térmico de uma coluna de destilação

Ln D
-Cálculo da parte superior da coluna– y n 1  xn  x
Vn 1 Vn 1

Lm1 W
-Cálculo da parte inferior da coluna – ym  x m1  xw
Vm Vn1
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Projeto térmico de uma coluna de destilação

R 1
-Equação da retificação– y n 1  xn  xD
R 1 R 1
xD  yF
-Cálculo do refluxo – Rmín 
yF  xF

-Cálculo das entalpias – H f  hF


q
H f  hf

q x
- Cálculo da linha de alimentação – y x F
q 1 q 1
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Estudo de caso

-O estudo de caso está baseado em uma produção real (Usina Santa Elisa – SP /
Usina Continental - SP, Grupo Louys Dreyfus Commodityes), onde
dimensionaremos uma coluna de destilação para uma produção de 150m³/24h, de
etanol hidratado, a partir dos seguintes dados reais de entrada.
Vapor de entrada: Vinho de entrada:
Consumo de vapor “A”: 10,77TVH
Peso: 6,5%
Consumo de vapor “b”: 4,004TVH
Volume: 8,132%
Consumo especifico total 2,0T/m³ Temperatura: 30°C
Caldo: 100%
Álcool de 2ª: 1%
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Considerações do projeto

-Calotadas / Perfuradas
-Coluna com bandejas mistas
-Calotadas

-Calotadas / Perfuradas /
Válvuladas.

Para garantir melhor contato


liquido x vapor
Evitar choro em uma
oscilação de alimentação.
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Considerações do projeto

Matriz de Determinação do grau do álcool


Grau
Vinho Refluxo Arred.
INPM
Padrao
4 92 1,5 88
5 92,6 3 91
6 93,1 4 92,8
7 93,5 4,5 93,2
8 93,8 5,5 94
10 94 9 95
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Bomba vinho 125 m3/h
% abertura
Considerações do projeto Correntes Descrição Estado
Válvula
1 Vinho da dorna Liquido 35
-Elaboração dos 2 Vinho após aquecedor E Liquido
3 Vinho após trocador K Liquido
4 Vapor de Alimentação ref A2 Vapor 58,7
cálculos usando 5 Vapor de Alimentação col B1 Vapor 70
6 Água resfriamento E2 Liquido 100
programa Excel para 7 Água resfriamento E1 Liquido
8 Água resfriamento R1 Liquido 100
o vinho. 9
10
Água resfriamento R
Flegma A p/ B
Liquido
Vapor
11 Voláteis A p/ D Vapor 68
12 Vapores alcoólicos B p/ E Vapor
13 Vapores alcoólicos E p/ E1 Vapor
14 Degasagem por R1 Vapor
14b Álcool de D p/ B + entr B Liquido
15 Degasagem por E2 Vapor
16 Retirada de álcool 2a E2 Liquido 0,01
17 Retirada de álcool 2a R1 Liquido 0,01
18 Vinhaça Liquido 60,54
19 Flegmaça Liquido 10,91
20 Álcool 1a. Total Liquido 69,9
21 Álcool 2a. Total Liquido
22 Água refrigeração álcool Liquido
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Considerações do projeto Vazão Temperatura Pressão
Graduação
Alcoolica
Entrada Saida
-Elaboração dos Ton/h °C °C mca INPM °GL
73,95099729 48 na 35 6,5 8,1
73,95099729 70 na 15 6,5 8,1
cálculos usando 73,95099729 70 92 25 6,5 8,1
10,8 135 na 15 0 0,0
programa Excel para 4,0
168,2
135
30
na
34,93
15
5
0
0
0,0
0,0
306,5 30 47 5 0 0,0
o vinho. 8,2 30 36,22 5 0 0,0
15,4 30 47 5 0 0,0
12,08 100 na 4,5 39,74 46,9
1,3 93 na 4,3 90 93,3
34,08 79,00 na 1 93 95,5
26,92 79,00 na 0,3 92,82 95,3
0,037380079 42,22 na 1 99 99,6
1,296222624 75 na na 90 93,3
0,023931694 40,93 na 1 99 99,6
0,0000 40,93 na 1 90 93,3
0,0000 42,22 na 1 90 93,3
60,54 na 8 0,012534 0,016
10,91 na 7 0,028179 0,036
5,1670 75 30 1 92,82 95,3
2,88409E-09 75 30 1 90 93,3
20,26651195 27 34 5 0 0,0
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Calor sensível Calor Latente
Considerações do projeto (Kcal/Kg°C) (Kcal/Kg)
Entalpia (Kcal) densidade kg/m³

-Elaboração dos 0,9727


0,9727
508,4
508,4
70950
70950
986,35000
986,35000
0,9727 508,4 70950 986,35000
cálculos usando 1,0000 530,0 5722 1,46731
1,0000 530,0 2128 1,46731
programa Excel para 1,0000
1
530,0
530,0
168239
306541
1000,00000
1000,00000
1 530,0 8172 1000,00000
o vinho. 1 530,0 15404 1000,00000
0,83309121 398,0 4821 1,46525
0,6220 231,0 310 2,15191
0,6094 221,0 7570 1,75358
0,6101 221,6 5993 1,64020
0,5842 201,1 8 2,03060
0,6220 231,0 654 811,00000
0,5842 201,1 5 2,03898
0,6220 231,0 0 811,00000
0,6220 231,0 0 811,00000
0,9999 530,0 60536 999,97368
0 999,94082
0,6101 221,63 2538 805,07043
0,6220 231,01 0 811,00000
1,0000 530,00 20267 1000,00000
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Vapor 70% Hidratado
refluxo 2,522718364 v 14108
Resultados Ternário 88505,79kg
Topo da B 17152,19 Ag 959,344
66821,87175
Ciclo 2274,11 Et 131,2044
17435,64071 Eta 13987,29 h 1312044
4248,277939 Ag 890,79
15045984,37 h 4288046,46 Hidratado 93%

constantes
R 1,6 0,02
EQUIPAMENTOS PRESSÕES E 0,0714 0,2857
E1 0,1757 -0,4651
Equipamentos Pressão, mca Temperaturas oC x y
in (base) out (topo) Pcarga dP calc base topo 0,05 0,1
Coluna A 6,329563 4,912596 1,42 1,42 110,0425 0,3 0,5
Coluna A1 4,912596 4,586555 0,33 0,33
y = 1.6x + 0.02
Coluna D 0,772981 0,532964 0,24 0,24 R² = 1
0.6
Coluna B1 5,453216 4,912596 0,54 0,54 106,8221 0.5
Coluna B 4,912596 2,09213 2,82 2,82 81,55437 0.4
0.3
Cond R 0,532964 0,1 0,432964 0,432964 0.2
Cond R1 0,1 0 0,1 0,1 0.1
0
Cond E 2,09213 0,550338 1,541792 1,541792 0 0.2 0.4
Cond E1 0,550338 0,1 0,450338 0,450338
Cond E2 0,1 0 0,1 0,1
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Resultados VINHO %peso 6,5%vol 8,13
T oC 48
Oriundo de 0%Mel 100%Caldo

INDICADORES

CONSUMO DE VAPOR A 10,7658TVH RENDIMENTO DA DESTILAÇÃO 99,6 ÁGUA DE RESFRIAMENTO 518,6218M3/H

CONSUMO DE VAPOR B 4,00408TVH PERDA NA VINHAÇA 0,013 ÁGUA DE RESFR. ESPECIF 80,81L/L

CONS ESPECÍF TOTAL 2,30T/M3 PERDA NA FLEGMAÇA 0,028

ÁLCOOL 1A. ÁLCOOL 2A.


pH 7,0
%INPM 92,82 %INPM 90,00
PROD 6,418012 154,03 M3/H M3/DIA PROD 0,0000 6,92181E-08 M3/H M3/DIA
Temp 30 oC Temp 41,573081 oC
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Resultado final
n° de
Colunas pratos diâmetro Vazão m3/s Veloc, m/s
Coluna A tipo calotas 2 2300 2,289 5,78
perf 18 5,78

Coluna A1 tipo calotas 4 2300 0,172 0,87

Coluna B tipo calotas 32 2300 5,399 13,63


perf/valv 10 13,63

Coluna B1 tipo calotas 13 2300 0,76 1,91

Coluna D tipo perfurada 6 1029 0,003 0,05

Bomba de Vinho 125 m3/h


Escola de Engenharia de
Piracicaba
Escola de Engenharia de
Piracicaba
Conclusão
-Do ponto de vista térmico, os resultados obtidos demonstram um
aparelho de destilação com capacidade produtiva de 150m³/24h,
porém como citadas as possíveis alterações em virtude dos
problemas na fabricação do equipamento, projeto, processo
fermentativo, etc., este aparelho poderá facilmente produzir cerca de
30% alem do resultado calculado.

-A configuração do layout aqui apresentada é relativa à um


aparelho de destilação de álcool combustível carburante, para
o caso de fabricação de álcool hidratado, mais alguns
aparelhos seriam necessários.
OBRIGADO

PELA ATENÇÃO!

Paulo R. Damasco
Paulo R. Damasco