Você está na página 1de 42

ECONOMIA II

Demanda Agregada em Macroeconomia Fechada e


Aberta
Professora: Michelle Nunes

Rio de Janeiro
Macroeconomia 2

• A Macroeconomia trata da evolução da economia como um todo, analisando


a determinação e o comportamento dos grandes agregados, como renda e
produto nacionais, investimento, poupança e consumo agregados, nível geral
de preços, emprego e desemprego, estoque de moeda e taxas de juros,
balanço de pagamento e taxa de câmbio.

• O objetivo do estudo da Macroeconomia consiste na formação e na


distribuição de produto e renda gerados pela atividade econômica. É o
chamado fluxo circular de renda.
• A partir do fluxo circular de renda, estabelecemos os conceitos dos
principais agregados macroeconômicos. Começaremos supondo uma economia
simplificada, fechada e sem governo.
Fluxo Circular da Produção e
Renda 3
Economia Fechada sem Governo 4
Bens e serviços  PIB = ∑PiQi

£
Gastos dos
5
Consumidores
DN = C

Salario, renda, juros, etc.


RN = w + a + j + l

Serviços dos fatores de produção (mão de obra, etc)


Ou seja...

• Empresas ⇌ Famílias: as empresas fornecem bens e serviços às famílias


6
• Famílias ⇒ Empresas: as unidades familiares adquirem os bens e serviços finais que atendem às
suas necessidades, transferindo para as empresas, pagamento por suas aquisições de bens e
serviços finais.

Fluxo de bens e serviços e seus pagamentos


PIB pela ótica do produto e do dispêndio

Fluxo de fatores de produção e seus pagamentos


PIB pela ótica da renda

• Famílias ⇒ Empresas: as unidades familiares fornecem às empresas fatores de produção como


capacidade de trabalho, capacidade empresarial, terras, ativos reais e poupança, para que essas
possam produzir os bens e serviços desejados pela sociedade;
• Empresas ⇒ Famílias: as empresas remuneram as unidades familiares pelos fatores de produção
que estas forneceram (salários, juros, aluguéis e lucros);
• Empresas ⇌ Empresas: os três setores básicos da economia estabelecem entre si complexas inter-
relações através de aquisição de bens intermediários, até que sejam produzidos os produtos finais
necessitados pela sociedade, dando origem a uma rede de pagamentos entre as empresas;

• É o fluxo circular da renda: constante venda e compra dos bens.


Os fatores e as suas remunerações 7
• Os fatores de produção, fornecidos pelas unidades familiares são:
• Terra: espaço físico;
• Mão-de-obra: utilizada direta ou indiretamente no processo produtivo;
• Capital fixo: máquinas e equipamentos utilizados diretamente na produção;
• Capacidade empresarial: administração – máxima utilização dos fatores sem esgotá-
los.

• As remunerações dos fatores de produção são:

• Aluguel: remuneração do espaço físico;


• Salário: remuneração da mão-de-obra;
• Juros: remuneração do capital fixo;
• Lucro: remuneração da capacidade empresarial.
Portanto, a renda = custo dos fatores.
A organização dos setor produtivo 8

• Atividades primárias: agricultura, pecuária, pesca e atividades afins;


• Atividades secundárias: indústrias de transformação e construção;
• Atividades terciárias: prestação de serviços – comércio, transportes e intermediação financeira.
O conjunto desses setores e seus sub-setores compõem o “Aparelho de Produção da Economia
Nacional”.

• Por meio dessa cadeia, todo o sistema se movimenta para a produção de bens e serviços:
• Tangíveis: produzidos pelos setores primário e secundário;
• Intangíveis: produzidos pelo setor terciário.
O conjunto de bens e serviços produzidos destina-se, por fim, ao atendimento das necessidades de
consumo e de acumulação da sociedade.
Fluxo Circular numa Economia
Fechada com Governo 9
Bens e serviços  PIB = ∑PiQi

10
£
Gastos dos
Consumidores
DN = C

Impostos

Bens e Ser.
Públicos Bens e Ser.
Públicos
Impostos

Salario, renda, juros, etc.


RN = w + a + j + l

Serviços dos fatores de produção (mão de obra, etc)


Ou seja...
• As relações entre empresas e famílias se mantêm, a única diferença é a relação do
governo com essas duas. Assim:
• Famílias ⇒ Governo: as unidades familiares fornecem fatores ao governo (mão-de- 11
obra, atc.) e paga impostos;
• Governo ⇒ Família: o governo transfere bens, serviços e rendas (remunerações,
benefícios etc.) às famílias;
• Empresas ⇒ Governo: as empresas fornecem bens, serviços e impostos ao governo;
• Governo ⇒ Empresas: o governo transfere bens e serviços públicos e pagamento
pelos bens adquiridos;

Fluxo de bens e serviços públicos e arrecadação de


impostos

Fluxo de fatores de produção, seus pagamentos e


transferências de rendas

Fluxo de bens e serviços públicos e arrecadação de


impostos

Fluxo de bens e serviços privados e seus pagamentos


O Fluxo Circular numa
Economia Aberta 12
Fluxo Circular de uma Economia Aberta
Bens e serviços  PIB = ∑PiQi

£
13
Gastos dos
Consumidores
DN = C

Bens e Ser. Públicos Impostos

Bens e Ser. Públicos


Impostos

Salario, renda, juros, etc.


RN = w + a + j + l

Serviços dos fatores de produção (mão de obra, etc)


Idem

Compra e venda de bens e serviços ,


investimentos e tranf. unilaterais
Ou seja...
• Todas as relações ditas anteriormente se mantêm, além de:


Pagamentos e recebimentos de serviços prestados;
Pagamentos e recebimentos de transferências unilaterais; 14
• Venda (exportação) e compra (importação) de produtos.

Fluxo de bens e serviços públicos e arrecadação de


impostos

Fluxo de bens e serviços privados e seus pagamentos

Fluxo de fatores de produção e seus pagamentos


Idem

Compra e venda de bens e serviços ,


investimentos e tranf. unilaterais
Os Agregados Macroeconômicos numa
Economia Fechada (com e sem governo) 15
Cálculos dos Agregados 16

• As transações/atividades econômicas dos agentes resultam nos seguintes conceitos agregados:


• Produção: é toda a atividade necessária para atender, nas ocasiões e lugares adequados, às
necessidades humanas, coletivas ou privadas, de bens e serviços materiais, tangíveis ou não

• Renda: considerada como remuneração dos fatores, ocorre paralelamente à atividade de produção
e é indispensável para as posteriores atividades de consumo e acumulação, ou seja, é a ligação
entre a atividade de produção com as atividades de consumo e acumulação;

• Dispêndio/consumo: considerado como o gasto da remuneração, é, conceitualmente, o ato de


aquisição do produto final pelo consumidor e/ou o usufruto de determinados tipos de bens e
serviços coletivos que atendem a necessidade de caráter público, como são as obras contra
enchentes, defesa nacional etc.;
Cálculos dos Agregados 17
• Conceitos:
• PIB: valor agregado, depurado das transações intermediárias e medido preços de mercado, de
todos os bens e serviços finais produzidos dentro do território econômico do país em
consideração, independente de os fatores mobilizados serem de propriedade de residentes ou
de não-residentes;

• PNB: valor agregado correspondente aos bens e serviços resultantes da mobilização de


recursos nacionais, pertencentes a residentes, independentemente do território econômico
em que hajam sido produzidos.

• A medida da diferença entre o PIB e o PNB corresponde à RENDA LÍQUIDA ENVIADA AO


EXTERIOR – RLEE ou, conforme o caso, recebida do exterior. Assim:

• Como estamos numa economia fechada, apenas com residentes, o PIB = PNB e a RLEE = 0 ou
RLRE = 0.
Cálculos do PIB 18

• Tudo começa pelo PIB! Ele é o maior agregado numa economia!

• As três óticas de cálculos macroeconomicos:


• Ótica do produto: ∑PiQi = Σ(V.A.L.) + Dep + (Ti – s)
• Ótica do dispêndio: C + I + G + (X – M)
• Ótica da renda: (w + a + j + L) + Dep + (Ti – s)
Cálculos do PNB a preço de mercado 19

• Economia Fechada
• PNB a preço de mercado = PIB a preço de mercado
• .....(pois estamos numa economia sem comércio exterior)

• Economia Aberta
• PNB a preço de mercado = PIB a preço de mercado - RLEE
• .....(pois estamos numa economia aberta)
Cálculo do PNL 20

• PNL a preço de mercado:


• PNLpm = PNBpm – Dep

• PNL a custo dos fatores


• PNLcf = PNLpm – (Ti - s)
Cálculo da Renda Nacional 21

• Renda Nacional = PNLcf ou ainda RN = ∑(remuneração dos fatores)

(Sempre)
• Renda Nacional Disponível
• RND = RN – Td + Transferências

• Renda per capita


• Renda per capita = RND/População
As Contas Nacionais 22
As Contas Nacionais 23
• De maneira geral, são registros contábeis de dupla entrada cujo conteúdo
dependerá da natureza da variável.
• 1. Conta de Produção: de onde veio a produção e quem a consumiu.
• Obs.: Seu valor total coincide com o cálculo do PIB.

• 2. Conta de Apropriação: quem, realmente, se apropriou da renda e onde a gastou.


• Obs.: o total das remunerações não é igual ao total do valor agregado bruto, porque
o que interessa é o valor que realmente ficou com as famílias. E, do total de
remunerações geradas no processo produtivo, uma parte fica na empresa para
cobrir os desgastes do maquinário e uma parte dos lucros não são distribuídos às
famílias, ficando na empresa para reinvestimentos.

• 3. Conta Consolidada de Capital: de onde veio o recurso utilizado em investimento e


onde foi investido.
• Obs.: Seu valor total coincide com o cálculo do I.
São 4... Pois agora temos o governo 24

• 4. Conta Corrente do Governo: de onde veio a receita do governo e onde ela foi empregada.

• 5. Conta das Transações com o Exterior: recebimentos e pagamentos decorrentes das transações
com o resto do mundo.
• Seu valor é maior que o volume de X e M porque conta também com a RLEE e o saldo do BP em
C/C.
Exemplo das Contas Nacionais –
Economia Aberta 25

• PIB pela ótica do dispêndio: PIBD = C + (FBCFp + FBCFg + ∆E) + (X – M) =


= (740 + 110) + (103 + 30 + 10) + (22 – 20)
= 740 + 143 + 110 + 2 = 995 a preço de mercado.

1. Conta de Produção:

Débito $ Crédito $
Valor agregado Líquido dos setores 890 Consumo das Unidades Familiares 740
Primário 177 Consumo do governo 110
Secundário 310 Formação Bruta de Capital Fixo - FBCF 133
Terciário 403 Das Empresas 103
Depreciação do Capital 10 Do Governo 30
Tributos Indiretos 100 Variação dos Estoques 10
Subsídios (5)
Importações 20 Exportação 22
Total da Oferta de Bens e Serviços 1.015 Total da Demanda de Bens e Serviços 1.015
Exemplo das Contas Nacionais –
Economia Aberta 26
2. Conta de Apropriação da renda:

Débito $ Crédito $
Consumo das Unidades Familiares 740 Renda das Unidades Familiares 870
Poupança das Unidades Familiares 90 Salário 730
Tributos Diretos 70 Aluguéis 45
Outras Receitas Correntes do Governo 20 Juros 30

RLEE 5 Lucros Distribuídos 65


Transferências 55
Total da Despesa 925 Total da Renda 925

3. Conta de Acumulação de Capital:


Débito $ Crédito $
Formação Bruta de Capital Fixo - FBCF 133 Poupança das Unidades Familiares 90
Das Empresas 103 Poupança do Governo 20
Do Governo 30 Lucros Não-Distribuídos 20
Variação dos Estoques 10 Depreciação do Capital 10
Saldo do Balanço de Pgto em C/C 3
Total da Formação Bruta da Capital Fixo - Total dos Recursos para a Formação Bruta de
FBCF 143 Capital Fixo - FBCF 143
Exemplo das Contas Nacionais –
Economia Aberta 27

4. Conta Corrente do Governo


Débito $ Crédito $
Consumo do Governo 110 Tributos Diretos 70
Poupança do Governo 20 Tributos Indiretos 100
Transferências 55 Outras Receitas Correntes do Governo 20
Subsídios 5
Total da Despesa 190 Total de Receita 190

5. Conta das Transações com o exterior:


Obs.: o crédito é do resto do mundo!!

Débito $ Crédito $
Importações de mercadorias e
Exportações de mercadorias 22 serviços 20
Saldo do Balanço de Pgto em C/C 3 RLEE 5
Total de recebimentos 25 Total de pagamentos 25
O PIB crescer significa algo bom?
O que faz o PIB crescer? 28

• O PIB crescer significa que está sendo gerando mais emprego, mais renda e, por
consequência, maior consumo e bem estar da população pois, esta por gastar mais
com saúde, educação, lazer, consumo etc.

• O PIB crescer também é bom para o Governo que arrecada mais e poder investir
mais em educação, saúde, logística, segurança etc.

• O PIB crescer significa mais faturamento para as empresas, que pode contratar mais,
investir mais e produzir mais.

• Portanto, todos ganham quando o PIB cresce. E todos perdem quando o PIB cai,
principalmente os mais vulneráveis.
O PIB crescer significa algo bom?
O que faz o PIB crescer? 29

• Ajuda o PIB a crescer:


• Investimento (I)  Sua principal fonte é a Poupança!!
Formação Bruta de Capital Fixo (FBKF) + Estoque (produção não vendida).
• Poupança 
Poupança das Famílias (SF = Y – T - C)
+
Poupança das Empresas (Lucro não distribuído + Depreciação)
+
Poupança do Governo (T – G)
+
Poupança Externa (Déficit em C/C do Balanço de Pagamento)

• Produtividade  tanto do capital (K/Y) quanto do trabalho (L/Y). Uma relação K/Y = 3, significa
que são nessários 3 unidades de capital para gerar 1 unidade de produto.
Analisando os Componentes do PIB 30

PIB = C + I + G + (X – M)
• Consumo (C) depende da Renda (Y) e dos impostos (T), que forma a renda disponível
(Y-T); depende das condições de crédito (taxa de juros e prazo de financiamento)
• Investimento (I) depende da taxa de juros (i), capital e das expectativas.
• Gasto do Governo (G) depende da decisão do governo e do quadro institucional.
• Exportações (X) dependem da taxa de câmbio, da renda externa e das condições de
crédito externo.
• Importações (M) dependem da taxa de câmbio, da demanda interna e das tarifas de
importação.
• Mexer em algum desses itens significa que está se fazendo algum tipo de política
para se obter o equilíbrio macroeconômico!!
O Equilíbrio Macroeconômico 31
Apenas o Mercado de bens (compra e venda; oferta e
demanda)
32
Demanda Agregada 33
• A demanda agregada (DA) é a relação entre gastos em bens e serviços e o nível de
preços. Tudo o mais mantido constante, o aumento de gastos/demanda, fará crescer o
produto e o emprego com pequenos efeitos sobre os preços. Porém, se a economia
estiver próxima ao pleno emprego, o aumento da demanda agregada irá se refletir
primeiramente em preços mais altos - inflação.

• Demanda Agregada numa economia fechada sem governo: DA = C + I


• Demanda Agregada numa economia fechada com governo: DA = C + I + G
• Demanda Agregada numa economia aberta: DA = C + I + G + (X – M)

• A curva de oferta (OA) agregada especifica a relação entre o volume de produto das
empresas e o nível de pecos. Os problemas de oferta, ou choques de oferta, podem
reduzir o produto e aumentar os preços. Por outro lado, políticas que aumentam a
produtividade e, portanto, o nível de oferta agregada a um dado nível de preços, pode
ajudar a reduzir pressões inflacionárias.

• Oferta Agregada é fixa no curto prazo, ou seja, não há função.


Cálculo do Equilíbrio Agregado 34
• Condição: Para que o mercado de bens esteja em equilíbrio, o produto tem que ser
igual à demanda agregada, ou seja, será aquele ponto onde DA = OD.
• Para uma economia fechada
• DA = OD.  C + I = Y
• ou
• DA = OD.  C + I + G = Y

• Para uma economia aberta:


• Y = C + I + G + (X – M)

• Função Consumo:
• C = 200 + 0,8Yd  Yd = Y - T
Cálculo da Demanda Agregada Fechada 35
• Exemplo:
• C = 200 + 0,8Yd, I = 300, T = 100, G=240

• A) Calcular a renda de equilíbrio para uma economia fechada com e sem


governo
• B) Qual o multiplicador? O que significa?
• C) Qual o Gasto Autônomo? O que significa?
• D) Qual o montante de Consumo dessa economia?
• E) Qual é o total da poupança dessa economia?
Demanda Agregada numa Economia Fechada
e com governo 36

• Respostas:
• C = 200 + 0,8Yd, I = 300, T = 100, G=240
• A) Calcular a renda de equilíbrio para uma economia fechada com governo
•Y=C+I+G
Y = (200 + 0,8(y-T)) + 300 + 240
Y = 200 + 0,8(Y-100) + 540
Y = 740 + 0,8Y – 80
Y – 0,8Y = 660
Y(1-0,8)=660
Y = 1/0,2(660) = 3300.
Demanda Agregada numa Economia Fechada
e com governo 37

• Respostas:
• C = 200 + 0,8Yd, I = 300, T = 100, G=240
• Y = 3300.
• B) Qual o multiplicador? O que significa?
• 1) 1/0,2 = 5  multiplicador = significa que para cada 1 real injetado na economia
aumenta a renda de equilíbrio em 5 vezes mais (5 reais).

• C) Qual o Gasto Autônomo? O que significa?


• 2) 660 = gasto autônomo = é o volume de gasto que ocorrerá mesmo que os agentes
não tenham renda.
Demanda Agregada numa Economia Fechada
e com governo 38
• D) Qual o montante de Consumo dessa economia?

• Logo,
• C = 200 + 0,8(Y-T)  C = 200 + 0,8(3300-100)  C = 200 + 2640 – 80 = 2760
• ou C = 200 + 0,8(3200)  C = 200 + 2560 = 2760.

• E) Qual é o total da poupança dessa economia?


• Stotal = Sfamílias + Sgoverno  Stotal = (Y-T-C) + (T-G)
• Stotal = (3300-100-2760) + (100-240) = 440 – 140 = 300, pois S=I.
Demanda Agregada numa Economia Fechada
e com governo 39
• Importante:
• Se a poupança do governo (T – G) for:
 Positiva = T>G = superávit orçamentário;
 Negativa = T<G = déficit orçamentário
 Zero = T=G = equilíbrio orçamentário.

Esse superávit é chamado de superávit primário, pois é a primeira poupança


que o governo tem que fazer para honrar com outros compromisso como o
pagamento da dívida pública.
O Equilíbrio Geral Interno 40
O Mercado de bens versus o Mercado Financeiro
O Modelo IS-LM
41
IS-LM 42
• Para mexer na IS ou na LM deve-se fazer Política Fiscal ou Monetária.
• Qualquer Política feita para ↑PIB é chamada de Política XX Expensionista!
• Qualquer Política feita para ↓PIB é chamada de Política XX Contracionista!