Você está na página 1de 18

ANÁLISE INSTRUMENTAL - MMD 00013

Período: 2018/2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL


PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM ENGENHARIA DE MINAS,
METALÚRGICA E DE MATERIAIS

Método de BET
Análise de Área Superficial

Professora Dra. Jane Zoppas Ferreira


Alunos: Marcelo Bauer Alves
Paulo Matheus Souza de Souza
Por que determinar a área de
superfície?
Engenharia:
-Catálise heterogênea.
-Separação seletiva: zeólitas.
-Presença de contaminantes em recursos hídricos
(água/ar) .
Medicina:
-Aumentar eficiência farmacológica de alguns
medicamentos.
Segurança:
-Preparação de máscaras de gás.
Importância da área superficial

A extensão de adsorção depende da área de superfície. Aumentando a área de


superfície do adsorvente, aumenta a quantidade total de gás adsorvido.
Importância da área superficial

Tipo de poro Tamanho (nm)

Microporo 2<
Mesoporo 2 ~ 50
Nanoporo 50<

Substâncias porosas como zeólitas, sílica gel e


carvão ativado.
Definições

• Substrato ou adsorvente: superfície na qual ocorre a


adsorção: vários tipos de gel de sílica; zeólitas; polímeros,
carvão ativado.
• Adsorvato: moléculas ou átomos que são adsorvidos no
substrato.
• Adsorção: processo através do qual a molécula ou átomo
adsorve à superfície do substrato.
Adsorção de um gás por um sólido

Depende:
Da temperatura;
da pressão;
área superficial do
substrato;
da natureza do gás.
BET
Brunauer, Emmett, Teller
• Relaciona a pressão parcial de um gás (geralmente N2 para
BET) à concentração desse gás no adsorvente.
• Considera formação de multicamadas por adsorção física.
• Todas camadas, com exceção da primeira, são tratadas iguais.
• As camadas gasosas não interagem entre si.
BET
Brunauer, Emmett, Teller
1 1 𝐶−1 𝑃
𝑃0
= +
𝑊 −1 𝑊𝑚𝐶 𝑊 𝑚 𝐶 𝑃0
𝑃

P é a pressão medida pelo equipamento e P0 é a pressão de saturação do


nitrogênio na temperatura da análise (conhecida).
𝑃
W é massa de gás adsorvida a uma pressão relativa , medido pelo
𝑃0
𝑃𝑉𝑀
equipamento. 𝑊 = (1- 𝑃Τ𝑃0)
𝑅𝑇
Wm é a massa de adsorvato que constitui a monocamada que cobre a
superfície do adsorvente. É obtida pela equação .
C é uma constante que depende da magnitude da interação entre o
adsorvente e adsorvato. É obtida pela equação.
Multi-point BET

Pelo menos 3 pontos.


1 𝑃
Plotar 𝑃0
vs (Requer plotagem linear).
𝑊 −1 𝑃0
𝑃
𝑃
Com N2, usar entre 0,05 e 0,35 para conseguir região linear.
𝑃0
Multi-point BET
1 1 𝐶−1 𝑃
𝑃0
= +
𝑊 −1 𝑊𝑚𝐶 𝑊𝑚𝐶 𝑃0
𝑃

1 𝑃
𝑃0
vs
𝑊 −1 𝑃0
𝑃

𝐶−1
𝑠=
𝑊𝑚𝐶

1
𝑖=
𝑊𝑚𝐶

1
𝑊𝑚 =
𝑠+1
Multi-point BET
A área superficial St é dada pela equação

𝑊𝑚 𝑁 𝐴𝑐𝑠
𝑆𝑡 =
𝑀
Onde N é o número de Avogadro.
M é a massa molar do gás.
Acs é área de secção transversal da molécula do adosrvato.
E a área superficial específica é dada pela equação
𝑆𝑡
𝑆=
𝑤𝑎
Onde Wa é a massa do adsorvente.
Single-point BET
Com C conhecido e para valores grandes.
Para N2, 𝑃/𝑃0 em torno de 0,3.
1 1 𝐶−1 𝑃
𝑃0
= +
𝑊 −1 𝑊𝑚 𝐶 𝑊𝑚 𝐶 𝑃0
𝑃

1 1 𝑃
𝑃0
=
𝑊 −1 𝑊𝑚 𝑃0
𝑃

𝑊𝑚 =W (1- 𝑃Τ𝑃0)
Comparação
Single-point Vs. Multi-point
O erro relativo do método single-point depende do valor da
constante C .

𝑠
𝐶 = 𝑖+1

É possível corrigir os resultados obtidos pelo single-point.


Etapas

1- Desgaseificação: vácuo ou N2 aquecido.


2- Evacuação.
3-Medição do volume morto com gás hélio.
4-Evacuação.
5-Adsorção. Dados para área superficial e isoterma de sorção.
6-Dessorção. Dados para área superficial e isoterma de dessorção.
Tipos de materiais

I: Materiais microporosos: carvão ativado e


zeólitas. C > 1 Monocamada.
II: Materiais não porosos ou macroporosos:
Alumina e sílica. C>1. Formação completa da
monocamada no ponto B. Multicamadas.
III: Materiais não porosos com fraca interação
entre adsorvente e adsorvato: grafite. C<1 (Não
usar BET).
IV: Materiais mesoporosos: alumina e silica.
V: Materiais porosos com fraca interação entre
adsorvente e adsorvato. C<1. (Não usar BET).
VI: Materiais com superfície uniforme.
Cuidados com o preparo da amostra

A principal fonte de erro é a pesagem da massa. A massa


da amostra é pequena, portanto deve ser pesada em
balança analítica de quatro casas. É necessário pesar a
amostra antes e depois da desgaseificação.
BET x Blaine
BET x Blaine
 Na maioria dos materiais que utilizam o Blaine (cinzas,
cimentos, escórias), em relação ao BET, os resultados obtidos
são menores, por estes materiais possuírem uma superfície
mais porosa.
 Além disso, atualmente, o custo de um ensaio BET é mais
barato e demanda um tempo menor (para se fazer o Blaine, é
necessário fazer um ensaio prévio de massa específica).
 Entretanto, ainda não é comum observar trabalhos neste
campo específico que utilizem o BET, ainda que seja mais
preciso e menos suscetível a erros.