Você está na página 1de 30

USG Quadril Infantil: DDQ

Anatomia
• A forma da extremidade proximal do fêmur no recém-nascido difere
da encontrada no adulto
• Não há definição e um colo femoral
• Colo adulto  diferenciação da velocidade de crescimento da linha epifisária
proximal do fêmur
• Porção medial da linha cresce mais rapidamente que a lateral
• Forma do adulto  6 anos

Sernik RA, Cerri GG. Ultra-sonografia do sistema músculo-


esquelético.
Anatomia
• Acetábulo: Ilíaco, Isquio e Púbis
• Unidos pela cartilagem trirradiada
(Y) na cavidade acetabular
• A cavidade articular é ampliada
pelo lábio acetabular
• Fibrocartilagem em forma de U
invertido que acompanha parte do
contorno ósseo do acetábulo
Displasia do Desenvolvimento do Quadril
• Representa um espectro de alterações que ocorrem durante o
crescimento do acetábulo e da cabeça femoral
• Quadris instáveis, displasias do acetábulo sem deslocamento femoral,
subluxações e luxações
• Pode ser vista logo após o nascimento ou em fase mais tardia
(perinatal  infância)

• Incidência é de 1 a 3 casos a cada 1000 nascidos vivos


• Influenciada por fatores étnicos e geográficos

Cabeça Femoral Luxada  Quadril Displásico


Etiologia
• 98% é de causa não teratogênica  quadril prévio normal
• Acetábulo é modelado de acordo com a pressão exercida pela cabeça
femoral  fatores que reduzam o contato entre a cabeça femoral e o
acetábulo
• Mecânicos: Restrição espaço intraútero, tipo de apresentação
• Hormonais: Hormônio materno relaxina  frouxidão ligamentar e capsular (>F)

• Causas teratogênicas: displasias ósseas, deficiência focal do fêmur


proximal, síndrome de Larsen, dças musculares, mucopolissacaridoses,...
Etiologia
• 2 períodos de maior risco durante a gestação
• 12º semana  rotação medial do mmii
• 18º semana  músculos da cintura pélvica se desenvolvem
• 60% esq / 20% dir / 20% bilat : apresentação OLE

• Nas displasias graves o recobrimento ósseo da cabeça femoral é


deficiente: compensado pelo aumento do teto cartilaginoso
• Δt luxação até o diagnóstico: hipertrofia do pulvinar, gordura intra-articular
adjacente ao lig redondo
Diagnóstico
• Diagnóstico precoce!!! – evitar complicações futuras
• Lesões labrais e osteoartrite prematura de quadril
Avaliação
• Não há consenso sobre qual melhor protocolo para avaliação
• Testes
Diagnóstico
• Manobras Barlow e Ortolani
• ↓ eficácia após 8°-12°sem → ↓ frouxidão da cápsula articular + ↑ tensão
dos músculos periarticulares;

• De acordo com a ACR (American College of Radiology) – A USG é o


método de escolha para o quadril imaturo
• RX se tornará um método confiável a partir de 6m de vida
DDQ - Ultrassonografia
• Indicações
• Achados anormais no exame físico;
• Monitorização de pacientes tratados com Pavlik/outros;
• História familiar positiva de DDQ;
• Parto com apresentação pélvica;
• Oligodramnio;
• Doenças neuromusculares.

• Exame de screening entre 3º e 4º semanas de vida


DDQ - Ultrassonografia
• Exame físico normal + fator de risco: US 4 a 6
semanas; controle 12s
• Exame físico + : US 1º semana ; controle 4 a 6
semanas + 12 semanas
• Monitorização do tratamento – US até 4 a 5
meses, depois RX
Rastreamento Seletivo
com USG:
• Exame físico duvidoso
• Fator de risco
DDQ - Ultrassonografia

ESTÁTICO – BIOMÉTRICO DE GRAF

DINÂMICO - HARCKE
DDQ - Ultrassonografia
• ESTÁTICO – GRAF: Coronal
DDQ – Ultrassonografia - GRAF
DDQ – Ultrassonografia - GRAF
DDQ – Ultrassonografia - GRAF
• Normal: alfa > 60 (GRAF I) em qualquer idade
• Imaturidade? : alfa > 50 / < 3 meses idade (GRAF IIa)
• Confirmar evolução para maturidade com USG
• Displasia: alfa < 60 / > 3 meses idade (GRAF IIb)
• Displasia: alfa < 50 em qualquer idade (GRAF IIb, IIc, e D) – quadril
centralizado – estável/instável
• Displasia severa: alfa < 43 em qualquer idade (GRAF IIIa, IIIb e IV) –
quadril descentralizado-instável
DDQ – Ultrassonografia - GRAF

I II a/b II c/d III / IV

ALFA >= 60 ALFA >= 50 e < 60 ALFA >= 43 e < 50 ALFA < 43
Idade: Beta Posição do teto
< 12 sem: II a < 77: IIc cartilaginoso
> 12 sem: II b > 77: D
Pediatr Radiol (2014) 44;410-24
DDQ – Ultrassonografia - GRAF
DDQ – Ultrassonografia - GRAF
• Cobertura da cabeça femoral
• Normal > 58%

Int Orthop. 2009 Jun; 33(3): 761-764


DDQ – Ultrassonografia – Harcke
• Dinâmico – Harcke
• Plano transversal com flexão de 90º

2013 – AIUM PRATICE


PARAMETER – Developmental
Dysplasia of the Hip
DDQ – Ultrassonografia – Harcke
• Pavlik: NÂO realizar manobras dinâmicas
Displasia do Desenvolvimento do Quadril
•I a
Displasia do Desenvolvimento do Quadril
III
Displasia do Desenvolvimento do Quadril
> 60
> 60

< 30
Tratamento e Monitorização
• Depende da idade e do grau de acometimento:
• Até 6 meses: suspensório de Pavlik (flexão + abdução)
• De 6 - 18 meses: redução fechada + imobilização gessada
• Acima de 18 meses: redução aberta + imobilização gessada

• Complicação mais temida do tratamento → necrose avascular da CF;


• Monitorização US periódica 2-4 sem durante uso do suspensório
Pavlik.
Tratamento e Monitorização
Complicação
Tratamento e Monitorização
LPOA – 1M 19D

ALFA = 64
BETA = 54
LPOA – 1M 19D

ALFA = 30
BETA = 90