Você está na página 1de 41

Propedêutica em traumatologia

maxilofacial
Limites da maxila
• Trágus-trágus
• Glabela-hióideo
Definição
• Os traumas maxilofaciais são lesões que afetam
ossos, tecidos moles das áreas compreendida
entre os terços da face.
Incidência das fraturas da face

• Osso nasal 29%


• Mandíbula 24%
• Zigoma 23%
• Maxila 10%
• Órbita 6%
• Fraturas complexas 0,3%
Qual aspecto do tratamento.
• Progresso no campo de diagnóstico por imagem
• Desenvolvimento de materiais de osteosíntese...
Sistematização do atendimento
• Nebraska 1978
• Prioridade no atendimento de um paciente
vítima de traumatismo identificação na
resolução de situação que trazem risco imediato
de vida.
• ATLS/SAUT ( Advanced Trauma Lif Suport).
• SAUT (Suporte avançado de vida no trauma)
Avaliação primária ATLS/SAUT
• A- manter vias aéreas desobstruídas com
proteção da coluna cervical.
• B- manter a respiração e ventilação.
• C- circulação com controle hemorrágico.
• D- incapacidade, avaliação do estado
neurológico
• E- manter hemostasia através do controle de
temperatura.
Lesões bucomaxilo que necessitam de
tratamento imediato.
• Ferimentos dos tecidos moles.
• Fraturas com sangramento abundante.
• Fraturas que comprometam as vias aéreas.
• Fraturas do complexo zigomático com
compressão do globo ocular.
• Fratura das paredes orbitais
• Fragmento ósseo comprimindo estruturas
nobres.
• Ferimentos por arma de fogo.
Princípios de abordagem ao trauma
facial.
• Diagnóstico preciso e completo
• Exame de imagem
• Tratamento dos ferimentos de partes moles
• Tratamento das fraturas faciais e mandibulares
• ...
• ...
• ...
Diagnóstico
• Exame clínico
• Exames complementares de imagem: TC da face,
Raio-x, RNM.
Exame clínico
• Anamnese dirigida
• HDA
• HM
• HSF
Avaliação clínica.
• Avaliação do paciente
• Inspeção
• Palpação
• Tecidos moles nervo e anexos
• Esqueleto facial
• Cavidade oral (dentes e língua).
Avaliação clínica.
• Inspeção Palpação
• Visualização de simetria.
Sinais e sintomas
• Dor
• Edema/ equimoses
• Crepitação
• Hipoestesia/paralisia
• Maloclusão
• Disfunção visuais
• Assimetrias
Inspeção: feridas dos tecidos moles da
face.
• Contusão: provocadas por traumas, ranho(?) sem
ruptura da pele.
• Laceração: causadas por danos cortantes ou
perfurantes dos tecidos moles, podendo ter imagem
mal definidas, irregulares ou contusas.
• Abrasão: causadas por atrito causando perda
traumática da epiderme e descontinuidade da pele.
• Avulsão: perda de seguimento ou de tecido , que vai
desde a pequena perdas de substâncias até, perda de
anexos, como orelhas, nariz, pálpebras e lábios.
Tratamento das feriadas
• Degermação: irrigação com soro + PVPI ao
redor.
• Anestesia
• Desbridação: remoção de corpo estranho e
tecido necrótico
• Hemostasia
• Sutura por planos
• Avaliar a necessidade de ATB e ATT.
Profilaxia das infecções
1. Feridas contaminadas (+ de 6 hs)-
cefalosporinas
2. Mordedura animal- Amoxicilina + ác.
Clavulânico (clavulin)
3. Mordedura humana (flora oral)-penicilinas
Profilaxia do tétano
• 5-10 a: 0,5 ml de toxóide tetânicos em feridas
contaminadas.
• Acima de 10 a: 0,5ml de toxóide tetânico em
qualquer ferida.
• Nunca vacinados: 250 UI de imunoglobulina
antitetânica...
Avaliação de nervo
• Nervo facial
• Nervo alveolar inferior
• Nervo infraorbitário
• Nervo mentoniano
Classificação das fraturas dos ossos da
face
Le Fort I

Fratura Le Fort I separando a porção inferior da


maxila de forma horizontal, desde a abertura piriforme
até a área da sutura pterigomaxilar.
Le Fort II

Fratura Le Fort II envolvendo a separação da maxila e


do complexo nasal da base do crânio, da área de
rebordo zigomático-orbital e da área da sutura
pterigomaxilar
Le Fort III

Fratura Le Fort III (i. e., disjunção


craniofacial) é a completa separação do
terço médio da face ao nível do complexo
naso-órbito-etmoidal e da sutura
zigomático-frontal. A fratura também se
estende bilateralmente através da órbita.
Fraturas dos ossos da face: quanto a
localização
Avaliação do esqueleto facial
• Fraturas disjuncionais da maxila
• Verificar contorno da mandíbula
• Fratura do rebordo alveolar
Avaliação radiográfica
Objetivos principais
• Redução funcional e redução anatômica
• Estabilização
• Contorno facial
• Projeção facial
• Adequada exposição do sítio de fratura
• Fixação integra e rígida
Tratamento e vias de acesso
• Via intra oral
• Via extra oral
Imobilização das fraturas bucofaciais
• Intermediário
• Barra de ERICH
Fixação e osteossíntese
• Visa impedir movimentos de desvios horizontais
e verticais bem como cooptar os extremos ósseos
das fraturas.
Fixação
• Não rígida (não mantém o osso
imobilizado)Barra de Erich

• Rígida (placas e parafusos)


Fixação não rígida
• Bandagem
• Amarrias interdentais
• Bloqueio maxilo mandibular
Bloqueio maxilo mandibular
• É o estabelecimento de uma relação oclusal
adequada por meios de fios de aço ou arco pré
fabricado preso aos dentes ( de forma a colocar
os dentes em oclusão)
• Desvantagens: não supera as demandas
funcionais da mandíbula sem o aparecimento de
movimentos no foco dental; pode haver
osteítes[...]
Fixação interna rígida
• É a forma de fixação do caso em que as forças de
deformações[.....]
• Vantagem elimina ou diminui o tempo de
fixação maxilo mandibular.
• Permite a cura óssea, respeitando as condições
de reparação.
• Reduz ou ausência de dor
• Funcionalidade precoce (dos movimentos
mandibulares)
Fixação interna rígida
• Permeabilidade das vias aéreas
• Alimentação: via oral
• Baixa incidência de infecção
indicações
• Fraturas compostas ou complexas
• Fraturas com deslocamento fragmentado
• Fraturas em edêntulos
• Fraturas de ângulo com deslocamento
• Fraturas com politraumatismo
• Cirurgia ortognática
• Reconstrução mandibular
Contra indicações
• Fraturas contaminadas
• Fraturas cuminutivas
• Fraturas expostas sem cobertura tecidual
• Pacientes pediátricos (“põe e tira as placas com 3
meses”).
Zonas de fragilidade mandibular
• União do corpo e ramo mandibular
• Colo do processo mandibular
• Presença de raiz comprida do canino
• Inclusão dentária do 3º molar
• Desdentados parciais
Distribuição anatômica das fraturas
• Sínfise e para sínfise 29,2%
• Côndilo 22,2%
• Ângulo da mandíbula 21,2%
• Corpo da mandíbula 19,4%
• Processo coronóide 2%
• Processo alveolar
classificação
• Fratura do ângulo da mandibula
• Fratura de sinfese
• [...]
• [...]
• [...]
fraturas
• Única ou simples
• Multiplas
• Cominutivas
• Complexa