Você está na página 1de 9

COMPETÊNCIA

ASPECTOS GERAIS

• JURISDIÇÃO COMO PRESSUPOSTO PARA COMPETÊNCIA


1 . Divisão entre competência Absoluta e Relativa: A determinação da
competência obedece a critérios que buscam a realizar o interesse público. Pode
ser argüida em qualquer foro ou instância, em em ocorrendo a chamada
incompetência absoluta. Ao contrario é alcançada pela preclusão a
incompetência relativa.
A incompetência do juízo gera a nulidade dos atos decisórios: os demais
atos são ratificáveis no juízo competente.
“Não se tratando de incompetência absoluta, não há que anular o processo
se não foi oferecida, ao tempo próprio, a exceção de competências.”
(RT. 553466)
COMPETÊNCIA
2 . Momento de fixação:
• Fixação pela classificação na denúncia (imputactio juris) e não pela
(imputactio facti) – inteligência do art. 41 do CPP.
Não é imputactio facti, que serve de base para a fixação de competência
ratione materiae dos Tribunais, mas sim a imputactio juris, a
classificação do crime a que se refere o art. 41 do CPP.
(RT 687234)

COMPETÊNCIA TERRITORIAL
1. Critério básico de e sua natureza
Local de infração “ a competência , inexistindo elemento especial fixa pelo fato
CPP art. 70
2. Oportunidade de argüição: se o réu não opuser exssão declinatória do
foro, da-se a prorro0gação de competência. Incompetência relativa
COMPETÊNCIA
3. Forma de argüição: são a incompetência absoluta é que pode ser argüida em
qualquer tempo e instancia, devendo ser declarada pelo juiz ex-oficio. A
inco0mpetencia Ratione loci deve ser argüida oportunamente (RT.565310)
4. Derrogação da regra na competência da justiça federal: “tratando-se processo da
competência da justiça federal não vige o art. 70, segundo o qual a
competência será, de regra, determinada pelo lugar onde se consumar a
infração RTJ 72696
DEFINIÇÃO DA COMPETENCIA NOS CRIMES EM ESPÉCIE
1. Falso testemunho: local onde foi prestado RT605/298
2. Na apropriação indébita: onde o réu deveria restituir as quantias recebidas
3. Na extorsão: delito que se aperfeiçoa no local em que ocorre a violência e
não do resgate RT606/399
4. Cheque sem fundo (estelionato): recusa do pagamento
5. Latrocínio: local da morte: RT 667/26
6. No homicídio culposo: local do fato: mesmo que a vitima tenha falecido em
outro local RT574/357
COMPETÊNCIA
7. Homicídio doloso: local onde a vitima foi alvejada não onde morreu RT
678/378
COMPETENCIA EM RAZÃO DA MATÉRIA
1. Bens e serviços da união caracterização – Justiça Federal
2. Bens serviços interesses da sociedade de economia mista – Justiça
Estadual
3. Corte de arvores – floresta permanente – Justiça Federal
4. Falsificação grosseira – Justiça Estadual
5. Crimes dolosos contra a vida contra silvícola – Tribunal do Júri (súmula
140)
• “Compete a Justiça Comum Estadual processar e julgar delito decorrente
de acidente de transito envolvendo viatura de policia militar, salvo se
autor e vitima forem policias militares em situação de atividade.” Súmula
06
COMPETÊNCIA
• Compete justiça Estadual Comum, o processo por Contravenção Penal. (Súmula
38)

•Compete a justiça militar processar e julgar crime cometido por militar contra civil,
com emprego de arma pertencente à corporação, mesmo não estando em serviço.
(Súmula 47)

•Compete ao juízo do local da obtenção da vantagem ilícita, processar e julgar crime


de estelionato cometido mediante a falsificação de cheque. (Súmula 48)

•Compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar civil acusado de prática de


crime contra instituições militares estaduais. (Súmula 53)

•Compete à Justiça Estadual processar e julgar o crime de falsa anotação na Carteira


de Trabalho e Previdência Social, atribuído à empresa privada. (Súmula 62)
COMPETÊNCIA
• Compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar o policial
militar por crime de promover o facilitar fuga de preso de
estabelecimento penal. (Súmula 75)

• Compete à Justiça Militar processar e julgar policial de corporação


estadual, ainda que o delito tenha sido praticado em outra unidade
federativa. (Súmula 78)

• Compete à Justiça Estadual Militar processar e julgar o policial militar


pela prática do crime do militar e à Comum pela prática do crime
comum simultâneo àquele. (Súmula 90)
COMPETÊNCIA
• O crime de extorsão consuma-se independentemente da obtenção de
vantagem indevida. (Súmula 96)

• Compete à Justiça Estadual o processo e o julgamento dos crimes de


falsificação e uso de documento falso relativo a estabelecimento
particular de ensino. (Súmula 104)

• Compete à Justiça Federal o processo e o julgamento unificado dos


crimes conexos da competência federal e estadual, não se aplicando a
regra do artigo 78, II, a, do Código de Processo Penal. (Súmula 122)

• Compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar crime em que o


indígena figure como autor ou vítima. (Súmula 140)
COMPETÊNCIA
• Compete à Justiça Federal processar e julgar os crimes praticados
contra funcionário público federal, quando relacionados com exercício
da função. (Súmula 147)

• Compete à Justiça Federal processar e julgar crime`de falso


testemunho cometido no processo trabalhista. (Súmula 165)

• Compete à Justiça Comum processar e julgar militar por crime de


abuso de autoridade, ainda que praticado em serviço. (Súmula 172)

• O Juízo Federal competente para processar e julgar acusado de crime


de uso de passaporte falso é o do lugar de onde o delito se consumou.
(Súmula 200)
COMPETÊNCIA
• Compete à Justiça Federal processar e julgar prefeito municipal por
desvio de verba sujeita a prestação de contas perante órgão federal.
(Súmula 208)

• Compete à Justiça Estadual processar e julgar prefeito por desvio de


verba transferida e incorporada ao patrimônio municipal. (Súmula 209)

• Compete ao foro do local da recusa processar e julgar o crime de


estelionato mediante cheque sem provisão de fundos. (Súmula 244)