Você está na página 1de 62

CONSTRUÇÕES EM MADEIRA

Aula 02
Caracterização da madeira, o uso como material de
construção, produtos da madeira e Sistemas Estruturais
Livro texto base e indicação de leitura: Estruturas de Madeira, Walter Pfeil, Capítulos 1 e 2

Prof. M. Eng. Civil Felix Silva Barreto


VANTAGENS DA MADEIRA
Produto Natural e Renovável - a madeira é um produto de origem natural e
renovável, cujo processo produtivo em relação a outros produtos industrializados,
exige baixo consumo energético e respeita a natureza.

Armazéns de Carbono - para a formação da madeira, as árvores captam o


carbono da atmosfera, e libertam oxigênio.

Durabilidade - É possível observar peças muito antigas em perfeito estado.

Segurança - A madeira não oxida e resiste a altas temperaturas.

Versatilidade de uso - pode ser produzida em peças com dimensões estruturais que
podem ser rapidamente desdobradas em peças pequenas, de uma delicadeza
excepcional.

Reutilizável - Capacidade de ser reutilizada várias vezes.

Propriedades físico-mecânicas - capaz de resistir tanto a esforços de compressão


como de tração. Tem uma baixa massa específica e resistência mecânica elevada.
Não se desfaz quando submetida a choques bruscos;

Textura - no seu aspecto natural apresenta grande variedade de padrões.


DESVANTAGENS DA MADEIRA
Variabilidade - é um material fundamentalmente heterogéneo e anisotrópico. Mesmo
depois de transformada, quando já empregue na construção, a madeira é muito
sensível ao ambiente, aumentando ou diminuindo de dimensões com as variações de
umidade.

Vulnerabilidade - é bastante vulnerável aos agentes externos, e a sua durabilidade é


limitada, quando não são tomadas medidas preventivas.

Combustível.

Dimensões - são limitadas: formas alongadas, de secção transversal reduzida.


Variação de propriedades a depender da direção:

-Resistência;
-Retração ou inchamento com a variação da umidade;
 Madeiras duras: árvores frondosas (dicotiledôneas,
classe Angiospermas, folhas achatadas e largas);
crescimento lento; exemplo: ipê, peroba,
maçaranduba, eucalipto.

 Madeiras macias: árvores coniferas; classe das


Gimnospermas; folhas em forma de agulha ou
escamas; crescimento rápido; exemplo: pinho do
Paraná, pinheiros etc.
 As plantas que produzem sementes se dividem em
angiosprmas e gminospermas.

As ANGIOSPERMAS (angio=vaso e sperma=semente) são


consideradas mais evoluídas e produzem sementes com
frutos. Exemplo: laranja. milho, feijão etc.

As GMINOSPERMAS (gmino=nu e sperma=semente) são


consideradas mais primitivas e produzem sementes sem
frutos. Exemplo: cipreste, pinheiro etc. é o caso do pinus.
 As Angiospermas (semente+fruto) se
dividem em:

 Dicotiledôneas e Monocotiledôneas

 Todas as Angiospermas que produzem


madeira são Dicotiledôneas, mas nem toda
Dicotiledônea produz madeira.
 Cotilédone é um tecido de reserva (para nutrição da planta no
início na germinação quando ela ainda não tem folha e nem
raízes desenvolvidas) que se encontra dentro de algumas
sementes.
 Dependendo da espécie pode ter um cotilédone e por isso
são chamadas Monocotiledôneas (milho, trigo, cevada,
orquídea, palmeira etc.), e dois ou mais cotilédones e por isso
são chamadas de Dicotiledôneas (manga, laranja, roseira,
feijão etc.).

 Lembrando: todas as Angiospermas que produzem madeira


são Dicotiledôneas, mas nem toda Dicotiledônea produz
madeira. As Dicotiledôneas que produzem madeiras são
geralmente chamadas de Folhosas. A grande maioria das
madeiras brasileiras são Folhosas.
 As Gminospermas (semente sem fruto) se
dividem em: Cicadáceas, Ginkgo, Coníferas e
Gnetófitas.
◦ Dentre as Gminospermas, as Coníferas são as
únicas que produzem madeira.São mais comuns no
Hemisfério Norte por causa do clima
frio.Geralmente a árvore se apresenta na forma de
cone e as folhas se apresentam na forma de
agulha.O Brasil possui uma conífera nativa que é o
pinho-do-paraná (Araucaria angustifolia).O Brasil
possui coníferas não nativas (exóticas) plantadas
aqui como é o caso do pinus.
 Espécies que possuem quantidade
considerável de cerne  madeiras de lei
(ex: mogno, imbuia, freijó, maçaranduba
e outras), indicadas para a construção
civil e indústria do mobiliário

 Espécies que possuem grande


quantidade de alburno  menos duráveis
(ex. eucalípto). Mesmo assim, essas
espécies são as mais plantadas
 Comparação com outros materiais:
- Possui elevada relação resistência/peso;

-Bom isolamento térmico;


-Durabilidade: madeira não apresenta corrosão mas está
sujeita a degradação biológica e ação do fogo;
-Disponibilidade de produtos industriais para superar
características negativas das madeiras.
O aço perde sua resistência em 10
minutos na presença de temperaturas
elevadas 500º C.

As coníferas, por exemplo, queimam


até 2 cm em 30 minutos e 3,5 cm em 60
minutos.
 Espécies que possuem quantidade
considerável de cerne  madeiras de lei
(ex: mogno, imbuia, freijó, maçaranduba
e outras), indicadas para a construção
civil e indústria do mobiliário

 Espécies que possuem grande


quantidade de alburno  menos duráveis
(ex. eucalípto). Mesmo assim, essas
espécies são as mais plantadas
 Produtos de madeira maciça:
- Madeira bruta ou roliça;
- Madeira falqueada;
- Madeira serrada.

 Produtos industrializados de madeira:


- Madeira compensada;
- Madeira laminada (microlaminada) e colada;

- Madeira recomposta.
 Madeira bruta ou roliça
A madeira bruta ou roliça é empregada sob a forma de
troncos, em geral apenas descascados, é muito
utilizada em cimbramentos, escoramentos,
estaqueamentos, em construções rústicas e mais
recentemente em pontes de madeira.
 Madeira falquejada
A madeira falquejada tem as faces laterais aparadas a machado,
podendo formar seções maciças, quadradas ou retangulares, de
grandes dimensões. A madeira falquejada é muito utilizada em
escoramentos, estaqueamentos, construções rústicas e pontes de
madeira.
 Madeira falquejada
 Madeira falquejada
 Madeira serrada
- As árvores devem ser abatidas de preferência ao se
atingir a maturidade (quando o cerne ocupa a maior
percentagem do tronco), resultando, então, em madeira
de melhor qualidade.
- A melhor época do abate é a estação seca.
- O desdobramento do tronco em peças deve ser feito o
mais cedo possível após o corte da árvore, a fim de se
evitar defeitos decorrentes da secagem da madeira.
- O comprimento das toras é limitado por problemas de
transporte e manejo, geralmente de 4 m a 6 m.
- Secagem da madeira serrada: natural (1 a 3 anos) ou
artificial)
 Madeira serrada
- Corte e desdobramento das toras:

desdobramento em desdobramento
pranchas paralelas radial
 Madeira serrada
- Dimensões comerciais de madeiras serrradas
 Madeira compensada
• Formada pela colagem de 3 ou mais lâminas, alternando-se as
direções das fibras em ângulo reto.

• Lâminas com espessuras entre 1 e 5 mm.


 Madeira compensada

Etapas:
• Obtenção das lâminas por corte rotatório
• Secagem, natural ou artificial
• colagem (compensados estruturais: cola sintética)

https://www.youtube.com/watch?v=pOqtpFqofFc
 Madeira compensada
Vantagens em relação a madeira maciça:
• Pode ser fabricada em folhas grandes, com defeitos
limitados.
•Redução da retração e inchamento, graças à ortogonalidade
da direção das fibras nas camadas adjacentes.
•È mais resistente na direção normal às fibras.
•Redução de trincas na cravação de pregos.
• Permite o uso de madeira mais resistente nas camadas
externas e menos resistente nas camadas internas, reduzindo
custos.

Desvantagem:
• A desvantagem mais importante é o preço elevado.
chapa de madeira compensada

Dimensões: 2,5 x 1,25m


Espessuras: 4 a 30 mm
 Madeira compensada
 Madeira laminada (microlaminada) e colada
• Formada pela associação de lâminas de madeira coladas com
adesivos e sob pressão
• Lâminas com espessuras entre 15 e 30 mm obtidas por corte

Etapas:
• corte e secagem em estufa das lâminas
• execução de juntas de emendas
• colagem
• acabamento e tratamento preservativo
 Madeira laminada colada (MLD)

 Madeira laminada colada (MLD)

 Madeira laminada colada (MLD)

 Madeira recomposta.
•Produtos em forma de chapas à base de
resíduos de serrarias ou compensada
convertidos em flocos e partículas e colados
sob pressão
 Defeitos da madeira
- As peças de madeira utilizadas nas construções
apresentam uma série de defeitos que prejudicam a
resistência, o aspecto ou a durabilidade. Os defeitos
podem provir da constituição do tronco ou do processo
de preparação das peças. A seguir descrevem-se os
principais defeitos da madeira:
 Defeitos da madeira
- As peças de madeira utilizadas nas construções apresentam
uma série de defeitos que prejudicam a resistência, o aspecto
ou a durabilidade. Os defeitos podem provir da constituição do
tronco ou do processo de preparação das peças. A seguir
descrevem-se os principais defeitos da madeira:
 Nós: Imperfeição da madeira nos pontos dos troncos onde
existiam galhos. Os galhos ainda vivos na época do abate da
árvore produzem nós firmes, enquanto os galhos mortos
originam nós soltos. Os nós soltos podem cair durante o corte
com a serra, produzindo orifícios na madeira. No nós, as fibras
longitudinais sofrem desvio de direção, ocasionando redução na
resistência à tração.
 Defeitos da madeira
- As peças de madeira utilizadas nas construções apresentam
uma série de defeitos que prejudicam a resistência, o aspecto
ou a durabilidade. Os defeitos podem provir da constituição do
tronco ou do processo de preparação das peças. A seguir
descrevem-se os principais defeitos da madeira:
- Fendas: Aberturas nas extremidades das peças, produzida pela
secagem mais rápida da superfície; ficam situadas em planos
longitudinais radiais, atravessando os anéis de crescimento.
 Defeitos da madeira
 Fibras reversas: Fibras não paralelas ao eixo da peça. As fibras
reversas podem ser provocadas por causas naturais ou por
serragem. As causas naturais devem-se à proximidade de nós
ou ao crescimento das fibras em forma espiral. A serragem da
peça em plano inadequado pode produzir peças com fibras
inclinadas em relação ao eixo. As fibras reversas reduzem a
resistência da madeira.

 Abaulamento: Encurvamento na direção longitudinal, isto é, do


comprimento da peça.
 Defeitos da madeira
 Arqueadura: Encurvamento na direção longitudinal, isto é, do
comprimento da peça.

 Esmoada ou quina morta: Canto arredondado, formado pela


curvatura natural do tronco. A quina morta significa elevada
proporção de madeira branca (alburno).
 Treliças de Cobertura (tesouras)
 Vigamentos para pisos
 Pórticos
 Pontes em madeira
 Estruturas Aporticadas para edificações
 Cimbramento de madeira.
 Treliças de Cobertura (tesouras)

https://www.youtube.com/watch?v=XvYgN_kPAEk
 Treliças de Cobertura (tesouras)
 Vigamentos para pisos
 Vigamentos para pisos
Pórtico biarticulado treliçado Pórtico biarticulado de alma
cheia de seção I

Pórticos triarticulados
 Pontes em madeira
 Pontes em madeira
 Estruturas Arporticadas para edificações

Elementos de contraventamento vertical para edificações

https://www.youtube.com/watch?v=JU9qLjQ1axs
 Estruturas Aporticadas para edificações
 Estruturas Arporticadas para edificações
 Estruturas Aporticadas para edificações
 Cimbramento de madeira.
 Cimbramento de madeira.
 Cimbramento de madeira.
 1. O que são anéis anuais de crescimento?
 2. Quais são as principais diferenças entre as
micoestruturas das madeiras duras e das
madeiras macias?
 3. Qual a característica anatômica da madeira
que conduz a sua anisotropia?
 4. Desenhar um cubo de madeira que ilustre
os anéis anuais de crescimento e as três
direções principais da madeira.
 5.Defina o ponto de saturação das fibras.
 6. Identifique as causas de cada tipo de
defeitos na madeira
 1. Porque a madeira serrada deve passar por
um período de secagem antes de ser utilizada
em construções?
 2. Aponte as vantagens da madeira laminada
colada sobre a madeira serrada em elação aos
seguintes aspectos:
◦ Distribuição dos defeitos ao longo das peças;
◦ Geometria das peças;
◦ Defeitos oriundos de secagem;
 3. As treliças de
cobertura da figura
estão dispostas em
planos verticais
paralelos e ligados por
meio de terças,
contraventamentos
verticais e de
contraventamento no
plano do telhado.
Descreva as funções
estruturais destes
elementos de ligação de
treliças.
 4. A figura mostra um sistema de pórticos paralelos
ligados no plano do telhado pelas terças. Destacam-se
na figuras sistemas de contraventamento. Descreva as
funções estruturais do contraventamento no plano do
telhado para as ações de vento nas direções
longitudinal e transversal do galpão.

 .
 5. Quais são os principais requisitos para um
bom sistema de fôrmas ou escoramento de
uma estrutura em concreto armado?

 .

ESTUDO INDEPENDENTE
Estudar o capítulo 3 do livro de Pfeil