Você está na página 1de 7

Eletrodinâmica Corrente elétrica

Eletrodinâmica
A eletrodinâmica é a parte da eletricidade que estuda, analisa e
observa o comportamento das cargas elétricas em movimento .
1 - Corrente elétrica
1 - Num condutor em equilíbrio eletrostático(
isolado) a quantidade de elétrons livres se
movimentam de maneira desordenada. O
movimento médio destas cargas é nulo, não
caracterizando uma corrente elétrica.

2 – Quando o condutor está sob à ação de um


campo elétrico ás cargas elétricas passam a
ter um movimento ordenado. A este
movimento ordenado chamamos de corrente
elétrica

Obs. Para estabelecer uma corrente elétrica num fio condutor usa-se um gerador,
como, por exemplo, uma pilha ou uma bateria, que mantém, entre seus terminais, uma
ddp constante, gerando um campo elétrico no interior do condutor.
Eletrodinâmica Corrente elétrica

1.1 - Intensidade da corrente elétrica


Consideremos um condutor metálico
de secção transversal S, sendo
percorrido por uma corrente elétrica.

Define-se como intensidade da corrente


elétrica i a relação:
Onde: Q – Carga que passa pela seção transversal
t - Intervalo de tempo gasto para as carga passarem pela
seção tranversal

A quantidade de carga Q pode ser dada pelo

Q  n.e
produto do número n de elétrons, que passam pela
seção transversal, pela carga do elétron.

A unidade de corrente elétrica, no


Submúltiplo:
SI, é o ampère (A).
mA  103  mileampere
Eletrodinâmica Corrente elétrica

1.2 -Sentido da corrente elétrica

a)Corrente eletrônica – Constituída pelo


deslocamento dos elétrons livres. Ocorre,
principalmente, nos condutores
metálicos. O seu sentido é contrário ao
campo elétrico

b) Corrente iônica – Constituída pelo


deslocamento dos íons positivos e
negativos, movendo-se simultaneamente em
sentidos opostos. Ocorre nas soluções
eletrolíticas (soluções de ácidos, sais ou
bases) e nos gases ionizados (lâmpadas
fluorescentes).
Eletrodinâmica Corrente elétrica

Comentário:
No estudo da Eletricidade, entretanto, adota-se um sentido
convencional, que é o do movimento das cargas positivas, e que
corresponde ao sentido do campo elétrico no interior do condutor.
Eletrodinâmica Corrente elétrica
1.3 - Tipos de corrente elétrica

a) Corrente contínua (CC) – é aquela cujo sentido permanece constante.


Quando, além do sentido, a intensidade também se mantém constante, a corrente
é chamada corrente contínua constante. É o que ocorre, por exemplo, nas
correntes estabelecidas por uma bateria de automóvel e por uma pilha.

b) Corrente alternada (CA) – é aquela cuja intensidade e cujo sentido variam


periodicamente. Esse é o caso das correntes utilizadas em residências, que são
fornecidas pelas usinas hidrelétricas, em que temos uma corrente alternada de
freqüência 60 ciclos por segundo

Suas representações gráficas são respectivamente:


i
i
io imáximo

t
imínimo
o t
i  i .sen.t
i  cons tan te
Eletrodinâmica Corrente elétrica

1.4 - Velocidade de Deslocamento (Migração)


Em um condutor metálico os elétrons livres movimentam-se ao acaso com
velocidades bastante grandes, da ordem de 1.000.000 m/s. Como os movimentos são ao
acaso a velocidade média e nula. Quando existe um campo elétrico externo os elétrons
adquirem um movimento na direção oposta ao campo. O resultado final é que o elétron
passam a ter um movimento ordenado porém com uma velocidade pequena ,chamada
de velocidade de migração, em decorre da dissipação de energia no choque dos
elétrons com os átomos do condutor.
vd .t
A carga contida no volume A.vd .t
e que passa pela seção transversal vd A
A é: q
Q  q.n. A.vd .t

Onde: vd é a velocidade de migração


I
Q Temos:
vd 
Como: I  q.n. A.vd n.q. A
t

Onde: n = número de partículas livres,portadoras de cargas,


por unidade de volume, num condutor de área de seção reta A.
Eletrodinâmica Corrente elétrica

Exemplo numérico:

Suponha que uma corrente I = 1 ampères, e um fio de cobre de 1 mm de


diâmetro (raio em metros = 0.0005m). Este fio tem uma secção transversal de
7,85 × 10 -7 m 2 (A = 0,0005 π × 2). A carga de um elétron é q = 1,6 x 10 -19
coulombs. O cobre tem um elétron livre por átomo, então n é igual a 8,5 × 10 28
elétrons por m³. A velocidade de deriva, portanto, pode ser calculado:

1
v
8,5 x1028.7,85 x107.16 x1019

v  0,000093.m / s  v  33,72cm / h

Conclusão: Nos condutores sólidos, quando é estabelecido uma corrente


elétrica , em geral, os elétrons se movimentam com velocidade pequenas.