Você está na página 1de 21

CHUMBO E ZINCO MINA

DE MORRO AGUDO
GRUPO VOTORANTIM
L A I S T R A BA L LI
VAL É RIA BA N A N AL
S E PARA ÇÃO S ÓL I DO - LÍ QU IDO
TÓPICOS ABORDADOS
INTRODUÇÃO;
JAZIDA;
LAVRA;
BRITAGEM;
MOAGEM;
FLOTAÇÃO;
FILTRAGEM;
CONCLUSÕES;
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.
INTRODUÇÃO

A CMM (Grupo Votorantim Metais) iniciou suas operações em meados da


década de 1989 e está localizada no município de Paracatu, noroeste de Minas
Gerais, onde explora e beneficia minério sulfetado contendo zinco e chumbo
nos minerais-minérios esfalerita e galena respectivamente, com geração de
calcário dolomítico como coproduto.
JAZIDA
O depósito de zinco e chumbo da CMM encontra-se associado as rochas carbonatíticas de
ambiente recifal, idade Pré-Cambriana Superior, pertencentes à Formação Vazante, Grupo
Bambuí.

Os minérios têm como principais componentes os minerais esfalerita e galena, que ocorrem
principalmente de forma disseminada e, subordinadamente, há a presença de pirita e barita.

A presença reduzida de pirita e o baixo teor de ferro na esfarelita conferem ais concentrados
produzidos pela CMM baixos níveis de impureza de ferro.
JAZIDA
Tabela 1: Mineralogia do Minério de Morro Agudo.
MINERALOGIA DO MINÉRIO DA MINA DE MORRO AGUDO
Mineral Peso % Mineral Peso %
Esfarelita (ZnS) 7,5 Dolomita CaMg (CO3)2 74,7
Galena (PbS) 2,5 Quartzo (SiO2) 6,0
Pirita (FeS2) 6,8 Barita, Calcita, etc. 2,5

Tabela 2: Composição química do Minério de Morro Agudo.


COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO MINÉRIO DE MORRO AGUDO
Elemento/composto Teor Elemento/composto Teor
CaO 28,8% Fe 3,2%
MgO 16,2% Pb 1,6%
Zn 5,1% Cd 360 ppm
S 3,7% Ag 1,58 ppm
Fonte: CETEM – MCT.
LAVRA
A lavra é executada em mina subterrânea e está atualmente a uma profundidade de 600m da
superfície com previsão de extensão a 900m;

A mina produz 3 mil toneladas de minério por dia com teores médios de 3,2% de Zn e de 1,2%
de Pb;

A mina foi inaugurada em maio de 1988 e o método de lavra empregado é de “câmaras e


pilares”;

O minério e o estéril são desmontados utilizando-se explosivos.


LAVRA

Figura 1: Figura esquemática da Lavra da Mina Subterrânea


de Morro Agudo.
Fonte:
BRITAGEM
BRITAGEM A SECO REALIZADA EM TRÊS ETAPAS:

Britagem primária:
◦ Britador de mandíbulas;
Britagem secundária:
◦ Britador cônico;
Peneira Vibratória de 3 deques;
Britagem terciária:
◦ Britador cônico em circuito fechado com a peneira vibratória.
BRITAGEM

Figura 2: Circuito de Britagem da CMM.


Fonte:
MOAGEM
Realizada em Moinhos de Bolas
Moagem a úmido com 0,58 m3 /t de água.
Acontece em duas baterias:
◦ 1º: Moinho de bolas em Circuito fechado com uma bateria de 12 ciclones.
◦ 2º: Moinho de bolas em Circuito fechado com uma bateria de 8 ciclones.
Ciclones:
◦ Underflow do ciclone retorna ao moinho;
◦ Overflow é conduzido às etapas de flotação.
MOAGEM

Figura 3: Circuito de Moagem da CMM.


Fonte:
FLOTAÇÃO
O processo de flotação as usina industrial da CMM ocorre em dois
circuitos distintos. No primeiro flota-se a galena e, em seguida, a
esfarelita;

A concentração da galena e da esfarelita consistem em circuito de flotação


que reúnem estágios:
◦ Rougher;
◦ Cleaner e;
◦ Scavenger.
CIRCUITO DE FLOTAÇÃO DA GALENA

Figura 4: Fluxograma dos circuitos de flotação de Galena, da CMM. Concentração da Esfarelita


Fonte:
CIRCUITO DE FLOTAÇÃO DA GALENA
Tabela 3: Sistema de reagentes empregado na flotação da galena do minério de chumbo e zinco da Mina
Morro Agudo.

REAGENTE FUNÇÃO PONTO DE ADIÇÃO


Carbonato de Sódio Modificador de pH Descarga do Moinho
Cal Modificador de pH Descarga do Moinho
Isopropil xantato Coletor Condicionador
MIBCOL Espumante Rougher
MIBCOL Espumante Scavenger
Isopropil xantato Coletor Scavenger
CIRCUITO DE FLOTAÇÃO DA ESFARELITA
Rejeito da Flotação de Galena

Figura 5: Fluxograma dos circuitos de flotação de Esfarelita, da CMM.


Fonte:
CIRCUITO DE FLOTAÇÃO DA ESFARELITA
Tabela 3: Sistema de reagentes empregado na flotação da esfarelita do minério de chumbo e zinco da Mina
Morro Agudo.

REAGENTE FUNÇÃO PONTO DE ADIÇÃO


Sulfato de Cobre Ativador Condicionador
Cal Modificador de pH Condicionador
Isobutil Xantato Coletor Condicionador
MIBCOL Espumante Rougher
Sulfato de Cobre Ativador Rougher
Isobutil Xantato Coletor Scavenger
Sulfato de Cobre Ativador Scavenger
CONTROLE DE PROCESSO DE
BENEFICIMANTO
Tabela 4: Balanço de Massa da usina de beneficiamento da Mina Morro Agudo.

BALANÇO DE MASSA DA USINA DE MORRO AGUDO

Produto t/dia % Distribuição %


Pb% Zn%
Pb% Zn%

Alimentação 3000 100,0 2,72 5,52 100,00 100,00

Concentrado Pb 100 3,33 71,12 4,23 86,96 2,55

Concentrado Zn 299,10 9,97 1,92 49,23 7,05 88,90

Rejeito 2601 86,70 0,19 0,54 5,99 8,55


FILTRAGEM
o concentrado final da galena, obtido na etapa cleaner3, é estocado em um tanque que, a seguir,
alimenta o filtro prensa

E o concentrado final da flotação da esfarelita, obtido na etapa cleaner3, é estocado em um tanque


que alimenta dois filtros prensa

O rejeito final da usina de beneficiamento, proveniente da etapa scaveneger da flotação da esfarelita


é bombeado para uma bacia de decantação

Devido a presença de CuSO4, apenas a água (overflow da bacia de decantação) e recirculada para a
usina e o decanto, por ser rico em calcário dolomítico (21% de CaO e 16% de MgO), é comercializado
como corretivo de solo na agricultura.
CONCLUSÕES
Na lavra, parte do estéril retirado é utilizado para preencher câmaras já lavradas, e a outra parte do
estéril é direcionada a uma empresa parceira para utilização como brita, sendo uma referência
ambiental.

No rejeito dos processos de flotação tem-se o pó de calcário dolomitico que representa 75% da massa
total, sendo aproveitado como pó agrícola.

Os efluentes líquidos gerados no empreendimento são direcionados para a ETEi (Estação de


Tratamento de Efluentes Industriais), com lançamento final no Córrego Morro Agudo após o devido
monitoramento ambiental da qualidade da água, em cumprimento aos condicionantes estabelecidos
na licença de operação da usina.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[1] POSSA, M.V.; FRANÇA, S. C. A.; CARDOSO, O. M. CETEM - CHUMBO E ZINCO - MINA DE
MORRO AGUDO – CMM.
[2] SILVA, A.; CASTRO,D.; SANTOS, D.; FAGUNDES, J.; COSTA, L.; NASCIMENTO, M.; LUZ, R.
Trabalho de Tecnologia Metalúrgica sobre o beneficiamento do zinco. Faculdade de Engenharia
Mecânica- FEM. Maio, 2008.
[3] NUNES, A. L. Modelagem e simulação do circuito de moagem da Votorantim metais zinco
Morro Agudo. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. 2012.