Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE DO RIO GRANDE DO NORTE – UERN

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação


Campus Avançado de Patu – CAP
Departamento de Letras

ANÁLISE LITERÁRIA BASEADA EM TEORIAS DO


FORMALISMO
NOS POEMAS EXEMPLOS DE JOÃO CABRAL DE
MELO NETO E
QUADRILHA DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Walisson Jonatan de Araújo Maia

Sebastiana Braga Ferreira


Introdução
 O Formalismo Russo foi uma escola crítica literária que pode ser
considerada o primeiro movimento intelectual dedicado
inteiramente à literatura;

 No ensaio “A arte como procedimento” (1917), Vítor Chklovski


desencadeia a visão de língua poética como “desvio” da língua
cotidiana enquanto Roman Jakobson prescreve a função poética
como um dos seis elementos da comunicação;

 Atualmente, tendo como base os métodos formalistas, podemos


nos envolver diretamente com uma obra literária sem a
necessidade de intervenção do autor.
Objetivo
O intuito principal aqui apresentado é a utilização dos
aspectos teóricos-metodológicos formalistas para analisarmos os
dois poemas propostos nesta apresentação. Exemplos de João
Cabral de Melo Neto e Quadrilha de Carlos Drummond de
Andrade.
Poema Exemplos

Os rios que eu encontro


vão seguindo comigo.
Rios são de água pouca,
em que a água sempre está por um fio

João Cabral de Melo Neto


Poema Quadrilha
João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade


Conclusão
De uma forma sucinta, com pesquisas desses conceitos,
assim podemos compreender a importância dessa corrente e suas
abordagens metodológicas para a exclusão do positivismo sobre as
mais variadas obras literárias.
Dessa maneira, entende-se a língua poética como uma
oposição ao cânone literário predominante. Rompe a noção de que
o valor artístico de uma obra passa não apenas de sua estrutura
verbal, mas também da maneira como é lida.
Referências
• BONNICI, Thomas. Teoria da Literatura: abordagens históricas e tendências
contemporâneas. 3 ed. Maringá: Eduem, 2009.
• CHKOVSKI, V. A Arte como procedimento. In: EIKHENBAUM, B. et. Al. Teoria
Literária: formalistas russos. Porto Alegre: Globo, 1976, p. 39-56.
• JAKOBSON, R. linguística e poética. In: JAKOBSON, R. linguística e comunicação.
São Paulo: Cultrix, 1984, p. 118-162.
• TEIXEIRA, I. – Fortuna Crítica 2: O formalismo , 1998, p. 36-38
• http://portugues.uol.com.br/redacao/funcao-poetica.html
• http://www.crossfitbauru.com.br/wp-content/uploads/2015/04/Sem-t%C3%ADtulo-
300x144.png
• http://www.crossfitbauru.com.br/wp-content/uploads/2015/04/Sem-t%C3%ADtulo-
300x144.png
Agradecimento
"Enquanto estivermos tentando estaremos felizes, pois a satisfação
está no esforço, e não apenas na realização final.“

Mahatma Gandhi

Obrigado pela colaboração no nosso encontro do IX: Semana de


Letras: Letramentos, Questões Sociais e Formação de Professores
da Universidade do Estado do Ceará!

WallyMaiaWeb@Gmail.com
bastianaletras@Gmail.com

Você também pode gostar