Você está na página 1de 23

1ª AULA

Claudia Freire
cclaudiafreire@usal.es
NEUROPSICOLOGIA
 Área do conhecimento interessada em gerar
interface entre o funcionamento do Sistema
Nervoso Central (SNC), as funções cognitivas e o
comportamento

 Disciplina multidisciplinar, vale-se das


neurociências e da Psicologia visa a avaliação e
tratamento de distúrbios decorrentes de alterações
do SNC.
PRINCIPAIS ACTUAÇÕES DA
NEUROPSICOLOGIA
 AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

 REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Pré-História: Registro de Crânios perfurados por
prováveis incisões para a remoção de espíritos.

 Egipto antigo (1000 a.C.) – Papiro, provavelmente


escrito por Imohtep, com relatos clínicos de ferimentos
no encéfalo e alterações comportamentais (ferimento
de um soldado no osso temporal e alteração de
linguagem). Apesar de no Egipto existir a crença na
teoria cardíaca.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Bíblia – Livro de Daniel fala sobre um sonho do Rei
Nabucodonosor no qual ele refere imagens
aterrorizantes que vinham da cabeça. Povo Hebreu
Crente na Hipótese Cardíaca.

 *OBS: Na antiguidade a grande maioria dos povos era


adepta a hipótese cardíaca.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Grécia Antiga (500 a.C.) O filósofo Alcmeon de
Crotona, formulou a hipótese de que os processos
mentais estariam associados a actividade cerebral.

 Grécia Antiga (384-322 a.C.) Aristóteles opõe-se


veementemente as ideias de Alcmeon. Dizendo
que o coração seria a base da mente e que o cérebro
seria uma espécie de radiador.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Grécia Antiga (460-400 a.C.) Hipócrates defende a
hipótese cerebral e acaba dando sustentação a ela através
da sua obra Corpus Hipocraticus.

 Roma Antiga (130-200 d.C.) Galeno, médico dos


centuriões romanos observou que a partir de alterações
cerebrais ocorriam alterações de personalidade, do
comportamento e da capacidade de raciocínio.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA

 Ventrículos Cerebrais, o mistério... Fonte de espíritos?


Galeno propunha que os espíritos que circulavam nos
ventrículos eram frutos da do processamento de
alimentos no fígado e na corrente sanguínea, nervos
vistos como estruturas ocas por onde os espíritos
passavam = HIPÓTESE VENTRICULAR
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 A Hipótese Ventricular foi amplamente aceite nos
séculos seguintes obtendo a aprovação da Igreja
Católica.

 Três Ventrículos: 1° Responsável pela Sensação; 2°


Responsável pela razão; 3° Responsável pela memória.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1596-1650 d.C.) René Descartes – Propõe que a mente
é adimensional e imaterial, mas ela interage com o
corpo por meio da glândula pineal, a qual controlaria
os comportamentos através da regulação da circulação
dos espíritos animais presentes nos ventrículos.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1514-1564 d.C.) Andreas Vesalius – Anatomista
propõe em sua obra De Humani Corporis Fabrica
que o que diferencia o ser humano dos outros
animais é o volume do tecido cerebral e não o
tamanho dos ventrículos.
 (1621-1675 d.C.) Thomas Willis – Ractifica a
importância do volume do tecido cerebral. Propõe
que a origem do pensamento e do movimento
estaria no cérebro. Sugere que a imaginação seria
processada pelo Corpo Caloso.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA

 No final do Século XVIII – Tanto a hipótese ventricular


como a tecidual eram aceites na comunidade
científica.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA

 HOLISTAS X LOCALIZACIONISTAS
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 HOLISTAS – Não acreditavam na especificidade
regional no cérebro. O cérebro controlaria o
comportamento como um todo.

 LOCALIZACIONISTAS – Acreditavam que o


cérebro actua de forma fragmentada. Dessa forma,
cada região do cérebro seria responsável por uma
função mental e comportamental específica.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 FRENOLOGIA – Teoria localizacionista desenvolvida
por Franz Joseph Gall (1757-1828 d.C.) e seguida pelo
seu aluno Johann Gaspar Spurzheim (1776-1832 d.C.)
com o título inicial de Organologia. Possuía três
pressupostos básicos.
 1) Cada região do cérebro é um órgão específico com
funções específicas.
 2) Cada região do cérebro desenvolve-se de forma a
moldar a superfície craniana.
 3) Se uma região do cérebro é bem desenvolvida, ela
cresce em volume, reflectindo esse crescimento no
desenvolvimento do crânio.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 FRENOLOGIA – Dessa forma os seguidores dessa
teoria acreditavam que bastava analisar a
superfície do crânio para avaliar se uma função
mental é bem desenvolvida ou não. Elaboraram
um mapa com 35 regiões cerebrais responsáveis
por diferentes funções. A Frenologia foi negada
pela comunidade científica vigente pela grande
quantidade de inconsistências internas.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1794-1867 d.C.) – Pierre Flourens: Fisiologista
estudando lesões provocadas em animais conclui que
a área da lesão não é o que importa mas sim a
quantidade de tecido morto. Para ele qualquer área
do cérebro pode assumir as funções de outras áreas
lesionadas (Neuroplasticidade).
 Início do Século XX – O Psicólogo canadense Karl
Lashley (1890-1959 d.C.) reiterou esses dois conceitos
nomeando-os de PRINCÍPIO DE ACÇÃO DE MASSA
e EQUIPOTENCIALIDADE
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1824-1880 d.C) Paul Broca entre 1861 e 1863
apresentou a sociedade parisiense de Antropologia a
descrição de nove pacientes com lesões no lobo frontal
do hemisfério esquerdo. Estes pacientes apresentavam
uma disfunção grave da fala. Este síndrome
denominou-se afasia de Broca.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1848-1904 d.C) Carl Wernick descreve casos de
pacientes que possuíam lesões no córtex temporal
esquerdo que produziam déficits na linguagem, mas
diferentemente da Afasia de Broca, esta lesão descrita
por Wernick alterava a compreensão da linguagem,
ficando conhecida como afasia de Wernick.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Wernick demonstrou, também, que as funções
cerebrais poderiam ser comprometidas devido a lesões
nas conexões de regiões cerebrais diferentes, desta
forma descobriu-se outro quadro o da Afasia de
Condução, o qual era decorrente de lesões no fascículo
arqueado.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 Início do Século XX – Karl Lashley questiona os
localizacionistas, ao demonstrar, nos seus
estudos com animais, que era muito difícil achar
a localização exacta da memória.
 (1881-1973 d.C) Walter Hess cria o princípio da
organização cerebral – Uma actividade complexa
necessitará de maior número de regiões do
cérebro envolvidas.
HISTÓRIA DA NEUROPSICOLOGIA
 (1883-1958 d.C) James Papez e Paul Maclean
sistematizaram a noção de Sistema Límbico, um
conjunto de estruturas responsáveis pela emoção e
pela ligação delas com a vida quotidiana.
 (1906-1984 d.C) William Scoville – Publica o
famoso caso H.M., epilético teve retirada das
amígdalas e do hipocampo e não conseguia
adquirir novas informações.
cclaudiafreire@usal.es