Você está na página 1de 53

CATOLICISMO ROMANO

HISTÓRIA DO
CATOLICISMO
IMPERADOR

IMPERADOR IMPERADOR PAPA
CONSTANTINO CONSTANTINO PAPA LEÃO I
TEÓDOSIO INOICENCIO I

313 325 380 401 440

Liberdade Concílio de Nicéia Oficializou Disse ser Disse se mim


governante resistir vai
das Igrejas para o Inferno

Paganização da Igreja
Romana



FONTE DE AUTORIDADE DO
CATOLICISMO

1) Bíblia
2) Livros Deuterocanônicos
3) Tradição Oficial da Igreja Católica Romana:
 Ensinos do Papa
 Ensinos dos Bispos estando de acordo com o Papa
 Interpretação Católica Romana da Bíblia
RESPOSTA AS FONTES EXTRAS DE
AUTORIDADE DO CATÓLICISMO

1. DOS LIVROS DEUTEROCANÔNICOS
 Nunca fizeram parte da Bíblia
Judaica
Incluem erros Históricos
 Incluem doutrinas heréticas
Se ela está felizmente concebida e ordenada, era este o meu desejo; se ela
está imperfeita e medíocre, é que não pude fazer melhor. 2 Mac 15.38
(Contradiz Jo 17.17)

“Porque a esmola livra da morte: ela apaga os pecados e faz encontrar a
misericórdia e a vida eterna;” 12:9 ( Contradiz 1 Jo 1.7)

Ora, no décimo segundo ano de seu reinado, Nabucodonosor, que reinava


sobre os assírios em Nínive, a grande cidade, fez guerra a Arfaxad, e
venceu-os. 1.5

Não era difícil à vossa mão todo-poderosa, que formou o mundo de matéria
informe, mandar contra eles bandos de ursos e de leões ferozes. Sabedoria
11.17 (Contradiz Hb 11.3)
2. Dos ensinos do Papa

 O Papa Libério(352-366) aceitou o ensino ariano, que
rejeitava a divindade de Cristo.
 Em Trento nem todos os participantes acreditavam que
os Apócrifos fossem parte das escrituras.
 No Concílio Vaticano I, nem todos criam que o Papa
deveria ser considerado infalível.
3.Da interpretação da Igreja Católica Romana

“A Tarefa de interpretar autenticamente a palavra de Deus, seja
ela escrita ou transmitida, é confiada exclusivamente ao ofício
ensinador vivo da Igreja”(Documento Vaticano II)

 vinte anos atrás, no dia 31 de outubro de 1992, o papa João


Paulo II reconheceu os enganos cometidos pelo tribunal
eclesiástico que condenou Galileu Galilei à prisão. Galileu
defendia a tese de Copérnico de que a Terra não ficava no
centro do Universo, e sim orbitava o Sol. Com uma
interpretação literal da Bíblia, a Igreja Católica não aceitava
que essa teoria fosse tratada como verdade.

Os Sacramentos

1) O sacramento é um ato ritual destinado aos fiéis, para
eles receberem a graça(poder) de Deus, e situações da
vida cristã.
2) Diz a Igreja Católica: “Pela palavra sacramento entende-
se um sinal sensível e eficaz da graça instituído por, Jesus
Cristo, para santificar nossas almas” (“Terceiro
Catecismo de Doutrina Cristã”, Editora Vera Cruz Ltda.,
1a edição, agosto de 1976, p. 100, resposta à pergunta
516).

“ A graça interior é o que se recebe no interior da alma,


permitindo que atuemos de maneira sobrenatural” (Catholic
Encyclopedia, 246)
1. Batismo

“O batismo é o sacramento pelo qual renascemos para a graça de
Deus e nos tornamos cristãos. O sacramento do batismo confere
a primeira graça santificante, que apaga o pecado original e
também o atual, se o há; faz-nos filhos de Deus, e herdeiros do
Paraíso, e torna-nos capazes de receber os outros sacramentos. O
batismo é absolutamente necessário para a salvação, porque o
Senhor disse expressamente: Quem não renascer na água e no
Espírito, não poderá entrar no reino dos céus (“Terceiro
Catecismo de Doutrina Cristã”, Editora Vera Cruz Ltda., 1a
edição, agosto de 1976, pp.105-106,108 resposta às perguntas
549-550, 564).

Resposta Apologética

1- O Novo nascimento ocorre quando aceitamos Jesus. 2
Co 5.17; Ef 5.26;
2- Só Jesus pode perdoar pecados. 1 Jo 1.7;
3- Nos tornamos filhos de Deus quando recebemos Jesus.
Jo 1.12
4 – O Crente é Salvo quando crer em Jesus. Mc 16.16
5- A bíblia não ensina que o Batismo confere poder ao
crente.
6- O Batismo é uma ordenança de Jesus, é um ato de
testemunho público da nossa fé em Cristo.
2. Crisma

1) A Confirmação, ou Crisma, é um sacramento que
nos dá o Espírito Santo, imprime na nossa alma o
caráter de soldados de Cristo, e nos faz perfeitos
cristãos (“Terceiro Catecismo de Doutrina Cristã”,
Editora Vera Cruz Ltda., 1a edição, agosto de 1976,
resposta à pergunta 575, p. 110).
2) Trata-se de um rito em que o padre impõe as mãos
sobre os confirmandos, invocando o Espírito Santo,
e os unge com óleo de oliveira.

Resposta Apologética

 O Espírito Santo é dado ao que aceita o Senhor Jesus
como Salvador (Jo 16.7-9;14.16-18-26;16.13-14).
3.Penitência

A penitência, chamada também confissão, é o sacramento
instituído por Jesus Cristo para perdoar os pecados cometidos
depois do batismo. Depois de feito o sinal da Cruz, o católico deve
dizer: Eu me confesso a Deus todo poderoso, à bem-aventurada
sempre Virgem Maria, a todos os Santos, e a vós, Padre, porque
pequei. As obras de penitência podem reduzir-se a três espécies: à
oração, ao jejum, à esmola. Os que morrem depois de ter recebido
absolvição não vão logo para o céu vão para o purgatório, para ali
satisfazer a justiça de Deus e se purificarem inteiramente. As almas
podem ser aliviadas no Purgatório com orações, com esmolas, com
todas as demais obras boas e com as indulgências, mas, sobretudo,
com o Santo Sacrifício da missa. (“Terceiro Catecismo de Doutrina
Cristã”,Editora Vera Cruz Ltda., 1ª edição, agosto de 1976, resposta
à pergunta 788, p. 144).
Resposta Apologética

1- Não há um só caso de alguém que tenha confessado os
seus pecados a homens ou mesmo aos apóstolos.

2- Em 1 João 1.7-9, João ensinou que devemos confessar


nossos pecados a Jesus.

3- Jesus ensinou que só Deus pode peedoar pecados ao


dizer: Perdoa-nos as nossas dívidas, assim, como nós
perdoamos aos nossos devedores (Mt 6.12).
4.Santa Eucaristia

 Eucaristia (em grego: εὐχαριστία - "reconhecimento",
"ação de graças") é uma celebração da morte e
ressurreição de Jesus Cristo.

 A Eucaristia deve ser adorada por todos, porque ela


contém verdadeira, real e substancialmente o mesmo
Jesus Cristo Nosso Senhor (“Terceiro Catecismo de
Doutrina Cristã”, Editora Vera Cruz Ltda., 1a edição,
agosto de 1976, resposta à pergunta 619).

 O Sacrifício da Missa efetua a remissão dos pecados



Resposta Apologética

 Esta doutrina é contrária ao bom senso e ao testemunho dos sentidos – o bom
senso não pode admitir que o pão e o vinho oferecidos pelo Senhor aos seus
discípulos, na Ceia, fossem a sua própria carne e o seu sangue, ao mesmo tempo
em que permanecia em pé diante deles vivo, em carne e osso. E manifesto que
Jesus, segundo seu costume, empregou uma linguagem simbólica, que queria
dizer: este pão que parti representa meu corpo que vai ser partido por vossos
pecados; o vinho neste cálice representa meu sangue, que vai ser derramado
para apagar os vossos pecados. Não há ninguém, de mediano bom senso, que
compreenda, no sentido literal, estas expressões simbólicas do Salvador: Eu sou
a porta, eu sou a videira, eu sou o caminho. A razão humana não pode admitir
tampouco o pensamento de que o corpo de Jesus, tal qual se encontra no céu (Lc
24.39; Fp 3.20), esteja nos elementos da Ceia. Como se admitir que Jesus desça
aos altares romanistas revestido do corpo que teve sobre e terra, a se deixe
prender nos altares católicos.
5.Matrimônio

O matrimónio é um sacramento instituído por Nosso
Senhor Jesus Cristo, que estabelece uma união santa e
indissolúvel entre o homem e a mulher, e lhes dá a
graça de se amarem um ao outro santamente, e de
educarem cristãmente seus filhos (“Terceiro Catecismo
de Doutrina Cristã”, Editora Vera Cruz Ltda., 1a edição,
agosto de 1976, resposta à pergunta 826, p. 151).
Resposta Apologética

 O casamento é uma instituição divina e não um
sacramento (Gn 2.18-24; Mt 19.4-6). Pedro foi
considerado o primeiro papa e, entretanto, era
casado (Mt 8.14-15). Paulo recomenda que o ministro
seja casado (1 Tm 3.1-3).
6. Unção dos Enfermos

 A extrema-unção é o sacramento instituído para
alívio espiritual e também temporal dos enfermos
em perigo de vida (“Terceiro Catecismo de Doutrina
Cristã”, Editora Vera Cruz Ltda., 1a edição, agosto
de 1976, resposta à pergunta 805, p. 147).
Resposta Apologética

 Em Tiago 5.14-16, se recomenda chamar o presbítero
para orar pelo enfermo para sua cura e não receber
extrema-unção como uma recomendação do corpo
sem a qual não se procede ao sepultamento cristão
do corpo.
7. Santas Ordens


A ordem é o sacramento que dá o
poder de exercitar os ministérios
sagrados que se referem ao culto
de Deus e à salvação das almas, e
que imprime na alma de quem o
recebe o caráter de Deus
(“Terceiro Catecismo de Doutrina
Cristã”, Editora Vera Cruz
Ltda.,1a edição, agosto de 1976,
resposta à pergunta 811, pp. 148-
149)
Resposta Apologética

no Novo Concerto o sacerdócio é exercido por todos os
cristãos e não por uma classe sacerdotal intermediária
entre Deus e os homens. O apóstolo Pedro escreveu que
como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e
sacerdócio santo, para oferecer sacrificios espirituais
agradáveis a Deus por Jesus Cristo (1 Pe 2.5). Mas vós
sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o
povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele
que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz
(1 Pe 2.9).
MARIA NO CATOLICISMO


1) O Vaticano II declarou: admoestamos a todos os filhos da
Igreja que o culto, especialmente o culto litúrgico, da
Bendita Virgem se promova amplamente.(Documents of
Vatican II, 94-95)
2) O Papa Leão XIII afirmou em sua encíclica de rosário
Octobri mense(1891): “Ninguém pode achegar-se a
Cristo a não ser pela mediação de sua mãe.
3) Sois onipotente, ó Maria, visto que vosso Filho quer
vos honrar, fazendo sem demora tudo quanto vós
quereis. Os pecadores só por intercessão de Maria
obtêm o perdão. (Glórias de Maria", S. Afonso de
Ligório, Editora Santuário - Aparecida - SP, edição de
1989, pp. 76-77,147).


Assunção de Maria

 Na festa da Assunção da Santíssima Virgem, a
Igreja celebra a morte preciosa e a gloriosa
assunção da Virgem Maria ao Céu. Com a alma
de Maria foi levada ao Céu também o seu
corpo. A assunção de nossa Senhora em corpo e
alma ao céu foi definida pelo Santo Padre Pio XII, em
1º de novembro de 1950 "Terceiro Catecismo de
Doutrina Cristã", Editora Vera Cruz Ltda., I a
edição, agosto de 1976; p. 219, resposta às
perguntas 173,175).
Refutação

 Jesus é chamado as primícias dos mortos (1 Co
15.20) e a próxima ressurreição, em corpo
glorificado, se dará na segunda vinda de Jesus (1
Co 15.22-23, 51-54; 1 Ts 4.16-17).
Os Santos

 É coisa utilíssima invocar os santos, e todo o cristão
o deve fazer. Devemos invocar particularmente
nossos Anjos da Guarda, São José, protetor da
Igreja, os Santos Apóstolos, o santo do nosso nome e
os santos protetores da diocese e da paróquia
("Terceiro Catecismo de Doutrina Cristã", Editora
Vera Cruz Ltda., I a edição, agosto de 1976,
resposta à pergunta 339, p. 69).

 A palavra santo é relacionada com a palavra
separado. A raiz ignifica que os santos são
aqueles a quem Deus tem colocado
separadamente para seu propósito (1 Co 1.1-2). A
Bíblia não recomenda orar aos santos mortos. Por
que fazê-lo, se temos o Senhor Jesus que pode
socorrer perfeitamente aos que se chegam a Ele (Hb
7.25). Lemos que a purificação dos nossos
pecados se dá pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7-9; 2.1-
12).
Idolatria

 Entre o culto que prestamos a Deus e o culto que
prestamos aos santos há esta diferença: que a Deus
adoramo-Lo pela sua infinita excelência, ao passo que
aos santos não os adoramos, mas só os honramos e
veneramos como amigos de Deus e nossos intercessores
junto dEle. 0 culto que prestamos a Deus chama-se latria,
isto é, de adoração, e o culto que prestamos aos santos
chama-se dulia, isto é, de veneração aos servos de Deus;
enfim o culto especial que prestamos a Maria Santíssima
chama-se iperdulia, isto é, de especialíssima
veneração, como Mãe de Deus ("Terceiro Catecismo de
Doutrina Cristã", Editora Vera Cruz Ltda., I a edição,
agosto de 1976, resposta à pergunta 371, p. 76).
Refutação

 A Biblia proibe se prostar dianta das imagens. Ex 20.5
 A biblia proibe prestar culto as imagens. Mt 4.10
 A biblia proibe adorar(προσκυνεω: no NT, pelo ajoelhar-se
ou prostrar-se, prestar homenagem ou reverência a
alguém, seja para expressar respeito ou para suplicar )
 A biblia proibe carregar as imagens. Is 45.20
 A biblia proibe confiar nas imagens. Sl 115.8
 1 Jo 5.21, Ap 19.10, Ap 22.9, 2 Rs 18.4, 1 Co 6.9, Ap 21.8
Indulgências

 A indulgência é a remissão da pena temporal devida pelos
pecados já perdoados quanto à culpa, remissão que a Igreja
concede fora do sacramento da penitência ("Terceiro
Catecismo de Doutrina Cristã", Editora Vera Cruz Ltda., I a
edição, agosto de 1976, resposta à pergunta 793, p. 145).
 A indulgência plenária éa que perdoa toda a pena temporal
devida pelos nossos pecados. Por isso, se alguém morresse
depois de ter recebido esta indulgência, iria logo para o céu,
inteiramente isento das penas do Purgatório ("Terceiro
Catecismo de Doutrina Cristã", Editora Vera Cruz Ltda., I a
edição, agosto de 1976, resposta à pergunta 798, p. 146). Nas
indulgências parciais, a isenção das penas é dada por um tempo
determinado de dez, vinte ou trinta dias.
 “Não há pecado algum, por mais grave que seja, que a Santa
Igreja não possa perdoar.”(Catecismo da Igreja Catolica p.116)


 A Bíblia afirma que após a morte segue-se o juízo (Hb
9.27).

 Paulo não esperava o purgatório nem admitia


indulgências. Falou o seguinte: Porque para mim o
viver é Cristo, e o morrer é ganho (Fp 1.21).

 Mc 2.7, Sl 32.5, Sl 25.18, 2 Cr 6.21, 2 Cr 7.14, Sl 103.2-3


Purgatório

 Vão logo para o céu os que
morrem depois de ter
recebido a absolvição, mas
antes de terem satisfeito
plenamente a justiça de
Deus? Não; eles vão para o
Purgatório, para ali
satisfazerem à justiça de Deus e
se purificarem inteiramente
("Terceiro Catecismo de
Doutrina Cristã", Editora Vera
Cruz Ltda., I a edição, agosto
de 1976, resposta à pergunta
787, p. 144).

Resposta
1- Não tem Base na Bíblia

2- A bíblia diz que o Batismo não salva. At 10.47; Ef 2.8-
9;
3- Após a morte é mencionado apenas dois lugares. Lc
16.19-31
4 - Para o crente não existe mais condenação. Jo 5.24;
Rm 8.1;
5 - O purgatório do cristão é o sangue de Cristo que
nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1.7-9).
6- Após a morte segue se ao juízo. Hb 9.27
ORAÇÃO PELOS MORTOS


 “A Comunhão com os falecidos. ‘Reconhecendo
cabalmente esta comunhão de todo o corpo místico de Jesus
Cristo, a Igreja terrestre, desde os tempos primevos da
religião cristã, venerou com grande piedade a memória dos
defuntos... e já que é um pensamento santo e salutar rezar
pelos defuntos para que sejam perdoados de seus pecados
(2 Macabeus 12:46),também ofereceu sufrágios em favor
deles. A nossa oração por eles pode não somente ajudá-los,
mas também tornar eficaz a sua intercessão por nós” (P.
271 # 958).
Refutação

 Hb 7.25, 1 Jo 1.8, Rm 8.1
PEDRO É O FUNDAMENTO DA IGREJA?


 base: Mt 16.16-19

 καγω δε σοι λεγω οτι συ ει πετρος(pedregulho-


Dicionário Vine p.862) και επι ταυτη τη
πετρα(Rocha-Dicionário Vine p.862) οικοδομησω
μου την εκκλησιαν και πυλαι αδου ου κατισχυσουσιν
αυτης
REFUTAÇÃO

 Dn 2.34, Ef 2.20, At 4.11, 1 Pe 2.4, Mt 21.42

Pedro foi Papa?
 Pedro não foi Papa, a biblia diz que ele foi Presbitero. 1 Pe 5.1-4
 Nao consta na biblia o minitério de Papa. Ef 4.11
 No primeiro concilio da Igreja, quem esteve a frente foi Tiago e
não Pedro.At 15.13


 Os outros apostolos nao reconheceram Pedro como chefe, a
igreja enviou Pedro para pregar e nao o contrario. At 8.14
 Paulo nas suas cartas nunca mencionou Pedro como papa.
 O Historiador Eusébio afirma que o episcopado de Pedro foi
em Antioquia e nao em Roma, “Segundo a obter a sucessão de
Pedro no episcopado de Antioquia” (Historia Eclesiástica. Livro
III, 36)
 O primeiro Papa Segundo Eusébio foi Lino, “O primeiro bispo
de Roma foi Lino” (Historia Eclesiástica. Livro III, 4)
 Para outros Historiadores o primeiro papa foi Leão I(440-461).
 Não há na biblia registro da estada de Pedro em Roma. Rm 16
 Pedro era financeiramente pobre At 3.6
 Pedro era casado. Mt 8.14-15, 1 Co 9.5
 Pedro foi um Homem repreensivel. Gl 2.11-14
Maria sempre virgem

 “Maria sempre foi virgem”( A Igreja Catolica e os
protestantes, p.88)
refutação

 Jo 2.12, Mt 12.46, Mc 3.31, Lc 8.19, At 1.14, 1 Co 9.5,
Gl 1.19

 A palavra irmaos no grego e adelphos, que sempre e


traduzida por irmao e nunca primo.

 Se os escritores quisesse ensinar que se tratava de


primo teria utilizado a palavra anepsios, que
traduzida por primo. Cl 4.10