Você está na página 1de 14

OS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO EM

GUARAPARI
Psicólogo Daniel Brum, CRP 04/43117
Serviço de Acolhimento Institucional - Casa de Acolhimento “Nova Vida”
DESIGUALDADE SOCIAL
• Os 5% mais ricos do país recebem por mês o mesmo que os
demais 95% juntos.
• O Brasil tirou 28 milhões de pessoas da pobreza nos últimos 15
anos. Mas os super-ricos continuam sendo os mais beneficiados:
entre 2001 e 2015, o grupo dos 10% mais ricos abocanhou 61% do
crescimento econômico.
• Seis brasileiros – todos homens brancos – concentram a mesma
riqueza que a metade mais pobre da população, mais de 100
milhões de pessoas.

• Fonte: Oxfan Brasil: https://www.oxfam.org.br


USO ABUSIVO E DEPENDÊNCIA
QUÍMICA
• Os pesquisadores estimam que 5,7% dos brasileiros sejam
dependentes de drogas, índice que representa mais de 8
milhões de pessoas.
• Em 50.890 estudantes, 42,4% já haviam consumido álcool na
vida; 9,6% tabaco; 15,4% e outras drogas. (CEBRID), 2010.
• Na faixa de 10 a 12 anos, 7,7% das crianças jovens já haviam
consumido, ao menos uma vez na vida, outras drogas
psicotrópicas.

• Fonte: Unifesp
AS RAÍZES DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
Estatuto da Criança e do Adolescente, Art.
19: “É direito da criança e do adolescente
ser criado e educado no seio de sua família
e, excepcionalmente, em família substituta,
assegurada a convivência familiar e
comunitária, em ambiente que garanta seu
desenvolvimento integral.”
PERFIL DOS ADOLESCENTES
ACOLHIDOS NO BRASIL

2013
ACOLHIDOS COM ESPECIFICIDADES EM
ABRIGOS

2013
A CRIANÇA E ADOLESCENTE TEM
TRAJETÓRIA DE RUA?
PRINCIPAIS MOTIVOS DE
ACOLHIMENTO EM ABRIGOS.
ABRIGOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES QUE
RECEBERAM VISITAS NOS 2 ÚLTIMOS MESES
TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA EM ABRIGOS.
CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM CONDIÇÕES DE
SEREM ADOTADOS, SEGUNDO FAIXA ETÁRIA.

Disponibilidade para adoção


ATIVIDADES
• Atividades psicossociais (com as crianças e adolescentes, visando trabalhar
questões pedagógicas complementares, autoestima, resiliência,
autonomia;
• com as famílias de origem, visando a preservação e fortalecimento de
vínculos e reintegração familiar);
• Profissionalização dos adolescentes acolhidos;
• Fortalecimento da autonomia da criança, do adolescente e do jovem e
preparação para desligamento do serviço;