Você está na página 1de 9

A COMUNICAÇÃO E O GÉNERO EM

SAÚDE

Carlos Martins
Nº3372
Disciplina: CRI.
INTRODUÇÃO
Com este trabalho pretendo dar uma breve explicação
a turma sobre o meu tema.
Pretendo demonstrar a importância e as formas mais
corretas de comunicar e interagir com as populações
mais vulneráveis, na área de saúde.
Para cuidar é necessário uma ferramenta essencial,
saber como e quando comunicar, já que a comunicação
colabora maioritariamente na forma como
organizamos o discurso, na forma como agimos e na
forma como realizamos certas Ações.
POPULAÇÕES VULNERÁVEIS
 Os grupos populacionais vulneráveis são aqueles
que têm maior probabilidade, ou seja, maior
probabilidade de desenvolver problemas de saúde
do que o resto da população, apresentando
frequentemente maior dificuldade no acesso aos
cuidados de saúde.

 Ex: Situação socioeconómicas, em que engloba


pobres, sem abrigo, desempregados, e grupos
etários como as crianças e os idosos.
EQUIDADE NA SAÚDE
 «Equidade: é o substantivo feminino com origem
no latim aequitas, que
significa igualdade, simetria, retidão, imparc
ialidade, conformidade»

 O serviço nacional de Saúde deve garantir o


acesso de igual forma, a toda a população sem
descriminação de raça, género , idade e devido as
suas condições socioeconómicas.
O TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE
O TAS como profissional de saúde deve:

 Ser sensível aos problemas das pessoas mais


vulneráveis, promovendo assim eficazmente a
melhoria dos serviços;

 Investir de forma proactiva na comunicação entre


prestadores intra e inter instituições;

 Estimular activamente a comunicação, com os


cuidadores informais, com os voluntários e com o
setor social, mostrando-lhes o seu papel
importante na prestação de cuidados de saúde.
(CONTINUAÇÃO)
 Ao reconhecer os aspetos com maior importância,
estes levam à uma maior vulnerabilidade dos
indivíduos, grupos sociais ou ate mesmo na
própria comunidade que nos rodeia diariamente.

 Como isto criam-se oportunidades de


intervenções de saúde que acabam por facilitar
na mudança social e que colabora dando uma
cobertura social mais justa, equitativa e
solidaria.
CONT.
 O conhecimento da saúde da comunidade
constitui a primeira e mais importante etapa
para o conhecimento das comunidades através da
identificação dos seus problemas, necessidades,
grupos de risco e recursos existentes na área da
saúde.
CONT.
O TAS deve:
 Avaliar o estado de saúde e as vulnerabilidades
da comunidade em que trabalha, de forma a ter
quais as necessidade sociais e de saúde que esta
necessita.

 Uma analise cuidada por parte do técnico


Auxiliar de Saúde, ajuda a identificar os grupos
vulneráveis da sociedade, em que estes serão alvo
de uma atenção prioritária em projetos e
atividades de intervenção comunitária.
 O técnico Auxiliar de Saúde, atua de forma a
incentivar os indivíduos, famílias e grupos
vulneráveis a obterem serviços de saúde,
orientando-os para a realização de exames/
analises, dando-se assim, o inicio da prevenção e
promoção da saúde , ajudando assim a identificar
as dificuldades existentes, recursos e meios que
rodeiam, estes grupos sociais.