Você está na página 1de 12

O ENSINO DA CULTURA AFRO-

BRASILEIRA NAS ESCOLAS


Um estudo das representações dos membros da
Nação Xambá em Olinda/PE

Bruno Arruda
arrudaosoares@gmail.com
OBJETO DE ESTUDO... UM DIÁLOGO POSSÍVEL

 Representações dos
praticantes das religiões
de matriz africana no
que se refere ao ensino
da cultura africana nas
escolas de Educação
Básica.
FOCOS:
• Religiões afro-brasileiras:
 Nação Xambá.
• Lei nº 10.639/2003.
• Práticas docente.
• Representações sociais.
PROBLEMATIZANDO E JUSTIFICANDO...
O ESTUDO PROPOSTO
 Problemáticas:

Memória,
Pouca cultura e
aplicação da rituais da
Lei 10.639/2003 Nação Xambá
poucos
conhecidos

O tema é
visto no
campo da
escravidão
PERGUNTA NORTEADORA:

• Como os membros do terreiro Ilê Axé Oyá


Meguê da Nação Xambá representam o ensino
da cultura afro-brasileira das escolas do
município de Olinda?

 Desdobramentos:
1. Como os membros do Terreiro Ilê Axé OyáMeguê
compreende a cultura e a história da Nação Xambá?
2. Que fatores os sujeitos destacam como importante
para o aprendizado da cultura e história dos povos
afro-brasileiros?
3. Que aspectos são destacados pelos docentes e
estudantes das escolas públicas de Olinda como
desafios no ensino da cultura e história afro-
brasileiras?
OBJETIVOS DE PESQUISA...
GERAL:

• Compreender as representações dos membros da
Nação Xambá no que se refere ao ensino da cultura e
história afro-brasileiras nas escolas de Educação
Básica de Olinda/PE.
oESPECÍFICOS
•Identificar as ideias sobre cultura de matriz africana elaboradas
pelos membros do Terreiro de Nação Xambá Ilê Axé Oyá Meguê.
•Identificar as temáticas e metodologias utilizadas pelos docentes
da Educação Básica de Olinda no ensino da cultura e história de
matriz africana.
•Promover discussões no curso de licenciatura em Ciências Sociais
sobre os relatos e experiências dos membros do Terreiro Ilê Axé
Oyá Meguê no processo de formação sociocultural formal e
informal, bem como a obrigatoriedade expressa na Lei nº
10.639/2003.
•Produzir oficinas de formação com base na elaboração Portfólio
dos resultados de pesquisa e nos debates sobre a Lei nº 10.639/2003,
apresentando-os em espaços de formação continuada.
REFERENCIAIS TEÓRICOS
...NORTEADORES CONCEITUAIS
CAMINHOS METODOLÓGICOS...

 1º PASSO:
 Levantamento Bibliográfico.

 2º
PASSO
(operacionalização da
pesquisa):
 a) Observação participante no
Terreiro de Nação Xambá (São
Benedito – Olinda)

 b) Entrevista semi-estruturada
com professores em Escolas de
Olinda.
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES...
Período 2018 2019
Atividades AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO

Levantamento
bibliográfico
Inserção no campo
e Observação
participante no
terreiro
Execução das
entrevistas com os
docentes
Análise dos Dados
Elaboração de
Portfólio e
relatório de
investigação
Elaboração de
oficina de extensão
com os estudantes
de C.S.
Aplicação das
atividades de
extensão
Elaboração de
relatório final das
atividades de
Extensão
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...
UTILIZADAS
ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.
BASTIDE, Roger. O Candomblé da Bahia: rito nagô. 1985. São Paulo, Nacional, 1978. Nova edição:
São Paulo, Companhia das Letras, 2001.
BRASIL. Lei 10.639, de 9 de Janeiro de 2003. D.O.U. 10 de Janeiro de 2003.
CACCIATORE, Olga. Dicionário de Cultos Afro-Brasileiros. Rio de Janeiro, Forense-Universitária,
1977.
CAMPOS, Roberta. Sociedade Africana Santa Bárbara de Nação Xambá, um terreiro que “virou”
quilombo: sincretismo e africanidade/religião e etnicidade em análise. XXXII Encontro Anual da
Anpocs. 2008. Disponível em: <anpocs.com> Acesso em 28junho2018
DANTAS, Zuleica. De mãe de santo a mulher: Invenção e reinvenção de papéis. 2011.Disponível
em <metodista.com.br> Acesso em 28 junho 2018.
DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio
de Janeiro: Rocco, 1994.
FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e Senzala. São Paulo: Global, 2004.
GERMANO, Pedro. Repensando as religiões afro-brasileiras: quando o incomensurável torna-se
mensurável em números e generalizações.2016. 2° Simpósio Nordeste da Associação Brasileira de
História das Religiões. Disponível em: <abhr.org.br> Acesso em: 28 junho 2018.
GUERRA, Lúcia Helena Barbosa. Xangô rezado baixo. Xambá tocando alto: a reprodução da
tradição religiosa através da música. Dissertação de Mestrado – PPGA/UFPE. Recife: O Autor, 2010.
HUTZLER, Celina Ribeiro (org.) René Ribeiro e a antropologia dos cultos afro-brasileiros. Recife:
Ed. Universitária da UFPE, 2014.
LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, MirzaSeabra. Educação Escolar:
políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003.
LIMA, Hanna Karoline Macedo. A importância de trabalhar o ensino da História e da
Cultura afro-brasileira e africana em sala de aula. Trabalho de Conclusão de Curso.
Cabaceiras: UFPB, O Autor, 2016.
MALINOWSKI, Bronislaw. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural, 1976.
MOTTA, Roberto.O útil, o sagrado e o mais-que-sagrado no Xangô de
Pernambuco.Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 168-181, jun. 1998.
MOTTA, Roberto. Transe, sacrifício, comunhão e poder no Xangô de Pernambuco. Revista
de Antropologia, 34, 131-142, 1991.
NAÇÃO XAMBÁ. Disponível em: <xamba.com.br> Acesso em: 12setembro2018.
OLIVEIRA, Valeria Soares de. O ensino da História africana e afro-brasileira nas escolas de
Quixadá: uma análise do trabalho docente. XII Semana de História da FECLESC. Quixadá,
UECE, 2016. Disponível em:
<<http://uece.br/eventos/semanadehistoriadafeclesc/anais/trabalhos_completos/245-38107-
05072016-174004.pdf>> Acessado em: 05 de dezembro de 2018.
PRANDI, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo: a velha magia na metrópole nova. São
Paulo, Editora Hucitec, 1991.
PRANDI, Reginaldo. As religiões negras do Brasil - Para uma sociologia dos cultos afro-
brasileiros. Revista USP, n. 28, p. 64-83, 1 mar. 1996.
RAFAEL, Ulisses Neves. Xangô rezado baixo: Um estudo da perseguição aos terreiros de
Alagoas em 1912. Dissertação de Doutorado, Editora da UFRJ, Rio de Janeiro, 2004.
VERGER, Pierre Fatumbi. Orixás: Deuses Iorubás na África e no novo mundo. Salvador:
Corrupio, 2002.