Você está na página 1de 48

A TERRA, UM PLANETA A PROTEGER

A face da Terra
Continentes e fundos oceânicos
ÁREAS CONTINENTAIS

Cadeia montanhosa Cadeia montanhosa

Plataforma Escudo Plataforma


estável estável

As três unidades básicas que constituem os continentes são:


 Escudos ou cratões
 Plataformas estáveis
 Cadeias montanhosas
ESCUDOS
• Zonas de baixo relevo.
• Apresentam rochas muito antigas e intensamente deformadas.
• Formam o núcleo dos continentes.

PLATAFORMAS ESTÁVEIS
• Constituídas por rochas sedimentares, pouco ou nada deformadas.
• Cobrem os bordos dos escudos.

CADEIAS MONTANHOSAS
• Ocorrem ao longo das margens continentais e resultam da convergência
de placas.
• Cadeias montanhosas alongadas, extensas, as mais recentes de elevado
relevo.
Formação de uma cadeia montanhosa

A deformação da litosfera traduz-se na formação de estruturas


geológicas como dobras e falhas.
Quando blocos de rocha deslizam uns sobre os outros, separados
por falhas, originando espessamento crustal, diz-se que ocorre
carreamento.
LIMITES CONVERGENTES
OROGENIA

Processos tectónicos que ocorreram na crosta terrestre


ao longo dos tempos geológicos e em períodos
determinados, dando origem ao aparecimento das
grandes cadeias de montanhas (como os Himalaias).
ABERTURA DE UM OCEANO

À medida que ascendem massas de


magma do interior da Terra, a
superfície sofre estiramento e fratura.

As placas continuam a
separar-se, formando
um vale de rifte. O
magma alimenta
numerosos vulcões.

Quando o vale desce


abaixo do nível do mar,
enche-se com água. O
magma injetado origina
nova crusta oceânica.
Abertura de um novo oceano
FUNDOS OCEÂNICOS
Os elementos morfológicos que constituem os fundos
oceânicos são:

 Plataforma continental (A)  Dorsal médio-oceânica (D)


 Talude continental (B)  Fossa oceânica
 Planície abissal (C)
PLATAFORMA CONTINENTAL
• Corresponde às zonas marginais imersas dos continentes.
• De declive muito suave, não ultrapassa geralmente os 200 m de profundidade.
• Pertence à crosta continental e encontra-se coberta de sedimentos.

TALUDE CONTINENTAL
• Zona limite do domínio continental.
• Apresenta um declive acentuado.

PLANÍCIE ABISSAL
• Vasta área plana, situada a uma profundidade de vários km.
DORSAIS OCEÂNICAS
• Conjunto de montanhas submarinas com distribuição contínua.
• Na parte central de algumas dorsais existe um Rifte.
• São cortadas por falhas transversais.

FOSSAS OCEÂNICAS
• Áreas onde se atingem profundidades elevadas.
CARTOGRAFANDO O FUNDO DOS OCEANOS

Distância
Superfície

Fundo do oceano
CRESCIMENTO POPULACIONAL

População mundial
(Biliões)
CRESCIMENTO POPULACIONAL
Alterações na taxa de nascimentos
e de óbitos no Sri Lanka Aumento da população no Sri Lanka
Nascimentos e óbitos por 1000 pessoas

População (milhões)
Taxa de nascimentos

Taxa de óbitos

Ano Ano
CRESCIMENTO POPULACIONAL

QUÉNIA EUA ITÁLIA

Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres

<5

% da população % da população % da população


 QUE CONSEQUÊNCIAS TEM O AUMENTO DA POPULAÇÃO
MUNDIAL PARA O AMBIENTE?

 CADA SER HUMANO CONTRIBUI DE IGUAL FORMA PARA O


AGRAVAMENTO DO ESTADO DO AMBIENTE? JUSTIFIQUE.

 QUE ESTUDOS DEVEM SER FEITOS PARA MELHOR CONHE-


CER O QUE PODERÁ SER A TERRA NO FUTURO?

O crescimento da população humana, bem como o


desenvolvimento tecnológico ocorrido nos últimos
tempos, têm vindo a criar problemas novos que urge
resolver e assimetrias económicas que é preciso
ultrapassar.
Da explosão demográfica e da melhoria da qualidade de vida das
populações humanas, podem resultar consequências graves para o
ambiente, das quais se destacam o aumento:
• da exploração dos recursos naturais;
• da produção e acumulação de resíduos;
• do número de catástrofes devidas à ocupação de áreas de risco.
EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS

Os recursos naturais podem ser:


 renováveis;
 não renováveis.

A água é um recurso natural reno-


vável. As águas subterrâneas são
consideradas como um recurso geo-
lógico.

Os combustíveis fósseis são


recursos naturais não renováveis.
São também recursos geológicos.
DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA NA TERRA
CONSUMO MUNDIAL DE ÁGUA

 COMO TEM VARIADO O CONSUMO DE ÁGUA NOS ÚLTIMOS


100 ANOS?

 QUAL A REGIÃO DO MUNDO ONDE O CONSUMO DE ÁGUA


É MAIOR?

 O QUE JUSTIFICA QUE A ÁFRICA, SENDO UMA REGIÃO


TÃO POPULOSA COMO A EUROPA, TENHA UM
CONSUMO DE ÁGUA INFERIOR?

 QUE PREVISÃO SE PODE FAZER RELATIVAMENTE AO


CONSUMO DE ÁGUA NA EUROPA, NAS PRÓXIMAS DÉCA-
DAS?
CONSUMO MUNDIAL DE ÁGUA POR REGIÕES
UTILIZAÇÃO MUNDIAL DE ÁGUA POR SETORES
UTILIZAÇÃO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA

As águas subterrâneas sofrem esgotamento e podem ser


contaminadas.
Uma forte extração em zonas de litoral pode provocar a
contaminação com água salgada.
Uma excessiva extração das águas subterrâneas pode
provocar o afundamento dos terrenos.
COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

GÁS

CARVÃO

PETRÓLEO
EVOLUÇÃO MUNDIAL DO CONSUMO DE ENERGIA

 DO TOTAL DA ENERGIA CONSUMIDA EM 1998, QUAL A PER-


CENTAGEM QUE PROVÉM DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS ?

 NO QUE SE REFERE À UTILIZAÇÃO DOS COMBUSTÍVEIS


FÓSSEIS, QUAL TEM SIDO A TENDÊNCIA NAS ÚLTIMAS
DÉCADAS?

 QUE PREVISÃO SE PODE FAZER RELATIVAMENTE AO


CONSUMO DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS QUE IRÁ OCOR-
RER NO FUTURO?
EVOLUÇÃO MUNDIAL DO CONSUMO DE ENERGIA
(milhões de toneladas por ano)
- Qual a percentagem de energia que é obtida a partir dos
combustíveis fósseis?
A energia utilizada pelo homem nas suas diversas atividades obtêm-se
quase exclusivamente a partir de reservas de carbono não renovável –
petróleo, carvão e gás natural, que no futuro vão entrar em declínio.
RECURSOS MINERAIS

Não metálicos

Metálicos
RISCO GEOLÓGICO

As populações humanas ocupam, por vezes, áreas do


planeta onde o risco de ocorrer uma catástrofe natural
é significativo.
- zonas sísmicas
- zonas vulcânicas
- leitos de cheia
- base de vertentes
- áreas costeiras
RISCO GEOLÓGICO

DESLIZAMENTOS
DE TERRAS

ZONAS SÍSMICAS
RISCO GEOLÓGICO

LEITO DE
CHEIAS

ZONAS COSTEIRAS
RISCO GEOLÓGICO

ERUPÇÕES VULCÂNICAS
RISCO GEOLÓGICO

COMO PREVENIR?

É fundamental proceder ao ordenamento do território.

Construção antissísmica.

Estudar as características dos terrenos para construção.

Construção de barragens e limpeza dos cursos de água.


IMPACTE AMBIENTAL
Alguns exemplos:
- pedreiras;
- poluição dos solos e águas subterrâneas;
- artificialização da paisagem.
PRODUÇÃO DE RESÍDUOS

 COMO TEM VARIADO A PRODUÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS


EM PORTUGAL NAS ÚLTIMAS DÉCADAS? A QUE SE DEVE
ESSA VARIAÇÃO?

 QUE DESTINO É DADO AOS RESÍDUOS PRODUZIDOS NO


NOSSO PAÍS?

 OS RESÍDUOS PODEM SER SEPARADOS SEGUNDO A SUA


NATUREZA. TÊM OS RESÍDUOS TODOS O MESMO POTEN-
CIAL POLUENTE?
PRODUÇÃO DE RESÍDUOS
AUMENTO DA PRODUÇÃO DE RESÍDUOS

Provoca problemas de armazenamento.


Contribui para a poluição do ar, água e solos.
DESENVOLVIMENTO SIM, MAS...

...SEM COMPROMETER A QUALIDADE DE VIDA


DAS GERAÇÕES FUTURAS, OU SEJA, UM...

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
 Ordenamento do território

 Redução de impactes ambientais negativos


 Tratamento de resíduos sólidos
 Redução da produção de resíduos
 Recuperação de áreas degradadas
 Utilização de subprodutos

 Conservação do património geológico


 Geomonumentos
ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO
CONSISTE NA UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE, DE
ACORDO COM AS SUAS POTENCIALIDADES,
ATRAVÉS DE UM PLANEAMENTO ADEQUADO,
EVITANDO SITUAÇÕES DE RISCO.
TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

 LANÇAMENTO EM ATERROS SANITÁRIOS

 INCINERAÇÃO

 RECICLAGEM
TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS
GEOMONUMENTOS
Pedreira do Galinha
QUAL O FUTURO DO NOSSO PLANETA?
 não dependente da Humanidade:
• num futuro longínquo, a Terra deixará de ser um planeta geologicamente
ativo. Passará a ser um planeta árido e seco, sem água líquida à
sua superfície;
• poderá sofrer um impacto de um corpo celeste de dimensões considerá-
veis, que provocará alterações significativas à sua superfície.

 dependendo da Humanidade, poderá vir a ser um planeta:


• com uma temperatura superficial inóspita, como Vénus;
• esvaziado de recursos;
• com uma elevada perda de biodiversidade.