Você está na página 1de 27

O CANDOMBLÉ E SUAS

MULTIPLAS FASES
A INFORMAÇÃO COMO INSTRUMENTO DO
CONHECIMENTO DAS RELIGIÕES DE MATRIZES
AFRICANAS NO BRASIL
O Candomblé

É uma religião panteísta(e também


monoteísta) onde se adora a diversas
Divindades (Orixás, Voduns ou Ukisis). Esse
culto primitivo nasceu aqui nas senzalas, fruto
dos costumes e práticas dos negros trazidos
como escravos para o Brasil na época da
colonização por volta 1.549 a 1.888.
Navio negreiro
Mapa do Continente Africano
A Cosmologia do Candomblé
O Candomblé e suas crenças

 Acreditam na vida após a morte.


 Acreditam em divindades (orixás).
 Acreditam em reencarnação.
 Acreditam no poder das oferendas.
 Acreditam no poder da NATUREZA.
 Acreditam nos Elementais.
Lugares Sagrados

 Terreiros: Lugar sagrado para a prática do


culto às Orixás;
 Igbo (Bosques e matas);
 Os rios;
 O Mar;
 Outros...
Lugares Sagrados
Terreiros Matriarcais
Terreiro de Bogun - Salvador, Bahia. IIê Axé Opó Aponjá – Salvador, Bahia
Ervas Litúrgicas

Erva de Santa Luzia ou Oju Ooro Dracaena. Peregun ou Nativo


Ervas Litúrgicas

Erva Aroeira vermelha – erva-de-ogum Folha da Costa


Simbolos
Ilekes
Vela e água

Ilú ou Atabaques
Rituais

 Os rituais são executados no barracão por


ocasião das festas às divindades aberto ao
público;
 Nos ronkós e axés com funções restritas
somente para o povo da casa;
 Em lugares específicos como matas, caminhos,
Cachoeira dentre outros...
Rituais

SAÍDA DE
IYAWO
ORIXÁ OXALÁ
BABALORIXÁ E YIALORIXÁ

IYalorixá e Babalorixá do Xangô reza alto em Alagoas


RELIGIÃO COMO ESPETÁCULO DE
CULTURA
• Candomblé: o termo "candomblé" é uma junção do
termo quimbundo “candombe” (dança com atabaques)
com o termo iorubá “ilé” ou “ilê” (casa): significa,
portanto, "casa da dança com atabaques".
• Vivida teatralmente;
• Caráter festivo e lúdico;
• Familiaridade do povo brasileiro com a religião
espetáculo remonta à época da colonização.
• Espetáculo: poderoso canal de expressão religiosa.
• Grandes festas religiosas no Brasil: Festa de Largo,
Festa do Bonfim (sincretizado com o orixá Oxalá),
Festa de Nossa Senhora da Conceição
(sincretizada com os orixás Oxum e Iemanjá) etc.
O ESPETÁCULO DAS BAIANAS

INDUMENTÁRIA
FEMININA
AFOXÉ DOS FILHOS DE GANDHY
A LAVAGEM DO BONFIM
• Devoção introduzida na Bahia pelo português Teodósio Rodrigues
de Faria, capitão do mar e da Guerra.
• Capela construída em 1754, no Alto de Monserrat, conhecido hoje
como Alto do Bonfim.
• Presença negra na festa altamente significativa desde a época da
escravidão.
• Hoje as baianas são as protagonistas do ritual religioso.
• A lavagem realizada com água de cheiro.
• Relação da festa com o candomblé.
• Cor da festa: branco (cor dos orixás funfun)
FESTA DE IEMANJÁ

• Maior manifestação religiosa pública do Candomblé;


• 3ª maior festa popular de Salvador;
• Década de 60: ganha força;
• Década de 70: reconhecimento do potencial turístico;
• Transformação em evento de massa;
• Festa popular religiosa: celebra uma divindade africana;
• África: divindade das águas doces e salgadas;
• Brasil: apenas das águas salgadas;
• Rainha do mar: protetora dos marinheiros, pescadores etc.
• Oferendas lançadas ao mar (metade do século XVII);
• Praia do Rio Vermelho;
• Casa de Iemanjá: 250 mil pessoas;
• Ofertas: perfumes, joias, bijuterias, pentes, espelhos, flores
etc.;
• Praia da Paciência: oferendas em alto mar;
• O presente deve afundar, se flutuar é recusa.
PRAIA DO RIO VERMELHO
CANDOMBLÉ E TURISMO
• Políticas públicas: beleza natural e cultura baiana;
• Expressão da cultura local: coisa da Bahia;
• Festas seguem um calendário litúrgico;
• Toques fora do calendário litúrgico;
• Visitas monitoradas por guias;
• Dois tipos de estrangeiros: os que possuem
conhecimento prévio e os que são seduzidos pelos
guias;
• Maior fluxo interno (Paulistas e Cariocas);
• No inverno: maior fluxo de estrangeiros (Alemães
e Franceses);
• Mediação entre guias e turistas: recepcionistas de
hotéis.
• Ausência de espaço.
• Terreiros tradicionais: sérios e autênticos.
• Giros de caboclo: simulação de festas para
atender demandas.