Você está na página 1de 33

DOCÊNCIA E DIDÁTICA

NO ENSINO SUPERIOR
Professora Valdirene de Jesus Alves da Veiga
Celular: (77) 999391066
E-mail: valdirenedejesusalves@gmail.com
ARTIGO 207 (CF/1988):
“AS UNIVERSIDADES [...]
OBEDECERÃO AO PRINCÍPIO
DA INDISSOCIABILIDADE
ENTRE ENSINO, PESQUISA E
EXTENSÃO”.
EIXOS FUNDAMENTAIS DA UNIVERSIDADE
BRASILEIRA

ENSINO PESQUISA EXTENSÃO


DOCÊNCIA
DOCÊNCIA
■ “ Mas minha mãe, ele é um professor” .
■ “E o que é um professor na ordem das coisas? Que
tem o ensino haver com o poder? Como podem as
palavras se comparar com as armas? Por acaso a
linguagem já destruiu e já construiu mundos”?
DOCÊNCIA
■ Precisamos construir uma resposta para essa histórica e
persistente sentença: o que é ser professor? O que é uma
professor do ensino superior na ordem das coisas? Qual
o lugar de um professor em meio a engrenagem desse
mundo de início de século XXI? O que é ensinar? O que
é preciso saber para ensinar? Quais são os saberes, as
habilidades e as atitudes mobilizadas nas intervenções
pedagógicas? O que deveria saber todo aquele que
planeja exercer esse ofício?
IDENTIDADE DOCENTE
■ (...) o professor universitário
aprende a sê-lo mediante um
processo de socialização em parte
intuitiva, autodidata ou (...) seguindo
a rotina dos “outros”. Isso se explica
sem dúvida, devido a inexistência de
uma formação específica como
professor universitário
(BENEDITO, p. 131, 1995).
IDENTIDADE DOCENTE
■ A LDB não faz “[...]
nenhuma alusão à
formação
didático‐pedagógica como
pré‐requisito para o
ingresso e promoção na
carreira docente do
magistério superior”
(VASCONCELOS, 2009,
p. 27).
IDENTIDADE DOCENTE
■ De acordo com a Lei nº 9.394, de 20 de
dezembro de 1996 – Lei de Diretrizes e Bases
da Educação Nacional –, e o Decreto nº 2.207,
de 15 de abril de 1997, que regulamenta o
sistema federal de ensino, a formação desse
professor deve ocorrer no âmbito dos cursos de
pós-graduação, lato sensu ou stricto sensu,
prioritariamente em programas de mestrado e
doutorado.
IDENTIDADE DOCENTE
■O professor do ensino superior é catedrático,
especialista de uma área e pesquisador, sem,
necessariamente, contar com processo
formativo específico para ser docente.
IDENTIDADE DOCENTE
■ A docência universitária tem
sido fortemente marcada pela
ciência moderna e sua ênfase
na racionalidade técnica, que
eleva o peso do conhecimento
específico da área e
subalterniza a importância da
formação pedagógica. (CRUZ,
2017)
IDENTIDADE DOCENTE
■ Segundo Cunha (2010), a docência universitária
afirmou-se com base nos saberes dos campos
profissionais e científicos dos professores que,
mediante as representações tradicionais de suas
trajetórias, consolidavam um modo de ensinar. A
autoridade destes, respaldada por uma hierarquia
inquestionável nas instituições, legitimava a cultura
estabelecida.
De quem é a Deles
incumbência
de formar o próprios?
professor Das IES?
universitário?

A formação está direcionada


ao atendimento das
necessidades dos professores,
dos alunos, ou das IES?
IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA
■Importância da formação em didática
para o exercício da DES (Docência no
Ensino Superior);
■Roldão (2007): O docente profissional é
aquele que ensina não apenas porque
possui o conhecimento, mas porque
SABE ENSINAR.
SABER ENSINAR?
Dom inato?
Técnica?
Desenvolver saberes?
DIDÁTICA E DOCÊNCIA: TRAÇOS CONCEITUAIS
■ “O professor deste século necessita compreender que
existem novos desafios a serem alcançados, entre eles
identificar o colapso das velhas certezas, da docência
obsoleta orientadas por paradigmas individualistas,
centralistas e transmissores de verdades absolutas.”
(IMBERNÓN, 2010, p. 12)
Ser professor...
■ É ser ESPECIALISTA da complexa capacidade
de transformar o saber curricular mediado por
um saber científico, por um domínio técnico-
didático rigoroso, por uma postura meta-
analítica, de questionamento intelectual da ação,
de interpretação permanente e realimentação
contínua, para que o aluno aprenda de forma
contextualizada e com significado.
IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA
■ É ser especialista da complexa capacidade de
transformar o saber curricular mediado por um
saber científico, por um domínio técnico-
didático rigoroso, por uma postura meta-
analítica, de questionamento intelectual da ação,
de interpretação permanente e realimentação
contínua, para que o aluno aprenda de forma
contextualizada e com significado.
PAUSA PARA UMA
REFLEXÃO...
TRANSFORMAÇÃO
“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas
usadas... Que já têm a forma do nosso corpo... E
esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre
aos mesmos lugares... É o tempo da travessia... E se
não ousarmos fazê-la... Teremos ficado... para
sempre... À margem de nós mesmos...”
Fernando Pessoa
DOCENTE ENSINO
QUAL A DIMENSÃO DA DIDÁTICA NESSA RELAÇÃO?
■ São responsabilidade exclusiva da didática as
teorizações e fundamentações conceituais e
procedimentais sobre a relação entre professores e
alunos em torno do conhecimento em situações
determinadas de ensinar e aprender.

INVESTIGATIVO DISCIPLINAR PROFISSIONAL


■ A DIDÁTICA, na condição de CAMPO DE
PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO SOBRE
O ENSINO, cria saberes fundamentais para a
formação e a prática profissional de professores.
QUADROS TIPOLÓGICOS
■ Tardif (2002) faz referência a quatro saberes:
i) profissionais: conhecimentos sustentados pelos aportes das
ciências da educação;
ii) disciplinares: relacionados aos conteúdos das áreas de ensino;
iii) curriculares: socialmente produzidos e que passam por uma
seleção da instituição de ensino que os transforma em programas
nos quais o professor deve aprender e aplicar aos seus alunos;
iv) experienciais: mais diretamente constitutivos da cultura docente
em ação.
Ensinar exige complexa
articulação de saberes:
Teórico- Científico- Pedagógico
científico didático

Síntese desses saberes representam a


própria DIDÁTICA.
Determinantes do processo educativo:
■ Projeto Político Pedagógico institucional e
sua inserção no contexto social;
■ Plano de curso e os dados da realidade
institucional;
■ Teoria didática praticada e desejada na sala
de aula;
■ Responsabilidade com a atuação técnica e
social do profissional no mercado de trabalho.
Ação do docente na universidade:
■Construção coletiva
interdisciplinar;
■Definição de conteúdos e
enfoques metodológicos;
■Acompanhamento do
processo mediante
avaliação;