Você está na página 1de 36

DIREITO DAS SUCESSÕES

AULA 04
ESQUEMA DA AULA
• DA HERANÇA JACENTE E HERANÇA VACANTE
• VOCAÇÃO HEREDITÁRIA
• ILEGITIMIDADE SUCESSÓRIA
• ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
DA HERANÇA JACENTE E HERANÇA VACANTE
• Herança Jacente:
Art. 1.819. Falecendo alguém sem deixar testamento nem
herdeiro legítimo notoriamente conhecido, os bens da
herança, depois de arrecadados, ficarão sob a guarda e
administração de um curador, até a sua entrega ao
sucessor devidamente habilitado ou à declaração de sua
vacância.
• NCPC
Art. 738. Nos casos em que a lei considere jacente a
herança, o juiz em cuja comarca tiver domicílio o falecido
procederá imediatamente à arrecadação dos respectivos
bens.
Art. 739. A herança jacente ficará sob a guarda, a
conservação e a administração de um curador até a
respectiva entrega ao sucessor legalmente habilitado ou
até a declaração de vacância.
DA HERANÇA JACENTE E HERANÇA VACANTE
• Herança Vacante:
Art. 1.820. Praticadas as diligências de arrecadação e
ultimado o inventário, serão expedidos editais na
forma da lei processual, e, decorrido um ano de sua
primeira publicação, sem que haja herdeiro
habilitado, ou penda habilitação, será a herança
declarada vacante.
• Sebastião Amorim: considera-se vacante a herança
quando, realizadas todas as diligencias, inclusive
com a publicação de editais, e passado um ano, não
surgirem pessoas sucessíveis, deferindo-se os bens
arrecadados ao ente público.
• Usucapião?
DA HERANÇA JACENTE E HERANÇA VACANTE
• Art. 1.822. A declaração de vacância da herança não
prejudicará os herdeiros que legalmente se
habilitarem; mas, decorridos cinco anos da abertura
da sucessão, os bens arrecadados passarão ao
domínio do Município ou do Distrito Federal, se
localizados nas respectivas circunscrições,
incorporando-se ao domínio da União quando
situados em território federal.
• Parágrafo único. Não se habilitando até a declaração
de vacância, os colaterais ficarão excluídos da
sucessão
• Propriedade resolúvel do Município.
DA HERANÇA JACENTE E HERANÇA VACANTE
• Art. 1.821. É assegurado aos credores o direito de
pedir o pagamento das dívidas reconhecidas, nos
limites das forças da herança.

• Art. 1.823. Quando todos os chamados a suceder


renunciarem à herança, será esta desde logo
declarada vacante.
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA

• Art. 1.798. Legitimam-se a suceder as pessoas


nascidas ou já concebidas no momento da abertura
da sucessão.
• Nascimento com vida?
Maria Helena Diniz: o nascituro tem personalidade
jurídica formal – relativa aos direitos de personalidade
-, mas não a personalidade jurídica material –
relacionada a direitos patrimoniais. (entendimento
majoritário)
Tartuce: ao nascituro devem ser reconhecidos direitos
sucessórios desde a concepção, o que representa a
atribuição de uma personalidade civil plena a tal
sujeito de direitos, sem qualquer restrição.
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA

• E o embrião?
• Personalidade civil plena?
• Qual o momento da concepção?
• Fecundação ou implantação do embrião no útero?
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA
• Art. 1.799. Na sucessão testamentária podem ainda
ser chamados a suceder:
• Prole eventual ou concepturo:
• I - os filhos, ainda não concebidos, de pessoas
indicadas pelo testador, desde que vivas estas ao
abrir-se a sucessão;
• Art. 1.800. No caso do inciso I do artigo
antecedente, os bens da herança serão confiados,
após a liquidação ou partilha, a curador nomeado
pelo juiz.
• § 1o Salvo disposição testamentária em contrário, a
curatela caberá à pessoa cujo filho o testador
esperava ter por herdeiro, e, sucessivamente, às
pessoas indicadas no art. 1.775.
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA
• Art. 1.799. Na sucessão testamentária podem ainda ser
chamados a suceder:
• Prole eventual ou concepturo:
• § 2o Os poderes, deveres e responsabilidades do
curador, assim nomeado, regem-se pelas disposições
concernentes à curatela dos incapazes, no que couber.
• § 3o Nascendo com vida o herdeiro esperado, ser-lhe-á
deferida a sucessão, com os frutos e rendimentos
relativos à deixa, a partir da morte do testador.
• § 4o Se, decorridos dois anos após a abertura da
sucessão, não for concebido o herdeiro esperado, os
bens reservados, salvo disposição em contrário do
testador, caberão aos herdeiros legítimos.
• Prazo decadencial
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA
• Art. 1.799. Na sucessão testamentária podem ainda
ser chamados a suceder:
• II - as pessoas jurídicas;
• Pessoas jurídicas de direito privado e pessoas
jurídicas de direito público interno
• entes despersonalizados ou despersonificados
• Condomínio edilício
VOCAÇÃO HEREDITÁRIA
• Art. 1.799. Na sucessão testamentária podem ainda
ser chamados a suceder:
• III - as pessoas jurídicas, cuja organização for
determinada pelo testador sob a forma de
fundação.
• O testador quer criar uma fundação com seu nome,
destinando parte dos deus bens para essa nova
pessoa jurídica de direito privado.
• Se forem insuficientes os bens para constituir a
fundação, deve-se seguir a orientação do artigo 63
CC?
ILEGITIMIDADE SUCESSÓRIA
• Art. 1.801. Não podem ser nomeados herdeiros
nem legatários:
I - a pessoa que, a rogo, escreveu o testamento, nem o
seu cônjuge ou companheiro, ou os seus ascendentes
e irmãos;
II - as testemunhas do testamento;
III - o concubino do testador casado, salvo se este,
sem culpa sua, estiver separado de fato do cônjuge há
mais de cinco anos;
IV - o tabelião, civil ou militar, ou o comandante ou
escrivão, perante quem se fizer, assim como o que
fizer ou aprovar o testamento.
ILEGITIMIDADE SUCESSÓRIA
• Consequências da ilegitimidade:
• Art. 1.802. São nulas as disposições testamentárias
em favor de pessoas não legitimadas a suceder,
ainda quando simuladas sob a forma de contrato
oneroso, ou feitas mediante interposta pessoa. –
nulidade absoluta
• Parágrafo único. Presumem-se pessoas interpostas
os ascendentes, os descendentes, os irmãos e o
cônjuge ou companheiro do não legitimado a
suceder.
• Art. 1.803. É lícita a deixa ao filho do concubino,
quando também o for do testador.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• Os institutos dizem respeito à sucessão legítima e
testamentária.

• Delação hereditária ou devolução sucessória:


período que separa ou medeia a abertura da
sucessão, pela morte, e a aceitação ou renúncia da
herança.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• ACEITAÇÃO DA HERANÇA
• A aceitação da herança é um ato jurídico unilateral,
que produz efeitos independentemente da
concordância de terceiros, tendo, portanto, natureza
não receptícia, uma vez que não há a necessidade
de qualquer comunicação para produzir os efeitos
previstos em lei.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• ACEITAÇÃO DA HERANÇA
• Aceitação Expressa
Declaração escrita do herdeiro, por meio de
instrumento público, particular ou por uma
manifestação clara e inequívoca no processo de
inventário, seja ele judicial ou extrajudicial.
• Aceitação Tácita
Decorre de atos próprios da qualidade de herdeiro, ou
seja, do seu comportamento inequívoco como tal.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• ACEITAÇÃO DA HERANÇA
• Art. 1.805. A aceitação da herança, quando
expressa, faz-se por declaração escrita; quando
tácita, há de resultar tão-somente de atos próprios
da qualidade de herdeiro.
• § 1o Não exprimem aceitação de herança os atos
oficiosos, como o funeral do finado, os meramente
conservatórios, ou os de administração e guarda
provisória.
• § 2o Não importa igualmente aceitação a cessão
gratuita, pura e simples, da herança, aos demais co-
herdeiros.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• ACEITAÇÃO DA HERANÇA
• Aceitação Presumida
Art. 1.807. O interessado em que o herdeiro declare
se aceita, ou não, a herança, poderá, vinte dias após
aberta a sucessão, requerer ao juiz prazo razoável,
não maior de trinta dias, para, nele, se pronunciar o
herdeiro, sob pena de se haver a herança por aceita.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• ACEITAÇÃO DA HERANÇA
• Art. 1.809. Falecendo o herdeiro antes de declarar se
aceita a herança, o poder de aceitar passa-lhe aos
herdeiros, a menos que se trate de vocação adstrita
a uma condição suspensiva, ainda não verificada.
• Parágrafo único. Os chamados à sucessão do
herdeiro falecido antes da aceitação, desde que
concordem em receber a segunda herança, poderão
aceitar ou renunciar a primeira.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• RENÚNCIA DA HERANÇA
• É ato solene pelo qual uma pessoa, chamada à
sucessão de outra, declara que não a aceita.
• Art. 1.806. A renúncia da herança deve constar
expressamente de instrumento público ou termo
judicial.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• RENÚNCIA DA HERANÇA
• Modalidades de Renúncia à Herança
• Renúncia abdicativa: o herdeiro diz simplesmente
que não quer a herança
• Renúncia translativa: o herdeiro cede seus direitos
em favor de determinada pessoa. Renúncia in
favorem.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• RENÚNCIA DA HERANÇA
• Efeitos da Renúncia
• Art. 1.810. Na sucessão legítima, a parte do renunciante
acresce à dos outros herdeiros da mesma classe e, sendo
ele o único desta, devolve-se aos da subseqüente.
• Enunciado 575 – Concorrendo herdeiros de classes
diversas, a renúncia de qualquer deles devolve sua parte
aos que integram a mesma ordem dos chamados a
suceder.
• Art. 1.811. Ninguém pode suceder, representando
herdeiro renunciante. Se, porém, ele for o único legítimo
da sua classe, ou se todos os outros da mesma classe
renunciarem a herança, poderão os filhos vir à sucessão,
por direito próprio, e por cabeça.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• RENÚNCIA DA HERANÇA
• Art. 1.813. Quando o herdeiro prejudicar os seus
credores, renunciando à herança, poderão eles, com
autorização do juiz, aceitá-la em nome do
renunciante.
• § 1o A habilitação dos credores se fará no prazo de
trinta dias seguintes ao conhecimento do fato.
• § 2o Pagas as dívidas do renunciante, prevalece a
renúncia quanto ao remanescente, que será
devolvido aos demais herdeiros.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• REGRAS COMUNS À ACEITAÇÃO E RENÚNCIA
• 1 – Não pode haver renúncia / aceitação parcial, sob
condição ou a termo:
• Art. 1.808. Não se pode aceitar ou renunciar a
herança em parte, sob condição ou a termo.
• § 1o O herdeiro, a quem se testarem legados, pode
aceitá-los, renunciando a herança; ou, aceitando-a,
repudiá-los.
• § 2o O herdeiro, chamado, na mesma sucessão, a
mais de um quinhão hereditário, sob títulos
sucessórios diversos, pode livremente deliberar
quanto aos quinhões que aceita e aos que renuncia.
ACEITAÇÃO E RENÚNCIA DA HERANÇA
• REGRAS COMUNS À ACEITAÇÃO E RENÚNCIA
• 2 – São atos irrevogáveis
• Art. 1.812. São irrevogáveis os atos de aceitação ou
de renúncia da herança.
• Ação própria.
• 3 – Efeito EX TUNC!
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO

• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Conceito: isolamento sucessório que se dá por
simples incidência da norma e por decisão judicial, o
que pode atingir qualquer herdeiro legítimo ou
testamentário, necessário ou facultativo.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO

• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Ação de Indignidade: pode ser proposta por
qualquer interessado ou pelo MP, quando houver
questão de ordem pública.
• Art. 1.815. A exclusão do herdeiro ou legatário, em
qualquer desses casos de indignidade, será
declarada por sentença.
• Parágrafo único. O direito de demandar a exclusão
do herdeiro ou legatário extingue-se em quatro
anos, contados da abertura da sucessão.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Hipóteses de indignidade:
• Art. 1.814. São excluídos da sucessão os herdeiros
ou legatários:
• I - que houverem sido autores, coautores ou
partícipes de homicídio doloso, ou tentativa deste,
contra a pessoa de cuja sucessão se tratar, seu
cônjuge, companheiro, ascendente ou
descendente;
• II - que houverem acusado caluniosamente em
juízo o autor da herança ou incorrerem em crime
contra a sua honra, ou de seu cônjuge ou
companheiro;
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Hipóteses de indignidade:
• Art. 1.814. São excluídos da sucessão os herdeiros
ou legatários:
• III - que, por violência ou meios fraudulentos,
inibirem ou obstarem o autor da herança de dispor
livremente de seus bens por ato de última vontade.

• Numerus clausus
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Efeitos jurídicos:
Art. 1.816. São pessoais os efeitos da exclusão; os
descendentes do herdeiro excluído sucedem, como se ele
morto fosse antes da abertura da sucessão.
Parágrafo único. O excluído da sucessão não terá direito ao
usufruto ou à administração dos bens que a seus sucessores
couberem na herança, nem à sucessão eventual desses bens.
Art. 1.817. São válidas as alienações onerosas de bens
hereditários a terceiros de boa-fé, e os atos de administração
legalmente praticados pelo herdeiro, antes da sentença de
exclusão; mas aos herdeiros subsiste, quando prejudicados, o
direito de demandar-lhe perdas e danos.
Parágrafo único. O excluído da sucessão é obrigado a restituir
os frutos e rendimentos que dos bens da herança houver
percebido, mas tem direito a ser indenizado das despesas com
a conservação deles.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• INDIGNIDADE SUCESSÓRIA
• Reabilitação do indigno:
• Art. 1.818. Aquele que incorreu em atos que
determinem a exclusão da herança será admitido a
suceder, se o ofendido o tiver expressamente
reabilitado em testamento, ou em outro ato
autêntico.
• Parágrafo único. Não havendo reabilitação expressa,
o indigno, contemplado em testamento do ofendido,
quando o testador, ao testar, já conhecia a causa da
indignidade, pode suceder no limite da disposição
testamentária.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• DESERDAÇÃO
• Conceito: ato de última vontade, que afasta herdeiro
necessário, sendo imprescindível, também, a
confirmação por sentença judicial.

• Requisitos:
• existência de herdeiros necessários;
• testamento válido;
• declaração de causa

EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• DESERDAÇÃO
• Hipóteses de deserdação:
• Art. 1.961. Os herdeiros necessários podem ser
privados de sua legítima, ou deserdados, em todos
os casos em que podem ser excluídos da sucessão.
• Art. 1.962. Além das causas mencionadas no art.
1.814, autorizam a deserdação dos descendentes
por seus ascendentes:
• I - ofensa física;
• II - injúria grave;
• III - relações ilícitas com a madrasta ou com o
padrasto;
• IV - desamparo do ascendente em alienação mental
ou grave enfermidade.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• DESERDAÇÃO
• Hipóteses de deserdação:
• Art. 1.963. Além das causas enumeradas no art.
1.814, autorizam a deserdação dos ascendentes
pelos descendentes:
• I - ofensa física;
• II - injúria grave;
• III - relações ilícitas com a mulher ou companheira
do filho ou a do neto, ou com o marido ou
companheiro da filha ou o da neta;
• IV - desamparo do filho ou neto com deficiência
mental ou grave enfermidade.
EXCLUÍDOS DA SUCESSÃO
• DESERDAÇÃO
• Efeitos jurídicos:
• Art. 1.964. Somente com expressa declaração de
causa pode a deserdação ser ordenada em
testamento.
• A falta de declaração da causa implica em nulidade
absoluta do ato.
• Art. 1.965. Ao herdeiro instituído, ou àquele a quem
aproveite a deserdação, incumbe provar a
veracidade da causa alegada pelo testador.
• Parágrafo único. O direito de provar a causa da
deserdação extingue-se no prazo de quatro anos, a
contar da data da abertura do testamento.