Você está na página 1de 52

Primeiros Socorros

Professora: Tatiane Carvalho


thathiane.carvalho@gmail.com

1
O que são primeiros socorros?

2
Primeiros Socorros
• São os cuidados imediatos prestados a uma
pessoa, fora do ambiente hospitalar, cujo
estado físico, psíquico e ou emocional
coloquem em perigo sua vida ou sua saúde;

• Com o objetivo de manter suas funções vitais


e evitar o agravamento de suas condições
(estabilização), até que receba assistência
médica especializada.

3
Prestador de socorro

Pessoa leiga, mas com o mínimo de


conhecimento capaz de prestar atendimento à
uma vítima até a chegada do socorro
especializado

4
Socorrista

• É a pessoa tecnicamente capacitada para, com


segurança, avaliar e identificar problemas que
comprometem a vida.

• Cabe ao socorrista prestar o adequado


socorro pré-hospitalar e o transporte do
paciente sem agravar as lesões já existentes.

5
Manutenção da vida

• Ações desenvolvidas com o


objetivo de garantir a vida da
vítima, sobrepondo à “qualidade
de vida”.
6
Qualidade de vida

• Ações desenvolvidas para reduzir as sequelas


que possam surgir durante e após o
atendimento.

7
Urgência

• Estado grave, que necessita atendimento


médico, embora não seja uma
necessariamente uma emergência

8
Exemplos de urgência: contusões
leves,entorse e luxações

9
Emergência
• Estado que necessita de
encaminhamento rápido ao hospital.

• O tempo gasto entre o momento em que


a vítima é encontrada e o seu
encaminhamento deve ser o mais curto
possível.

10
Exemplos de emergência: Parada
cardiorrespiratória e hemorragias graves

11
Incidente

• Fato ou evento desastroso do qual não


resultam pessoas mortas ou feridas, mas que
pode oferecer risco futuro.

12
Sinal

• É a informação obtida a partir da observação


da vítima.

13
Sintoma

• É a informação a partir de um relato da vítima.

14
15
Omissão de socorro

• Deixar de prestar socorro, ou seja, não dar


nenhuma assistência a vítima de acidente ou a
pessoa em perigo iminente podendo fazê-lo, é
crime segundo o artigo 135 do Código Penal
Brasileiro.

16
Omissão de socorro

• A omissão ou a falta de um pronto


atendimento eficiente são os principais
motivos de morte ou danos irreversíveis em
vítimas de acidentes de trânsito.

17
Objetivos dos primeiros socorros
• Preservar a vida;

• Reduzir o sofrimento;

• Prevenir complicações;

• Proporcionar transporte adequado,


possibilitando melhores condições para receber
o tratamento definitivo.

18
Os 10 mandamentos do socorrista
• 1º  Mantenha a calma;

• 2º  Tenha em mente a seguinte ordem de


segurança quando você estiver prestando
socorro: primeiro eu ( o socorrista), depois minha
equipe (incluindo os transeuntes) e por último a
vítima.

Isso parece ser contraditório à primeira vista,


mas tem o intuito básico de não gerar novas
vítimas;
19
Os 10 mandamentos do socorrista
• 3º  Ao prestar socorro, é fundamental ligar
para o atendimento pré-hospitalar assim que
chegar ao local do acidente.

 Podemos , por exempli, discar 193 (número do


corpo de bombeiros);

• 4º  Sempre verificar se há riscos no local, para


você e sua equipe, antes de agir no acidente.

20
Os 10 mandamentos do socorrista
• 5º  Mantenha sempre o no senso;

• 6º  Mantenha o espírito de liderança,


pedindo ajuda e afastando os curiosos;

• 7º  Distribua tarefas, assim, os transeuntes


que lhe atrapalhariam o ajudará e se sentirão
mais úteis;
21
Os 10 mandamentos do socorrista
• 8º  Evite manobras intempestivas (realizar de
forma imprudente, com pressa);

• 9º  Em caso de múltiplas vítimas, dê


preferência aquelas que apresentam maior risco
de vida como, por exemplo, vítimas em parada
cardiorrespiratória ou que estejam sangrando
muito.

• 10º  Seja socorrista e não herói ( lembre-se do


2º mandamento).
22
Atendimento às vítimas
• Enquanto o socorro especializado não chegar,
devemos tomar algumas precauções básicas.

• Antes de qualquer procedimento, avaliar a


cena do acidente e observar se ela pode
oferecer riscos, para o acidentado e para você.

• Em hipótese nenhuma ponha sua própria


vida em risco.
23
Abordagem da vítima-Principais etapas
Avaliação Primária

 Consiste na primeira avaliação feita ao chegar


ao local do acidente, antes de se iniciar o
socorro.

24
Avaliação Primária
• 1º Avaliar o local

Observar se existem perigos, por exemplo:

 Fios elétricos soltos e desencapados


 Tráfego de veículos
 Risco de desmoronamento.
 Explosão
 Quedas de objetos
 Etc.

25
Avaliação Primária
Assumir o controle da situação;

Evitar pânico;

Afastar os curiosos.

26
Avaliação Primária
• 2º Avaliar a vítima

Na avaliação será feito um rápido exame da


vítima;

Obedecendo a uma sequência padronizada e


corrigindo imediatamente os problemas
encontrados.
27
Avaliação Primária
• O exame deverá ser feito rigorosamente nessa
sequência:

O “ ABCDE ” da vida.

28
ABCDE
• A  Abertura das vias aéreas com controle
cervical- Estão desobstruídas? Existe lesão
cervical?

• B  Boa ventilação, respiração- Está


adequada?

29
ABCDE
• C  Circulação, hemorragia e controle do
choque- Existe pulso palpável? Há
hemorragias graves?

• D  Distúrbio neurológico, nível de


consciência;

• E  Exposição e proteção da vítima.


30
Avaliação secundária
• É realizado após a estabilização dos sinais vitais
da vítima.

• Consiste em uma avaliação minuciosa, qual se


inicia na cabeça e vai até os pés, na parte anterior
(frente) e posterior (costas);

• Identificando lesões que apesar de sua gravidade


não colocam a vítima em risco iminente de
morte.

31
Classificação da vítima
• Pelo histórico do acidente deve-se observar
indícios que possam ajudar ao prestador de
socorro classificar a vítima como :

- Clínica
- Traumática

32
Vítima Clínica

• Apresenta sinais e sintomas de disfunções


com natureza fisiológica, como doenças, etc.

33
Vítima de Trauma
• Apresenta sinais e sintomas de natureza
traumática, como possíveis fraturas.

• Devemos nesses casos atentar para a


imobilização e estabilização da região
suspeita de lesão.

34
Sinais vitais-Formas de Checagem
• Sinais vitais são aqueles que indicam a
existência de vida.

• São indícios que permitem concluir sobre o


estado geral de uma pessoa.
35
Sinais Vitais
• Os sinais sobre o funcionamento humano que
devem ser compreendidos e conhecidos são:

Temperatura  (precisa de instrumental específico;

Pulso  braquial (antebraço) e carotídeo (pescoço);

Respiração  geralmente usa-se o dorso da mão para sentir;

Pressão arterial  (precisa de instrumental específico)

36
Parâmetros considerados normais para
sinais vitais

37
Sinais Vitais

• Os sinais vitais podem ser facilmente


percebidos, deduzindo-se assim, que na
ausência deles, existem alterações nas
funções vitais do corpo.

38
Pulso
• O pulso é a onda de distensão de uma artéria
transmitida pela pressão que o coração
exerce sobre o sangue.

• Esta onda é perceptível pela palpação de uma


artéria e se repete com regularidade, segundo
as batidas do coração.

39
Pulso
• . Os locais mais comuns para obtenção do pulso
são nas artérias carótida, radial, femoral e
braquial.

• Pode ainda ser verificado através da ausculta


cardíaca com o auxílio de um estetoscópio e
denominamos pulso apical.

• Na verificação do pulso deve-se observar a sua


frequência, ritmo e volume.

40
Pulso

41
Pulso radial

42
Pulso carotídeo

43
Pulso
• A alteração na frequência do pulso denuncia
alteração na quantidade de fluxo sanguíneo.

• As causas fisiológicas que aumentam os


batimentos do pulso são:
 Digestão
 Exercícios físicos
 Banho frio
 Estado de excitação emocional
 Qualquer estado de reatividade do organismo
44
Como medir o pulso?
1. Aproxime o indicador e o dedo médio da região
próxima ao punho, até sentir os impulsos. A região
do pescoço também serve à medição. Aproxime os
mesmos dedos da artéria carótida.

2. Pressione bem de leve, para não comprometer o


fluxo de sangue que chega ao cérebro. A pressão
forte na carótida também traz o desaceleramento
da pulsação como reação imediata (prejudicando o
exame).
45
Como medir o pulso?
3. Com um relógio na outra mão, conte o
número de batimentos sentidos em 15
segundos. Perceba se eles mantêm a mesma
intensidade ou se há um nível variável, ora
forte, ora fraco.

4.Multiplique o número de batimentos que você


obteve por 4 (para ter o total deles em um
minuto).

46
Índices normais de Pulso

47
Respiração
• A respiração refere-se a entrada de oxigênio na inspiração
e a eliminação de dióxido de carbono através da expiração;

 É a sucessão rítmica de movimentos de expansão e de


retração pulmonar com a finalidade de efetuar trocas gasosas
entre a corrente sanguínea e o ar nos pulmões;

• Para avaliar a respiração devemos verificar seu caráter,

• Se ela é superficial ou profunda, seu ritmo que pode ser


regular e irregular e por último sua frequência, ou seja, a
quantidade de movimentos respiratórios por minuto.

48
Índices normais da respiração

Homem 15 a 20 movimentos respiratórios por minuto

Mulher 18 a 20 movimentos respiratórios por minuto

Criança 20 a 25 movimentos respiratórios por minuto

Lactente 30 a 40 movimentos respiratórios por minuto

49
Fatores que podem alterar os valores
normais da Respiração
• Exercícios físicos;

• Medicamentos;

• Fatores emocionais;

• É importante que o socorrista saiba


reconhecer estas alterações.

50
Respiração
• São empregados termos específicos para definir as alterações dos padrões
respiratórios, tais como:

Eupneia  respiração normal, com movimentos regulares, sem dificuldades;

Apneia  é a ausência dos movimentos respiratórios;

Dispneia dificuldade na execução dos movimentos respiratórios;

Bradipneia diminuição da frequência respiratória;

Taquipneia aumento da frequência respiratória.

51
Estudo dirigido
1. O que são primeiros socorros?
2. Defina prestador de socorro:
3. Defina socorrista:
4. Diferencie urgência de emergência:
5. Cite exemplos de urgência:
6. Cite exemplos de emergência:
7. O que é omissão de socorro?
8. Quais os objetivos dos primeiros socorros?
9. Como podem ser classificadas as vítimas?
10. O que são sinais vitais?
11. Cite duas causas fisiológicas que aumentam os batimentos do
pulso?
12. O que é apneia?

52