Você está na página 1de 16

 ÁFRICA

Aula 49 – Aspectos humanos


 Aula 50 -
Aspectos
econômicos

Aula 51 - Geopolítica da
descoloniza-ção
:
Aspectos humanos da
África
População africana:

• Densidade demográfica média;

• Concentram-se no baixo Nilo,


principalmente nas cidades de
Alexandria e Cairo, sendo também as
mais populosas da África;

• As grandes cidades africanas: O


continente não é caracterizado pela
urbanização e a maioria da população
vive na zona rural ou em pequenas
aldeias, sendo poucas as metrópoles.

• Alguns exemplos de grandes


cidades são Cairo, Lagos, Alexandria,
Ibadã, Kinshasa, Casablanca,
Johannesburgo e Argel.
Principais etnias brancas:
Camitas: compreende os subgrupos dos galas,
somalis, núbios, felás e berberes. São na sua maioria
nômades que sobrevivem do pastoreio;

Semitas: compreende os subgrupos dos árabes,


judeus e descendentes dos europeus. São na sua
maioria sedentários, que comercializam sua produção
agrícola do tipo regadio;

Principais etnias negras:


Sudaneses: Grupo mais civilizados da etnia negra,
converteu-se ao islamismo e compreende os
subgrupos dos chiliques, hauçás, ibos e mandigues.
Foram capturados como escravos e vieram para o
Brasil pelos portos da cidade de Salvador na Bahia;

Bantus ou Bantos: Foram denominados infiéis pelos


árabes, que não conseguiram convertê-los ao
islamismo e compreendem os subgrupos dos zulus e
congoleses. Também foram capturados como
escravos para o Brasil e chegaram pelos portos do Rio
de Janeiro e Recife.
As principais religiões:

• Fetichista ou animista:
Considera todos os
seres da natureza
dotados de vida;

• Maometismo ou
islamismo: É baseada
nas palavras de Maomé;

• Cristianismo: Apoiada
em Jesus Cristo e na
Bíblia (livros do velho e
do novo testamento);

• Judaísmo: Apoiada
apenas no velho
testamento, na crença
do Deus único e na
esperança da vinda do
messias.

Fim da aula
Aspectos econômicos
Características principais:
São países
da África
subdesenvolvidos;
Predomínio de população
jovem; Dependência
econômica; Grande
crescimento vegetativo;
Baixo nível de vida; Baixo
poder aquisitivo.

Continente mais pobre do


mundo, onde estão quase
2/3 dos portadores do vírus
HIV do planeta, a
continuidade dos conflitos
armados, o avanço de
epidemias e o agravamento
da miséria, levam esta
região quase ao caos total.
• Algumas nações alcançam relativa estabilidade política e
desenvolvimento como é o caso da África do Sul, que possui
sozinha, 1/5 do PIB de toda a África.

• O principal bloco econômico é o SADC, formado por 14


países, que se firma como o pólo mais promissor do continente.
O atraso econômico e a ausência de uma sociedade de
consumo em larga escala, colocam o mercado africano em
segundo plano no mundo globalizado.

• O PIB total da África é de apenas 1% do PIB mundial e o


continente participa de apenas 2% das transações comerciais
que acontecem no mundo. Cerca de 260 dos 783 milhões de
habitantes da África vivem com menos de 1 dólar ao dia, abaixo
do nível de pobreza definido pelo Banco Mundial.
Agricultura
Subsistência:
 Técnicas arcaicas
como o uso de
queimadas, gerando o
esgotamento
prematuro do solos;
 Policulturas;
 Minifúndios;
 Consumo interno;
 Baixa produtividade
(sistema extensivo).
Plantation:
 Técnicas modernas
com o uso de
fertilizantes e
máquinas agrícolas;
 Monocultura;
 Latifúndios;
 Consumo externo;
 Alta produtividade
(sistema intensivo).
PECUÁRIA
 Baixa produtividade;
 Técnicas rudimentares
com o gado do tipo
zebu criado solto na
pastagem;
 Pequenas
propriedades;
 Consumo interno;
 Problemas com a
doença-do-sono,
provocada pela mosca
tsé-tsé.
Minérios
 Grande riqueza mineral,
com exceção do carvão, que
não é encontrado no
continente;
 Destaque para o petróleo
(Líbia, Argélia e Nigéria =
OPEP), manganês (Gabão),
fosfato (Marrocos) e cobre
(Zâmbia);
 O destaque de país é a
África do Sul que explora
quase todos os minérios, em
especial o ouro e o
diamante em larga escala e
como grande fonte de
divisa.
Problemas da industrialização
 Falta capital para
exploração de minérios
pelos países;
 Pequena rede
hidrelétrica instalada;
 Deficiências nas redes
de transportes, que são
apenas para o modelo
comercial;
 Pequena mão-de-obra
especializada;
 Baixo poder aquisitivo
da população.
Rede de transportes
Rede de transportes
O mais utilizado é o aéreo devido as longas
distâncias e aos outros modelos serem
basicamente para atender o sistema de
exportação do continente, ou seja, a rede é
para entregar e não integrar os povos;
 Os sistemas rodoviários e ferroviários fazem
apenas ligações com as regiões produtoras e
os portos;
 O sistema marítimo é um dos maiores do
globo, mas servem apenas para a marinha
mercante, ou seja, nada de transportar
pessoas.
Fim da aula
Geopolítica
da
descolonização
da África
Histórico

 Domínio de antigas civilizações pelo europeus;


 No século XV, tem início a expansão européia com a instalação
de feitorias, ou seja, entrepostos comerciais que criaram uma
dependência com os europeus;
 Modelo de produção artesanal e manufatureira.
Novos mercados e a
Revolução Industrial
 Necessidade de matéria-
prima e criação de mercado
consumidor;
 A partir de 1850 o processo
de colonização se
intensifica;
 A conferência de Berlim
determina os processos de
ocupação e a partilha da
África, gerando países
artificiais que abrigam tribos
inimigas;
 Desestruturação da
economia local devido a
dependência com os
europeus.
Movimentos de independência
 Os primeiros países independentes e únicos antes da 2ª Guerra Mundial
eram o Egito (1922), Libéria (1826), África do Sul (1910) e Etiópia;
 Após a 2ª Guerra Mundial começa um processo de independência
através de acordos ou à força, que se intensifica entre os anos de 50 a
70;
 Permanece a dependência econômica;
Principais movimentos de independência na
África
 Nas colônias Britânicas o conflito mais intenso foi no Quênia na
chamada Rebelião do Mau-Mau;
 Pela França foi a maior rebelião foi na Argélia;
 O Marrocos foi a pior rebelião das colônias espanholas, principalmente
pelo conflito no Saara Ocidental;
 O Congo foi a pior rebelião das colônias belgas;
 Burundi e Ruanda foram as piores rebeliões entre as colônias alemãs;
 As últimas colônias que conquistaram independência foram as
portuguesas como Angola, Guiné-Bissau e Moçambique;
Fim da aula