Você está na página 1de 6

Imigração na Europa

• As últimas décadas, grandes fluxos migratórios, oriundos de países


subdesenvolvidos da África, da Ásia e da América Latina, têm se
direcionado principalmente para os países europeus mais
industrializados, como França, Bélgica, Alemanha, Itália e
Inglaterra.
• Os trabalhadores imigrantes buscam novas oportunidades de
trabalho e melhores condições de vida nos países europeus. Em
geral, a maior parte da população imigrante supre a demanda por
mão-de-obra em atividades que exigem menor qualificação
profissional.
• Você sabia... Que a Europa é cortada pelo Círculo Polar Ártico ao
norte e pelo Meridiano de Greenwich?
• O Vaticano é o único país do mundo que não tem taxa de
natalidade e de mortalidade infantil, pois é habitado apenas por
religiosos que praticam o celibato.
Xenofobia e racismo na Europa
A partir da década de 1990, países como a França, a Irlanda, a Itália e a
Espanha apresentavam taxas de desemprego acima de 11%, um
número considerado alto para os padrões europeus. Dessa forma, o
aumento do desemprego fez crescer, em vários países da Europa, as
reações contrárias à imigração, pois a falta de empregos passou a ser
atribuída por partidos políticos, sindicatos de trabalhadores e outras
entidades civis ao grande número de trabalhadores estrangeiros.
A partir de então, intensificaram-se os movimentos de grupos xenófobos
que se apóiam em doutrinas racistas, os quais repudiam explicita e
violentamente a presença de estrangeiros e exigem do governo que eles
sejam repatriados.
Xenofobia: aversão à tudo que é estrangeiro.
Repatriação: ocorre quando autoridades de um país obrigam um
imigrante a retornar á sua pátria.
Reino Unido e Grã-Bretanha

• Qual é a diferença entre Reino Unido e Grã-Bretanha?


• O Reino Unido é formado por quatro países. Compreende os três países
que ocupam a Ilha da Grã-Bretanha: Inglaterra, Escócia e País de Gales,
mais a Irlanda do Norte.
• Quando falamos de Grã-Bretanha, nos referimos apenas aos três países
que formam a Ilha da Grã-Bretanha.
• Exercícios p. 46
5. Acumulação de capitais; grandes reservas de carvão mineral; mão-de-
obra provinda do campo para a cidade.
6. Por causa da necessidade de reestruturação de sua economia e da
perda parcial de suas colônias.
7. Uma política que volta a uma forma total de liberdade de concorrência no
mercado, sem a intervenção do governo, nem mesmo nas atividades
sociais.
8. Uma readequação econômica e conseqüente crise interna.
Itália - exercícios

1. Como um país que teve sua industrialização somente no final do século


XIX, na chamada Segunda Revolução Industrial, em razão de fatores
históricos locais.
2. Área montanhosa onde se destaca a Planície do Rio Pó, com clima
temperado ao norte e mediterrâneo no centro-sul.
3. Unificação do país só no século XIX e posteriores conflitos internos.
p.48
5. Foi nas cidades do norte que houve acumulação de capitais durante os
séculos XV a XVIII, enquanto as cidades do sul eram conservadoras e
agrícolas.
6. No final do século XIX e início do século XX, houve o nascimento da
indústria química e da mecânica, que atendiam às demais industrias.
7. Químico, mecânico e têxtil.
México – exercícios p. 49
1. País com base econômica em exportação de minerais, sobretudo
petróleo, e em industrias multinacionais. Assim, ele se
caracteriza na DIT como subdesenvolvido industrializado.
2. Multinacionais, pois o país não tinha capital e tecnologia próprios
e foi industrializado pelo capital estrangeiro.
3. Colonização; conflitos internos.
4. É o bloco econômico formado por EUA, Canadá e México. ajudou
no desenvolvimento da economia mexicana.
Pág 50.
6. Grandes riquezas minerais; mão-de-obra barata; baixos
impostos; mercado consumidor em expansão.
7. Turismo; indústria, mineração, petróleo e agricultura.
8. Eua e Canadá – Nafta; Japão; União Européia; Brasil e Aladi.
México – exercícios p. 16
1. Multinacionais ou transacionais.
2. Têm sede no país rico e filiais espalhadas por vários países do
mundo.
3. Os que ofereciam mão-de-obra, energia e transporte baratos e
incentivos fiscais ( baixos impostos).
4. Mercado consumidor em expansão; o país se responsabilizava
pela criação de obras de infra-estrutura (energia e transporte);
baixos impostos.
Pág 20.
6. Os investidores estrangeiros retraíram-se quantos aos países
emergentes para não perderem dinheiro.
7. Quando um país emergente quebra, a tendência é que os demais
sofram as mesmas conseqüências.
8. De um lado, a modernidade, e de outro, uma dependência dos
investidores e dos outros países.

Você também pode gostar