Você está na página 1de 12

ELEMENTOS BÁSICOS DA

RELAÇÃO TERAPÊUTICA.
Docente: Claudson Santana
Curso: Psicologia
DEFINIÇÕES BÁSICAS
PSICODIAGNÓSTICO

É um procedimento científico de investigação e


intervenção clínica, limitado no tempo, que
emprega técnicas e/ou testes psicológicos com o
propósito de avaliar uma ou mais características
psicológicasm visando um diagnóstico psicológico
(descritivo e/ou dinâmico), construído à luz de uma
orientação teórica que subsidia a compreensão da
situação avaliada, gerando uma ou mais
indicações terapêuticas e encaminhamentos
(HUTZ, et. al., 2016).
DEFINIÇÕES BÁSICAS
AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA

É compreendida como um amplo processo de


investigação, no qual se conhece o avaliado e sua
demanda, com o intuito de programar a tomada
de decisão mais apropriada do psicólogo. Mais
especialmente, a AP refere-se à coleta e
interpretação de dados, obtidos por meio de um
conjunto de procedimentos confiáveis, entendidos
como aqueles reconhecidos pela ciência
psicológica. (CFP, 2013, p. 11)
CUIDADOS TÉCNICOS E ÉTICOS

 Importância de possuir conhecimentos


específicos da área de avaliação psicológica e/ou
psicodiagnóstico;
 A prática de diagnóstico psicológico, bem como a
realização de um psicodiagnóstico, é atribuição
exclusiva do profissional da Psicologia (BRASIL,
1962)
 Código de ética: Art. 1º
 b) Assumir responsabilidades profissionais somente
por atividades para as quais esteja capacitado
pessoal, teórica e tecnicamente.
CUIDADOS TÉCNICOS E ÉTICOS

 Necessário o cuidado com os aspectos pessoais do


psicólogo;

 Uma prática ética e a atualização profissional só


ocorrem com a possibilidade de abertura ao novo,
com autocrítica quanto ao fazer diário, refletindo
sobre a relação de seus desejos pessoais e suas
escolhas profissionais.
MÉTODOS EM PSICODIAGNÓSTICO
 Determinar os motivos da consulta e/ou do
encaminhamento e levantar dados sobre a história
pessoal (dados de natureza psicológica, social, médica,
profissional, escolar);
 Definir as hipóteses e os objetivos do processo de
avaliação. Estabelecer contrato de trabalho (com o
examinando e/ou responsável);
 Estruturar um plano de avaliação (selecionar
instrumentos e/ou técnicas psicológicas);
 Administrar as estratégias e os instrumentos de
avaliação;
 Corrigir ou levantar, qualitativa e quantitativamente, as
estratégias e os instrumentos de avaliação;
MÉTODOS EM PSICODIAGNÓSTICO
 Integrar os dados colhidos, relacionados com as
hipóteses iniciais e com os objetivos da avaliação;
 Formular as conclusões, definindo potencialidades e
vulnerabilidades;
 Comunicar os resultados por meio de entrevista de
devolução e de um laudo/relatório psicológico. Encerrar
o processo de avaliação.
A ENTREVISTA PSICODIAGNÓSTICA
 Tem como objetivo conhecer o paciente que chega
para a avaliação e compreender o motivo do
psicodiagnóstico;
 É importante nos abastecermos do maior numero e das
mais variadas fontes de informação.
1ª Etapa – Paciente encaminhado para avaliação
Contato com a fonte de encaminhamento para levantamento de informações

2ª Etapa – Entrevista com pacientes e responsáveis

Paciente adulto
A primeira entrevista
geralmente é
realizada com o
próprio paciente

3ª Etapa – Entrevista com outras fontes de informação


Sempre com autorização do paciente e/ou responsáveis, pode-se coletar informações
de outras fontes, como familiares, professores, outros profissionais que acompanhem
o paciente.
INSTRUMENTOS PSICOLÓGICOS
 Os testes psicológicos são instrumentos de avaliação ou mensuração
de características psicológicas, constituindo-se um método ou uma
técnica de uso privativo do psicólogo, em decorrência do que dispõe o
§ 1° do art. 13 da lei no 4.119/62. (Resolução CFP 002/2003);

 Os testes psicológicos são procedimentos sistemáticos de observação


e registro de amostras de comportamentos e respostas de indivíduos
com o objetivo de descrever e/ou mensurar características e processos
psicológicos, compreendidos tradicionalmente nas áreas
emoção/afeto, cognição/inteligência, motivação, personalidade,
psicomotricidade, atenção, memória, percepção, dentre outras, nas
suas mais diversas formas de expressão, segundo padrões definidos
pela construção dos instrumentos. (idem)
INSTRUMENTOS PSICOLÓGICOS
 A Escolha dos Instrumentos:

 Que atributos ou características se quer avaliar: personalidade, atenção,


inteligência etc.;
 Quais as técnicas disponíveis e aprovadas: técnicas que constam na lista
do CFP como aprovadas;
 Idade, escolaridade, nível socioeconômico etc. do testando: perfil da
pessoa a ser avaliada;
 Familiaridade com o instrumento: ter conhecimento prévio do material
antes de sua aplicação;
 Qualidade do instrumento: confiabilidade do material mediante
indicação ou não do CFP;
 Materiais originais: utilização de materiais da editora e nunca fotocópias.
REFERÊNCIAS
 HUTZ, C. et. al. (orgs.) Psicodiagnóstico. Coleção
Avaliação Psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2016.

 CUNHA, Jurema Alcides. Psicodiagnóstico-V. 5 a ed.


Porto Alegre: Artmed, 2003.