Você está na página 1de 29

Profa.

Suzana Bezerra
Mostrar a utilidade da Quimiossistemátia
e da Etnofarmacologia na pesquisa e no
desenvolvimento de fármacos.
 1/3 a 1/2 dos medicamentos mais vendidos é
derivado ou desenvolvido a partir de plantas
(digoxina, taxol, artemisina, vimblastina,
Gingko biloba) (Harvey, 2000; Ströhl, 2000)

 10 % da biodiversidade mundial foi testada

 25 % das 250.000 espécies de plantas serão


extintas até 2050 (CITES, 2002)
 80% da população de países menos
desenvolvidos depende do uso de plantas
para os cuidados primários de saúde
(Schuster, 2001)

 1993 - OMS - Saúde para todos em 2000 =


incentivo ao estudo e uso de plantas
medicinais no atendimento primário à saúde
 Definição:

Relação química que existe em diferentes


níveis taxonômicos entre os seres vivos,
principalmente no qual o metabolismo
secundário assume grande importância.
 Histórico
 Observação de propriedades das plantas:
- alimentares
- medicinais
- olfatórias
Histórico
1763 - Grew - plantas com uso terapêutico
1699 - Petiver e Camerarius:

Morfologia e caractéristicas sensoriais com


propriedades medicinais

1816 - De Candolle
Observou que plantas nascidas em solos
idênticos continham produtos diferentes
enquanto que plantas análogas nascidas em
solos completamente diferentes formavam
produtos análogos.
 Histórico
 1886 - Hellen Abott - Previu a importância da
Química na Sistemática

 1888 - Eykman - Ocorrência de alcalóides em


determinadas famílias

 1909 - Greshoff - Taninos, alcalóides,


cianogenéticos e saponinas

 1917 - McNair - numerosos trabalhos -


Ácidos graxos

 1935 - Monske - ocorrência de alcalóides


Taxus baccata L.

Paclitaxel - Taxol®
Atropa belladona L.

Datura stramonium L.

Escopolamina
SUBSTÂNCIAS FAMÍLIAS

Isoflavonóides Fabaceae

Alcalóides Tropânicos Solanaceaes

Alcalóides Indólicos Apocynaceae

Chalconas Diméricas Anacardiaceae


DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS ANALÍTICAS
APRIMORADAS

Análise de um grande número de plantas com maior


rapidez e relativa facilidade
RMN
Raio X
CG
Espectroscopia
CLAE
IV
 É uma divisão da etnobiologia, uma disciplina
devotada ao estudo do complexo conjunto de
relações de plantas e animais com sociedades
humanas, presentes e passadas.

 Exploração científica interdisciplinar dos


agentes biologicamente ativos,
tradicionalmente, empregados ou observados
pelo homem.
 Disciplina de caráter multi e interdisciplinar:
Farmacotécnica
Fitotecnia
Bioestatística
Botânica
Química
Agronomia
Sociologia
Farmacologia
Antropologia
Medicina
Farmacoquímica
Farmacognosia
 EUROPEU
 AFRICANO INDÍGENA
 SISTEMAS ETNOFARMACOLÓGICOS
 ORIENTAL
 AMAZÔNICO
Sistema Etnofarmacológico Europeu:
Colonização portuguesa
Outros povos - alemãos, italianos e franceses
Plantas de uso mundial e européias

Sul - clima muito parecido com o europeu


Ex.: erva cidreira (Melissa officinalis L.)
erva doce (Pimpinella anisum L.)
 Sistema Etnofarmacológico Africano:

Tráfico de escravos - séculos XVI e XVII


Associa rituais religiosos - uso de plantas
Bahia - maior concentração

Ex.: arruda (Ruta graveolens)


jambolão (Syzigium jambolanum)
 Sistema Etnofarmacológico Indígena:

Nativos brasileiros
Todo o território nacional
Forte influência no Norte e Nordeste

Ex.: caapeba (Piper umbellatum)


abajerú (Chrisobalanus icaco)
urucum (Bixa orellana)
 Sistema Etnofarmacológico Oriental:

imigrantes chineses e japoneses


Final do séc. XIX e início do séc. XX
Estado de São Paulo

Ex.: gengibre (Zingiber officinale)


raiz forte (Wassabia japonica)
canela (Cinnamomum cassia)
cravo-da-índia (Syzigium aromaticum)
 Sistema Etnofarmacológico Amazônico:

Características peculiares - Floresta


Amazônica
Índios - isolados por muito tempo
Ervas específicas - linguagem própria

Ex.: guaraná (Paulinia cupana)


copaíba (Copaifera officinalis)
fava-de-tonca (Dypteryx odorata)
Sistema Etnofarmacológico Nordestino:
Clima e vegetação peculiares
Caatinga - condições adversas
Forte influência indígena e africana
Más condições socioeconômicas
Sistema próprio

Ex.:aroeira-do-sertão(Myracrodruon
urundeuva All.)
melão-de-são-caetano(Momordica
charantia L.)
 Abordagem Etnofarmacológica:

Estudos Farmacológicos
Conhecimento Popular
Estudos Químicos
Cascas de uma planta X é utilizada na forma de
decocto para distúrbios gastrintestinais como
diarréia infecciosa.

Permite a formulação de duas hipóteses:


Hipótese 1 - decocto das cascas da planta X
não é útil na cura ou manejo desse tipo de
diarréia.
Hipótese 2 - decocto das cascas da planta X é
útil no tratamento daquele tipo de diarréia.
 Método Etnofarmacológico:
As hipóteses deverão ser testadas seguindo os
controles e rigores da Ciência levando em
consideração:
- modo de preparo
- posologia
1)Coleta e análise de dados etnofarmacológicos

2)Identificação botânica → depósito em Herbário

3) Pesquisa bibliográfica em bancos de dados:


- Chemical Abstracts - Index Medicus
- Biological Abstracts - NAPRALERT
- PubMed - Sciencedirect
- Scielo - Bireme
4) Análise fitoquímica

5) Estudo Farmacológicos preliminares

6) Fracionamento químico

7)Estudo Farmacológico abrangente e


Toxicologia Pré-clínica

8)Elucidação das estruturas e obtenção de


derivados
Mal-de-guta - causado pela Mãe-d’água
Doença que acomete os caboclos pescadores
Caracterizada por ataques - membros se
movem ritmicamente e sai espuma pela boca

Dados etnofarmacológicos – Epilepsia


Plantas eram utilizadas para esse mal
Estudos farmacológicos e químicos - lactonas
Nordeste - Ceará
Imburana-de-cheiro (Amburana cearensis
A.C.Smith):
antiinflamatório, broncodilatadora e
analgésica

Isocampferídeo
Alegações de utilidade
terapêutica
ETNOFARMACOLOGIA

QUIMIOSSISTEMÁTICA

Perfil químico de um
determinado táxon