Você está na página 1de 54

FORMULAÇÕES

FARMACÊUTICAS
HOMEOPÁTICAS
DEFINIÇÃO

Formulações homeopáticas são as


preparações resultantes da manipulação de
insumos ativos e inertes, de acordo com as
regras da farmacotécnica homeopática.

Todos os medicamentos homeopáticos


não devem conter sabor, conservantes
essências.
FORMULAÇÕES DE
USO INTERNO
PREPARAÇÕES LÍQUIDAS

1. GOTAS
São preparações hidroalcoólicas a 30% (p/p)
ou conforme prescrição do médico, contendo
medicamento dinamizado a ser administradas
sob a forma de gotas.

Quantidade

De acordo com o desejado. Se não


especificado na receita, usar 30 mL.
Técnica

Medicamentos preparados segundo


método hahnemanniano (na escala decimal
e centesimal), korsakoviano e fluxo
contínuo (FC)

Modo de obtenção

100% puro ou diluição conforme


prescrição.
A. Diluição conforme prescrição

Diluição do insumo ativo no volume


prescrito de insumo inerte.

Exemplo:
Lycopodium clavatum 30 CH XX/30 mL

Nas formulações, os números escritos


em algarismos romanos indicam número de
gotas de insumo ativo e os escritos em
algarismos arábicos indicam volume de
veículo de dispensação.
Ex.:

Lycopodium clavatum 30 CH X/V/30 mL

Quando a formulação indicar duas


seqüências de algarismos romanos antes
dos algarismos arábicos interpretar como:
número de gotas de insumo ativo, número
de gotas de álcool a 96% (V/V) e volume de
insumo inerte, respectivamente.
B. 100 % Puro

O insumo ativo será a matriz do medicamento na


potência anterior à prescrita.
- Diluir 1 parte do insumo ativo em 9 partes (escala
decimal) ou 99 partes (escala centesimal) do
veículo de dispensação.
- A diluição deverá ocupar 2/3 do volume do frasco.
- Sucussionar 100 vezes.
- Transferir para o frasco de dispensação.

Ex.: Arnica montana 6 CH 20 mL


Ex.: Belladonna 6 CH
Phytolacca decandra 6 CH ãã qsp 20ml
Na escala LM, dissolver um microglóbulo do
medicamento, na dinamização desejada, em 1 gota
de água, completar com solução hidroalcoólica a
30 % (p/p). O volume dispensado deverá ocupar
2/3 da capacidade do frasco.
Exemplo:
Lycopodium clavatum 6 LM 1 vidro
- Retirar do estoque 1 microglóbulo de Lycopodium
clavatum 6 LM.
- Dissolver em 1 gota de água purificada.
- Após dissolução, completar o volume para 30 ml com
veículo de dispensação.
- Homogeneizar.
- Dispensar em frasco com capacidade para 50ml.
2. DOSE ÚNICA

Quantidade limitada de medicamento líquido a


ser tomada de uma só vez.
Veículo

Água purificada, solução hidroalcoólica até 5%


(p/p).

Quantidade

De acordo com o desejado, ou preconizado


pela farmácia.
Técnica

Metódos hanemanniano, horsakoviano e fluxo


contínuo.

Modo de obtenção

Diluição conforme prescrição e diluição a 5%.

A. Diluição a 5%

O insumo ativo será a matriz do medicamento na


potência solicitada.
Diluir o insumo ativo em veículo de dispensação na
proporção de 2 gotas para cada 1ml de insumo inerte
(5%).
Ex.: Nux vomica 200 CH 20 mL DU

Retirar do estoque a matriz de Nux vomica


200 CH.
Diluir 2 gotas da matriz para cada 1mL de
solução hidroalcoólica a 5% ou água destilada.
Homogeneizar.

B. Diluição conforme prescrição

Exemplo:
Nux vomica 200 CH V/20 DU

Em 20 mL do veículo acrescentar 5 gotas da


Nux vomica 200 CH.
FORMULAÇÕES SÓLIDAS

1. GLÓBULOS
Os glóbulos se apresentam sob a forma de
pequenas esferas com pesos de 30 mg (nº 3), 50
mg (nº 5) e 70 mg (nº 7), constituídos de
sacarose ou mistura de sacarose e lactose.

Quantidade

De acordo com a prescrição. Se na prescrição


não houver a quantidade dispensar 60g.
Modo de obtenção

Impregnação

O método consiste em impregnar os glóbulos


inertes com o insumo ativo na potência prescrita
em quantidade suficiente para impregnar
homogeneamente todos os glóbulos.

A proporção entre insumo ativo e insumo


inerte deverá estar na faixa de 2% (V/p) a 5%
(V/p).
A quantidade de insumo ativo será definida de
acordo com a capacidade de absorção dos
glóbulos e determinada pelo controle de
qualidade.

Simples Impregnação:
Todos os glóbulos são impregnados com o insumo
ativo em uma única etapa.

Tríplice Impregnação:
Os glóbulos serão impregnados com o insumo
ativo dividido em três etapas.
Ex.: Arnica Montana 6 CH glóbulos 30 g
Volume de insumo ativo = 5% (V/p)

1ª etapa - Retirar do estoque 0,5 ml (20gts) da


matriz de Arnica Montana 6 CH. Impregnar segundo a
técnica adotada. Homogeneizar.
2ª etapa - Retirar do estoque mais 0,5 ml (20gts) da
matriz de Arnica Montana 6 CH. Impregnar segundo a
técnica adotada, a preparação obtida na 1ª etapa.
Homogeneizar.
3ª etapa - Retirar do estoque mais 0,5 ml (20gts) da
matriz de Arnica Montana 6 CH. Impregnar segundo a
técnica adotada, a preparação obtida na 2ª etapa.
Homogeneizar e secar. Transferir os glóbulos para o
frasco de dispensação.
A quantidade de insumo ativo empregado não
deverá solubilizar, deformar ou grumar os
glóbulos, para isso o insumo ativo deverá estar
preparado em solução hidroalcoólica igual ou
superior a 70% (p/p).

Os glóbulos deverão estar secos para serem


dispensados.

Quando houver necessidade de secagem em


estufa:
Secar em temperatura não superior a 50 ºC.
Secar os medicamentos individualmente.
2. TABLETES

Definição
São preparados por moldagem da lactose em
tableteiro, sem a adição de coadjuvantes.

Insumo Inerte
Tabletes constituídos de lactose com peso de
100 e 300mg (FHB) e 100 e 200 mg (MNT).

Quantidade:
De acordo com a prescrição, caso não conste,
deverá ser adotado padrão interno da farmácia.
Tableteiro
Método

A. Moldagem

O método consiste em misturar o insumo ativo


sólido na dinamização prescrita com o insumo inerte
na proporção de 10% (FHB) ou 15% (MNT).
Umedecer a mistura com solução
hidroalcoólica com graduação superior a 70% (p/p),
até obter ponto de moldagem.
Levar ao tableteiro e moldar.
Proceder a extrusão dos tabletes e secar em
estufa, se necessário, em temperatura inferior a
50 ºC.
Ex.:

Calcarea phosphorica 3 CH
Calcarea carbônica 3 CH ãã qsp tabletes 20 g

- Retirar 2 g da mistura em partes iguais da


trituração ou 2 mL da solução de Calcarea
phosphorica 3 CH e Calcarea carbônica 3 CH.
- Misturar com 18g de lactose.
- Homogeneizar.
- Dar ponto de moldagem com solução hidroalcoólica
com graduação igual ou superior a 70% (p/p).
- Moldar em tableteiro segundo a técnica.
- Secar em estufa, se necessário.
B. Impregnação

O método consiste em impregnar os tabletes


inertes com o insumo ativo na potência prescrita na
porcentagem de 10% (V/p).

A quantidade de insumo ativo empregado não


deverá solubilizar ou deformar os tabletes.
Os tabletes deverão estar secos antes de
serem dispensados.
Quando houver necessidade de secagem em
estufa:
Secar em temperatura inferior a 50 ºC
Secar os medicamentos individualmente.
Ex.:

Rhus tox. 3 CH
Gelsemium semp. 3 DH ãã qsp tabletes 18 g
Ferrum phosph. 5 CH

- Retirar 1,8 ml da mistura em partes iguais


das matrizes de Rhus tox. 3 CH, Gelsemium
semp. 3 DH e Ferrum phosp. 5 CH.
- Impregnar 18 g de tabletes.
- Homogeneizar.
- Secar.
3. PÓS
Definição
Os pós para uso interno serão constituídos de
insumo ativo, na potência desejada, veiculados em
lactose.
Insumo Inerte
Lactose.
Quantidade

Será dispensado 300 - 500 mg (FHB) ou 500


mg (MNT) de lactose em número de envelopes
contendo o pó de acordo com a prescrição médica.
Método
A. Impregnação
O método consiste em impregnar a lactose com o
insumo ativo na proporção de 10% (FHB) e 15% (MNT).
A lactose deverá estar seca antes da dispensação.
O insumo ativo na forma líquida deverá ser
preparado em solução hidroalcoólica com graduação
igual ou superior a 70% (p/p) ou se for sólido por
trituração na potência desejada e dividir em porções de
300 – 500 mg (FHB) ou 500 mg (MNT).

Secagem: será executada separadamente,


medicamento a medicamento, em temperatura inferior a
50ºC.
Ex.:
Sulphur 3 CH trit
Hepar sulphur 3 CH trit ãã qsp 20 papéis

- Retirar 1g da mistura em partes iguais da


trituração de Sulphur 3CH e Hepar sulphur
3CH.
- Misturar com 9 g de lactose.
- Homogeneizar.
- Secar.
- Dividir em 20 porções de 500 mg cada.
- Acondicionar em envelopes.
4. DOSE ÚNICA SÓLIDA

Definição

Unidade de medicamento sólido a ser


administrado uma só vez.

Quantidade

Quando não especifica na receita, por convenção,


será aviado para:
Glóbulo: 5 unidades.
Tablete: 1 unidade.
Comprimido: 1 unidade.
Pó: 1 unidade com 500 mg.
Método

Impregnação

FHB: A dose única sólida será impregnada com 2


gotas de insumo ativo, esperar secar e embalar para
dispensar.

MNT: respeitar os procedimentos já descritos


para o preparo de formas farmacêuticas internas
sólidas.
- glóbulos: 5 glob. impregnados 2 a 5 %.
- tabletes: 1 unidade impregnado a 15%
- comprimido: 1 unidade impregnado a 15%
- pó: 1 envelope (500 mg impregnado a 15%).
5. PLACEBOS LÍQUIDOS E SÓLIDOS

Símbolo: 0 Ex.: 0/20 mL

Líquidos : Só colocar água no volume


prescrito ou álcool 30%

Sólidos: Impregnar com álcool 70% o veículo,


ou excipiente, prescrito.
Outras Formas Farmacêuticas de Uso Interno

1. Cápsulas:
Devem ser utilizadas cápsulas incolores n° 0,
utilizando lactose como excipiente e a impregnação
deve ser considerada como de pós, respeitando a
proporção de impregnação de acordo com a literatura
escolhida.
2. Xaropes
Procedimento não incluído na literatura, porém de
uso comum. O xarope simples deve ser impregnado
com o insumo ativo na proporção de 10%, sejam elas
matrizes dinamizadas ou TM (respeitando a sua
toxicidade).
FORMULAÇÕES DE
USO EXTERNO
Todas as formulações externas
não deverão ser colocadas
essências !!!
FORMAS LÍQUIDAS
1. Linimentos

São preparações farmacêuticas líquidas ou semi-


sólidas que contém em sua composição insumos ativos
dissolvidos em óleos, soluções hidroalcoólicas ou
emulsões.
Insumo inerte
Solução hidroalcoólica 10 à 30%, vaselina líquida e
creme aniônico ou não iônico.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10% em relação
ao insumo inerte.
Prazo de validade
4 meses.
2. Gliceróleo

Insumo inerte
Solução glicerinada contendo 50% de
glicerina e 50% de água destilada.

Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10%
em relação ao insumo inerte.

Prazo de validade
4 meses.
3. Pseudo-hidrolatos

Insumo inerte
Solução glicerinada contendo 5% de
glicerina e 95% de solução hidroalcoólica a
10%.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10%
em relação ao insumo inerte.
Prazo de validade
4 meses.
4. Soluções otológicas
Insumo inerte
Água, soluções hidroalcoólicas, hidroglicerinadas,
glicólicas, óleos e outros.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10% em relação
ao insumo inerte (glicerina ou propilenoglicol qsp).
Prazo de validade
6 meses.
Dispensação
Dispensar com 2 conta-gotas, deve-se usar 1 conta-
gota para cada cavidade auricular, higienizando-os
após o uso.
5. Solução nasal
São preparações destinadas a aplicação na mucosa
nasal sendo apresentadas sob a forma de soluções,
pomadas ou géis. As soluções poderão ser
administradas sob forma de gotas ou nebulização.
Insumo inerte
Água, soluções hidroalcoólicas, hidroglicerinadas,
glicólicas e outros. Suspensão para spray nasal. Ex.:
Insumo ativo 1%, glicerina 1 %, soro fisiológico qsp.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 1% em relação
ao insumo inerte.
Prazo de validade
3 meses.
FORMAS SÓLIDAS E SEMI-SÓLIDAS
1. Cremes
São preparações emulsionadas constituídas por
uma fase aquosa, uma oleosa e um agente
emulsivo.
Insumo inerte
Bases emulsionáveis ou auto-emulsionáveis.
(Creme lanete sem perfume).
Técnica
Incorporar o insumo ativo, na proporção de
10% (V/p) ou (p/p), ao insumo inerte e
homogeneizar.
Prazo de validade
2. Géis

São dispersões coloidais, de aspecto homogêneo,


predominantemente hidrofílicas, constituídas por
uma fase sólida e uma líquida.
Insumo inerte
Todas os géis disponíveis na farmácia.(Gel de
carbopol).
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10% (V/p) ou
(p/p) em relação ao insumo inerte e
homogeneizar.
Prazo de validade
4 meses.
3. Pomada

São preparações monofásicas de caráter


oleoso ou não.
Insumo inerte
Pomada lanolina-vaselina ou vegepharma.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 10%
(V/p) ou (p/p) em relação ao insumo inerte
e homogeneizar.
Prazo de validade
4 meses
4. Óvulo

São preparações farmacêuticas com formato


adequado para administração vaginal.

Insumo inerte
Gelatina glicerinada, polióis e outros.

Técnica
Incorporar o insumo ativo ao insumo inerte,
fundido ou não, na proporção de 10% (p/p) e
moldar adequadamente.

Prazo de validade
3 meses.
5. Pós medicinais
São preparações resultantes da incorporação de
insumo ativo ao insumo inerte, adequadamente
pulverizado.
Insumo inerte
Amidos, carbonatos, estearatos, óxidos,
silicatos e outros.
Técnica
Impregnar com insumo ativo, na proporção de
10% (V/p) ou (p/p) o insumo inerte, homogenizar e
secar à temperatura inferior a 50 ºC.
Tamisar antes de dispensar (tamis 40).
Prazo de validade
4 meses.
6. Supositórios Retais

São preparações farmacêuticas com formato


adequado para administração retal.

Insumo Inerte
Manteiga de cacau, polióis e outros.

Técnica
Incorporar o insumo ativo ao insumo inerte
fundido, na proporção de 10% (p/p) e moldar
adequadamente.

Prazo de Validade
4 meses.
7. Apósitos medicinais
São substratos adequados impregnados com
solução medicamentosa e usados externamente.
Insumo Inerte
Algodão, Gaze e outros.
Técnica
Impregnar, por imersão, o insumo inerte estéril
com o insumo ativo, utilizando quantidade suficiente
para total embebição.
Proceder a secagem do produto em estufa com
temperatura inferior a 50 ºC, até peso constante.

Prazo de Validade
A ser determinada caso a caso.
8. Sabonetes
Insumo inerte
Bases glicerinadas para sabonetes sólidos
ou líquidos ou base líquida para sabonetes
adicionada 10% de glicerina.
Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 2% a
5% em relação ao insumo inerte e
homogeneizar.
Prazo de validade
4 meses.
9. Shampoos

Insumo inerte
Base para shampoo simples.

Técnica
Incorporar o ativo na proporção de 2% a
5% em relação ao insumo inerte.

Prazo de validade
4 meses.
PRAZO DE VALIDADE

Dose única e gotas:


Água destilada: 30 dias
Água alcoolizada 1 a 4%: 30 dias
Água alcoolizada 5%: 3 meses
Água alcoolizada 6 a 29%: 3 meses
Água alcoolizada 30 a 96%: 2 anos

Glóbulos, Tabletes, Comprimidos e papéis de


lactose: 2 anos.
Matriz álcool 70% : 5 anos.
ROTULAGEM
Os medicamentos deverão ter no rótulo:
- nome da farmácia e seu endereço
- CNPJ, IE, número de licença do estabelecimento
fornecido pelo órgão federal de saúde
- nome do responsável técnico e o número de
inscrição do mesmo no Conselho Regional de
Farmácia
- farmacopéia ou código que obedece, uso (interno
ou externo)
Formas Farmacêuticas Derivadas

- Nome do paciente
- Nome do médico
- Nome homeopático do medicamento
- Dinamização, escala e método
- Forma farmacêutica
- Quantidade
- Insumo inerte e grau alcoólico
- Lote
- Uso interno ou externo
- Posologia
- Data de fabricação
- Validade
Matrizes

- Nome homeopático do medicamento


- Dinamização, escala e método
- Insumo inerte e grau alcoólico
- Data de Fabricação
- Validade
- Matriz ou TM de origem.

Algumas preparações magistrais ou oficiais


exigem rótulos ou etiquetas com advertências tais
como: “Agite antes de usar”, “Conservar em
geladeira”, “Uso interno”, “Uso externo”, “Não
deixe ao alcance de crianças”, “Veneno”.
Recomendações importantes:

- Os medicamentos homeopáticos não deverão ser


guardados em locais que contenham cheiros fortes,
excesso de luz, calor, umidade nem ficar próximos a
aparelhos que emitam radiações (televisão,
telefones, celulares, computador, rádio…). Guardá-
los em uma caixa exclusiva, em local fresco, seco,
em que não bata sol.

- Evitar o contato com as mãos ao tomar


medicamento na forma sólida. Usar a tampa dos
frascos para tomar glóbulos, comprimidos e
tabletes. É um simples questão de higiene.
- Não recomendar medicamentos homeopáticos a
amigos ou parentes nem automedicar-se, pois esses
remédios são individualizados, de acordo com a lei
dos semelhantes. Se o paciente quer ajudar alguém,
deve fazê-lo recomendando o tratamento
homeopático, não seu próprio medicamento.

- O medicamento deve ser tomado longe das


refeições, no mínimo meia hora antes ou depois. Se
for dose única, em jejum ao deitar, conforme
orientação médica. Se for ingeri-lo próximo a
escovação dos dentes, o paciente deverá fazê-lo
dez minutos antes ou trinta minutos depois.
Lembre-se de que menta e cheiros fortes podem
inativar a ação do medicamento homeopático.
Exercícios – Descrever ou esquematizar como
preparar os seguintes medicamentos:

1. Pulsatilla 12 CH X/30 mL Em álcool 10%.


Tomar 5 gts 3 x/dia. (Não tenho a matriz da 12
CH, só tenho a 10CH, como preparar a matriz da
12 CH e o medicamento da receita?

2. Drosera 20 CH XX/X/ 30 mL Em álcool 20%.


Tomar 3 gts por dia. (Tenho a matriz 20 CH)

3. Phosphorus 50 LM 20 mL . Em água. Tomar


5 gts 2x/dia. Agitar 10 X antes .
4. Arnica 200 CH D.U.

5. Como preparar a matriz da Chamomilla


7SD a partir da 6 SD?

6. Baryta carbonica 5CH


Spongia 6 CH ãã qsp 20 g
Aviar em glóbulos. Usando concentração de
5% para impregnação.