Você está na página 1de 20

Derrames Serosos

Ana Paula, Andressa, Bianca, Camila, Jéssica,


Larissa, Michelle e Samantha
Derrames Serosos
Acúmulo anormal de fluído nas cavidades
cavidadesfechadas
fechadas

Revestidas por 2 membranas serosas

Parietal Visceral

Reveste a parede da cavidade Cobre as superfícies exteriores dos órgãos


que se encontram na cavidade

O epitélio simples pavimentoso que delimita as cavidades


pleural, pericárdica e peritoneal chama-se mesotélio.

SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
Líquidos Serosos
O líquido situado entre as membranas é filtrado do plasma, formado na camada
parietal e absorvido na camada visceral da pleura, pericárdio e peritônio.

“São fluidos situados entre as duas membranas, a cavidade parietal e visceral


que fazem a sua lubrificação na medida em que as superfícies se movimentam.”

SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
Derrames Serosos
A saída de fluído para a cavidade excede a
capacidade de reabsorção

Transudato Exsudato
Ultrafiltrado do plasma sanguíneo Causado muitas vezes por processos
com permeabilidade vascular inflamatórios decorrentes de infecção
normal ou
↑ Pressão Hidrostática por neoplasia
ou
Força Osmótica ↓
líquido purulento inflamatório rico em
Baixo teor proteico
neutrófilos e fragmentos de células

KUMAR, V.; ABBAS, A.; FAUSTO, N. Robbins e Cotran – Patologia – Bases Patológicas das Doenças. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
Derrame Pleural
O excesso (acúmulo) de líquido na cavidade pleural

Pleura
Membrana de revestimento dos
pulmões

Parietal Visceral
Superfície interna da Presente no exterior
parede do tórax do órgão

Líquido pleural
Uma quantidade excessiva deste fluido pode descompensar a ventilação
por limitar a expansão dos pulmões (atelectasia).

MOORE, K. L. Anatomia orientada para a clínica. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
Derrame Pleural
Sua coleta é feita através da aspiração com agulha, Toracocentese, e sua forma
de analise é feito por etapas: Macroscopicamente, Bioquímica, Citológica, entre
outros.

Divido entre transudato e exsudato, de acordo com a composição


química do líquido pleural usando-se critérios de classificação.

SIMON, Caroline Ferreira et al. Patologia clínica: colheita, conservação e remessa de amostras. 2007.
Derrame Pericárdico

Pericárdio
Membrana serosa que envolve
externamente o coração.
Na cavidade pericárdica há o líquido
pericárdico.

Pericardite
↑ Volume líquido seroso
• Células mesoteliais
↑ Células inflamatórias e proteínas aderidas ao epicárdico;
• Células Fibrosas no
pericárdio parietal:
comprometimento hemodinâmico • Células de Colágeno.

NETTER, Frank Henry. Atlas de anatomia humana. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
Derrame Pericárdico
Sua coleta é feita através da aspiração com agulha, Pericardiocentese.

Ângulo infra-esternal apontado para cima e para a esquerda.


Outra opção é pelo espaço intercostal 5 ou 6 esquerdo.

O objetivo da pericardiocentese de emergência é a reversão do


comprometimento hemodinâmico no tamponamento cardíaco.

CURRENT - Medicina de Emergência - Diagnóstico e Tratamento -7ª Ed. 2013


Derrame Peritoneal
Denomina-se ascite ao acúmulo de líquido livre na cavidade peritoneal - não
representa uma doença, mas uma manifestação comum a várias patologias.

Aumento da permeabilidade dos capilares (inflamação), drenagem linfática inadequada


por obstrução dos canais por células tumorais e liberação de substâncias que aumentam
a permeabilidade peritoneal.

GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andre I. Goldman-Cecil Medicina: Adaptado à realidade brasileira. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
Derrame Peritoneal
Sua coleta é feita através da aspiração com agulha, paracentese.

CURRENT, Nefrologia e Hipertensão. Artmed, 2011.


Citologia em Derrames serosos
Líquidos serosos são levemente amarelados e límpidos, alteração de cor ou
turbidez pode indicar alterações fisiológicas decorrentes da doenças.

Mesotélio Células grandes com citoplasma


azul- escuro.
Epitélio simples pavimentoso que
delimita as cavidades pleural,
pericárdica e peritoneal.

Mundt, L. A., Graff, L., & Shanahan, K. Graff's textbook of routine urinalysis and body fluids (2nd ed.). Philadelphia, 2011.
Citologia em Derrames serosos

Mundt, L. A., Graff, L., & Shanahan, K. Graff's textbook of routine urinalysis and body fluids (2nd ed.). Philadelphia, 2011.
Citologia em Derrames serosos
Achados benignos

Mundt, L. A., Graff, L., & Shanahan, K. Graff's textbook of routine urinalysis and body fluids (2nd ed.). Philadelphia, 2011.
Citologia em Derrames serosos
Citologia em Derrames serosos
Citologia em Derrames serosos
Mesotelioma
CA primário do mesotélio

Cakir E, Demirag F, Aydin M, Unsal E. Cytopathologic Differential Diagnosis of Malignant Mesothelioma, Adenocarcinoma and Reactive
Mesothelial Cells: A Logistic Regression Analysis. Diagn Cytopathol. 2009;37:4–10. [PubMed]
Citologia em Derrames serosos

Cakir E, Demirag F, Aydin M, Unsal E. Cytopathologic Differential Diagnosis of Malignant Mesothelioma, Adenocarcinoma and Reactive
Mesothelial Cells: A Logistic Regression Analysis. Diagn Cytopathol. 2009;37:4–10. [PubMed]
Citologia em Derrames serosos

Cakir E, Demirag F, Aydin M, Unsal E. Cytopathologic Differential Diagnosis of Malignant Mesothelioma, Adenocarcinoma and Reactive
Mesothelial Cells: A Logistic Regression Analysis. Diagn Cytopathol. 2009;37:4–10. [PubMed]
Citologia em Derrames serosos

Cakir E, Demirag F, Aydin M, Unsal E. Cytopathologic Differential Diagnosis of Malignant Mesothelioma, Adenocarcinoma and Reactive
Mesothelial Cells: A Logistic Regression Analysis. Diagn Cytopathol. 2009;37:4–10. [PubMed]
Ana Paula, Andressa, Bianca, Camila, Jéssica,
Larissa, Michelle e Samantha