Você está na página 1de 21

RIMAS

DE LUÍS VAZ DE CAMÕES


• Os renascentista prezam o equilíbrio, a
harmonia, por isso valorizam e imitam os
autores e as obras da Antiguidade Clássica
greco-romana.
Renascimento | Classicismo

Leonardo da Vinci, Homem Vitruviano, 1490 Miguel Ângelo, Moisés, 1513-1515


Renascimento
• Renovação cultural e artística
• Reinvenção das formas artísticas,
com base numa perspetiva naturalista
e humanista
• Interesse pela arte e cultura da
Antiguidade Clássica
Contextualização
histórico-literária
(século XVI)
Classicismo
• Recuperação de figuras e temas
mitológicos
• Gosto pela harmonia e simetria
• Entendimento do corpo humano
como medida da arte
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Renascimento | Classicismo

Miguel Ângelo, A Criação de Adão (Capela Sistina), c. 1511


Luís de Camões, Rimas

Influências
da lírica
camoniana

Lírica Inspiração
tradicional clássica
Formas

Medida velha Medida nova


Redondilha Decassílabo

Influência Influência
tradicional clássica
e petrarquista
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Nível temático
• Sociedade rural como universo de
referência (ida à fonte, pastorícia)
Ex.: “Descalça vai para a fonte”

Lírica
tradicional
Nível formal
• Métrica: medida velha (redondilha)
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Nível temático
• Ideal de mulher
• Efeitos do amor

Inspiração
clássica

Nível formal
• Métrica: medida nova
(decassílabo)
– Soneto
• - O ideal de mulher – cabelos loiros, pele
branca, olhos claros; alegria grave, harmonia
pura e exata, o gesto sereno; a mulher amada
é um ideal de beleza e perfeição; -
Petrarquismo: temas de Petrarca – a mulher
amada, o amor e os seus efeitos, os conflitos
interiores do sujeito, visão subjetiva da
natureza.
TEMAS DA LÍRICA CAMONINA
• A representação da amada.
• A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.
• A representação da natureza.
• A reflexão sobre a vida pessoal.
• O desconcerto do mundo.
• A mudança.
A representação da amada

A mulher amada:
▪ retrato idealizado: perfeição física e espiritual
▪ representação à maneira petrarquista

• Modelo feminino de cabelos loiros, pele branca e beleza


serena; abstrata; inacessível; símbolo de harmonia e
perfeição, a beleza física em equilíbrio com a beleza interior.

• Modelo feminino com características psicológicas muito


marcantes: brandura, piedade, gravidade, modéstia,
bondade e serenidade.
Representação da amada

• Mulher inacessível, misteriosa, quase • Mulher terrena, por


divina, bela, a quem o sujeito poético quem o sujeito poético
presta vassalagem e adoração e que se se sente atraído e
relaciona com o amor espiritual fascinado
(platónico) (cf. ideal de beleza Ex.: “Aquela cativa”
petrarquista
A experiência amorosa e a reflexão sobre o amor
BINÓMIO CONTRADITÓRIO
Amor espiritual e carnal, correspondente a dois tipos de mulher:

A IDEAL A SENSUAL

Amor físico/ carnal


Amor platónico/espiritual

• Quando o sujeito deseja o


objeto amado, surge a
• A mulher ideal é objeto de
torturante contradição
culto, intocável e distante.
interior.
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Temas predominantes da lírica camoniana


Reflexão sobre a vida pessoal

• Reflexão sobre a situação atual e sobre


as causas que lhe deram origem
(“erros”, “Fortuna”, “amor”)
Ex.: “O dia em que eu nasci, moura e pereça”
“Erros meus, má fortuna, amor ardente”
“Eu cantei já, e agora vou chorando”
“De que me serve fugir”
“Sôbolos rios que vão”
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Temas predominantes da lírica camoniana


Representação da natureza

• Cenário associado ao • Personificação da • Reflexo de um


locus amoenus clássico natureza (encarada estado de alma
(paisagem ideal, tranquila/ como confidente) Ex.: “Alegres
serena e bucólica ou pastoril) Ex.: “Alegres campos, verdes
Ex.: “A fermosura desta campos, verdes arvoredos”
fresca serra” arvoredos”
“Alegres campos, verdes “Verdes são os
arvoredos” campos”
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Temas predominantes da lírica camoniana


Tema do desconcerto

• Desconcerto social – distribuição • Desconcerto


arbitrária dos prémios e castigos; individual e subjetivo
sobreposição da cobiça e da vileza aos – sujeição à Fortuna
valores morais; necessidade de (cf. Reflexão sobre a
submissão à desordem / irracionalidade vida pessoal)
da vida Ex.: “Eu cantei já, e
Ex.: “Os bons vi sempre passar” agora vou chorando”
“Correm turvas as águas deste rio” “De que me serve
“Verdade, Amor, Razão, Merecimento” fugir”
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Temas predominantes da lírica camoniana


Tema da mudança

• Oposição entre o tempo • Oposição entre o bem


da natureza e o tempo passado e o mal presente
humano (cf. reflexão sobre a vida
Ex.: “Mudam-se os tempos, pessoal)
mudam-se as vontades” Ex.: “Sôbolos rios que vão”
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Redondilha (maior e menor)

Mi/ni/na/ dos/ o/lhos/ verdes Redondilha maior


1 2 3 4 5 6 7 (7 sílabas métricas)

Ver/des/ são/ os/ campos


1 2 3 4 5
Redondilha menor
da/ cor/ de/ li/mão
(5 sílabas métricas)
1 2 3 4 5

Voltar
Luís de Camões, Rimas – Síntese da unidade

Decassílabo (10 sílabas métricas)

Mu/dam/-se os/ tem/pos,/ mu/dam/-se as/ von/tades


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Mu/da/-se o/ ser,/ mu/da/-se a/ con/fi/ança
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Voltar

Você também pode gostar