Você está na página 1de 119

Sistema Esquelético,

Articular e Muscular

Ana Rita Correia


Janeiro, 2017
Imp039.00
" As estruturas dos ossos são as mesmas na
mão do homem, na asa de um morcego,
na pata de uma doninha e na perna de
um cavalo."
Charles Darwin

Imp039.00
Objetivo Geral:

 Adquirir noções gerais acerca


da estrutura, funções e
classificação dos ossos,
articulações e músculos;
Sistema Esquelético

Objetivos Específicos

 Descrever o conceito de esqueleto, bem como suas funções;


 Conhecer o número de ossos, substâncias ósseas, divisão do esqueleto,
desenvolvimento do osso e classificação dos ossos;
 Distinguir os vários tipos de ossos;
 Descrever os dois tipos de esqueleto, bem como os seus constituintes;
 Identificar e descrever os acidentes anatômicos e cavidades presentes
nos ossos.

Imp039.00
Funções do esqueleto:

 Suporte;
 Protecção;
 Movimento;
 Armazenamento;
 Produção de células sanguíneas.

Imp039.00
Funções do esqueleto:
 Suporte:
 Os ossos são rígidos e fortes e estão bem adaptados para
suportar pesos.

 São os principais tecidos de suporte do organismo.

 A cartilagem constitui um suporte firme, ainda que flexível


no interior de certas estruturas.

 Os ligamentos são bandas resistentes de tecido conjuntivo


fibroso que se inserem nos ossos e os mantêm unidos.

Imp039.00
Funções do esqueleto:

 Protecção;
- O osso é duro e protege os órgãos que envolve.
Ex:
- a caixa torácica protege o coração, os pulmões e
outros órgãos do corpo humano.
- Os ossos da cabeça protegem o cérebro.

Imp039.00
Funções do esqueleto:

 Movimento:
- Os músculos esqueléticos inserem-se nos ossos através de
tendões, que são bandas resistentes de tecido conjuntivo. A
contracção dos músculos esqueléticos faz mover os ossos,
originando os movimentos do corpo.
- Este movimento é efectuado sobre uma articulação, na qual
dois ou mais ossos se reúnem.

Imp039.00
Funções do esqueleto:

 Armazenamento:
- Alguns minerais presentes no sangue são captados pelos
ossos e aí armazenados.
- Os principais minerais armazenados são o cálcio e o fósforo.
- A gordura (tecido adiposo) é igualmente armazenada nas
cavidades ósseas.

Imp039.00
Funções do esqueleto:

 Produção de células sanguíneas:


- Muitos ossos contêm cavidades cujo interior está
preenchido por medula óssea, que dá origem a
células sanguíneas e plaquetas.

Imp039.00
o osso é uma estrutura
dinâmica, um tecido vivo: é
continuamente renovado ao longo
da vida por um processo chamado
reabsorção e remodelação óssea,
em que células (osteócitos,
osteoblastos e osteoclastos),
fibras colagénias e outras
substâncias são destruídas e
substituídas lentamente.
Composição do osso: colágenio,
proteínas, fosfato de Ca e Mg e
potássio
Imp039.00
Curiosidades…

No corpo humano, o esqueleto feminino é diferente do


esqueleto masculino. Nos homens, os ombros são mais
largos e o tórax é maior, a pelve é mais estreita e o
comprimento das pernas representa 56% da altura, ao
passo que nas mulheres representa 50%. Além disso,
enquanto o esqueleto adulto é formado geralmente por
206 ossos, um recém-nascido pode possuir 300, que serão
fundidos até os 22 anos.

Imp039.00
Curiosidades…

Um esqueleto humano saudável representa 14%


do peso corporal, sendo que mais da metade dos
ossos está presente nas mãos e nos pés. O único
osso que não se liga a nenhum outro é o hióide,
situado abaixo do maxilar, sendo suportado
apenas pelos músculos do pescoço e que suporta,
por sua vez, a língua.

Imp039.00
Curiosidades…

- No lactente, os ossos do crânio são mais


elásticos do que no adulto, e por esta
razão, as fraturas do crânio são muito mais
comuns no adulto do que nas crianças
pequenas.
- Mais de 90% do cálcio do corpo está
presente nos ossos, para garantir a solidez
do esqueleto, suprir o organismo com o
mineral e preservar as funções vitais por
meio da reabsorção óssea.
Imp039.00
Imp039.00
Divisão do Esqueleto:

Esqueleto Axial - Composto pelos ossos da


cabeça, pescoço e do tronco.

Esqueleto Apendicular - Composto pelos


membros superiores e inferiores.

A união do esqueleto axial com o apendicular faz-se


por meio das cinturas escapular e pélvica.

Imp039.00
Esqueleto
Axial

Imp039.00
Esqueleto
Apendicular

Imp039.00
Esqueleto
Apendicular

Imp039.00
Células ósseas

Os osteoblastos são células


volumosas, com um núcleo
de grandes dimensões,
osteoclasto
apresentando na sua
constituição finos
prolongamentos. A sua
missão consiste em produzir
a substância osteóide, ou
seja, a matriz ou a
substância na qual os
minerais vão sendo
depositados.
Imp039.00
Os osteócitos são células mais pequenas que, na
realidade, correspondem a osteoblastos maduros
e envelhecidos, que entretanto diminuíram ou
pararam a sua actividade. Embora estas células se
encontrem "presas" no interior da substância
osteóide por elas próprias fabricada, podem ser
activadas, se houver necessidade disso, com o
objectivo de assumir o papel de osteoblastos.

Imp039.00
Os osteoclastos são células volumosas constituídas
por inúmeros núcleos, cujo citoplasma é muito rico
em organelos celulares. A missão dos osteoclastos
consiste em destruir e reabsorver o osso que vai
perdendo vigor com o decorrer do tempo, tendo
uma participação muito activa no contínuo processo
de renovação dos ossos.

Imp039.00
Classificação dos Ossos:

Imp039.00
Ossos Longos:
São tubulares, têm o comprimento
maior que a largura e são
constituídos por um corpo (diáfise)
e duas extremidades. Eles são um
pouco encurvados, o que lhes
garante maior resistência. Os ossos
longos têm as suas diáfises
formadas por tecido ósseo
compacto e apresentam grande
quantidade de tecido ósseo
esponjoso nas epífises.

Exemplo: Fémur
Imp039.00
Ossos Curtos:
São parecidos com um cubo,
tendo o comprimento
praticamente igual à largura.
São compostos por osso
esponjoso, exceto na superfície,
onde há uma fina camada de
tecido ósseo compacto.
Encontrados apenas no pé e
punho.

Exemplo: Ossos do Carpo.


Imp039.00
Ossos Laminares:
São ossos finos, compostos por
duas lâminas paralelas de tecido
ósseo compacto, com camada
de osso esponjoso entre elas.
Os ossos planos garantem
considerável proteção e geram
grandes áreas para inserção de
músculos.

Exemplos: Frontal e Parietal

Imp039.00
Além destes três grupos básicos existem
outros intermédios, que podem ser
distribuídos em 5 grupos:

 Ossos alongados

 Ossos Pneumáticos

 Ossos irregulares

 Ossos Sesamoides

 Ossos suturais

Imp039.00
 Ossos alongados

São ossos longos, mas


achatados e não apresentam
canal central.

Exemplo: Costelas.

Imp039.00
 Ossos Pneumáticos
São ossos ocos, com
cavidades cheias de ar e
revestidas por mucosa,
apresentando pequeno
peso em relação ao
volume.

Exemplo: Esfenóide.

Imp039.00
Ossos irregulares
Apresentam formas complexas e
não podem ser agrupados em
nenhuma das categorias prévias.
Têm quantidades variáveis de osso
esponjoso e de osso compacto

Exemplo: Vértebras.

Imp039.00
 Ossos
Sesamoides
Estão presentes no interior de alguns
tendões, como nas palmas e plantas.
Podem variar de tamanho e número, de
pessoa para pessoa, não são sempre
completamente ossificados,
normalmente, medem apenas alguns
milímetros de diâmetro à exceção das
duas patelas ou rótulas, que são
grandes ossos sesamóides;

Imp039.00
Ossos suturais

Pequenos ossos localizados


dentro de articulações,
chamadas de suturas, entre
alguns ossos do crânio. O
número varia muito de pessoa
para pessoa.

Imp039.00
Estrutura dos Ossos Longos

Diáfise: é a parte longa do osso.


Constituída principalmente de tecido
ósseo compacto, proporcionando,
considerável resistência ao osso
longo.
Epífise: são as extremidades. A
epífise articula ou une-se a um
segundo osso. Cada epífise tem uma
fina camada de osso compacto que
reveste o osso esponjoso e são
cobertas por cartilagem.
Metáfise: parte dilatada da diáfise
mais próxima da epífise.

Imp039.00
Configuração
interna do
Osso:

Imp039.00
Imp039.00
Medula óssea Vermelha
Amarela

A medula óssea vermelha é a responsável pela produção de


células sanguíneas (hemácias, leucócitos e plaquetas), e a
medula óssea amarela é responsável pelo armazenamento
de triglicerídeos (gorduras).

Imp039.00
Vascularização dos Ossos
O osso conta com uma abundante irrigação sanguínea, pois
necessita de uma constante assimilação de elementos
nutritivos e minerais;

Cada osso é irrigado pelas artérias periósticas, que


percorrem o periósteo, a membrana mais exterior. Por outro
lado, a parte interior dos ossos encontra-se irrigada por uma
ou várias artérias nutritivas, que penetram no osso e o
subdividem em inúmeras ramificações finas que sulcam os
canais dos sistemas de Havers, proporcionando elementos
nutritivos e minerais a todas e a cada uma das células.

As veias, que recolhem os resíduos, fazem um percurso


semelhante ao das artérias.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Os ossos apresentam saliências,
depressões e aberturas que são os
acidentes ósseos. As saliências ósseas
podem ser articulares ou não, assim
como as depressões.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Saliências articulares - São
elevações nos ossos que se
articulam com outras
estruturas.

Exemplo: cabeça do fémur e


tróclea do úmero.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Saliências não articulares -
São elevações nos ossos que
não se articulam com outras
estruturas. São as bordas,
cristas, espinhas, linhas,
apófises ou processos,
tuberosidades e tubérculos.
Exemplo: crista ilíaca.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Depressões articulares - São
reentrâncias nos ossos que se
articulam com outras estruturas.
Como as cavidades, as fóveas, as
incisuras (essas podem ser ou não
articulares) e os alvéolos. Exemplo:
cavidade glenoide da escápula, a
fóvea costal das vértebras e os
alvéolos dentários da mandíbula.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Depressões não articulares -
São reentrâncias nos ossos que
não se articulam com outras
estruturas. São os sulcos e as
fossas. Exemplo: sulco do
nervo radial do úmero, fossa
intercondilar do fémur.

Imp039.00
Acidentes anatómicos do
esqueleto:
Forames e canais - São aberturas nos ossos que
permitem a passagem de qualquer estrutura
anatómica. Essas aberturas podem ser formadas por um
único osso ou por mais de um osso. Exemplo: canal
óptico do osso esfenóide.

Imp039.00
Coluna
Vertebral

Imp039.00
A coluna vertebral estende-se do
crânio até a pelve. Ela é responsável
por dois quintos do peso corporal
total e é composta por tecido
conjuntivo e por uma série de
ossos, chamados vértebras, as quais
estão sobrepostas em forma de
uma coluna, daí o termo coluna
vertebral. A coluna vertebral é
constituída por 24 vértebras + sacro
(5) + cóccix (4 ou 5) e constitui,
junto com a cabeça, esterno e
costelas, o esqueleto axial.

Imp039.00
O movimento da Coluna
Vertebral é limitado por:

- Espessura e Compressabilidade
dos discos intervertebrais;

- Resistência dos músculos e


ligamentos do dorso;

- Tensão das Cápsulas


articulares.

Imp039.00
Embora os movimentos entre as
vértebras sejam relativamente
pequenos, a soma de todos os
pequenos movimentos produz um
considerável movimento da coluna
como um todo;

Os movimentos da coluna vertebral são


mais livres nas regiões Lombar e
Cervical e por isso esses locais são os
que mais frequentemente sofrem de
dores e lesões;

A região torácica da coluna é


relativamente estável devido à sua
conexão com o esterno através das
costelas e cartilagens costais. Além
disso os discos intervertebrais são
ligeiramente mais finos.
Imp039.00
Funções da Coluna Vertebral

• Protege a medula espinhal e os nervos espinhais;


• Suporta o peso do corpo;
• Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo
e um pivô para a cabeça;
• Exerce um papel importante na postura e locomoção;
• Serve de ponto de fixação para as costelas, a cintura pélvica
e os músculos do dorso;
• Proporciona flexibilidade para o corpo, podendo fletir-se
para frente, para trás e para os lados e ainda girar sobre seu
eixo maior.

Imp039.00
Sistema Muscular

Imp039.00
Sistema Muscular

Objetivos Específicos

 Descrever o conceito de músculo e funções do sistema muscular;


 Distinguir os vários tipos de músculos;
 Saber classificar um músculo quanto à função;

Curso de Auxiliar de Fisioterapia


Imp039.00
São estruturas individualizadas que cruzam uma ou mais
articulações e pela sua contração são capazes de transmitir-
lhes movimento. Este é efetuado por células especializadas
denominadas fibras musculares, cuja energia latente é ou
pode ser controlada pelo sistema nervoso. Os músculos são
capazes de transformar energia química em energia
mecânica.

Imp039.00
Funções dos Músculos:
 Movimento Corporal;
 Manutenção da Postura;
 Respiração (músculos torácicos);
 Produção de calor (pela contração dos músculos esqueléticos);
 Comunicação (falar, fazer gestos ou expressões faciais, envolvem
músculos esqueléticos);
 Constrição de Órgãos e Vasos (contração do músculo liso, por exemplo,
que ajuda na deslocação dos alimentos ao longo do tubo digestivo);
 Batimento cardíaco (contração do músculo cardíaco que provoca o
batimento do coração e bombeia o sangue para todo o organismo).

Imp039.00
Curiosidades…
 No nosso corpo existe uma enorme variedades de
músculos, dos mais variados tamanhos e formato, onde
cada um tem a sua disposição conforme o seu local de
origem e de inserção.

 Temos aproximadamente 212 músculos, sendo 112 na


região frontal e 100 na região dorsal.

 Cada músculo possui o seu nervo motor, o qual se


divide em muitos ramos para poder controlar todas as
células do músculo.

Imp039.00
Curiosidades…

 O sistema muscular é capaz de efetuar uma imensa


variedade de movimento e todas essas contrações
musculares são controladas e coordenadas pelo
cérebro.

 O músculo tem a cor vermelha. Essa coloração denota a


existência de mioglobina, proteína semelhante à
hemoglobina, que armazena o oxigénio.

 Os músculos representam 40-50% do peso corporal


total.

Imp039.00
Tipos de Músculos
No corpo humano, existem músculos grandes, como os
da coxa, e músculos pequenos, como certos músculos da
face. Eles podem ser arredondados (os orbiculares dos
olhos, por exemplo); planos (os do crânio, entre outros);
ou fusiformes (como os do braço).

Mas, de maneira geral, podemos reconhecer três tipos de


músculo no corpo humano:

Músculo liso;
Músculo estriado esquelético;
Músculo estriado cardíaco.

Imp039.00
Músculo estriado esquelético
Os músculos esqueléticos são os que realizam os
movimentos do esqueleto; algumas vezes são
chamados músculos voluntários, e constituem-se
de fibras musculares estriadas. O músculo
esquelético tem duas ou mais conexões com os
ossos. A conexão que se movimenta menos é
referida como a origem, e a que se move mais,
como a inserção. Possuem contração vigorosa e
voluntária, isto é, os seus movimentos obedecem
à nossa vontade. Exemplo: músculos das mãos.

Imp039.00
Músculo estriado Cardíaco

É encontrado no miocárdio do coração. As suas


fibras dispõe-se obliquamente e em espirais e
apresentam a propriedade da contração rítmica,
espontânea/involuntária.

Imp039.00
Músculo Liso
Os músculos não estriados (Lisos) têm contração
lenta e involuntária, isto é, os movimentos por
eles gerados ocorrem independentemente da
nossa vontade. Estes músculos são responsáveis,
por exemplo, pela ereção dos pêlos na pele
(“arrepio”) e pelos movimentos de órgãos como o
esôfago, o estômago, o intestino, as veias e as
artérias, ou seja, músculos associados aos
movimentos peristálticos e ao fluxo de sangue no
organismo

Imp039.00
Imp039.00
Imp039.00
Tónus Muscular

O Tónus é o estado de
excitabilidade do sistema
nervoso que controla ou
influencia os músculos
esqueléticos.

Em estado de repouso, todo


músculo esquelético está em
parcial estado de contração.

Imp039.00
SISTEMA MUSCULAR
TIPOS DE CONTRAÇAO MUSCULAR

 Contracção Isométrica: servem para estabilizar as


articulações enquanto outras são movidas. Gera tensão
muscular sem realizar movimentos.

 Contracção Concêntrica: o músculo encurta-se e


tracciona outra estrutura, como um tendão, reduzindo o
ângulo de uma articulação.

Contracção Excêntrica: quando aumenta o


comprimento total do músculo durante a contracção.

Imp039.00
SISTEMA MUSCULAR

COMPONENTES ANATÓMICOS

1. Ventre Muscular;
2. Tendão;
3. Aponevrose;
4. Bainhas Tendinosas;
5. Bolsas Sinoviais.

Imp039.00
SISTEMA MUSCULAR
COMPONENTES ANATÓMICOS

1. Ventre Muscular
 Porção contráctil do músculo, constituída por fibras
musculares que se contraem. Constitui o corpo do
músculo (porção carnosa).
2. Tendão
 Elemento de tecido conjuntivo, ricos em fibras
colagénias e que servem para fixação do ventre, em
ossos, no tecido subcutâneo e em cápsulas articulares.
 Possuem aspeto morfológico de fitas ou de cilindros.

Imp039.00
SISTEMA MUSCULAR
COMPONENTES ANATÓMICOS
3. Aponevrose
 Estrutura formada por tecido conjuntivo.
 Membrana que envolve grupos musculares.
 Geralmente apresenta-se em forma de lâminas ou em
leques.
4. Bainhas Tendinosas
 Estruturas que formam pontes ou túneis entre as
superfícies ósseas sobre as quais deslizam os tendões.
 A sua função é conter o tendão, permitindo-lhe um
deslizamento fácil.

Imp039.00
SISTEMA MUSCULAR

COMPONENTES ANATÓMICOS
5. Bolsas Sinoviais
 São encontradas entre os músculos
ou entre um músculo e um osso.
 São pequenas bolsas forradas por
uma membrana serosa que
possibilitam o deslizamento
muscular.

Imp039.00
Quanto à Situação, um Músculo classifica-se
em:

 Superficiais ou Cutâneos:
Estão logo abaixo da pele e
apresentam no mínimo uma de
suas inserções na camada
profunda da derme. Estão
localizados na cabeça (crânio e
face), pescoço e na mão.

Imp039.00
Quanto à Situação, um Músculo classifica-se
em:

 Profundos: São músculos


que não apresentam
inserções na camada
profunda da derme, e na
maioria das vezes, inserem-
se em ossos.

Imp039.00
Quanto à Forma, um Músculo classifica-se
em:

 Longos: São encontrados


especialmente nos
membros. Os mais
superficiais são os mais
longos, podendo passar
duas ou mais articulações.
Exemplo: Bíceps braquial.

Imp039.00
Quanto à Forma, um Músculo classifica-se
em:

 Curtos: Encontram-se nas


articulações cujos
movimentos têm pouca
amplitude.
Exemplo: Músculos da mão.

Imp039.00
Quanto à Forma, um Músculo classifica-se
em:

 Largos: Caracterizam-se
por serem laminares. São
encontrados nas paredes
das grandes cavidades
(tórax e abdomén).
Exemplo: Diafragma.

Imp039.00
Quanto à Função, um Músculo classifica-se
em:

 Agonista;

 Antagonista;

 Fixador;

 Sinergista.

Imp039.00
Músculo Agonista

Um músculo é agonista quando é o principal músculo


ou membro de um grupo principal de músculos
responsável por um movimento particular, ou seja,
estes músculos contraem-se ativamente para produzir
o movimento desejado.
Ex: os flexores dos dedos contraem-se para pegar alguma coisa.

Imp039.00
Músculo Antagonista

Qualquer músculo que se opõe à ação do agonista é


um antagonista. Á medida que um Músculo Agonista se
contrai, o antagonista relaxa progressivamente. Esta
coordenação provoca um movimento suave. Estes
músculos também são ativados no final de um
movimento brusco para proteger as articulações.
Ex: extensores dos dedos.

Imp039.00
Músculo Fixador

É um músculo que se contrai isometricamente para


estabilizar a origem do agonista de modo a que este
possa atuar eficientemente, ou seja, fixam as partes
proximais de um membro, como o antebraço,
enquanto os movimentos ocorrem na parte distal,
na mão.

Imp039.00
Músculo Sinergista

Para impedir um movimento indesejado numa


articulação intermediária, grupos de músculos
denominados sinergistas, contraem-se e estabilizam
as articulações intermediárias.
Ex: estabilizadores do punho, cotovelo e ombro.

Imp039.00
Quanto à Disposição da Fibra:

Reto: Paralelo à linha média. Ex:


Reto abdominal.

Transverso: Perpendicular à linha


média. Ex: Transverso abdominal.

Oblíquo: Diagonal à linha média.


Ex: Oblíquo externo
Imp039.00
Quanto à Origem :

 Os músculos esqueléticos produzem o seu movimento puxando


tendões. Os tendões puxam os ossos…

 Quando os músculos apresentam mais que um tendão, diz-se que


representam mais que uma origem e por isso classificam-se em:

• Com 2 origens: bícipes;


• Com 3 origens: trícipes;
• Com 4 origens: quadricipete.

Imp039.00
Quanto ao Número de inserções :

• 2 inserções: bicaudado.
Ex: flexor do hálux

• 3 ou mais inserções: Policaudado.


Ex: músculo extensor dos dedos

Imp039.00
Sistema Articular

Imp039.00
A razão do nosso movimento
prende-se com o sistema muscular
puxar os ossos, mas esse movimento
não poderia ocorrer se não
existissem as articulações…se estas
não existissem, seriamos estátuas
que ao ser puxadas por alguma coisa
partiríamos em pedaços…

Imp039.00
SistemaArticular

Objetivos Específicos

 Descrever o conceito de articulações;


 Distinguir os vários tipos de união de cada articulação;
 Descrever as principais articulações do corpo humano.

Curso de Auxiliar de Fisioterapia


Imp039.00
Curiosidades…

O rápido e indolor movimento necessário para as atividades


diárias, a recreação e o trabalho resultam da ação dos
músculos através das articulações sinoviais. Mesmo as
atividades aparentemente simples, como a de agarrar e virar
a maçaneta da porta ou de abrir um pote, requerem o
movimento controlado e eficiente de mais de 20 articulações
sinoviais. Jogar basquetebol ou voleibol requer o movimento
hábil e rápido de mais 100 articulações sinoviais.

Imp039.00
Função e Tipos de Articulações

A função das articulações consiste em dar


estabilidade às zonas de união entre os vários
segmentos do esqueleto e em permitir que exista
um determinado grau de mobilidade entre eles.
De acordo com o seu grau de mobilidade, muito
diferente de caso para caso, é possível distinguir
três Tipos de Articulações: fixas, semimóveis e
móveis.

Imp039.00
Imp039.00
Classificação das Articulações
Grau de Mobilidade

Articulações Fixas (assinoviais, ou


adiartroses)
Constituídas pela sólida união de dois ou
mais segmentos ósseos, cuja principal função
consiste em formar uma camada protectora
dos tecidos moles que revestem o exterior do
esqueleto.

Imp039.00
Articulações Semimóveis (sínfises ou
anfiartroses)

São muito pouco móveis, pois os ossos ligados


através de articulações deste tipo não estão
directamente unidos entre si, encontrando-se
separados por uma estrutura fibrocartilagínea,
cuja peculiar resistência permite-lhe deformar-
se e, consequentemente, permitir uma série de
movimentos aos segmentos ósseos.

Imp039.00
Articulações móveis (sinoviais ou diartroses)
Permitem uma extensa série de movimentos.
Embora as extremidades dos ossos ligados
através destas articulações se encontrem
intimamente em contacto, não se encontram
directamente unidas, pois são revestidas por
uma camada de cartilagem que evita o atrito
dos ossos e o seu desgaste. Para além disso,
estas articulações contam com uma série de
elementos que garantem a sua estabilidade e
limitam os movimentos, como é o caso da
cápsula articular e dos ligamentos.

Imp039.00
Imp039.00
Componentes das articulações Sinoviais

Cartilagem
Fina faixa de tecido conjuntivo resistente e ao mesmo tempo
elástico, que impede o atrito directo dos ossos provocado
pelos movimentos, de modo a evitar o seu desgaste. Este
tecido amortece os traumatismos e distribui a força provocada
pelos atritos durante os movimentos e o desgaste articular
sofrido pelas articulações que suportam o peso do corpo. A
cartilagem tem uma espessura variável, de uma fracção de
milímetro até vários milímetros; por vezes, apresenta um
relevo desigual, de modo a garantir um melhor encaixe entre
os segmentos ósseos unidos.

Imp039.00
Componentes das articulações Sinoviais

Cápsula
Membrana fibrosa que reveste a zona de união entre os
segmentos ósseos, que tapa toda a articulação, como se
fosse uma manga, encontrando-se firmemente inserida nos
ossos que une. Para além disso, esta membrana externa é
constituída, em alguns sectores, por verdadeiras faixas
fibrosas, com a denominação de ligamentos, de diversa
forma, que proporcionam maior estabilidade à articulação.
Estes ligamentos tanto podem localizar-se no mesmo tecido
da cápsula articular, como no interior ou no exterior da
articulação, de forma a segurarem os ossos.

Imp039.00
Componentes das articulações Sinoviais

Membrana Sinovial
É o que reveste interiormente a cápsula articular. É uma
camada de tecido liso e brilhante, que se encarrega de
segregar um líquido claro de cor amarela e viscoso, o líquido
articular ou sinovial, o qual enche a articulação de forma a
lubrificar as superfícies em contacto e proporcionar nutrição
às cartilagens articulares. Para além disso, o tecido sinovial e
o líquido articular contam com inúmeras células defensivas
que se encarregam da eliminação de todos os agentes
microbianos ou substâncias tóxicas que cheguem à
articulação e da absorção das partículas provenientes do
desgaste e das rupturas das superfícies articulares.

Imp039.00
Imp039.00
Ligamentos

Os ligamentos são constituídos


por fibras colagénias dispostas
paralelamente ou intimamente
entrelaçadas umas as outras.
São maleáveis e flexíveis para
permitir perfeita liberdade de
movimento, porém são muito
fortes, resistentes e inelásticos
(para não ceder facilmente à
ação de forças).

Imp039.00
Ligamentos e cápsula articular têm como
finalidade manter a união entre os ossos, mas
além disso, impedem o movimento em planos
indesejáveis e limitam a amplitude dos
movimentos considerados normais.

O líquido Sinovial contém ácido hialurónico que


lhe confere a viscosidade necessária a sua
função lubrificadora.

Imp039.00
Discos e Meniscos

Em várias articulações sinoviais,


encontram-se formações
fibrocartilagíneas, os discos e meniscos
intra-articulares, de função discutida:
melhor adaptação das superfícies que se
articulam ou estruturas destinados a
receber violentas pressões, agindo como
amortecedores. Meniscos, com sua
característica em forma de meia lua, são
encontrados na articulação do joelho.

Imp039.00
Classificação das Articulações
estrutura/constituição

Imp039.00
Classificação das Articulações
Articulações Fibrosas
Compostas por tecido conjuntivo fibroso. A grande
maioria é encontrada no crânio. A mobilidade é
extremamente reduzida ,embora o tecido fibroso
conceda certa elasticidade ao crânio (antes da
maturação óssea).

Existem três variedades: Sindesmoses; Suturas;


Gonfose;

Imp039.00
Sindesmoses

Imp039.00
Suturas

Imp039.00
Gonfose

Imp039.00
Classificação das Articulações

Articulações Cartilaginosas

São as articulações nas quais a junção


dos ossos é feita por tecido
cartilaginoso. Existem duas variedades:
a sincondrose e a sínfise.

Imp039.00
Sincondrose
Forma temporária de articulação, na qual a cartilagem é
convertida em osso antes da idade adulta

Sínfise
É a articulação na qual as superfícies ósseas são unidas por
discos fibrocartilagíneos, achatados, como nas articulações
entre os corpos das vértebras ou entre os ossos púbicos.

Imp039.00
Sistema Articular - Resumo

Concordantes
Sinoviais /
Móveis
Diartroses
Discordantes
Articulações
Aderentes
por superfície
Assinoviais /
Imóveis
Adiartroses
Aderentes
por bordo

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Adaptam-se uma à outra

Artródia Superfície articular plana (ex: acrómio-clavicular, costo-vertebrais)

Enartroses Superfícies esféricas (ex: escapulo-umeral)

Se uma extremidade é um cilindro no qual gira a articulação


Trocartroses
(ex:rádio cubital inferior).

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações Sinovias Planas ou Artródias

- Superfícies articulares planas ou ligeiramente curvas;


- Permitem discreto deslizamento das superfícies em qualquer direção;
- Amplitude de movimento reduzida.
- Ex: articulações inter-társicas

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações Sinoviais Esferóides ou Enartroses


- Superfícies articulares esferóides que se encaixam em receptáculos ocos;
- São tri-axiais, ou seja, permite movimentos em torno dos três eixos;
- Exemplos: articulações escápulo-umeral e coxo-femoral.

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações Sinoviais Trocóides


ou Trocartose
- Superfícies articulares tem aspecto cilindróide,
pivô;
- São mono-axiais e permitem apenas a rotação,
em torno do eixo céfalo-caudal;
- Exemplo: Articulação rádio-cubital proximal

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Uma das superfícies é uma tróclea, em forma de roldana (ex:


Trocleartroses
interfalângicas).
Uma das superfícies é um côndilo (articulação do cotovelo,
Condilartroses
joelho…).
As duas superfícies são concavas em sentido perpendicular uma à
Efipiartroses
outra, em forma de sela .

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações sinoviais em Gínglimo ou Dobradiça ou


Trocleartrose
- Também chamadas de articulações em dobradiça.
- São mono-axiais e só se movimentam em torno do eixo látero-lateral; flexão-
extensão.
- Ex: articulação úmero-cubital

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações Sinoviais Condilares ou Condilartroses


- Superfícies articulares tem forma elíptica (elipsóide);
- Permitem flexão e extensão e adução e abdução;
- São bi-axiais, pois possuem dois eixos de movimento: látero-lateral e ântero-
posterior
- Ex: articulação rádio-cárpica, do joelho e ATM.

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES CONCORDANTES (Sinoviais)

Articulações Sinoviais em Sela ou


Efipiartrose

-Uma das superfícies articulares tem forma de sela;


- Apresentam concavidade num sentido e convexidade
noutro e encaixa-se numa peça onde esse sentido é
inverso;
- São bi-axiais e permitem movimentos ao longo dos
eixos ântero-posterior e látero-lateral.
- Ex: articulação trapézio-metacarpal do polegar

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES DISCORDANTES (Sinoviais)

Se existir menisco, ex: articulação do


Meniscartroses
joelho

Quando não há correcção possível,


Heteroartroses
ex: entre o atlas e o axis

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES ADERENTES POR SUPERFICIE (Assinoviais)

Entre superfícies planas, que podem ser


Sínfise ou
típicas ou atípicas, consoante 1 ou 2
anfiartroses
superfícies cobertas com cartilagem

Entre superfícies curvas (fixação dos


Gonfoses dentes na mandíbula)

Imp039.00
Sistema Articular
 ARTICULAÇÕES ADERENTES POR BORDOS ( Assinoviais)

Sinfibroses Com interposição de tecido


(sinartroses) fibroso

Com interposição de tecido


Sincondroses cartilagíneo
(manúbrioesternal)

Imp039.00
Classificação Funcional das Articulações
Sinoviais

Articulação Monoaxial
Quando uma articulação realiza
movimentos apenas em torno de
um eixo (1 grau de liberdade). As
articulações que só permitem a
flexão e extensão, como a do
cotovelo.

Imp039.00
Classificação Funcional das Articulações
Sinoviais

Articulação Biaxial
Quando uma articulação realiza
movimentos em torno de dois eixos
(2 graus de liberdade). As
articulações que realizam extensão,
flexão, adução e abdução, como
rádio-cárpica (articulação do punho)

Imp039.00
Classificação Funcional das Articulações
Sinoviais

Articulação Triaxial
Quando uma articulação realiza
movimentos em torno de três eixos (3
graus de liberdade). As articulações que
além de flexão, extensão, abdução e
adução, permitem também a rotação,
são ditas triaxiais, cujos exemplos
típicos são as articulações do ombro e
do quadril.

Imp039.00
Imp039.00