Você está na página 1de 25

LIBERDADE e/ou DETERMINISMO ?

QUESTÕES FUNDAMENTAIS

1) Podemos realmente ser livres?


2) Como somos livres, se não podemos fazer
tudo o que queremos?
3) A liberdade é sempre algo limitado?
4) É possível ser livre com limites?
5) Existe mesmo um destino para cada um?
6) Afinal, o que é liberdade?
OS LIMITES DA LIBERDADE
Os Limites da liberdade
1)As condições criadas e não criadas pelo homem
Criadas (evitáveis): a prisão, o vício das drogas,
doenças causadas pelo descuido com a saúde.
Não criadas (inevitáveis): o lugar onde nascemos, a
idade, a distância, a morte
2) A crença no destino: achar que os fatos de nossa
vida dependem, não do exercício de nossa
liberdade, mas da vontade de forças sobrenaturais.
Problema desta crença: se o nosso destino já está
predeterminado, para que lutar por justiça? Como
responsabilizar os desonestos, os ladrões e
assassinos, uma vez que estariam destinados a
cometer crimes?
3) O determinismo: tendência da ciência que
consiste em buscar as causas e os efeitos dos
fatos ou das ações sociais, como se as mesmas
pudessem ser previstas ou calculadas. Nesta
perspectiva, o homem é visto como uma
máquina previsível e controlável, sem
autodeterminação ou liberdade.
SOMOS REALMENTE LIVRES?
Resposta determinista: a liberdade não existe,
pois o homem é sempre determinado, seja por
sua natureza biológica (necessidades, instintos),
seja por sua natureza histórico-social (leis,
normas, costumes). Nossas ações são sempre
determinadas pelos fatores acima, portanto, a
liberdade é uma mera ilusão.
Para responder a esta questão:

Somos influenciados pelo MEIO ( família, onde


vivemos, escola, nossos grupos, a cultura, religião).
Resposta existencialista: o homem é sempre
livre. Embora existam determinismos sociais ou
biológicos, o indivíduo possui uma liberdade
moral que está acima dessas determinações. Ou
seja, apesar de todos os fatores sociais e
subjetivos que atuam sobre o indivíduo, ele
sempre possui uma possibilidade de escolha e
pode (e deve) agir livremente a partir de sua
autodeterminação.
Resposta dialética: o homem é determinado e
livre ao mesmo tempo. Nessa perspectiva, não
existe uma liberdade absoluta nem uma negação
absoluta da liberdade. Embora nossa liberdade
seja restringida por fatores que cercam a nossa
existência concreta, podemos sempre tomar
consciência (isto é, compreender) desses fatores
e, a partir desta compreensão, é possível alargar
nossas possibilidades de liberdade.
A liberdade com os outros (co-liberdade)
A co-liberdade ou liberdade-com-os outros

O homem é um animal social. Desta forma, não


podemos esperar que a realização de sua
liberdade não ocorra dentro de um contexto de
convivência social. A sua liberdade é na verdade
uma co-liberdade, ou seja, uma liberdade que se
constrói em espírito de comunidade, dentro de
um sentimento de co-participação.
Você decide....
Você decide....
Ou ainda..
• https://pt.slideshare.net/antoniarosa1/deter
minismo-e-liberdade-filosofia