Você está na página 1de 136

Manual de Consultoria Empresarial

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 1


CAPÍTULO 1
CONCEITOS BÁSICOS

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 22


CONSULTORIA EMPRESARIAL
– CONCEITO –

PROCESSO INTERATIVO DE UM AGENTE DE MUDANÇAS EXTERNO


À EMPRESA, O QUAL ASSUME A RESPONSABILIDADE DE AUXILIAR
OS EXECUTIVOS E PROFISSIONAIS DA EMPRESA NAS TOMADAS
DE DECISÕES, NÃO TENDO, ENTRETANTO, O CONTROLE
DIRETO DA SITUAÇÃO.

Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 23


CONSULTOR EMPRESARIAL
– VANTAGENS DA PROFISSÃO –

CRESCIMENTO CONHECIMENTO
DO NEGÓCIO SUSTENTADO

CRIATIVIDADE AGILIDADE NA
APRENDIZAGEM

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 24
RAZÕES DA EXISTÊNCIA DA
CONSULTORIA EMPRESARIAL

BÁSICA: MUDANÇAS NO AMBIENTE E NAS EMPRESAS.

CAUSAS:
• GLOBALIZAÇÃO.
• EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA.
• CONSTRUÇÃO DO FUTURO.
• RESPONSABILIDADES AMBIENTAIS.
• CONHECIMENTO SUSTENTADO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 25
TENDÊNCIAS DA CONSULTORIA (1/2)

BÁSICA: AUMENTO DA DEMANDA.

CAUSAS:
• BUSCA DE NOVOS CONHECIMENTOS E INOVAÇÕES PARA
ENFRENTAR A GLOBALIZAÇÃO.
• CONSOLIDAÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS.
• PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO.
• PROCESSO DE MELHORIA CONTÍNUA SUSTENTADA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 26
TENDÊNCIAS DA CONSULTORIA (2/2)

OUTRAS TENDÊNCIAS:
– FUSÕES ENTRE EMPRESAS DE CONSULTORIA.

– INTERNACIONALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA.

– AUMENTO DO NÚMERO DE PROFESSORES E DE UNIVERSIDADES


QUE REALIZAM SERVIÇOS DE CONSULTORIA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 27
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– TAMANHO DO MERCADO –

DIFICULDADES DE AVALIAÇÃO:
– Resultados não divulgados e não confiáveis.
– Confusão com outros serviços (auditoria, etc.).

MUNDO: FATURAMENTO ANUAL:


– 900 empresas de porte 1970 : US$ 1 bi
– 50 empresas 70% do mercado 1980 : US$ 2 bi
1990 : US$ 25 bi
2000 : US$ 50 bi
2010 : US$ 85 bi
2020 : US$ 130 bi (previsão)

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 28
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– TAMANHO DAS EMPRESAS –

MAIORIA DAS EMPRESAS:


– Faturamento anual: US$ 500 mil.
– 4 consultores.

MAIORIA DOS CONSULTORES :


– Trabalham em empresas grandes.
– 50 maiores empresas: empregam 3/4 do total de consultores.

DISTRIBUIÇÃO DOS CONSULTORES:


– Alto nível (diretores): 20%.
– Nível médio (gerentes de projetos): 30%.
– Nível operacional (analistas): 50%.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 29
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– ALTO VALOR AGREGADO –

(50.000) (150.000) (400.000)

– FATURAMENTO / CONSULTOR / ANO (em US$)–

ITENS:
• PRODUTOS E SERVIÇOS QUE RESOLVAM PROBLEMAS.
• FORTE RELACIONAMENTO COM CLIENTES.
• PROPOSTA DE VALOR AGREGADO AO CLIENTE.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 30
CONCEITOS BÁSICOS
– QUESTÕES PARA DEBATE –

1 – Apresentar, para debate, outras conceituações da expressão


consultoria empresarial.

2 – Elencar outros fatos importantes que consolidaram a consultoria


empresarial nos últimos anos.

3 – Apresentar mais uma tendência que você visualiza para a consultoria


empresarial nos próximos anos.

4 – Debater como se pode usufruir dessa tendência, identificada por


você, dentro de um contexto de oportunidade para o consultor.

5 – Debater também sua interação com as sete tendências de consultoria


empresarial apresentadas.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 31
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“EVOLUÇÕES E DECLÍNIOS DA EMPRESA


DE CONSULTORIA ALPHA LTDA.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 32
CAPÍTULO 2
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 33
PRODUTO DA CONSULTORIA

PRODUTO:
Elo de ligação consultoria x empresa-cliente.

VANTAGEM COMPETITIVA:
Característica que direciona o mercado para a compra dos
serviços de determinado consultor ou consultoria.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 34
SERVIÇOS DE CONSULTORIA
– CRITÉRIOS DE COMPETITIVIDADE –

– COMPETÊNCIA.
– VELOCIDADE.
– CONSISTÊNCIA.
– EMPATIA.
– FLEXIBILIDADE.
– DURABILIDADE.
– FUNCIONALIDADE.
– CONFIABILIDADE.
– ACESSO.
– CUSTO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 35
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– PRINCIPAIS FOCOS DE ATUAÇÃO –

1 – DUAS SITUAÇÕES:
– Realidade atual.
– Situação futura.

2 – ASSUNTOS PARA CONSULTORIA:


– Estratégias e negócios.
– Estruturação organizacional.
– Processos (logística, qualidade).
– Gestão de recursos (financeiros, de pessoas).
– Estrutura decisória e atuação dos executivos.
– Sistema de pensões (compensação e benefícios).

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 36
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– OPORTUNIDADES –

1 – ECONOMIA EM CRESCIMENTO:
• Análise e consolidação de novos negócios para a
empresa-cliente.

2 – ECONOMIA EM DECLÍNIO:
• Redução de custos.
• Obs.: Economia com pontos de ruptura:
– É a pior situação.
– Os executivos não sabem o que fazer.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 37
CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO
CONSULTORIA

• ALTO CUSTO DE OPORTUNIDADE.

• FRAGMENTAÇÕES NAS ENTREGAS.

• INTENSIDADE DE USO DO TEMPO.

• DIFICULDADE DE AVALIAÇÃO.

• ACOMPANHAMENTO INTERATIVO.

• INTENSIDADE DE CONTATOS.

• TRANSAÇÃO PROFISSIONAL COMPLICADA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 38
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR (1/4)

1 – PRODUTO DA CONSULTORIA:

1.1 – FOCO BÁSICO.


1.2 – COMPONENTES:

– Especialidade oferecida.
– Competência / nível de conhecimento.
– Amplitude / forma de atuação.
Vantagem competitiva.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 39
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR (2/4)

2 – ESTILO DE ATUAÇÃO:

RESULTANTE DAS CARACTERÍSTICAS DE:


• COMPORTAMENTO
• HABILIDADE.
• CONHECIMENTO.

2.1 – AMPLITUDE DE ATUAÇÃO:


• PROJETOS DE CURTA OU LONGA DURAÇÃO.
• FOCO ESPECÍFICO OU NÃO.
• REGIÃO ESPECÍFICA OU NÃO.
• TODA A EMPRESA OU NÃO.
• RESIDÊNCIA OU ESCRITÓRIO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 40
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR (3/4)

2.2 – FORMA DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL:


• EMPRESA DE CONSULTORIA:
– FUNCIONÁRIO.
– SÓCIO/PROPRIETÁRIO.
• CONSULTOR INDIVIDUAL.
• CONSULTORES ASSOCIADOS.
• COOPERATIVA DE CONSULTORES.
• INSTITUTO OU FUNDAÇÃO:
– UNIVERSIDADES.
– EMPRESA JÚNIOR.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 41
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR (4/4)

3 – PLANO DE CARREIRA:

TRIPÉ:
• SUSTENTAÇÃO CONCEITUAL.
• EXPERIÊNCIA COM FOCO DE ATUAÇÃO.
• PUBLICAÇÕES COM APRESENTAÇÕES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 42
MARKETING DOS SERVIÇOS
DE CONSULTORIA

• FOLHETOS EXPLICATIVOS.
• PALESTRAS E CONFERÊNCIAS.
• PUBLICAÇÕES.
• APRESENTAÇÕES POR ANTIGOS CLIENTES.
• MARCA PRÓPRIA.
• ASSOCIAÇÕES DIVERSAS.
• ATIVIDADES DOCENTES.
• ENCONTROS INFORMAIS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 43
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– ESTRATÉGIAS DE MARKETING –

– MARKETING INDIFERENCIADO.

– MARKETING DIFERENCIADO.

– MARKETING CONCENTRADO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 44
MATRIZ DE
SERVIÇOS VERSUS MERCADOS

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 45
CONSULTORIA EMPRESARIAL
– SEGMENTAÇÃO DE MERCADO –

– GEOGRÁFICA.
– RAMO DE ATIVIDADE OU SETOR DA ECONOMIA.

– TIPO DE PROBLEMA DAS EMPRESAS-CLIENTES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 46
CONSOLIDAÇÃO DO PROFISSIONAL
COMO CONSULTOR
– QUESTÕES PARA DEBATE –
1 – Debater outras formas de o produto da consultoria ser estabelecido.

2 – Estruturar, para seu caso, uma ordem de prioridade para os diversos


aspectos válidos para o estabelecimento de seu estilo de atuação como
consultor.

3 – Elaborar um resumo de seu plano de carreira como consultor.

4 – Considerando as tendências no cenário brasileiro, identificar duas áreas


de atuação que podem ser consideradas promissoras para a próxima
década. E, duas áreas de atuação que podem ser consideradas em
declínio.

5 – Debater outras formas de interação de serviços de consultoria com


serviços de treinamento.

6 – Debater outras formas para realizar a divulgação dos serviços de


consultoria.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 47
DEFINIÇÃO DO PRODUTO DE CONSULTORIA
– EXERCÍCIO –

VOCÊ DEVE PREENCHER OS DADOS ABAIXO – E DEPOIS DEBATER


COM SEUS COLEGAS – QUANTO AO PRODUTO DE CONSULTORIA
QUE PRETENDE SER ESPECIALISTA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 48
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“ATUAÇÃO DA FICO – FUNDAÇÃO INSTITUTO DE


CONSULTORIA DA FABA – FACULDADE
BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 49
CAPÍTULO 3

TIPOS DE CONSULTORIA

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 50
ABRANGÊNCIA DA CONSULTORIA

OBS.: 1 – VANTAGENS CONSULTORIA EXTERNA = DESVANTAGENS CONSULTORIA INTERNA


OBS.: 2 – VANTAGENS CONSULTORIA INTERNA = DESVANTAGENS CONSULTORIA EXTERNA

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 51
Abrangência da Consultoria

Externa Interna

• Experiência maior • Maior conhecimento da


consultoria
• Aceitação maior
• Presença diária
• Pode correr riscos
• Maior acesso as pessoas
• Imparcialidade maior
• Interação e avaliação dos
trabalhos
• Algum poder formal
CONCEITOS DOS TIPOS DE CONSULTORIA (1/3)
– QUANTO À ESTRUTURA –

CONSULTORIA DE PACOTE:
AQUELA QUE É REALIZADA ÀS EMPRESAS-CLIENTES POR MEIO DA
TRANSFERÊNCIA DE FORTES ESTRUTURAS DE METODOLOGIAS E DE
TÉCNICAS ADMINISTRATIVAS, SEM A PREOCUPAÇÃO DA OTIMIZADA
ADEQUAÇÃO À REALIDADE ATUAL OU ESPERADA PARA A
EMPRESA-CLIENTE.

CONSULTORIA ARTESANAL:
AQUELA QUE PROCURA ATENDER ÀS NECESSIDADES DA
EMPRESA-CLIENTE POR MEIO DE UM PROJETO BASEADO EM
METODOLOGIAS E TÉCNICAS ADMINISTRATIVAS ESPECIFICAMENTE
ESTRUTURADAS PARA A REFERIDA EMPRESA-CLIENTE TENDO,
ENTRETANTO, SUSTENTAÇÃO DE OUTRAS ABORDAGENS E MODELOS
APLICADOS EM OUTRAS EMPRESAS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 52
CONCEITOS DOS TIPOS DE CONSULTORIA (2/3)
– QUANTO À AMPLITUDE (1/2) –

CONSULTORIA ESPECIALIZADA:
AQUELA QUE ATUA EM UM OU POUCOS ASSUNTOS DENTRO DE UMA
ÁREA DE CONHECIMENTO.

CONSULTORIA TOTAL:
AQUELA QUE ATUA EM, PRATICAMENTE, TODAS AS ATIVIDADES DA
EMPRESA-CLIENTE.

CONSULTORIA GLOBALIZADA:
AQUELA QUE CONSOLIDA SERVIÇOS EM EMPRESAS GLOBALIZADAS
E QUE ATUA EM DIFERENTES PAÍSES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 53
CONCEITOS DOS TIPOS DE CONSULTORIA (3/3)
– QUANTO À AMPLITUDE (2/2) –

CONSULTORIA TOTAL INTEGRADA:


AQUELA QUE ATUA, DE FORMA INTEGRADA E INTERATIVA, EM
PRATICAMENTE TODAS AS ATIVIDADES DA EMPRESA-CLIENTE.

CONSULTORES ASSOCIADOS:
PROFISSIONAIS ESPECIALISTAS EM DETERMINADOS ASSUNTOS, OS
QUAIS COMPLETAM A AMPLITUDE IDEAL DOS SERVIÇOS DE
CONSULTORIA EM UMA EMPRESA-CLIENTE.

COOPERATIVA DE CONSULTORES:
EMPRESA DE PROPRIEDADE COLETIVA E DEMOCRATICAMENTE
ADMINISTRADA, BASEADA NA ATUAÇÃO CONJUNTA DE UM GRUPO DE
CONSULTORES, ESPECIALISTAS EM DIFERENTES ASSUNTOS OU
FOCADOS EM UM ASSUNTO ESPECÍFICO, OS QUAIS DIVIDEM SUAS
DESPESAS, PRINCIPALMENTE AS MERCADOLÓGICAS E OPERACIONAIS,
BUSCANDO UM RESULTADO GERAL COMUM.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 54
TIPOS DE CONSULTORIA (1/12)
– QUANTO À ESTRUTURA (1/4) –

1 – CONSULTORIA DE PACOTE:

1.1 – CARACTERÍSTICAS:

A) CONTRATAÇÃO:
• PELA MÉDIA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DEMORADA.
• RESISTÊNCIA MÉDIA/ALTA.

B) DESENVOLVIMENTO:
• PELA BAIXA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DIFÍCIL.
• RESISTÊNCIA ALTA.

C) IMPLEMENTAÇÃO:
• TODOS OS NÍVEIS SÃO ENVOLVIDOS.
• NEGOCIAÇÃO COMPLEXA.
• RESISTÊNCIA ALTA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 55
TIPOS DE CONSULTORIA (2/12)
– QUANTO À ESTRUTURA (2/4) –

1 – CONSULTORIA DE PACOTE (CONTINUAÇÃO):

1.2 – VANTAGENS:
• MAIOR RAPIDEZ.
• MENOR CUSTO.
• MUDANÇAS DE MAIOR IMPACTO.

1.3 – PRECAUÇÕES:
• PROBLEMAS NO PROCESSO DE MUDANÇA PLANEJADA.
• INADEQUADO NÍVEL DE TREINAMENTO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 56
TIPOS DE CONSULTORIA (3/12)
– QUANTO À ESTRUTURA (3/4) –

2 – CONSULTORIA ARTESANAL:

2.1 – CARACTERÍSTICAS:
A) CONTRATAÇÃO:
• PELA ALTA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DEMORADA.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

B) DESENVOLVIMENTO:
• PELA ALTA/MÉDIA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DECISÕES OPERACIONAIS.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

C) IMPLEMENTAÇÃO:
• TODOS OS NÍVEIS SÃO ENVOLVIDOS.
• NEGOCIAÇÃO PROBLEMAS PONTUAIS.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 57
TIPOS DE CONSULTORIA (4/12)
– QUANTO À ESTRUTURA (4/4) –

2 – CONSULTORIA ARTESANAL (CONTINUAÇÃO):

2.1 – VANTAGENS:
• VELOCIDADE ADEQUADA.
• MELHOR TREINAMENTO.
• MENOR RESISTÊNCIA.
• MELHOR QUALIDADE.
• MAIOR INDEPENDÊNCIA DA EMPRESA-CLIENTE.

2.2 – PRECAUÇÕES:
• MAIOR ABRANGÊNCIA DOS TRABALHOS.
• CONSULTORES DEVEM SER EXPERIENTES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 58
TIPOS DE CONSULTORIA (5/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (1/8) –

1 – CONSULTORIA ESPECIALIZADA:

1.1 – CARACTERÍSTICAS:
A) CONTRATAÇÃO:
• PELA MÉDIA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DEMORADA.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

B) DESENVOLVIMENTO:
• IDEM CONTRATAÇÃO.

C) IMPLEMENTAÇÃO:
• PELA MÉDIA/BAIXA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO RÁPIDA.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 59
TIPOS DE CONSULTORIA (6/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (2/8) –

1 – CONSULTORIA ESPECIALIZADA (CONTINUAÇÃO):

1.2 – VANTAGENS:
• MELHOR QUALIDADE.
• MAIOR INTERAÇÃO COM OUTROS SISTEMAS.
• MAIOR RAPIDEZ.
• CUSTOS MENORES.
• MAIOR TREINAMENTO.

1.3 – PRECAUÇÕES:
• ADEQUADA DEFINIÇÃO DO ASSUNTO.
• CONSULTOR REALMENTE ESPECIALISTA NO ASSUNTO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 60
TIPOS DE CONSULTORIA (7/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (3/8) –

1 – CONSULTORIA ESPECIALIZADA (CONTINUAÇÃO):

1.4 – QUADRIPÉ DE SUSTENTAÇÃO:

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 61
TIPOS DE CONSULTORIA (8/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (4/8) –

2 – CONSULTORIATOTAL:

2.1 – CARACTERÍSTICAS:
A) CONTRATAÇÃO:
• PELA ALTA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO RÁPIDA.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

B) DESENVOLVIMENTO:
• PELA ALTA/MÉDIA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DIFÍCIL.
• RESISTÊNCIA ALTA.

C) IMPLEMENTAÇÃO:
• TODOS OS NÍVEIS SÃO ENVOLVIDOS.
• NEGOCIAÇÃO COMPLEXA.
• RESISTÊNCIA ALTA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 62
TIPOS DE CONSULTORIA (9/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (5/8) –

2 – CONSULTORIA TOTAL(CONTINUAÇÃO):

2.2 – VANTAGENS:
• MAIOR AMBRANGÊNCIA E FACILIDADE DE ATUAÇÃO.
• MELHOR TREINAMENTO.
• MENORES CUSTOS E INVESTIMENTOS.

2.3 – PRECAUÇÕES:
• METODOLOGIAS INTERLIGADAS.
• ESPECIALISTA POR ASSUNTO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 63
TIPOS DE CONSULTORIA (10/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (6/8) –

2 – CONSULTORIA TOTAL (CONTINUAÇÃO):

2.4 – CONSULTORIA TOTAL INTEGRADA:


A) CONSULTORES ASSOCIADOS.
B) COOPERATIVAS DE CONSULTORES.

OBS.: A CONSULTORIA TOTAL INTEGRADA É A IDEAL PARA


TRABALHOS AMPLOS E COMPLEXOS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 64
TIPOS DE CONSULTORIA (11/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (7/8) –

3 – CONSULTORIA GLOBALIZADA:

3.1 – CARACTERÍSTICAS:
A) CONTRATAÇÃO:
• PELA ALTA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DEMORADA.
• RESISTÊNCIA BAIXA.

B) DESENVOLVIMENTO:
• PELA ALTA/MÉDIA ADMINISTRAÇÃO.
• NEGOCIAÇÃO DEMORADA.
• RESISTÊNCIA MÉDIA/ALTA.

C) IMPLEMENTAÇÃO:
• IDEM DESENVOLVIMENTO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 65
TIPOS DE CONSULTORIA (12/12)
– QUANTO À AMPLITUDE (8/8) –

3 – CONSULTORIA GLOBALIZADA (CONTINUAÇÃO):

3.2 – VANTAGENS:
• ELEVADA AMPLITUDE:
– LIVRE COMÉRCIO.
– UNIÃO ADUANEIRA.
– MERCADO COMUM.
– UNIÃO ECONÔMICA.

3.3 – PRECAUÇÕES:
• DIFERENTES CULTURAS DOS PAÍSES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 66
TIPOS DE CONSULTORIA
– QUESTÕES PARA DEBATE –

1 – Quais vantagens e desvantagens apresenta o consultor externo?


2 – Quais vantagens e desvantagens apresenta o consultor interno?

3 – Para uma empresa de seu conhecimento, estabelecer o tipo ideal de


consultoria, quanto à estrutura.
4 – Para uma empresa de seu conhecimento, estabelecer o tipo ideal de
consultoria, quanto à amplitude.
5 – Quais os outros tipos de consultoria podem ser identificados?
Debater suas características.
6 – Identificar algum aspecto – forma de atuação, tipo de serviço etc. –
que possa ser considerado uma inovação em consultoria empresarial.
7 – Como correlacionar o estágio de desenvolvimento da empresa-cliente
com o tipo de consultoria a ser contratada?

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 67
ADEQUAÇÃO AOS TIPOS DE CONSULTORIA
– EXERCÍCIO –

DENTRO DO SEU PLANO DE CARREIRA, VOCÊ DEVE ESTABELECER


A ORDEM DE IMPORTÂNCIA QUE VISUALIZA – COM JUSTIFICATIVAS –
DOS CINCO TIPOS DE CONSULTORIA IDENTIFICADOS:

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 68
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“ALTERNATIVAS E DÚVIDAS DO PRESIDENTE DA XYZ


INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. PARA A CONTRATAÇÃO
DOS SERVIÇOS DE UMA CONSULTORIA.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 69
CAPÍTULO 4

CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 70
ASSUNTO ADMINISTRATIVO
– CONCEITO, AMPLITUDE E PREMISSA –
1 – CONCEITO:

QUALQUER ITEM INERENTE AO PLANEJAMENTO, À ORGANIZAÇÃO, À


DIREÇÃO, À AVALIAÇÃO E AO PROCESSO DE MUDANÇA PLANEJADA
DE QUALQUER FUNÇÃO OU ATIVIDADE DA EMPRESA. A mais ampla possível ou não.
Para quais assuntos administrativos deve ser convidada uma consultoria para realizar os
serviços? Para responder podem ser consideradas 3 situações:
2 – AMPLITUDE:

– NEGÓCIO DA EMPRESA. O consultor contribuirá com metodologias e técnicas.


– SISTEMA OU PROCESSO DA EMPRESA. Elevada ou baixa amplitude, usar a
as metodologias e técnicas, deve ter a competência requerida para o trabalho.
– ATUAÇÃO DOS EXECUTIVOS E O CORRESPONDENTE PROCESSO DECISÓRIO.
O consultor deve contribuir nesse aspecto. No entanto as decisões são dos executivos.
3 – PREMISSA:
O CONSULTOR EMPRESARIAL TEM DE CONHECER ADEQUADAMENTE
METODOLOGIAS E TÉCNICAS ADMINISTRATIVAS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 71
DOENÇAS E SINTOMAS EMPRESARIAIS
– EXEMPLOS –
Deve-se analisar quais as causas, buscando-se as soluções e aprimoramento do cliente:

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 72
Principais causas para a contratação de serviços de consultoria podem
estar correlacionadas à busca das seguintes situações:

- Auxílio profissional especializado por um período de tempo previamente


estabelecido;

- Visão e análise crítica estruturada e imparcial de um problema;

- Sustentação e parceria para a adoção de medidas drásticas necessárias


para sobrevivência da empresa-cliente;

- Preparação para busca de novas oportunidades de negócios;

- Auxílio no processo sucessório, quer seja familiar ou profissional;

- Auxílio na estrutura decisória e de alocação do poder; e

- Estruturação das informações essenciais para a otimização do processo


decisório dos executivos da empresa. Manual de Consultoria Empresarial
72
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira
TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS
– CONCEITO, MITOS E SUSTENTAÇÃO –
1 – CONCEITO:

PROCESSO ADMINISTRADO DE TRANSFERÊNCIA, PARA TERCEIROS,


DE ATIVIDADES QUE NÃO CONSTITUEM A ESSÊNCIA TECNOLÓGICA DOS
PRODUTOS E SERVIÇOS DA EMPRESA, POIS ENVOLVEM TECNOLOGIAS DE
PLENO DOMÍNIO DO MERCADO E, POR CONSEQUÊNCIA, NÃO CONSOLIDAM
QUAISQUER VANTAGENS COMPETITIVAS, QUER SEJAM TECNOLÓGICAS OU
COMERCIAIS, ALÉM DE CONTRIBUIREM PARA O AUMENTO DOS CUSTOS
FIXOS DA EMPRESA.

2 – MITOS (PERANTE A VERTICALIZAÇÃO):


– CUSTO MAIS BAIXO (MEIA-VERDADE). Pode aumentar, depende do serviço contratado.
– QUALIDADE MELHOR (NÃO É VERDADE). Se bem contratado pode melhorar a qualidade dos ser.
– NÃO DEPENDER DE TERCEIROS (MITO). Necessidade de atuação conjunta, inclusive ao
nível de risco.
3 – SUSTENTAÇÃO:
– PROBLEMÁTICA DO NÍVEL DE VERTICALIZAÇÃO.
– MELHOR UTILIZAÇÃO DAS ESPECIALIZAÇÕES.
– RACIONALIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 73
- PROBLEMÁTICA DO NÍVEL DE VERTICALIZAÇÃO.

Constantes mudanças da economia, alguns segmentos ficavam com elevada


capacidade ociososa em vários períodos provocando aumento de custo dos produtos e
serviços oferecidos.

- MELHOR UTILIZAÇÃO DAS ESPECIALIZAÇÕES.

A empresa despende esforços e recursos para fazer uma série de tarefas para as
quais não tem especialização, o que consequentemente, provoca qualidade
questionável e custos mais elevados que uma empresa especializada apresentaria.

– RACIONALIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS.

O recente passado despreocupado com custos, favorecido por reservas de mercado,


incentivos fiscais, e outros benefícios governamentais, além da fraca concorrência, fez
com que a estrutura organizacional de muitas empresas crescesse em proporção
geométrica ao volume de negócios.
CULTURA ORGANIZACIONAL
– CONCEITO –

CONJUNTO DE PADRÕES PREVALENTES DE VALORES,


CRENÇAS, SENTIMENTOS, ATITUDES, NORMAS,
INTERAÇÕES, TECNOLOGIA, MÉTODOS E PROCEDIMENTOS
DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES, BEM COMO DE SUAS
INFLUÊNCIAS SOBRE AS PESSOAS DA EMPRESA.

O consultor deve conhecer os aspectos invisíveis da empresa, tendo


em vista o processo de transação indivíduo versus empresa.

A identificação desses aspectos é básica para o consultor efetuar o


estudo da cultura organizacional.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 74
DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL
– CONCEITO E AGENTE –

DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL: ESTRATÉGIA EDUCACIONAL E DE


MUDANÇA PLANEJADA QUE TEM POR FINALIDADE MUDAR CRENÇAS,
ATITUDES, VALORES, BEM COMO A ESTRUTURA E OS PROCESSOS DA
EMPRESA, DE MODO QUE ELA POSSA MELHOR SE ADAPTAR AOS NOVOS
MERCADOS, TECNOLOGIAS E DESAFIOS RESULTANTES DAS FORTES
MUDANÇAS NO AMBIENTE.

AGENTE DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL OU AGENTE DE


MUDANÇAS: AQUELE CAPAZ DE DESENVOLVER COMPORTAMENTOS,
ATITUDES E PROCESSOS QUE POSSIBILITEM À EMPRESA
TRANSACIONAR, PROATIVA E INTERATIVAMENTE, COM OS DIVERSOS
FATORES DO AMBIENTE E DO SISTEMA NO QUAL SE ESTÁ
TRABALHANDO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 75
A partir da aplicação das técnicas de DO, o consultor deve obter os seguintes resultados,
com base na sua especialidade:

- Desenvolvimento da competência interpessoal;


- Mudança nos valores, fatores e sentimentos humanos mais válidos para o sistema
considerado;
- Crescente compreensão entre e dentro das equipes de trabalho envolvidas no
sistema considerado, com objetivo de reduzir tensões e atritos;
- Geração de informações objetivas e pertinentes sobre as realidades da empresa-
cliente;
- Criação de um clima de aceitação e receptividade para o diagnóstico da consultoria e
a proposta de solução dos problemas;
- Estabelecimento de um clima de confiança, respeito e não manipulação entre os
executivos e profissionais envolvidos no sistema considerado e incluindo o consultor;
- Maior integração entre as necessidades e os objetivos da empresa-cliente e dos
profissionais que fazem parte da empresa;
- Desenvolvimento de processo de identificação dos conflitos, atritos e tensões e
posterior tratamento de modo direto e racional;
- Criação de um clima favorável para o estabelecimento de objetivos quantificados e
bem delineados;
- Aperfeiçoamento dos sistemas e processos de informação, decisões e comunicações
(ascendentes, descendentes, diagonais e laterais).
O consultor como agente de DO deve considerar algumas premissas
para o trabalho:

- Existe uma solução mais adequada para o sistema foco do problema


à época considerada e à empresa-cliente em si. Está relacionado às
constantes mudanças que as empresas sofrem ao longo do tempo e
para as quais os consultores devem estar atentos;

- A única maneira de mudar a empresa-cliente é mudando sua cultura,


bem como um complexo de modos de vida, crenças e valores, formas
de interação e relacionamento;

- É necessária uma nova conscientização social das pessoas,


executivos, profissionais, bem como consultores que trabalham na
empresa-cliente, somente dessa forma seus resultados podem ser
otimizados.
ATUAÇÃO DA CONSULTORIA
EMPRESARIAL
Deve ser realizado, conjuntamente pelo consultor e pela equipe de trabalho da empresa-
cliente.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 76
ETAPAS DA INTERVENÇÃO
DO CONSULTOR

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 77
ENTENDIMENTO DO NEGÓCIO
– CONCEITO E INTERAÇÃO –
1 – CONCEITO:
NEGÓCIO É A RAZÃO DE SER DA EMPRESA E REPRESENTA O
FOCO DE SUA INTERAÇÃO COM O MERCADO.
O consultor deve ser o facilitador nessa interação entre o conhecimento do negócio e o
conhecimento das metodologias e técnicas administrativas necessárias. Uma empresa viciada
não consegue resolver seus próprios problemas; ao contrário, torna mais intensos os
problemas que já tem e desenvolve outros.

2 – INTERAÇÃO E PARCERIA DE ATUAÇÃO:

EXECUTIVO DA EMPRESA CONSULTOR EMPRESARIAL


CONHECIMENTO DO NEGÓCIO CONHECIMENTO DE
METODOLOGIAS E TÉCNICAS
ADMINISTRATIVAS

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 78
OUTRAS INTERAÇÕES COM A
EMPRESA-CLIENTE (1/2)
1 – ASSESSORIA:
ATIVIDADE SISTEMÁTICA DE AUXILIAR A EMPRESA-CLIENTE OU RESPONSÁVEL DE UMA
UNIDADE ORGANIZACIONAL EM ASSUNTOS GERAIS OU ESPECÍFICOS (JURÍDICOS, RELAÇÕES
PÚBLICAS, PESSOAS, ESTRATÉGIA, ETC.)
2 – CONSELHO CONSULTIVO:
FORMAÇÃO ESTRUTURADA E COORDENADA DE CONSULTORES QUE TRABALHAM DE FORMA
INTERATIVA, VISANDO À ALAVANCAGEM DOS RESULTADOS DA EMPRESA-CLIENTE.
3 – CONSULTORIA EXECUTIVA OU CONSULTORIA DE GESTÃO:
PROCESSO INTERATIVO DE UM AGENTE DE MUDANÇAS QUE ASSUME A RESPONSABILIDADE
DE COORDENAR O PROCESSO DECISÓRIO E DE OPERACIONALIZAÇÃO DAS AÇÕES NA
EMPRESA-CLIENTE.
4 – CONSULTORIA DE RISCO:
ATUAÇÃO DO CONSULTOR NA BUSCA EFETIVA DE RESULTADOS DA EMPRESA-CLIENTE,
SENDO QUE SUA REMUNERAÇÃO ESTÁ DIRETAMENTE CORRELACIONADA A ESTES
RESULTADOS.
5 – TREINAMENTO:
PROCESSO EDUCACIONAL APLICADO DE MANEIRA SISTEMÁTICA E ORGANIZADA SOBRE A
QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS E EXECUTIVOS DE UMA EMPRESA, PROPORCIONANDO
APRENDIZADO DE CONHECIMENTOS, ATITUDES E HABILIDADES EM FUNÇÃO DOS OBJETIVOS
ESTABELECIDOS E NEGOCIADOS ENTRE AS PARTES.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 79
OUTRAS INTERAÇÕES COM A
EMPRESA-CLIENTE (2/2)
6 – COACHING:
ATIVIDADE DE CONSULTORIA E ACONSELHAMENTO EM UMA ABORDAGEM
CONFIDENCIAL, ENTRE O CONSULTOR E A PESSOA QUE ESTÁ SENDO TREINADA, VISANDO
SEU DESENVOLVIMENTO PESSOAL E, PRINCIPALMENTE, PROFISSIONAL, COM
RESULTADOS PREVIAMENTE NEGOCIADOS E ESTABELECIDOS.
7 – PALESTRA:
APRESENTAÇÃO GENÉRICA DE UM ASSUNTO ADMINISTRATIVO PARA UMA PLATEIA,
GERALMENTE HETEROGÊNEA QUANTO AOS SEUS CONHECIMENTOS E INTERESSES
PROFISSIONAIS, COM POSSÍVEL DEBATE, MAS SEM O APROFUNDAMENTO NA
APLICAÇÃO EM UMA EMPRESA ESPECÍFICA.
8 – PESQUISA:
INSTRUMENTO DE INVESTIGAÇÃO DAS CONDIÇÕES DOS DIVERSOS FATORES QUE
INTERAGEM, BASICAMENTE, NA AÇÃO MERCADOLÓGICA E NO MODELO DE GESTÃO
DA EMPRESA.
9 – AUDITORIA:
ANÁLISE DOS DIVERSOS ELEMENTOS CONTÁBEIS E PROCESSUAIS, VERIFICANDO A
EXATIDÃO E FIDELIDADE DOS PROCEDIMENTOS, DEMONSTRATIVOS E RELATÓRIOS,
DE ACORDO COM OS PRINCÍPIOS ESTABELECIDOS POR LEI E PELA EMPRESA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 80
PROPOSTA E PROJETO
CONSULTORIA

– DATAS DE INÍCIO/TÉRMINO
– RESPONSABILIDADES
PROJETO – RESULTADO FINAL
– RECURSOS ALOCADOS

CARACTERIZAÇÃO – PÁG. 108 EXECUÇÃO – PÁG. 108

• IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA-ALVO.
• AMBIENTE DO PROBLEMA. • OPERACIONALIZAÇÃO.
• OBJETIVOS E METAS. • ACOMPANHAMENTO.
• PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO. • AVALIAÇÃO.
• VIABILIDADE (X).
• RECURSOS.

FINAL: ATESTADO DE REALIZAÇÃO


FINAL: PLANO DE EXECUÇÃO DO
PROJETO. DOS SERVIÇOS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 81
FASES DO PROJETO
CONSULTORIA

ADMINISTRAÇÃO DO PROJETO: ESFORÇO NO SENTIDO DE MELHOR


ALOCAR OS RECURSOS NAS ATIVIDADES, TENDO EM VISTA
ALCANÇAR OS OBJETIVOS ESTABELECIDOS NO PROJETO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 82
NEGOCIAÇÃO
– CONCEITO –

PROCESSO DE BUSCAR A ACEITAÇÃO DE IDEIAS, PROPÓSITOS


OU INTERESSES VISANDO AO MELHOR RESULTADO POSSÍVEL,
DE TAL MODO QUE AS PARTES ENVOLVIDAS TERMINEM A
NEGOCIAÇÃO CONSCIENTES DE QUE FORAM OUVIDAS, TIVERAM
OPORTUNIDADE DE APRESENTAR TODA SUA ARGUMENTAÇÃO E
QUE O RESULTADO FINAL SEJA MAIOR QUE A SOMA DAS
CONTRIBUIÇÕES INDIVIDUAIS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 83
NEGOCIAÇÃO DOS SERVIÇOS
DE CONSULTORIA

NEGOCIADOR NEGOCIADOR

“VENDEDOR” COMPRADOR

CONSULTOR EXECUTIVO

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 84
REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO
– ALGUMAS DICAS–

• PROPOSTA CLARA DO ASSUNTO.


• AGENDA ORGANIZADA.
• RESPEITO AOS HORÁRIOS.
• LIDERANÇA.
• FORMA ESTRUTURADA DE DESENVOLVIMENTO.
• ADEQUADA APRESENTAÇÃO DO ASSUNTO.
• PARTICIPANTES CAPACITADOS.
• ATITUDE PROFISSIONAL.
• CONCLUSÃO COM ATA.
• INTERLIGAÇÃO COM REUNIÃO POSTERIOR.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 85
DICAS PARA NEGOCIAÇÃO
– ANTES DE SENTAR À MESA –

• PREPARE-SE BEM.

• ANALISE SITUAÇÕES ALTERNATIVAS.

• NÃO SE PERCA EM DETALHES.

• TENHA UMA METODOLOGIA DE NEGOCIAÇÃO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 86
DICAS PARA NEGOCIAÇÃO
– DURANTE O PROCESSO (1/2) –

• JOGO DE CINTURA.
• EVITE EXTREMOS.
• ABORDAGEM GENÉRICA OU ESPECÍFICA.
• PERFIL DO NEGOCIADOR.
• ATITUDE PROFISSIONAL.
• PACIÊNCIA.
• GANHA-GANHA.
• NÃO SEJA TEIMOSO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 87
DICAS PARA NEGOCIAÇÃO
– DURANTE O PROCESSO (2/2) –

• QUALITATIVO QUANTITATIVO.

• MAXIMIZE O VALOR DAS CONCESSÕES.

• VALORIZE A OUTRA PARTE.

• NÃO MINTA.

• ANALISE O CONHECIMENTO DA OUTRA PARTE.

• SEJA FLEXÍVEL, SIMPLES E LÓGICO.

• SEJA HÁBIL E USE LINGUAGEM ENTENDÍVEL.

• TENHA CONTROLE DOS RESULTADOS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 88
DICAS PARA NEGOCIAÇÃO
– NO MOMENTO DA CONCLUSÃO –

• SEJA VIVO

• ESTEJA VIVO

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 89
CONTRATO DE CONSULTORIA
– ITENS BÁSICOS –

• ELABORAÇÃO (PELA EMPRESA-CLIENTE).


• IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES ENVOLVIDAS.
• NÃO EXCLUSIVIDADE DE ATUAÇÃO DO CONSULTOR.
• SERVIÇOS CONTRATADOS.
• RESULTADOS ESPERADOS.
• SISTEMA DE AVALIAÇÃO.
• ACESSO À CONTRATADA.
• RESPONSABILIDADES DAS PARTES ENVOLVIDAS.
• REMUNERAÇÃO (VALORES E FORMA DE PAGAMENTO).
• PRAZO DO CONTRATO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 90
REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS
DE CONSULTORIA

• VALOR FIXO.
• VALOR VARIÁVEL.
• POR TAREFA.
• POR RESULTADO.
• POR DISPONIBILIDADE.
• PARTICIPAÇÃO ACIONÁRIA.
• PERMUTA.
• “MUITO OBRIGADO! ATÉ A PRÓXIMA”.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 91
SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE
CONSULTORIA (1/3)

– APÓS EFETIVA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE.

– TER CONHECIMENTOS, HABILIDADES E EXPERIÊNCIAS NÃO FACILMENTE


DISPONÍVEIS NO MERCADO.

– OFERECER METODOLOGIAS E TÉCNICAS DE DESENVOLVIMENTO E


IMPLEMENTAÇÃO DE ATIVIDADES E PROCESSOS.

– TRANSFERIR METODOLOGIAS E TÉCNICAS PARA A EMPRESA-CLIENTE.

– SABER TREINAR E CAPACITAR OS PROFISSIONAIS DA EMPRESA-CLIENTE.

– TER ATUAÇÃO PARA RESULTADOS.

– TER REPUTAÇÃO NO MERCADO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 92
SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE
CONSULTORIA (2/3)

– TER EFETIVA EXPERIÊNCIA NOS ASSUNTOS CONSIDERADOS.

– NÃO DEVE SER ESPECIALIZADA APENAS EM LEVANTAMENTOS E


ANÁLISES.

– SER ÉTICA.

– TER ATUAÇÃO IMPARCIAL.

– TER HONORÁRIOS COMPATÍVEIS COM OS RESULTADOS.

– TER DISPONIBILIDADE ACEITÁVEL.

– TER RESPONSABILIDADE DE PRAZOS, CUSTOS E RESULTADOS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 93
SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE
CONSULTORIA (3/3)

– TER POSTURA DE ATUAÇÃO DEFINIDA.

– TER INTERESSE EM SEU TRABALHO.

– TER EMPATIA COM A EMPRESA-CLIENTE.

– SABER TRABALHAR COM MUDANÇAS E RESISTÊNCIAS.

– SABER TRABALHAR COM EQUIPES.

– SABER UTILIZAR TODOS OS CONHECIMENTOS DA EMPRESA-CLIENTE.

– SER O TIPO IDEAL DE CONSULTORIA PARA A EMPRESA-CLIENTE.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 94
CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSULTORIA
– QUESTÕES PARA DEBATE –

1 – Elaborar, para uma empresa de seu conhecimento, um plano para análise e identificação dos
serviços de consultoria.
2 – Debater como você julga mais válido o consultor trabalhar para consolidar maior entendimento
do negócio da empresa-cliente.
3 – Debater outras características de atuação da assessoria, do conselho consultivo, do consultor
executivo, da consultoria de risco, do treinamento, da palestra, da pesquisa e da auditoria.
4 – Preparar e debater uma proposta e um plano de trabalho para um serviço de consultoria
inerente à sua área de atuação profissional.
5 – Debater uma situação ideal para a negociação dos serviços de consultoria.
6 – Debater uma situação em que surja um sério problema durante a negociação (questionamento
de seu conhecimento do assunto, valor e forma de cobrança etc.).
7 – Debater outros critérios que as empresas-clientes devem considerar para a escolha da
consultoria.
8 – Elaborar e debater outra estrutura de contrato para a realização de serviços de consultoria.
9 – Com base em uma empresa de seu conhecimento, debater o processo utilizado para a
contratação de uma empresa de consultoria.
10 – Debater a situação em que um executivo focado em questões e problemas de curto prazo pode
interligar e interagir estas situações com potenciais problemas resultantes a longo prazo.
11 – Na questão de absorção de conhecimentos pelo consultor, debater a questão de parcerias
– licenciamentos – com consultorias internacionais, para interagir com novas metodologias e
técnicas administrativas.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 95
ELABORAÇÃO DE PROPOSTA DE CONSULTORIA
– EXERCÍCIO –

VOCÊ DEVE COMPLETAR OS DADOS BÁSICOS PARA UMA PROPOSTA


DE CONSULTORIA, CONSIDERANDO A SITUAÇÃO ABAIXO. APÓS O
PREENCHIMENTO, DEVE DEBATER OS DADOS COM SEUS COLEGAS
DE TRABALHO OU DE ESTUDO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 96
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“INTERAÇÃO E CONHECIMENTO DO NEGÓCIO DA


EMPRESA-CLIENTE BANCO GAMA S.A.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 97
CAPÍTULO 5

ADMINISTRAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS

SERVIÇOS DE CONSULTORIA

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 98
Para que o serviço de consultoria não apresente qualquer tipo de
problema, é necessário que:

- Esteja sustentado por adequado processo de negociação


entre o consultor e a empresa-cliente;

- Exista um contrato de prestação de serviços de consultoria


bem definido;

- Todo o serviço de consultoria esteja correlacionado a projetos


bem estruturados;

- O executivo da empresa-cliente que administra o contrato atue


efetivamente no processo, e

- O consultor tenha princípios éticos. Manual de Consultoria Empresarial


98
5.2.1 Algumas dicas para otimizar a Administração e a Avaliação dos
serviços de consultoria.

Principais sugestões:

a. A empresa-cliente deve saber administrar a quantidade e,


principalmente ter interação entre os serviços de diferentes
consultorias:

- Os projetos de consultoria contratados podem apresentar


interação entre si e com outros sistemas existentes na empresa-
cliente ou não - é uma grande dificuldade;

- Um projeto de consultoria pode “trombar” com outros sistemas


da empresa-cliente, desenvolvida por ela ou por outras
consultorias;

- Para evitar tal problema, a empresa-cliente deve pedir explicação


clara de como será efetuada a interligação do novo sistema com
outros sistemas da empresa-cliente.
Manual de Consultoria Empresarial
98
b. A empresa-cliente deve saber identificar e contratar
consultores

- Estes consultores devem ser os ideais para cada um dos


serviços especificados na empresa-cliente;

- Esse é um aspecto de suma importância e deve ser


trabalhado com cuidado.

c. Deve existir adequado Sistema de Administração de


Projetos.

- A Administração de projetos deve ser simples, ágil e


facilmente intelegível e aplicável pelos diversos
profissionais envolvidos no desenvolvimento e
implementação dos referidos projetos.
Manual de Consultoria Empresarial
98
d. Devem existir adequados indicadores de avaliação

- O acompanhamento e avaliação dos serviços de


consultoria também devem estar baseados em
indicadores, os quais podem ser:

- Indicadores de desempenho, que estabelecem o quanto


foi realizado e melhorado em relação ao que foi
programado e proposto pela consultoria. Ex: melhorias
no processo decisório, índice de produtividade, nível de
qualidade etc.

- Indicadores de progresso, que estabelecem o quanto foi


realizado em relação às várias etapas estabelecidas no
contrato entre as partes. Ex: acompanhamento mensal
que as empresas-clientes fazem em relação ao
cronograma de trabalho dos consultores;
Manual de Consultoria Empresarial
98
- Indicadores de intervenção, que estabelecem as maneiras
como as intervenções devem ser realizadas, sempre que
ocorrer problemas no processo ou no sistema considerado.

e. O processo de acompanhamento deve ser em tempo real

- A empresa-cliente não deve esperar a ocorrência de


resultados ruins para reclamar dos consultores.

- Assim que algo estiver errado, ou mesmo duvidoso, deve


reunir os consultores, debater e esclarecer a questão e
acertar o direcionamento dos serviços de consultoria.

f. A empresa-cliente deve valorizar seus funcionários

- Essa dica é evidenciada pela maioria das empresas que


esquecem da real importância e contribuição de seus
funcionários para o sucesso dos serviços de consultoria.
98
g. A empresa-cliente deve saber ouvir

- Os serviços de consultoria só fazem sentido se os


executivos e profissionais da empresa-cliente
quiserem ouvir e debater o que os consultores têm a
dizer;

- Se não houver real desejo e necessidade de


mudança, a empresa-cliente estará gastando tempo e
dinheiro.

Manual de Consultoria Empresarial


98
Manutenção e aprimoramento dos serviços de consultoria

5.3.1 Algumas dicas para otimizar a manutenção e o


aprimoramento dos serviços de consultoria.

As principais sugestões são:

a. Elaborar plano de manutenção e aprimoramento que extrapole o


período de tempo do projeto de consultoria

- Este plano deve ser elaborado em conjunto pelo executivo da


empresa-cliente e o consultor, sendo o momento ideal quando o
projeto de consultoria estiver na metade de sua efetivação;

- Neste momento, o consultor terá conhecimento da cultura e da


realidade da empresa-cliente e o executivo da empresa-cliente terá
domínio do andamento do projeto de consultoria.
Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 102
- Como serviço de consultoria é um projeto, obrigatoriamente
tem data de término, e deve haver uma preocupação da
continuidade e melhoria dos trabalhos realizados;

- Essa visão de longo prazo para o projeto de consultoria facilita


o entendimento dos resultados a serem apresentados, pois
ambos, consultor e executivo coordenador, realizam um debate
sobre como a empresa-cliente vai utilizar, no futuro, os
resultados dos serviços de consultoria.

b. Interagir o conteúdo do serviço de consultoria com outros


projetos e atividades da empresa-cliente

- Para dar maior força e sustentação, deve-se interligar o assunto


básico deste projeto com outros projetos e atividades efetivadas
na referida empresa.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 102
- Esta abordagem mais global para todo e qualquer projeto facilita
o desenvolvimento do raciocínio e análise decisória sistêmica por
parte dos executivos da empresa-cliente;

- Esse procedimento é facilitado pelo uso de equipes


multidisciplinares.

c. Identificar patronos responsáveis pelos assuntos inerentes ao


serviço de consultoria realizado.

- PATRONOS são executivos e profissionais da empresa-cliente que


ficam responsáveis pela manutenção e possível aprimoramento
de uma parte ou de todo o projeto de consultoria realizado;

- A indicação destas pessoas deve ser espontânea, pois elas


devem saber que essa responsabilidade extra é importante para
sua evolução pessoal e profissional;
Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 102
- Os patronos devem ter relativa preocupação conceitual e forte
atuação com base em treinamentos nas tarefas;

- Ao longo do tempo, eles tornam-se especialistas no assunto


considerado, dentro da cultura e da realidade da empresa-
cliente e dos serviços de consultoria realizados.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 102
ADMINISTRAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS
SERVIÇOS DE CONSULTORIA
– QUESTÕES PARA DEBATE –

1 – Estruturar um processo de administração e de avaliação para um


serviço específico de consultoria em uma empresa de seu conhecimento.

2 – Debater outras maneiras a serem consideradas pelas empresas-


clientes para adequados processos de manutenção e de aprimoramento dos
serviços de consultoria.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 103
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“PROBLEMAS DE ADMINISTRAÇÃO DE TRÊS EMPRESAS


DE CONSULTORIA ATUANTES NA BETHA INDÚSTRIA E
COMÉRCIO DE ALIMENTOS S.A.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 104
CAPÍTULO 6

CARACTERÍSTICAS DO CONSULTOR EMPRESARIAL

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 105
Consultor empresarial:

É o agente externo à empresa-cliente que assume a


responsabilidade de auxiliar seus executivos e profissionais
no processo decisório, não tendo o controle direto da
situção.

a) A integridade do profissional para atuar como consultor

- É consolidada quando o consultor se coloca totalmente a


serviço e auxílio da empresa cliente;

- Visa um elevado engajamento em sua atividade


profissional. Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 105
b) O valor que o profissional de consultoria proporciona
para a empresa cliente

- Esse valor refere-se ao serviço realizado com qualidade;

- Está correlacionado aos resultados proporcionados para a


empresa cliente.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 105
c) A qualidade de vida que o consultor tem e expressa por
sua atuação profissional

- Essa felicidade e qualidade de vida é resultante de vários


fatores, tais como a realização profissional, a liberdade de
atuação, o aprendizado na tarefa junto com os executivos
da empresa-cliente;

- O Consultor só será feliz se conseguir identificar seus


fatores pessoais de vocação como consultor empresarial.
Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 105
6.3 CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DO CONSULTOR

- Características comportamentais: que consideram a forma


do consultor se posicionar perante as situações que o
mesmo provoca ou que são colocadas a sua frente;

- Características de habilidades: o nível de jogo de cintura


que o consultor apresenta para otimizar os resultados
inerentes às situações apresentadas;

- Características de conhecimento: que consideram o nível


de preparo que o consultor tem para otimizar o resultado
inerente à situação apresentada.
Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 105
FATORES DE INFLUÊNCIA DA
VOCAÇÃO DE CONSULTOR

VOCAÇÃO DE CONSULTOR

INTEGRIDADE VALOR QUALIDADE DE


PROFISSIONAL PROPORCIONADO VIDA

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
6.3.1 Características Comportamentais

a) Ter atitude interativa perante as diversas situações que


as empresas colocam a sua frente

- O Consultor não deve ter atitude inativa, na qual


apresenta alta resistência às mudanças, pois prefere um
estado anterior ao atual, nas várias situações pessoais e
profissionais que enfrenta;

- O consultor deve ter a persistência pessoal e profissional


sustentada por ensinamentos adquiridos em toda a vida,
inclusive na infância e adolescência.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
6.3.1 Características Comportamentais

b) Ter uma atitute racional

- Uma forma de analisar a atitude racional é abordando a


situação oposta, ou seja, a do consultor irracional, sendo
que esse pode apresentar algumas facetas, tais como:

- Consultor depressivo, cujas características são


sentimentos de culpa, sentimento de inutilidade,
preocupação em não alterar o ritmo dos acontecimentos,
bem como atuação excessivamente pessimista;

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
- Consultor paranóico, desconfiança dos outros, excesso
de preocupação com motivos ocultos, falta de confiança
em quem quer que seja, bem como distorção da
realidade, tendo em vista confirmar suas suspeitas;

- Consultor compulsivo, perfeccionismo, preocupação


com detalhes triviais, necessidade de controlar e
dominar tudo, orientação para instrospecção, bem como
indecisão provocada pelo medo;

- Consultor esquizofrênico, distanciamento e o não


envolvimento com a realidade, pois essa não oferece
satisfação e nem segurança;

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
- Consultor dramático autodramatização, excessiva
expressão de emoções, desejo de receber atenção e
impressionar, bem como superficialidade e
sugestibilidade;

- Consultor místico, acredita em sina, má sorte, bem como


apresenta um nível de inverossimilhança - condição do
que não parece verdadeiro ou provável;

c. Fazer parte do mundo

- Deve ter amplo referencial de atuação, sólida cultura


geral, interesses e experiências diversificadas, embora
com especialização quanto ao serviço oferecido;

- Peter Drucker afirma que os profissionais devem ter forte


conhecimento de história e filosofia. Manual de Consultoria Empresarial 106
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira
d. Ter adequado Relacionamento com as pessoas

- Tanto as que trabalham direta e indiretamente com ele,


estabelecer sólidos relacionamentos calcados em
confiança, respeito e consciência dos direitos e
responsabilidades da partes;

- Deve-se assegurar participação intensa das pessoas no


processo decisório da empresa, acreditando no valor de
suas contribuições e abrindo espaço ao seu
desenvolvimento profissional e pessoal.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
e. Ter diálogo amplo e otimizado

- O consultor deve estar consciente quanto aos direitos


das instituições, empresa e pessoas e, portanto, deve
assumir a disposição ao diálogo sempre;

- Deve reconhecer os direitos dos outros e respeitar a


individualidade e as diferenças inerentes;

- Deve buscar sempre resolver as situações de potencial


impasse geradas por essas diferenças por meio de
negociações legítimas e evitando confrontos de poder.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
f. Ser negociador

- Essa é outra caracteristica básica para o consultor


empresarial.

g. Ter valores culturais sólidos

- Deve possuir sólido conjunto de convicções e valores


que proporcionem consistência a tudo que faz;

- A integridade deve caracterizar sua atuação e sua forma


de ser, filosofia impecável em termos éticos e morais.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
h. Ter interesse pelo negócio da empresa-cliente

- Embora pareça estranho, existem consultores que não


vestem a camisa da empresa-cliente.

i. Ter atuação com ênfase nas pessoas

- O consultor deve acreditar que o grande foco de atuação


são as pessoas, pois essas é que proporcionam a devida
alavancagem aos negócios da empresa-cliente.

j. Desenvolver clima de confiança

- Estabelecer o processo de inovação, onde as pessoas


acreditem que podem seguir um caminho previamente
estabelecido e terão apoio para concretização dos
resultados esperados. Manual de Consultoria Empresarial
Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
k. Saber trabalhar com os erros

- Abordar o erro como aprendizagem, experimentação,


combinado obviamente com a empresa-cliente.

l. Ter comprometimento das pessoas

- Colaboradores, equipe técnica, outros consultores e


principalmente profissionais da empresa-cliente.

m. Ter lealdade à empresa-cliente, à empresa de consultoria


e às pessoas

- Deve ser considerado o princípio de toda atividade.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
6.3.2 Características de habilidades

a. Estar voltado para o processo de inovação

- Estando atentos às barreiras mais comuns para a


inovação, tais como:

- Isolamento aos aspectos táticos-operacionais que


influenciam o processo criativo;

- Inaceitação dos criativos e idealizadores, considerando


suas ideias como lunáticas, utópicas e irreais;

- Visão curta quanto ao período que uma inovação pode


alcançar, dentre outras.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
b. Ter adequado processo de auxílio na tomada de decisões
e de estabelecimento de prioridades

- São apresentados alguns itens que o consultor


empresarial deve evitar:

- Não distinguir entre o que pode e o que não pode ser


mudado. O que quer dizer: ou dar murro em ponta de
faca;

- Envolvimento em situações para as quais não se tem


efetivo conhecimento;

- Gastar tempo em contribuições improdutivas ou


irrelevantes, ver página 166, 167 e 168 do livro texto.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
c. Ter processo adequado de autocontrole administrativo e
estratégico

- Dentro do nível ideal, encontram-se os controles


estabelecidos no planejamento, tais como o que deve ser
realizado (objetivos), quando isso deve ocorrer
(cronograma), quanto isso deve custar (orçamentos) e
como isso deve ser feito (diretrizes, estratégias,
processos e procedimentos):

- Ou na organização, tais como o relacionamento funcional


(estrutura), autoridade e responsabilidade (definições) e
descentralização (distribuição do poder decisório);

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
d. Ter pensamento estratégico

- Normalmente, o consultor vai adquirindo esse


pensamento ao longo do tempo, inclusive com
autotreinamento e muita perseverança, mas respeitando
a premissa básica de todo o processo;

- Ter visão aberta e abrangente da empresa-cliente e seu


ambiente externo ou não controlável.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
e. Ser um agente de mudanças

- Produzir uma mudança dentro de uma empresa-cliente


implica a definição de novos papéis, nova missão e
negócios, interações hierárquicas e níveis de
responsabilidade;

- E, nesse contexto, o consultor empresarial tem


importante papel.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
f. Ter intuição

- A intuição representa uma característica básica para o


consultor se antecipar aos acontecimentos;

- O consultor deve ter intuição para saber captar


oportunidades e saber estar à frente do processo
decisório.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
g. Transmitir otimismo e segurança

- Deve transmitir elevada sensação de otimismo e de


segurança quanto à validade e à viabilidade da
consecução de suas propostas, por meio de uma postura
de confiança;

- Como consequência, obtém elevado compromisso de


atuação e de resultados de todos os envolvidos no
processo.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
h. Saber trabalhar em equipe

- É necessário trabalhar em equipes, principalmente


multiciplinares, para conduzir toda a força da empresa-
cliente;

- Deve-se buscar os resultados esperados, respeitando a


postura de atuação anteriormente estabelecida.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
i. Trabalhar com o realismo

- O consultor deve saber catalisar as várias situaçoes ao


realismo, inclusive com sua limitações, mas também
rejeitar as posições inadequadas e artificiais;

- Tais como a frase: “já tentamos isso e não vai dar certo.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 106
CARACTERÍSTICAS
COMPORTAMENTAIS (1/2)

• ATITUDE INTERATIVA.
• ATITUDE RACIONAL.
• PARTE DO MUNDO.
• RELACIONAMENTO COM AS PESSOAS.
• DIÁLOGO AMPLO E OTIMIZADO.
• NEGOCIADOR.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 107
CARACTERÍSTICAS
COMPORTAMENTAIS (2/2)

• VALORES CULTURAIS CONSOLIDADOS.


• INTERESSE PELO NEGÓCIO DA EMPRESA-CLIENTE.
• ÊNFASE NAS PESSOAS.
• CLIMA DE CONFIANÇA.
• ADMINISTRAÇÃO DE ERROS.
• COMPROMETIMENTO DAS PESSOAS.
• LEALDADE PLENA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 108
TIPOS DE CONSULTOR IRRACIONAL

– DEPRESSIVO.

– PARANÓICO.

– COMPULSIVO.

– ESQUIZOFRÊNICO.

– DRAMÁTICO.

– MÍSTICO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 109
CARACTERÍSTICAS DE HABILIDADE (1/2)

• INOVAÇÃO.
• AUXÍLIO NAS DECISÕES E NAS PRIORIDADES.
• AUTOCONTROLE ADMINISTRATIVO E ESTRATÉGICO.
• PENSAMENTO ESTRATÉGICO.
• AGENTE DE MUDANÇAS.
• INTUIÇÃO.
• OTIMISMO E SEGURANÇA.
• TRABALHAR EM EQUIPE.
• REALISMO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 110
CARACTERÍSTICAS DE HABILIDADE (2/2)

• ASPECTOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS.


• RESPONSABILIDADE.
• RESPEITO.
• ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS.
• ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO.
• VISÃO ABRANGENTE.
• ÉTICA.
• FOCOS DE ATAQUE.
• ELEMENTO SURPRESA.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 111
REGRAS DO CARTESIANISMO
PARA O CONSULTOR

1 – EVIDÊNCIA:
EVITAR PRECIPITAÇÃO E PREVENÇÃO.

2 – ANÁLISE:
DIVIDIR O TODO EM PARTES.

3 – SÍNTESE:
SUBIR EM DEGRAUS:
– SIMPLES COMPLEXO.
– CONHECIDO DESCONHECIDO.

4 – CONTROLE:
FAZER AVALIAÇÕES COMPLETAS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 112
CARACTERÍSTICAS DE
CONHECIMENTO (1/2)

– CONHECIMENTO DE SUA ESPECIALIDADE.

– CONHECIMENTO DE ADMINISTRAÇÃO.

– DESENVOLVER SITUAÇÕES ALTERNATIVAS.

– VISÃO DE LONGO E CURTO PRAZOS.

– PENSAR GRANDE.

– GENERALISTA COM ESPECIALIZAÇÃO.

– TRABALHAR EM TEMPO REAL.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 113
CARACTERÍSTICAS DE
CONHECIMENTO (2/2)

– DIRECIONADO PARA O MERCADO.


– RACIOCÍNIO LÓGICO.
– SABER BUSCAR E CONSOLIDAR INFORMAÇÕES.
– TER INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL.
– CONHECIMENTOS DE ECONOMIA E DE POLÍTICA INTERNACIONAL.
– TRANSFORMAR O IMPOSSÍVEL EM POSSÍVEL.
– CONDIÇÕES GRATIFICANTES DE TRABALHO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 114
CARACTERÍSTICAS DO CONSULTOR
– EXECUTIVO DO SÉCULO XXI –

• NAVEGADOR .

• ALPINISTA.

• VIAJANTE.

• MALABARISTA.

• EMPREENDEDOR.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 115
ÉTICA DO CONSULTOR (1/2)

1 – CAPACITAÇÃO EFETIVA.

2 – ESSÊNCIA DO SERVIÇO:
INOVAÇÕES ALAVANCAGEM DE DESEMPENHO.

3 – SERVIÇOS PROPOSTOS:
ESCLARECER:
FINALIDADES / RESULTADOS ESPERADOS / MEIOS / LIMITAÇÕES E
DIFICULDADES / PRAZO / INVESTIMENTOS E DESPESAS.

4 – ASSUNTOS SIGILOSOS.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 116
ÉTICA DO CONSULTOR (2/2)

5 – REALIDADE CULTURAL DO CLIENTE.

6 – INTERAÇÃO COM FUNCIONÁRIOS DO CLIENTE.

7 – VONTADES PRÓPRIAS.

8 – TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS.

9 – EMPRESAS-CLIENTES CONCORRENTES.

10 – INTERAÇÃO COM OUTRAS CONSULTORIAS.

11 – HONORÁRIOS.

12 – POSTURA DE ATUAÇÃO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 117
IDENTIFICAÇÃO DO
CONSULTOR IDEAL (1/2)

• VISÃO AMPLA.
• EQUILÍBRIO RISCO X CERTEZA.
• FORTE QUESTIONAMENTO.
• ADMINISTRAÇÃO DE PROBLEMAS.
• OCUPA ESPAÇOS VAZIOS DA EMPRESA-CLIENTE.
• SABE EXPRESSAR-SE.
• IMPORTÂNCIA DA EMPRESA-CLIENTE.
• CONFIANÇA INTERATIVA E CONSOLIDADA.
• DESPREOCUPAÇÃO COM O CRÉDITO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 118
IDENTIFICAÇÃO DO
CONSULTOR IDEAL (2/2)

• VALOR JUSTO.
• INDEPENDÊNCIA.
• PROCURA DO BOM.
• RESPEITO À CULTURA DA EMPRESA-CLIENTE.
• TRABALHAR O CONHECIMENTO DAS PESSOAS.
• APLICAR ENDOMARKETING
• DISCIPLINA DE ATUAÇÃO.
• TEMPO E VONTADE DE ESTUDAR E DE ESCREVER.
• PACIÊNCIA.
• CONSULTOR DE SI PRÓPRIO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 119
PERFIL DO CONSULTOR IDEAL
– EMPRESA DE CONSULTORIA –

• MOBILIDADE.
• FLEXIBILIDADE.
• BALANCEAMENTO DE ATUAÇÃO.

• CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:
– UP OR OUT.
– PERFORMANCE OR OUT.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 120
CARACTERÍSTICAS DO CONSULTOR EMPRESARIAL
– QUESTÕES PARA DEBATE –

1 – Debater com pessoas de seu relacionamento pessoal e profissional


sua vocação para consultor.
2 – Identificar outras características que o consultor empresarial deve
apresentar.
3 – Debater as características apresentadas do consultor para sua
realidade profissional.
4 – Debater a questão da ética do consultor.
5 – Identificar e debater outras sugestões para identificar o consultor
ideal, considerando a realidade de uma empresa de seu conhecimento.
6 – Em que grau, em termos de ética, deve-se alertar a empresa-cliente
sobre problemas sérios que o consultor identifique durante a execução
de seu projeto, mas não façam parte deste mesmo projeto e que, por
outro lado, possam ser mal interpretados como crítica por parte da
empresa-cliente?

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 121
PLANEJAMENTO DA CARREIRA DE CONSULTOR
– EXERCÍCIO –

VOCÊ DEVE PREENCHER O FORMULÁRIO ABAIXO COM O QUE JÁ FEZ, O QUE


ESTÁ FAZENDO E O QUE PRETENDE FAZER, BEM COMO A CONTRIBUIÇÃO DE
CADA ATIVIDADE PARA O SEU DIFERENCIAL COMPETITIVO COMO CONSULTOR
EMPRESARIAL. PARA FACILITAR, PODE ESTABELECER O NÍVEL GERAL DE
IMPORTÂNCIA PARA CADA ASSUNTO ABORDADO.

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 122
ANÁLISE, DEBATE E APRESENTAÇÃO
DE CASO

“ELABORAÇÃO DE SEU PLANO DE ATUAÇÃO


COMO CONSULTOR EMPRESARIAL.”

Manual de Consultoria Empresarial


Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira 123

Você também pode gostar