Você está na página 1de 29

Sistema reprodutor

Reprodução Humana
• Para que haja o surgimento de um novo ser – em seres que se reproduzem
sexuadamente – é necessário a união de duas células germinativas ou
sexuais.

• Em 1667, Leeuwenhoek observou pela primeira vez os espermatozoides


com auxílio de um microscópio rudimentar e concluiu que essas células
estavam diretamente ligadas à reprodução. Com o avanço da ciência, isso
foi confirmado no século XIX.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Ser Humano em Foco

Imagem : Sansculotte / Creative Commons


Attribution-Share Alike 2.5 Generic
Sistema Genital Masculino

• O sistema genital masculino é composto por:

• Escroto e Pênis (externo); testículos, epidídimo,


ductos deferentes, Glândula bulbouretral,
próstata, vesículas seminais, uretra.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Sistema Reprodutor Masculino
Aparelho reprodutor masculino e
órgãos próximos:

1-Bexiga;
2-Osso púbico;
3-Pénis;
4-Corpo cavernoso;
5-Glande;
6-Prepúcio;
7-Abertura uretral;
8-Cólon sigmóide;
9-Reto;
10-Vesícula seminal;
11-Conduto ejaculador;
12-Próstata;
13-Glândula de Cowper (glândula
bulbouretral);
14-Ânus;
15-Vaso deferente;
16-Epidídimo;
17-Testículo;
18-Escroto.

Imagem : Elf Sternberg/GNU Free Documentation License


Testículos
• Glândulas sexuais masculinas. Produzem os espermatozoides
e o hormônio sexual masculino, a testosterona.

• Bolsa escrotal: A bolsa escrotal é uma seculação pendente da


junção entre o períneo e a região abdominal inferior. Sua
função é conter os testículos fora da cavidade corporal, cuja
temperatura ideal é ótima para a manutenção dos
espermatozoides.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Epidídimos
• Os epidídimos são estruturas com formato de vírgulas ou C
situadas sobre os testículos.

• São formados pela reunião dos pequenos tubos testiculares.

• No seu interior, acabam de amadurecer os espermatozoides.


Os espermatozoides permanecem por pelo menos 3 dias para
receberem as caudas e os nutrientes dentro dos canais
enrolados dos epidídimos.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Epidídimo e testículo em secção
transversal evidenciando os túbulos
seminíferos.
Testículo humano adulto com
epidídimo: A. Cabeça do
epidídimo , B. Corpo do
epidídimo, C. Cauda do
epidídimo e D. Vaso deferente.

Imagem : KDS444 / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported


Canais Deferentes

• Os canais deferentes Saem de cada epidídimo,


sobem, comunicam com as vesículas seminais,
entram na próstata e, no seu interior,
desembocam na uretra.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Vasectomia

• Método de Esterilização Masculino, em que são


realizados a secção dos Ductos deferentes, impedindo
a ligação do mesmo com a Uretra.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Secção em ductos deferentes

Imagem : Rhcastilhos / Domínio Público


Vesículas seminais

• As vesículas seminais Pequenos sacos que contêm os


espermatozoides maduros. Estão situados debaixo da
bexiga.
• Fabricam um líquido viscoso que protege os
espermatozoides, alimenta-os e facilita o seu
deslocamento.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Próstata
• A próstata é uma estrutura única situada perto das vesículas
seminais e por debaixo da bexiga. No interior da próstata, os
canais deferentes desembocam na uretra.

• A próstata produz também um liquído que protege, alimenta


e facilita a mobilidade dos espermatozoides.

• As glândulas de Coowper são duas pequenas glândulas


situadas por baixo da próstata. Segregam um pouco de líquido
que limpa a uretra, neutralizando os resíduos da urina.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Uretra

• A uretra é o canal por onde passam o sêmen e a


urina. O seu funcionamento é regulado por um
pequeno músculo que impede a saída dos dois
líquidos ao mesmo tempo.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Sistema R. Masculino em vista longitudinal

Imagem: Sistema reprodutor Masculino / Ravenjm4 / GNU Free Documentation License.


Canal deferente
Bexiga
Reservatório do
canal deferente Uretra

Vesícula seminal Próstata

Glândula de Cowper
Uretra
Corpo Esponjoso

Pênis Corpo cavernoso

Epidídimo

Testículo
Glande Prepúcio

Escroto
Sistema genital masculino em secção longitudinal
Aparelho reprodutor masculino e
órgãos próximos:

1-Bexiga;
2-Osso púbico;
3-Pénis;
4-Corpo cavernoso;
5-Glande;
6-Prepúcio;
7-Abertura uretral;
8-Cólon sigmóide;
9-Reto;
10-Vesícula seminal;
11-Conduto ejaculador;
12-Próstata;
13-Glândula de Cowper
(glândula bulbouretral);
14-Ânus;
15-Vaso deferente;
16-Epidídimo;
17-Testículo;
Imagem : Elf Sternberg/GNU Free Documentation License
18-Escroto.
Sistema Genital Feminino

• O sistema genital feminino Vagina, é composto por:


Ovários, Tubas Uterinas e Útero.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Vagina e Ovário
• A vagina é um canal de 8 a 10 cm de comprimento, de paredes
elásticas, que liga o colo do útero aos genitais externos.

• Contém lábios maiores e menores de cada lado de sua


abertura, porém internamente, duas glândulas denominadas
glândulas de Bartholin, que secretam um muco lubrificante.

• Ovários são as gônadas femininas. Produzem estrógeno e


progesterona, hormônios sexuais femininos.
Anatomia do Sistema Genital Feminino

Imagem : Jesielt/GNU Free Documentation License


Tubas Uterinas

• Tubas uterinas são dois ductos que unem o ovário


ao útero. Seu epitélio de revestimento é formado
por células ciliadas. Os batimentos dos cílios
microscópicos e os movimentos peristálticos das
tubas uterinas empurram o gameta feminino até o
útero.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Laqueadura

Método de esterelização Femino. Realiza-se uma


secção nas Tubas Uterinas, impedindo que o
Ovócito II chegue até o Útero.

Fonte: secretaria de educação: programa professor conectado/educandos 2009.


Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Laqueadura

Imagem : Jesielt/GNU Free Documentation License

Fonte: secretaria de educação: programa professor conectado/educandos 2009.


Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Útero
• Útero é um órgão oco situado na cavidade pélvica
anteriormente à bexiga e posteriormente ao reto,
de parede muscular espessa (miométrio) e com
formato de pera.

• É revestido internamente por um tecido


vascularizado rico em glândulas - o endométrio.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Sistema R. Feminino em vista longitudinal


Imagem: Sistema reprodutor Feminino, 1908 / Disponibilizado por Haabet / Domínio Público.

1. Útero
2. Ligação útero / ovário
3. Ovário
7. Trompa de Falópio
8. Ligamento redondo do útero
9. Ligamento largo do útero
11. Orifício do útero
12 Mucosa vaginal
14. Clitoris
15. Uretra
16. Pequenos lábios
17. Grandes Lábios
21. Orifício vaginal externo
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Sistema R. Feminino em vista longitudinal

Imagem : pussylover/Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported


Clítoris
Uretra

Vagina Lábio
maior

Ânus Lábio
menor
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Ciclo Menstrual

• O ciclo menstrual regular dura em média 28


dias, contados a partir do primeiro da
menstruação propriamente dita.

• Os hormônios relacionados neste processo são:


Progesterona e Estrógeno.
• FSH – Hormônio Folículo Estimulante
• LH – Hormônio Leitunizante.

Fonte: CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010.
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Tabelinha
• A tabelinha é conhecida também como método do calendário, pois a
mulher, de acordo com o histórico de suas menstruações, identifica o
seu período fértil através do mesmo.

Dias Férteis: Período em que há probabilidade de a mulher engravidar.

Esses dias são: Do 10º ao 18º dia, contados do 1º dia em que iniciou um
novo ciclo menstrual.

Dias não férteis: É o período em que há uma baixa probabilidade de ocorrer a


fecundação.

São eles: Do 1º ao 9º dia, e do 19º ao 28º dia.

Google imagens: disponível em: www.google.com.br. Retirado em 04/06/12.


Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Fundamental, 8º ano.

Tabelinha
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 Dias não-férteis

Dias férteis