Você está na página 1de 56

FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS

OBJETIVO GERAL

Estimular a participação em Políticas Públicas, à


luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da
Igreja para fortalecer a cidadania e o bem
comum, sinais de fraternidade.
FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Conhecer como são elaboradas e aplicadas as Políticas Públicas estabelecidas
pelo Estado Brasileiro.
 Exigir ética na formulação e na concretização das Políticas Públicas
 Despertar a consciência e incentivar a participação de todo cidadão na
construção de Políticas Públicas em âmbito nacional, estadual e municipal.
 Propor e pressionar por Políticas Públicas que assegurem os direitos sociais
aos mais frágeis e vulneráveis.
 Trabalhar para que as Políticas Públicas eficazes de governo se consolidem
como políticas permanentes de Estado, e não de um simples governo.
 Promover a formação política dos membros de nossa Igreja, especialmente
dos jovens, em vista do exercício da cidadania.
 Suscitar cristãos católicos comprometidos na política como testemunho
concreto da fé.
Condição fundamental para uma PP é a participação da sociedade, a
participação popular. Sem isso elas refletem mais a força dos agentes
do mercado, de um agente ou grupo político, ou mesmo das próprias
burocracias estatais, e não do ‘público’.

A trajetória das Políticas Públicas brasileira ainda


sofre com a descontinuidade e dependência da
vontade do comandante político que governa...
O conservadorismo do poder público no país,
somente começou a ser rompido com a Constituição
de 1988. A Constituição de 1988 possibilitou a
participação direta da sociedade na elaboração e
implementação de Políticas Públicas através dos
conselhos deliberativos...
Poder público
O poder público, constituído na forma de
República Federativa presidencialista no
Brasil, compõe-se da União, Distrito Federal,
26 estados e 5.570 municípios.
Por ser uma construção histórica, o
poder público atual... é composto por..

a) Poder Legislativo...
b) Poder Executivo...
c) Poder judiciário...
Poder público Poder legislativo
O Poder Legislativo brasileiro, que se fundamenta
nos princípios do poder popular e da
representação, e tem como objetivo elaborar as
leis e fiscalizar o Poder Executivo, constitui-se do
Congresso Nacional com 594 congressistas (81
senadores e 513 deputados federais) e 27
assembleias legislativas com 1.059 deputados
estaduais e de 5.570 câmaras municipais com
57.931 vereadores, além de órgãos auxiliares como
os tribunais de contas.
Poder público
Poder executivo
O Poder Executivo brasileiro, que atua na execução das leis que
viabilizam as Políticas Públicas, encontra-se formado pelo governo
federal, 27 governos estaduais e 5.570 prefeituras municipais.
Com um total de 7,9 milhões de pessoas empregadas, o Poder
Executivo se constitui na instância da administração direta com
cinco tipos de órgãos federais e 5.570 prefeituras municipais.
(presidência e vice-presidência da República, ministérios de
estado, Advocacia-Geral da União e Defensoria Pública de União)
e dois tipos de órgãos estaduais (governo e secretarias estaduais)
e municipais (prefeitura e secretarias municipais).
Poder público
Poder judiciário
No Brasil, o Poder Judiciário tem por função fiscalizar o
cumprimento das leis e estabelecer punições para quem não as
segue e, assim, garantir os direitos individuais, coletivos e
sociais, bem como resolver conflitos entre cidadãos, entidades
e Estado. Enquanto a remuneração média do conjunto dos
servidores do poder judiciário foi de R$13,7 mil, a dos
magistrados alcançou soma de R$47,7 mil (R$14 mil reais
acima do teto constitucional). Em comparação com outros
países, o Brasil possui um dos poderes judiciários mais caros
do mundo.
Condicionantes Despesa por Secretaria
nas políticas públicas
A constituição,MEIOimplantação
AMBIENTE
e resultados das Políticas
Públicas estão delimitadas
1%
PLANEJAMENTO URBANO GOVERNO
e condicionadas por questões
2%
econômicas, políticas, 1%
sociais,
ASSUNTOS culturais, legislativas e
CULTURA ESPORTES JURÍDICOS
judiciárias. Destacamos
INDÚSTRIA, COM. SERV.
0% 1% três
2% grandes
2% condições:
SEGURANÇA INCLUSÃO DES. SOCIAL
3%
a) Questão Orçamentária 2%

HABITAÇÃO
Orçamentos elaborados para o bem público, e não4% para servir o
ADMINISTRAÇÃO
mercado.
EDUCAÇÃO
30%
(o poder público só pode agir dentro do que é4%permitido
pela Constituição). FINANÇAS
5%
b) Financiamento
SERVIÇOS URBANOS
Para que ocorro de maneira mais justa, é preciso um 8% melhor sistema
de tributação, pois no Brasil a população com rendimento mensal de
até dois salários mínimos compromete cercaOBRASde 48% de sua renda
8%
mensal no pagamento
SAÚDE
de impostos, taxas e contribuições.
28%
c) Recursos arrecadados e aplicados
A terceira questão decorre de como tem sido aplicado os recursos
públicos arrecadados. (lucros e patrimônios contribuem com
somente 9,4% de toda a arrecadação tributária - pagamento
de juros da dívida pública, etc.)
Despesa por área
O Orçamento da área Social (Educação,
Saúde, Inclusão Social, Habitação, Cultura e
Esporte e Segurança), responde por 70% da
ÁREA ADMINISTRATIVA despesa em ................., seguido pelos
12% gastos em Infra-Estrutura e despesas
Administrativas.

ÁREA INFRA-
ESTRUTURA
18%

ÁREA SOCIAL
70%
O que é política, afinal?
• Política com ‘P’ maiúsculo é a preocupação ou
a despreocupação de cada cidadão ou grupos
de cidadãos para com o bem estar (bem
comum) da sua cidade-Pais (polis). A política
consiste num conjunto relações e ações
formais e informais carregadas de poder e que
se destinam à resolução pacífica dos conflitos
e dos problemas da sociedade.
E o que é política pública?
• Políticas públicas são ações sociais de intervenção na
realidade em comum acordo entre cidadãos e governos,
diferentes de ações privadas realizadas por algum cidadão.
• “Políticas Públicas são ações discutidas, aprovadas e
programadas para que todos os cidadãos possam ter vida
digna. É a ação do Estado que olhando para as verdadeiras
necessidades, busca garantir a segurança, a ordem, o bem-
estar, a dignidade, por meio de ações baseadas no direito e
na justiça social”
• Uma política pública geralmente envolve mais do que uma
decisão, e exige diversas ações bem selecionadas e
coordenadas para implementar as decisões tomadas.
• A sua dimensão ‘Pública' é dada não pelo tamanho
do grupo social sobre o qual incidem as PP, mas pelo
seu caráter “obrigatório”. Isto significa que são
decisões e ações revestidas da autoridade soberana
do poder público. O governo TEM que fazer!
• As PP são o resultado de um conjunto de
demandas que podem ser, por exemplo,
reivindicações de bens e serviços, (saúde,
educação, estradas, transportes, segurança
pública, normas de higiene e controle de
produtos alimentícios, previdência social, etc.)
• Demandas por mais participação no sistema
político, como reconhecimento do direito de
voto dos analfabetos, acesso a cargos públicos
para estrangeiros, organização de associações
políticas, direitos de greve, etc.
• Demandas de controle da corrupção, de
preservação ambiental, de informação
política, de estabelecimento de normas para o
comportamento dos agentes públicos e
privados, etc.
• Quanto às demandas, existem, basicamente, três tipos
de demandas: as demandas novas, as demandas
recorrentes e as demandas reprimidas.
• As demandas novas são aquelas que resultam do
surgimento de novos atores políticos ou de novos
problemas.
• As recorrentes é quando se acumulam as demandas e
o sistema não consegue encaminhar soluções
aceitáveis.
• As demandas reprimidas são aquelas constituídas por
"estados de coisas" ou por não-decisões porque não
se tornaram ainda problema político. Há insatisfação,
mas não se tornou prioridade na agenda política
governamental.
Quais atores nas PP?
• Atores públicos são aqueles que se distinguem por
exercer funções públicas e por mobilizar os recursos
associados a estas funções. entre os atores públicos, por
sua vez, pode-se diferenciar, grosso modo, duas
categorias: os políticos e os burocratas.
• Outro tipo de ator - que tanto pode ser público como
privado - são os tecnocratas:altos diretores de empresas
públicas (estatais) ou privadas. São dotados de
excelente formação técnica, grande competência
executiva e, geralmente, transitam entre as empresas
privadas e as empresas públicas.
• Os políticos são aqueles atores cuja posição resulta de
mandatos eletivos. Por isso, sua atuação é condicionada
principalmente pelo cálculo eleitoral e pelo pertencimento a
partidos políticos. São os parlamentares, governadores,
prefeitos e membros eleitos do executivo federal.
• Os burocratas, por sua vez, devem a sua posição à ocupação
de cargos que requerem conhecimento especializado e que se
situam em um sistema de carreira pública. Controlam,
principalmente, recursos de autoridade e informação. Eles têm
projetos políticos, que podem ser pessoais ou organizacionais
(como a fidelidade à instituição, o crescimento da organização
à qual pertencem, etc). Por isso, é comum haver disputas não
apenas entre políticos e burocratas, mas também conflitos
entre burocracias de diferentes setores do governo.
• Os atores privados: destacam-se os empresários,
pois são dotados de grande capacidade de influir
nas políticas públicas. Podem se manifestar como
atores individuais isolados ou como atores
coletivos. Mobilizam seus lobbies para
encaminhar suas demandas e pressionar os atores
públicos:os grupos de pressão podem ser
regionais (ex: Frente de Prefeitos, governadores
do Nordeste, podem ser setoriais (ex: produtores
de calçados, indústria têxtil, informática, etc).
Podem, ainda, ser movimentos sociais, como o
Movimento dos Trabalhadores Sem Terra...
Podem ser institucionais, como as igrejas e as
ONGs.
• Um outro ator importante são os trabalhadores.
O seu poder resulta da ação organizada. Atuam
através de seus sindicatos, que eventualmente são
ligados a partidos, ONGs, e até mesmo a igrejas.
Dependendo da importância estratégica do setor
onde eles atuam, podem dispor de maior ou
menor poder de pressão
• Outro ator de grande importância no processo
político são os agentes internacionais. Podem ser
agentes financeiros como o FMI, o Banco
Mundial, etc., cuja importância é óbvia no que diz
respeito a questões econômicas.
• Finalmente, embora não atue diretamente, não
se pode ignorar o papel da mídia.
Principalmente redes sociais, os jornais e a
televisão são importantes agentes formadores
de opinião, que possuem capacidade de
mobilizar a ação de outros atores. Redes
sociais e tevê têm um grande poder de formar
a agenda de demandas públicas, de chamar a
atenção do público para problemas diversos,
de mobilizar a indignação popular, enfim, de
influir sobre as opiniões e valores da massa
popular,
• Em função das preferências e das
expectativas de resultados (vantagens e
desvantagens) de cada alternativa na solução
de um problema, os atores fazem alianças
entre si e entram em disputa. A dinâmica das
relações entre os atores pode obedecer a três
padrões: lutas, jogos e debates.
• As lutas geralmente acontecem quando se tem
o chamado “jogo de soma-zero", ou seja, uma
situação na qual, para que um ator ganhe, o
outro tem que perder. Esta é a pior de todas as
situações em política. É possível haver uma
acomodação entre os interesses em conflito:
pode-se ter uma situação onde um lado não
ganhe tudo, nem o outro lado perca tudo.
• Os jogos são as situações onde a lógica é
vencer o adversário em uma situação
específica, sem eliminá-lo totalmente do
processo, de tal maneira que ele possa vir a
ser um aliado num momento posterior. Esta
situação é a mais típica do mundo da política,
sendo exemplificada pelas negociações,
barganhas, conluios, coalizões de interesses.
• Os debates são situações onde cada um dos
atores procura convencer o outro da
adequação das suas propostas, de tal maneira
que o que vence é aquele que se mostra capaz
de transformar o adversário em um aliado.
Aqui, a lógica é a da persuasão. E é onde
recursos como o conhecimento técnico
desempenham um papel relevante.
• Uma outra forma de atuação é a pressão
pública, que pode ser realizada por atores
individuais ou coletivos. Inclui desde
manifestações pela imprensa, até atitudes
radicais como greves de fome, etc. além de
manifestações coletivas - pacíficas ou
violentas, capazes de causar constrangimento,
de mobilizar a opinião pública e de chamar a
atenção da imprensa e, eventualmente, de
atores internacionais, para o problema.
• Finalmente, pode-se utilizar da negociação e
do compromisso: a tentativa de encontrar
soluções negociadas nas quais todas as partes
sintam-se mais ou menos satisfeitas com o
que obtiveram, de tal maneira que todos
saiam do processo acreditando que ganharam
alguma coisa e ninguém saia com a
convicção de ter perdido tudo.
Ciclo de construção ...
Ciclo de construção ...
Analisar a realidade à luz da
Palavra
e da ação social da igreja
• O olhar dos profetas sempre foi dirigido às pessoas e
aos grupos sociais mais fragilizados e excluídos
(viúvas, órfãos, escravos, mendigos, doentes,
mulheres...) pois entendiam que se Deus pudesse
governar agiria com justiça e retidão para com eles.
• As primeiras comunidades cristãs, a partir da igreja
em Jerusalém, sob a coordenação de Tiago, ‘irmão do
Senhor’, estruturaram grupos - grêmios de cuidado e
de serviço em favor dos órfãos e viúvas. Uma
rigorosa ‘política de solidariedade’ inclusive exigindo
a socialização radical dos bens, para atender a
necessidades como ‘enterros, invalidez, doenças,
cestas básicas, formação-educação...
• …21 Não maltratareis nem oprimireis nenhum
estrangeiro, pois vós mesmos fostes
estrangeiros nas terras do Egito. 22 Não
prejudicareis as viúvas nem os órfãos; 23
porquanto se assim procederdes, e eles
clamarem a mim, Eu certamente atenderei ao
seu clamor.… Êxodo 22
• Não perverterás o direito do estrangeiro e do
órfão, nem tomarás como penhor a roupa da
viúva. Deuteronômio 24:17
• "Porque eu, o Senhor, amo a justiça
e odeio o roubo e toda maldade.
Em minha fidelidade os recompensarei
e com eles farei aliança eterna. Isaías 61:8
• Fazer justiça e julgar com retidão
é mais aceitável ao Senhor do que oferecer-
lhe sacrifício.Provérbios 21:3
• Pois o Senhor é justo e ama a justiça;
os retos verão a sua face.Salmos 11:7
…16 O direito habitará no deserto e a justiça
viverá no campo fértil. 17 O fruto da justiça
será a paz; e a obra da justiça proporcionará
tranquilidade e segurança eternas. 18 O meu
povo viverá em regiões pacíficas, em moradas
seguras, em lugares tranquilos de paz e
repouso.… Isaías 32
• "Por isso, porque oprimis o pobre e lhe
extorquis tributos em trigo, não habitareis estes
palácios de pedra que construístes....12.Porque
conheço o número de vossos crimes e a
gravidade de vossos pecados, opressores do
justo, exatores de dádivas, violadores do
direito dos pobres em juízo. 15.Detestai o mal,
amai o bem, fazei reinar a justiça nas vossas
assembleias; talvez então o Senhor, o Deus
dos exércitos, tenha piedade do que resta de
José!“ Amós, 5 -
• Bem-aventurados os que têm fome e sede
de justiça, pois serão satisfeitos. Mateus
5:6
• Busquem, pois, em primeiro lugar o
Reino de Deus e a sua justiça, e todas
essas coisas serão acrescentadas a
vocês. Mateus 6:33
A PP de Jesus de Nazaré
E, como o dia fosse já muito adiantado, os seus discípulos se
aproximaram dele e lhe disseram: O lugar é deserto, e o
dia está já muito adiantado; 36 despede-os, para que vão aos
campos e aldeias circunvizinhas e comprem pão para si,
porque não têm o que comer. 37 Ele, porém, respondendo, lhes
disse: Dai-lhes vós mesmos de comer. E eles disseram-lhe:
Iremos nós e compraremos duzentas moedas de pão para lhes
darmos de comer? 38 E ele disse-lhes: Quantos pães tendes?
Ide ver. E, sabendo-o eles, disseram: Cinco pães e dois
peixes. 39 E ordenou-lhes que fizessem deitar a todos, em
grupos, sobre a erva verde. 40 E assentaram-se divididos em
grupos de cem em cem e de cinquenta em cinquenta. 41 E,
tomando ele os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos
ao céu, e abençoou, e partiu os pães, e deu-os aos seus
discípulos para que os repartissem E repartiu os dois peixes
por todos. 42 E todos comeram e ficaram fartos, 43 e sobraram
doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe. (Mc. 6)
1. Assumir, e não delegar a outros a missão de ‘alimentar’
(vós mesmos dai-lhes de comer)
2. Não precisa dinheiro e nem mercado, só a prática da
‘justiça’ distribuindo de acordo com as necessidades: a
quem precisa mais se dá mais!
3. Por isso que as PPs de Jesus não são para todos,
indistintamente, mas se dirigem aos grupos mais
fragilizados, ‘injustiçados, historicamente excluídos.
4. Quem tem mais ‘pão e peixe’ deve dar mais a quem
tem menos para que TODOS fiquem saciados, e não
somente um grupo ou uma classe.
5. Quando a justiça (equidade) se realiza de fato, há
abundância e sobra para matar a fome de direito e de
respeito de toda a nação (12 cestos, como 12 eram as
tribos da Palestina.)
Políticas Públicas ...
Para compreendermos o engajamento social
assumido pela Igreja, na promoção de políticas
públicas faz-se necessário analisar as situações
vividas na sociedade do século XIX.
As transformações sociais ocorridas a partir da
revolução industrial provocaram as mais
profundas explorações dos pobres, diante de uma
total ausência do Estado Liberal.
Isso conduziu fatalmente a uma “luta de classes”.
Políticas Públicas ...

E no centro desse conflito


estava a disputa entre o capital
e o trabalho e a Igreja Católica
ainda não havia se pronunciado
sobre esta situação.
Políticas Públicas ...
Contudo, grupos de pensadores católicos
começaram a enfrentar a questão. O primeiro
deles foi o grupo das Conferências dos Vicentinos,
fundado por Frederico Ozanan.
Além das atividades assistenciais, as conferências
organizaram patronatos, escolas para a
aprendizagem dos operários e caixas de mútuo
socorro. No campo da formação Frederico Ozanan
e o Pe. Lacordaire fundaram um jornal chamado,
Era Nova, na França, em 1848.
Políticas Públicas ...
• Além disso, na Alemanha os congressos dos
operários católicos anuais contribuíram muito para
se chegar, em 1880, a uma legislação trabalhista,
aprovada em 1890, na Conferência Internacional do
Trabalho, em Berlim.
• Merece destaque especial o cardeal Gioacchino
Pecci na organização do corpo doutrinário social da
Igreja católica. Ele foi nomeado núncio apostólico
em Bruxelas em 1843 com apenas 33 anos de idade
e conheceu ali o movimento social belga e as
divergentes posições dos católicos liberais e sociais.
Políticas Públicas ...
• Em 1845 foi escolhido para bispo da diocese de
Perugia, uma das primeiras cidades italianas a
entrar no processo de industrialização.
• Depois de ter conhecido a realidade da diocese, em
1877, escreveu uma carta pastoral na qual
reivindica a dignidade do trabalho e condena o
tratamento desumano dado às crianças
empregadas nas indústrias manufatureiras. Toda
essa experiência foi levada ao coração da Igreja
quando ele se tornou papa, em 1878, com o nome
de Leão XIII.
Políticas Públicas ...
• Neste cenário nasceu em 15 de maio de 1891, a
encíclica Rerum Novarum - das coisas novas - com a
colaboração do Padre Liberatore, o cardeal Zigliara,
o cardeal Mazzela, padre Volpini e Pe Boccali.
• O Papa Leão XIII inaugura o que se convencionou a
chamar de Doutrina Social da Igreja. Ele nos
convidou a alargar o horizonte do nosso olhar para
enxergar a Deus para além dos espaços religiosos e
para encontrá-lo nas coisas novas que estavam
acontecendo na sociedade contemporânea.
Princípio este que deve orientar nosso ser cristão
em todos os tempos.
A Igreja Católica no século XXI e
sua relevância social
Entidades filantrópicas católicas

• 5.167 hospitais católicos,


• 10.124 orfanatos,
• 15.699 casas para pessoas idosas
• 11.596 enfermarias,
• 14.744 consultórios de orientação familiar
• 115.352 institutos beneficentes e assistenciais.
A Igreja Católica no século XXI e
sua relevância social
O Papa Francisco afirmou:
“Exige-se a toda a Igreja uma conversão
missionária: é preciso não se contentar com um
anúncio puramente teórico e desligado dos
problemas reais das pessoas”. (AL 201)
Ação Social da Igreja no Brasil
OBRAS SOCIAIS

Quase 500 institutos e ordens religiosas e de vida


apostólica distribuídos em 1.026 sedes em todo
país, desenvolvem de forma autônoma
iniciativas e atividades de assistência social para
atendimento de populações carentes.
Ação Social da Igreja no Brasil
Os atendidos pelas Obras e as Pastorais Sociais da
Igreja Católica do Brasil em 2014 foram quase 500
milhões de atendimentos para uma população de
aproximadamente 39 milhões de brasileiros
Ação Social da Igreja no Brasil

• Assumindo que o tamanho médio da família


brasileira é de 3,3, significa que a Igreja estaria
atuando junto a cerca de 12 milhões de famílias,
em sua maioria, pobres.
• Este número corresponde a 20% do número de
famílias brasileiras, e a 44% do número de
famílias cadastradas pelo Governo como
demandadoras de atenção para a Assistência
Social.
Ação Social da Igreja no Brasil
• VOLUNTARIADO

- As Obras Sociais em todo país, além dos


empregados permanentes e de um número
significativo de religiosos(as), mobilizam um
contingente importante de pessoas (quase
300.000)

- As Pastorais Sociais mobilizam 430.000


voluntários
Políticas Públicas ... Atuar
“Deus não surpreende Caim pela dimensão do culto,
ou seja, pelo significado de sua oferta, mas por
perguntar pelo seu irmão, que ele sabia onde
estava. Como Caim, também estamos sendo
surpreendidos por Deus nesta Campanha da
Fraternidade, pois, sabemos onde estão os nossos
irmãos. Os que ainda não morreram, agonizam-se
de fome, ou por não terem direito à moradia,
trabalho, transporte público, educação e saúde de
qualidade. Ser indiferente a esse sofrimento é
responder a Deus com a mesma dureza de Caim
“Por acaso, eu sou responsável pelo meu irmão?”
(Texto Base N 202)
Políticas Públicas ... Atuar
• PARTICIPAR!

- Consciente e ativa.
- Nos conselhos paritários de Direito.
- Escola de Fé e Cidadania.

Obs: Utilizando as mídias sociais


Participação
• Audiências Públicas: Espaços de diálogos para
buscar soluções
- especificas para determinados problemas;
• Conselhos Gestores ou de Direitos: São
órgãos de controle e participação social,
podem ser deliberativos (poder de decisão),
- consultivos e/ ou fiscalizadores, tem estrutura
municipal, estadual efederal;
Participação
• Conferências: Espaços de debate e construção de
pautas políticas, onde diferentes atores sociais se
encontram para contribuir com a proposição de
políticas públicas;
• Fóruns e reuniões: Espaços de encontro que
podem ser realizados por iniciativa do poder
público ou da sociedade com variados temas e
propostas.
• Organizações da Sociedade Civil e Movimentos
Sociais (Terceiro Setor): Se formam em torno de
determinado tema e se especializam no
atendimento e necessidades do mesmo
Políticas Públicas ... Atuar
• EDUCAR!
- Para o humanismo solidário.
- Doutrina Social da Igreja.
a) Políticas Públicas
- Despertem para a cultura do diálogo
- Globalização da Esperança
- Verdadeira inclusão
- Redes de cooperação
- Honestidade
Políticas Públicas ... Atuar
• REDESCOBRIR!
- O Bem Comum.
- Pastorais Sociais.
- Observatórios Sociais.
- Cidadania

Destaque: Jornada Mundial dos Pobres


• “É justo receber e dar educação, saúde, segurança
e tudo mais que leva a uma vida digna”
(Texto Base 257)