Você está na página 1de 28

Os contrastes estacionais da temperatura

• O comportamento da temperatura à face da Terra está relacionado


com a radiação solar global, o que significa que a sua variação anual
e a sua distribuição corresponde, no geral, à da radiação solar.
• Quanto mais elevada for a radiação solar, mais elevada será a
temperatura, e vice-versa.
Os contrastes estacionais da temperatura

O regime térmico de Portugal


acompanha a variação da radiação
solar global ao longo do ano.
Ao longo do ano, os valores da
temperatura média mensal são:

- Mais elevados durante os meses de verão

- Mais baixos nos meses de inverno


Os contrastes estacionais da temperatura

Média da temperatura do ar Média da temperatura do ar


(Portugal continental, janeiro de 2012) (Portugal continental, julho de 2012)
Distribuição da temperatura média do ar
(Portugal continental, 2010)

Em Portugal continental, a
temperatura diminui à medida
que a latitude aumenta.

Os valores mais elevados registam-se


no Algarve e no Alentejo oriental.

Os valores mais baixos registam-se no


norte e nas áreas de maior altitude,
como a Cordilheira Central.
Distribuição da temperatura
no território nacional

Independentemente da variação
da temperatura ao longo do ano,
verificam-se contrastes regionais,
no território nacional, tais como:

Entre o norte e o sul


Entre o norte e o sul, mais acentuado
no inverno: o sul regista, ao longo do
ano, temperaturas médias mais
elevadas do que o norte do país,
havendo uma diminuição das
temperaturas médias de sul para
norte, ou seja, em latitude;
Distribuição da temperatura
no território nacional

Independentemente da variação
da temperatura ao longo do ano,
verificam-se contrastes regionais,
no território nacional, tais como:

Entre o litoral e o interior (oeste-este)


Nos meses mais quentes, no verão, a
temperatura aumenta de oeste para
este, ou seja, o litoral regista
temperaturas mais amenas e o
interior valores mais elevados;
Distribuição da temperatura
no território nacional

Independentemente da variação
da temperatura ao longo do ano,
verificam-se contrastes regionais,
no território nacional, tais como:

Entre o litoral e o interior (oeste-este)


Nos meses mais frios, no inverno, a
temperatura diminui de oeste para
este, ou seja, no litoral, as
temperaturas registam valores mais
elevados do que o interior.
Distribuição da temperatura média do ar
(Portugal continental, 2010)

Desta forma, em Portugal Continental, a


temperatura, de uma forma geral,
diminui à medida que a latitude aumenta.

Os valores mais elevados registam-se:


- No Algarve;
- No Alentejo Oriental.

Os valores mais baixos registam-se:


- No norte;
- Nas áreas de maior altitude.
Fatores condicionantes da variação da
temperatura no território nacional

Como a variação anual e espacial da temperatura está relacionada


com a radiação solar, o seu comportamento é explicado pelos
fatores que atuam na variação temporal e espacial da insolação e
da radiação solar global, destacando-se:

1. A latitude

2. O relevo através da altitude e da orientação das


vertentes em relação aos raios solares e à linha de costa

3. A proximidade ou afastamento do oceano

4. As correntes marítimas
Fatores condicionantes da variação da
1. A latitude
temperatura no território nacional

A temperatura média anual diminui de sul para norte, ou seja, à medida que
aumenta a latitude, a temperatura diminui. Devido à localização do país na Zona
Temperada do Norte, o ângulo de incidência dos raios solares nunca é máximo.
I. Quando os lugares, ao longo do ano, recebem os raios solares com uma
menor inclinação, estes atingem a superfície terrestre na perpendicular:

A área A energia dos raios solares


recetora de distribui-se por uma área menor, Maior
energia é maior concentração de energia aquecimento
menor. por unidade de superfície.
da superfície:
temperatura
A massa atmosférica atravessada pelos raios solares mais elevada
é menor, logo há menos perdas energéticas.
Fatores condicionantes da variação da
1. A latitude
temperatura no território nacional

A temperatura média anual diminui de sul para norte, ou seja, à medida que
aumenta a latitude, a temperatura diminui. Devido à localização do país na Zona
Temperada do Norte, o ângulo de incidência dos raios solares nunca é máximo.
II. Quando os lugares, ao longo do ano, recebem os raios solares com uma
maior inclinação, ou seja, quando estes apresentam maior obliquidade:

A área A energia dos raios solares


recetora de distribui-se por uma área maior, Menor
energia é menor concentração de energia aquecimento
maior. por unidade de superfície.
da superfície:
temperatura
A massa atmosférica atravessada pelos raios solares mais baixa
é maior, logo há mais perdas energéticas.
Fatores condicionantes da variação da
1. A latitude
temperatura no território nacional

Assim, no norte do território continental,


a temperatura média anual é inferior à
registada no sul, uma vez que, devido à
sua maior latitude:

O ângulo de incidência dos raios


solares é menor e a massa
atmosférica a percorrer é maior,
logo as perdas energéticas são
maiores sendo a insolação e
radiação solar menores e
consequentemente a
temperatura é menor;
Fatores condicionantes da variação da
1. A latitude
temperatura no território nacional

No sul do território continental, a temperatura média


anual é superior à registada no norte, devido:

Ao maior ângulo de incidência dos raios


solares e à menor massa atmosférica a
percorrer o que origina maior dia natural,
maior insolação e temperatura mais
elevada.

À influência, sobretudo no Algarve, das


massas de ar quente e seco oriundas do
norte de África, principalmente do deserto
do Sara, que fazem aumentar a
temperatura nesta região.
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional
A temperatura média anual mais baixa regista-se
no norte do país, mas também nas áreas de
montanha, onde a altitude é mais elevada,
o que comprova a influência do relevo.

O relevo condiciona a temperatura através da:

Altitude

Da orientação geográfica das


vertentes das cordilheiras
montanhosas em relação:
- Aos raios solares;
- À linha de costa.
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional

a) A altitude

À medida que aumenta a altitude,


a temperatura diminui (variação
térmica na troposfera). Isto deve-se:

Ao decréscimo em altitude do vapor de


água, do dióxido de carbono, das
partículas sólidas e líquidas, o que
provoca uma diminuição da absorção de
calor, que se traduz numa diminuição da
temperatura.
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional
c) A orientação das vertentes
em relação à linha de costa

A orientação das cordilheiras montanhosas em


relação à linha de costa pode constituir um
obstáculo à passagem das massas de ar ou pode
facilitar a sua passagem:

I. As montanhas
concordantes
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional
c) A orientação das vertentes
em relação à linha de costa
A orientação das cordilheiras montanhosas em
relação à linha de costa pode constituir um
obstáculo à passagem das massas de ar ou
pode facilitar a sua passagem:

I. As montanhas concordantes constituem um


obstáculo à passagem para o interior dos
ventos húmidos de oeste (do oceano), o que
leva a que estes se vão tornando mais secos ao
longo do seu trajeto.
Assim, apesar de localizadas à mesma latitude,
uma região que se localize no interior é mais seca
e quente no Verão. No Inverno é mais fria e seca.
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional
c) A orientação das vertentes
em relação à linha de costa

A orientação das cordilheiras montanhosas em


relação à linha de costa pode constituir um
obstáculo à passagem das massas de ar ou pode
facilitar a sua passagem:

II. As montanhas
discordantes
Fatores condicionantes da variação da
2. A influência do relevo
temperatura no território nacional
c) A orientação das vertentes
em relação à linha de costa

A orientação das cordilheiras montanhosas em


relação à linha de costa pode constituir um
obstáculo à passagem das massas de ar ou pode
facilitar a sua passagem:

II. As montanhas discordantes, como a


Cordilheira Central, ao serem perpendiculares
ou oblíquas em relação à linha de costa,
permitem que os ventos húmidos de Oeste
penetrem mais facilmente para as regiões do
interior, amenizando as temperaturas ao
longo do ano.
Fatores condicionantes da variação da 3. A influência da proximidade
temperatura no território nacional e do afastamento do mar

 A temperatura média anual é também elevada no norte


do país, no vale do Douro, em virtude de ser uma área
protegida dos ventos húmidos de oeste devido a um maior
afastamento do mar (continentalidade).

 O oceano, mesmo recebendo a mesma quantidade de energia,


aquece e arrefece mais lentamente que os continentes.

 A temperatura sobre os continentes é mais


elevada no verão e mais baixa no inverno,
em comparação com o oceano.
Fatores condicionantes da variação da 3. A influência da proximidade
temperatura no território nacional e do afastamento do mar

Os oceanos exercem uma ação moderadora sobre


a temperatura cuja influência se faz sentir a uma
maior ou menor extensão da linha de costa. Assim;

Nas áreas mais próximas do Atlântico


regista- -se uma maior influência dos ventos
do oceano levando a uma baixa amplitude
térmica anual;

O aumento do afastamento do mar vai


traduzir--se num progressivo aumento da
amplitude térmica anual. Assim, no interior,
temos verões quentes e invernos frios.

Amplitude térmica anual, Portugal continental


Fatores condicionantes da variação da 3. A influência da proximidade
temperatura no território nacional e do afastamento do mar

Em termos anuais, a temperatura do ar vai ser mais


elevada no verão e mais baixa no inverno, nas regiões do
interior, facto reforçado pela influência:

- No inverno, das massas - No verão, das massas de


de ar frio e seco de Leste ar quente e secos de
(provenientes do interior Leste, responsáveis pelo
da Europa) e que aumento da temperatura
provocam nas regiões do nas regiões do interior.
interior, um decréscimo
da temperatura.
Fatores condicionantes da variação da 4. A influência das
temperatura no território nacional correntes marítimas
Fatores condicionantes da variação da 4. A influência das
temperatura no território nacional correntes marítimas

As correntes marítimas têm também reflexos na


temperatura do ar, pois em função das suas
características térmicas provocam um aquecimento ou
arrefecimento do ar nas áreas continentais adjacentes.
Correntes marítimas

Correntes quentes – Provocam intensa Correntes frias – Contribuem para um


evaporação e intensa humidade no ar (o ar maior arrefecimento do ar no inverno e um
húmido aquece e arrefece mais lentamente maior aquecimento no verão. As correntes
que o ar seco). Desta forma, nos continentes frias provocam fraca evaporação, pelo que o
adjacentes, a humidade transportada pelos ar é mais seco. Como o ar seco aquece e
ventos vai amenizar as temperaturas arrefece mais rápido que o ar húmido, os
durante o inverno. continentes adjacentes tem verões mais
quentes e invernos mais frios.
Variação da temperatura no arquipélago da Madeira

Na ilha da Madeira, a variação


da temperatura caracteriza-se...
Pela influência do relevo, marcada pela altitude
e pela orientação este-oeste;

As variações sazonais são quase inexistentes;

As variações regionais são significativas entre a


vertente norte (exposta aos ventos húmidos e
umbria) e a vertente sul (mais abrigada da ação
dos ventos e soalheira).
Variação da temperatura no arquipélago dos Açores

Nos Açores, a variação da


temperatura caracteriza-se...

Pela fraca variação sazonal e regional,


devido à influência do oceano;

As variações existentes são determinadas pelo


relevo, onde as áreas de maior altitude registam
temperaturas inferiores face às áreas mais baixas.