Você está na página 1de 42

Defesa do organismo contra as

agressões causadas por microrganismos


2

Vais saber responder…


O que podemos fazer
para prevenir doenças
infeciosas?
Se existem tantos
microrganismos, porque
não andamos sempre
doentes?

Como se usam
corretamente os
medicamentos?
3

Doenças causadas por microrganismos patogénicos

Os microrganismos patogénicos podem causar doenças através do


contacto direto ou indireto.

Contacto direto Contacto indireto


4

Agentes infeciosos

São os microrganismos patogénicos que invadem o organismo


humano, multiplicam-se e provocam uma infeção.

Trypanossoma: protozoário que Streptococcus pneumoniae: bactéria


provoca malária. que provoca a pneumonia.
5

Agentes infeciosos

Trychophyton: fungo que provoca a tinha. Influenza: vírus que provoca a gripe.
6

Mecanismos de defesa do organismo

O organismo humano possui mecanismos de defesa externos


(barreiras naturais) e internos (defesa interna não específica
e defesa interna específica).

Barreira natural externa Defesa interna


7

Barreiras externas

A pele e as mucosas constituem as barreiras naturais do nosso


organismo. Realizam uma proteção física, mas também química,
através das secreções que produzem.

Pele Mucosa bucal


8

Pele

A gordura, a acidez e a
descamação contínua da
epiderme dificultam a entrada
de microrganismos.
9

Pestanas e sobrancelhas:
Olhos impedem a entrada de poeiras
e de microrganismos.

Lágrimas: possuem substâncias


que neutralizam muitas bactérias.
10

Nariz e boca Nariz: tem muco e pelos que


retêm os microrganismos nas
vias aéreas superiores.

Saliva: possui substâncias que removem


ou destroem microrganismos.
11

Vias respiratórias

Os movimentos dos cílios, que


revestem as vias respiratórias,
enviam os microrganismos para
o exterior.
12

Estômago

O meio ácido do estômago


elimina muitos microrganismos.
13

Sistemas reprodutores

No homem, o comprimento Na mulher, o meio ácido da


da uretra dificulta a entrada vulva e da vagina elimina muitos
de microrganismos. microrganismos.
14

Intestino

A flora natural do corpo humano


protege-o de microrganismos
patogénicos.
15

Defesas internas não específicas

Se os microrganismos invadem o organismo ocorre o processo


de inflamação e de fagocitose.
16

Defesas internas não específicas

Diapedese: os glóbulos brancos alteram a sua forma e atravessam a parede


dos capilares.

Fagocitose: os glóbulos brancos emitem prolongamentos do citoplasma,


envolvem os agentes patogénicos, incluem-nos no seu interior e destroem-nos.
17

Resposta Inflamatória

Aumento do fluxo
Rubor/Calor
sanguíneo

Entrada de Aumento da
microrganismos permeabilidade Saída de plasma Edema/Dor
dos Capilares

Diapedese
Migração dos
Leucócitos para o
local de infeção
Fagocitose
18

Já sabes?

1. Quais são as barreiras naturais do


organismo?

2. Explica como atua o estômago na


defesa contra os microrganismos.

3. Como atuam os leucócitos no


organismo?

4. Explica as etapas da fagocitose.


V. pág. 93 do manual.
19

Já sabes? (Respostas)

1. A pele, as mucosas, as secreções, os


pelos, as pestanas, as sobrancelhas, o
movimento dos cílios das vias
respiratórias e o meio ácido do estômago.

2. O ácido clorídrico do suco gástrico faz


com que o meio do estômago fique ácido,
o que destrói os microrganismos que
entram através do tubo digestivo levados
pelos alimentos.

3. Através da diapedese e da fagocitose.

4. Na fagocitose, os leucócitos cercam os


microrganismos com prolongamentos do
seu citoplasma. Quando o microrganismo
V. pág. 93 do manual. já está todo envolvido pelo citoplasma,
digerem-no.
20

Defesas internas específicas

São ativadas quando as


defesas não específicas não
eliminam o agente
patogénico.

O sistema imunitário faz o


reconhecimento do agente
patogénico e dirige-lhe uma
resposta específica,
mediada por anticorpos.
21

Etapas da resposta imunitária

1. Reconhecimento: o invasor é
reconhecido como estranho, pelos
linfócitos.

2. Reação: são acionados os


mecanismos de defesa através da
produção de anticorpos específicos
para o invasor.

3. Ação: os anticorpos ligam-se ao


invasor e inativam-no.
22

Etapas da resposta imunitária

4. Eliminação: O agente agressor é


destruído por fagocitose.

5. Imunidade: Mais tarde, se os mesmos


agentes infeciosos voltarem a atacar,
os anticorpos específicos são
rapidamente produzidos e ligam-se a
eles para os destruírem. Nesta
situação diz-se que o organismo
possui imunidade adquirida, ou seja,
defesas naturais para determinados
agentes patogénicos.
23

Imunidade

O sistema imunitário tem ainda capacidade


de «memória», o que lhe permite responder
rapidamente à invasão de corpos estranhos
com os quais já tinha estado em contacto.

O organismo está imune quando já possui


defesa específica para o corpo estranho:
imunidade natural ou inata.
24

Já sabes?

1. O que são anticorpos?

2. Por que razão os mesmos


anticorpos que nos defendem do
tétano não nos podem defender do
sarampo?

V. pág. 94 do manual.
25

Já sabes? (Respostas)

1. Anticorpos são proteínas produzidas


por alguns leucócitos que se ligam
aos microrganismos ou às suas
toxinas e anulam a sua ação.

2. Os anticorpos são específicos, isto


é, só atuam no microrganismo ou
na toxina que provocou o seu
aparecimento.

V. pág. 94 do manual.
26

Prevenção de doenças infeciosas

A prevenção baseia-se na tentativa de evitar o contágio.


A higiene, a esterilização e a desinfeção são as principais ações da
prevenção.

Higiene Esterilização Desinfeção


27

Vacinação

Consiste em administrar vacinas a pessoas saudáveis para as proteger


de doenças, com base no processo de imunidade.

O sistema imunitário reconhece a vacina como um invasor e combate-a,


produzindo anticorpos específicos: imunidade adquirida.
28

Vacinas

Microrganismos patogénicos mortos ou enfraquecidos, partes


destes ou ainda formas atenuadas das toxinas.
29

Plano Nacional de Vacinação de 2017


30

Já sabes?

1. O que é uma vacina?

2. Explica como atua uma vacina no


organismo.

3. Refere a importância das vacinas.

V. pág. 96 do manual.
31

Já sabes? (Respostas)
1. As vacinas são uma medida preventiva
muito eficaz. Uma vacina é constituída
pelos agentes que causam a doença
devidamente tratados: microrganismos
patogénicos mortos ou enfraquecidos,
partes destes ou ainda toxinas atenuadas.

2. A vacina, quando introduzida no


organismo, obriga-o a produzir anticorpos
específicos que vão imunizá-lo contra o
microrganismo que provocou essa
produção de anticorpos.

3. As vacinas salvam a vida a milhões de


pessoas, melhoram a saúde, o bem-estar
e são o meio preventivo mais eficaz,
sendo a forma mais simples de proteger o
V. pág. 96 do manual.
organismo de doenças infeciosas e de
prevenir a sua transmissão a outras
pessoas.
32

Antibióticos

Medicamentos que atuam sobre as bactérias impedindo a sua multiplicação


ou destruindo-as sem provocar efeitos muito tóxicos no organismo.

O uso inadequado dos antibióticos causa o aumento do número de bactérias


resistentes a antibióticos e, consequentemente, o desenvolvimento de
doenças.
33

Antibiograma

Teste utilizado para determinar


qual é o antibiótico mais eficaz
sobre determinada bactéria e
evitar a propagação de
bactérias resistentes.

Método: colocam-se diferentes


antibióticos sobre uma cultura
de bactérias e verifica-se qual é
o que destrói de forma mais
eficiente a cultura.
34

Regras de utilização dos antibióticos

Nunca devem ser partilhados.


Devem ser utilizados apenas por
recomendação médica e seguindo as
instruções do médico.
Deve-se tomar a dose receitada
(depende da infeção, do peso e da idade
da pessoa doente).
Deve ser cumprido o intervalo entre as
doses.
Deve respeitar-se o período de tempo
indicado pelo médico.
35

Receita e guia de tratamento para o utente


36

Já sabes?

1. Qual foi o primeiro antibiótico a ser


descoberto?

2. Refere a importância do
cumprimento das regras no uso de
antibióticos.

3. Para que serve o antibiograma?

V. pág. 98 do manual.
37

Já sabes? (Respostas)

1. A penicilina.

2. Se não cumprirmos as regras, as


bactérias adaptam-se e tornam-se
resistentes, uma vez que os
antibióticos perdem a capacidade
de as destruir ou de impedir o seu
desenvolvimento.

3. O antibiograma é um teste que


permite escolher o antibiótico mais
eficaz para atuar sobre a bactéria
V. pág. 98 do manual. em estudo.
38

Medicamentos de venda livre

Medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM) que


permitem tratar sintomas ou problemas de saúde ligeiros (como a
tosse, dor de cabeça, congestão nasal, etc.), de forma rápida e
económica, sem a necessidade de procurar um médico.
39

Regras na utilização de MNSRM

Devem ser utilizados de acordo com


a informação disponível na embalagem
e no folheto informativo.
O cumprimento do horário e o número
de tomas diárias devem ser respeitados.
No caso de doença crónica, ter em
atenção outros medicamentos que
se estejam a tomar.
A automedicação não é aconselhável
em crianças, grávidas e mães
a amamentar sem acompanhamento
médico ou farmacêutico.
40

Regras na utilização de MNSRM

Só devem ser utilizados para


sintomas ligeiros.
Em geral, não devem ser utilizados
por um período superior a cinco
dias.
Se surgir alguma dúvida ou no caso
de recaída ou se os sintomas
persistirem, falar com o médico ou
farmacêutico.
41

Já sabes?

1. O que são medicamentos de venda


livre?

1.1 No máximo, durante quanto


tempo devem ser tomados?

1.2 Refere outros dois cuidados a ter


para que o seu uso seja considerado
seguro.

V. pág. 99 do manual.
42

Já sabes? (Respostas)

1. É um medicamento não sujeito a


receita médica.

1.1 Em regra, não devem ser


tomados por um período superior a
cinco dias.

1.2 Cumprir o horário e o número de


tomas diárias e utilizá-los de acordo
com a informação do folheto e da
embalagem, por exemplo.

V. pág. 99 do manual.

Você também pode gostar