Você está na página 1de 26

EXAMES

COMPLEMENTARES

RADIOLOGIA

Prof. Ms. Marcos Antonio P. Brito


Radiologia é a parte da ciência que
estuda órgãos e/ou estruturas através
da utilização dos raios x, envolvendo um
processo de revelação.

- No Brasil o Conselho Federal de


Medicina reconhece a especialidade
pelo nome de "Radiologia e
Diagnóstico por imagem".
Raio X.
-Wilhelm Conrad Roentgen (1895) -
Primeiro Prêmio nobel de Física;
-porque o nome raio x?
-início de uma nova era de
diagnóstico.
-nome chapa de raio x.
O que é raio x (Rx)?
È uma radiação eletromagnética, com
comprimento de onda no intervalo de
-11 a -8
10 m (0,1 a 100 Ǻ) e velocidade de
8
3x10 m/s, resultante da colisão de
elétrons produzidos em um cátodo
aquecido contra elétrons de ânodo
metálico.

O ångström é uma medida de comprimento que se


relaciona com o metro através da relação:
-10
1Å = 10 m
Porque os Rx são utilizados ?
Porque são raios que possuem grande
capacidade de penetração.
Obs: por possuírem comprimento de
onda muito curto.
Quanto menor o comprimento de onda
e maior a frequência de um raio, maior
será sua capacidade de penetração na
matéria.
Como são produzidos os Rx?
São produzidos ao se liberar energia no choque de
elétrons de alta energia cinética contra uma placa de
metal.
Na figura esta representada esquematicamente a estrutura de
um tubo eletrónico de Röntgen. O cátodo C é uma espiral de
volfrâmio, que emite elétrons graças à emissão
termoeletrônica. O cilindro Cl foca o feixe de elétrons que
depois colidem com o eléctrodo metálico (ânodo) A . Durante
este processo, formam-se os raios X. A diferença de potencial
entre o cátodo e o ânodo atinge várias dezenas de quilovolts.
Detecção
A detecção dos raios X pode ser feita de diversas
maneiras, a principal é a impressão de chapas
fotográficas que permite o uso medicinal e industrial
através das radiografias.

RADIOGRAFIA:
É um exame clínico baseada na produção de
Raios X.

Os exames radiográficos utilizam raios-X; neste, o


feixe de raios-X, transmitido através do paciente,
impressiona o filme radiográfico, o qual, uma vez
revelado, proporciona uma imagem que permite
distinguir estruturas e tecidos com propriedades
diferenciadas.
Usos
Na medicina os raios X são utilizados nas
análises das condições dos órgãos internos,
pesquisas de fraturas, tratamento de tumores,
câncer, doenças ósseas, etc.

Exposição
No ser humano a exposição demorada aos
raios X poderá causar vermelhidão da pele,
ulcerações e empolamento.
Em casos mais graves de exposição poderá
causar sérias lesões cancerígenas, morte das
células e leucemia.
Natureza eletromagnética

Os raios X se propagam à velocidade


da luz, como qualquer radiação
eletromagnética estão sujeitos aos
fenômenos de refração, difração,
reflexão, polarização, interferência e
atenuação.
Sua penetrância nos materiais é
relevante, pois todas as substâncias
são transparentes aos Raios X em
maior ou menor grau.
Como são feitas as distinções de
estruturas na radiografia?
Obtém-se imagens radiográficas que, mostram
tonalidades de cor cinza bem diferenciadas;
conforme a densidade, tudo o que está dentro do
corpo surge em uma cor diferente numa radiografia.

-Elementos rádio-transparentes: líquidos e gases em


geral apresentam aspécto de cinza escuro (puxado p/
preta).
-Elementos rádio-densos: tecidos em geral
apresentam aspécto de cinza claro (puxado p/ a
branca).
Formas de aquisição da radiografia:
-Ântero-posterior (AP)
-Lateral (L)
Obs: O radiologista na maioria das vezes colhe uma
radiografia AP e uma L para ter uma certeza maior
(90°).
O que podemos observar na
radiografia:
-Osso: fraturas, tumores, distúrbios de
crescimento e postura.
Na densitometria óssea pode-se verificar
osteoporose;
-Articulações: luxação e sub-luxação;
-Pulmão: doenças respiratórias e alteração
do tamanho (neoplasias);
-Músculo: edemas local e alteração do
tamanho.
Radiografia Contrastada:
É uma rediografia simples, entretanto, o
pcte recebe a administração de uma
substância detectável aos raios X.
-As substâncias mais utilizadas são: Iodo
e Bário.
*muito utilizada nas fraturas de fêmur
com suspeita de lesão vascular.
Tipos de Radiografia Contrastada:

1. Artrografia
È a introdução de um agente de contraste
(contraste + iodeto ou – ar; ou tmbém a
associação dos 2) no espaço articular.
Muito utilizada para lesão de cápsula articular e
tecido fibrocartilaginoso.
*hoje praticamente substituída pela TC e RM;
*técnica barata, de fácil interpretação e muito
utilizada nas articulações dos mmss.
2. Tenografia
È a introdução de um agente de contraste dentro da bainha
tendínea.
*pouco utilizada hj em dia por causa do surgimento da TC e
RM.
*método muito utilizado nos tendões que passam pelo túnel do
carpo.

3. Bursografia
É a introdução de um agente de contraste dentro bursa.
*pouco utilizada hj em dia por causa do surgimento da TC e
RM.
*bursa subacromial-subdeltóidea.
4. Angiografia
Uso de contraste injetado diretamente em
ramos seletivos da circulação arterial e
venosa.
*técnica muito utilizada antigamente para
entender o sistema circulatório;
*muito utilizada hoje em dia;
*radiografias em sequência.
*muito utilizada como exame pré-
quimioterapia.
5. Mielografia
Injeção de contrastes hidrossolúveis no
espaço subaracníde, juntamente com o
líquido cerebroespinhal.
*pouco utilizada após a invenção da TC e
RM;
*posição do paciente influencia no exame.
6. Discografia
É a injeção de contraste no núcleo pulposo
do disco intervertebral.
*procedimento controverso que hoje em dia
foi abandonado;
*técnica que perdeu sua validade com a
descoberta da TC e RM.
FINALIZANDO:
-Estas 6 técnicas de radiografia
contrastada, usam como carro chefe de
contraste, iodeto (+) e ar (-).
-A grande maioria destas técnicas hoje em
dia estão um pouco defasadas por causa
do surgimento da TC e RM.
-Entretanto, muito centros (de regiões mais
carentes) ainda utilizam esta técnica pelo
seu baixo custo quando comparado com as
técnicas citadas anteriormente.
FIM.
Obrigado pela atenção!!!!