Você está na página 1de 12

Anna Thompson, afro-americana, 16 anos.

Foi encontrada em casa com os pulsos


sangrando. Encaminhada para o hospital psiquiátrico para avaliação psicológica. Através
de uma entrevista com um psiquiatra especialista em transtornos do comportamento
em adolescentes, Anna foi diagnosticada com depressão. Relatou problemas familiares e
relacional.
AVALIAÇÃO

A característica essencial de um período depressivo maior é um período de, pelo


menos, duas semanas com humor deprimido ou perda de interesse ou prazer em
quase todas as atividades.

Para ser classificado como episódio depressivo maior, o indivíduo deve experimentar
pelo menos cinco dos sintomas a seguir, durante duas semanas.

_ Humor constantemente deprimido deprimido


_ Falta de interesse em atividades anteriormente consideradas agradáveis
_ Perda ou ganho significativa de peso
_ Dificuldade para dormir ou dormir demais todos os dias
_ Agitação ou sensação de lentidão
_ Fadiga diária.
_ Sensação de culpa e de falta de valor inadequados.
_ Dificuldade de concentração e em tomar decisões.
_ Pensamentos ou tentativas de suicídio.

Os sintomas podem interferir significativamente no funcionamento diário e não são


causados pelo uso de substancias, estados clínicos ou uma compreensível ração a
eventos da vida, como a morte de um membro da família.
A avaliação da depressão em adolescentes pode ter varias formas, como testes de
laboratório, entrevistas, medidas de autorrelato e observação direta.
Diversos estados clínicos e neurológicos podem produzir sintomas de depressão, entre
eles, alterações cerebrais e hormonais, problemas vasculares, doenças graves etc. Há
também várias substancias que podem causar depressão.

Um teste laboratorial de depressão é o (TSD) Teste de Supressão com Dexametasona,


em que se avalia a capacidade do indivíduo de suprimir a secreção de cortisol.
Indivíduos com depressão tendem a ter níveis mais elevados de cortisol, um hormônio
ligado ao estresse. O teste TSD, porém, identifica apenas 40% a 70% dos jovens
deprimidos.

A entrevista é particularmente importante para avaliação. As entrevistas estruturadas


para essa população compreendem Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia
for School-Aged Children e a Children's Interview for Psychiatrique Syndromes.
Ana foi submetida ao CID (Children's Depression Inventory ) quem contem 27 itens
referentes a sintomas depressivos recentes.

- Estou sempre triste.


- Quero me matar.
- Sinto-me sempre sozinho.

A observação direta do comportamento também pode ser usada para avaliar a depressão.
Os avaliadores devem procurar:

- Expressão faciais tristes.


- Diminuição das atividades motoras e sociais, como falar e brincar menos ou interagir
menos com os outros.
- Excesso de comportamento solitário, como ler ou assistir a Tv.
- Falar baixo.
- Diminuição do contato visual.
- Envolvimento em discussão.
- Afeto negativo na forma de testa franzida, queixas ou ausência de sorrisos.
FATORES DE RISCO E VARIÁVEIS
MANTENEDORAS

** Fatores Biológicos

*** Fatores Psicológicos


ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO
Em crianças pré-escolares, a
depressão pode envolver tristeza,
irritabilidade, retraimento,
lentidão de movimentos, choro e
queixas somáticas como dores de
estômago. Estes sintomas
podem, no entanto, derivar de
outros transtornos, e os sintomas
da depressão manifestam-se, às
vezes, por meio de
comportamento de oposição
nesta idade. Assim, um
diagnóstico de depressão é
quase sempre difícil em crianças
pré-escolares.
ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO
Crianças em idade escolar tornam-se mais
capazes e dispostas a se expressar quando
emocionalmente perturbadas. Os sintomas
depressivos em crianças de 6 a 12 anos
podem incluir queixas somáticas, como dor
de cabeça e estômago, tristeza,
desempenho escolar fraco, choro,
irritabilidade, fadiga, insônia, aumento ou
diminuição da atividade motora,
preocupação e baixa autoestima.
Pensamentos e tentativa de suicídio
também se tornam mais prevalentes à
medida que as crianças crescem. Tais
sintomas as vezes indicam outros
transtornos. Algumas crianças em
depressão não apresentam estes sintomas.
ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO
Adolescentes e adultos apresentam
uma depressão próxima da depressão
“clássica”. Tendem a mostrar mais
humor deprimido, atraso psicomotor,
problemas de sono, retraimento social,
fuga de estímulos interpessoais,
preocupação e ansiedade,
comportamentos disruptivos, queixas
somáticas, baixa autoestima em
relação a imagem corporal, ideação
suicida. Muitas pessoas apresentam
episódios de depressão maior na
adolescência durando até 12 semanas.
TRATAMENTO

• Pode ser feito em ambientes ambulatoriais


ou de internação, com o objetivo de reduzir
os sintomas depressivos graves e a ideação
suicida, e a possibilidade iminente de ferir-
se;
• Terapia individual ou familiar;
• Tratamento medicamentoso;
• Terapia em grupo e terapia ambiental;
• Desenvolvimento de habilidades
interpessoais.