Você está na página 1de 94

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE

FEIRA DE SANTANA (UEFS)


 FEIRA DE SANTANA ,24/10/2018
 MÓDULO DE ATUALIZAÇÃO UEFS-4º ANO MEDICINA
 MÉTODO  PORTABILIDADE
COMPLEMENTAR

 AUSÊNCIA DE EXPOSIÇÃO  ESTUDO DINÂMICO


A RADIOATIVIDADE DOS ÓRGÃOS

 PRATICIDADE
 TIPOS DE SONDAS
 BAIXO CUSTO OU TRANSDUTORES
 ANECOGÊNICO, ANECÓICO OU SEM ECOS =
FEIXE SONORO SE PROPAGA FACILMENTE > L A,
CISTOS SIMPLES, BEXIGA REPLETA ...

 HIPOECOGÊNICO OU HIPOECOICO = FEIXE


SONORO SE PROPAGA DE MODO SATISFATÓRIO,
TONALIDADE CINZA > MIOMA...
 ECOGÊNICO OU HIPERECOGÊNICO =
ESTRUTURAS QUE IMPEDEM A PROPAGAÇÃO DA
ONDA SONORA > ALÇAS INTESTINAIS, OSSOS,
ÁREAS CALCIFICADAS ...

 DEBRIS = FINAS PARTICULAS EM SUSPENSÃO EM


COLEÇÃO ESPESSA >ABSCESSOS,
ENDOMETRIOMAS, CISTOS HEMORRÁGICOS .
 70% DAS CONSULTAS > DOR

 GRAVIDEZ ECTÓPICA

 TORÇÃO ANEXIAL

 RUPTURA DE CISTOS

 DEGENERAÇÃO DE MIOMAS
 HEMORRÁGICO > RUPTURA DE CISTO
> PRENHEZ ECTÓPICA

 GRITO DE DOUGLAS :SINAL DE PROUST

 IRRITAÇÃO DIAFRAGMÁTICA (SINAL DE


LAFOND)> DOR IRRADIADA PARA OMBRO

 IRRITAÇÃO PERITONEAL (SINAL DE BLUMBERG)


 INFLAMATÓRIO > DIPA E ABSCESSO TUBO
OVARIANO

 ISQUÊMICO : >TORÇÃO OVÁRIO E/OU TUBA


>DEGENERAÇÃO MIOMA
 1:200 GESTAÇÕES

 BHCG >1500 UI/ML

 USG TRANSVAGINAL AUSÊNCIA DE GESTAÇÃO


TÓPICA
FATORES DE RISCO:

 DIP (AUMENTA RISCO  GESTAÇÃO


DE 30-50%) ASSISTIDA

 DIU
 FATORES INERENTES
 GRAVIDEZ ECTÓPICA AO OVO
PRÉVIA
 PÍLULA DE
 CIRURGIA TUBÁRIA EMERGÊNCIA
PRÉVIA
 TUBAS 98% (AMPULAR 80% ISTMO 12%
INTERSTICIAL 2%)

 OVÁRIO 1,4%

 CERVICAL 0,15%

 ABDOME 0,15%
 DOR ABDOMINAL : 95-100% DOS CASOS

 ATRASO MENSTRUAL : 75- 95%

 SANGRAMENTO GENITAL 50-80%

 HIPONTENSÃO

 SÍNCOPE

 CHOQUE
 AUSÊNCIA DE OVO EM CAVIDADE UTERINA

 ENDOMÉTRIO ESPESSADO

 SACO GESTACIONAL/EMBRIÃO EM REGIÃO


ANEXIAL

 MASSA ANEXIAL OU FUNDO SACO

 LIQUIDO LIVRE EM CAVIDADE

 FETO EM CAVIDADE ABDOMINAL


PASTORE
PASTORE
PASTORE
Arquivo pessoal
 PROCESSO INFECCIOSO LOCALIZADO A PARTIR DO
OI COMPROMETE ENDOMÉTRIO, ANEXOS E OU
ESTRUTURAS CONTÍGUAS
 90% ASSOCIADO COM ISTS
 RISCO APÓS MANIPULAÇÃO (DIU, BIÓPSIA, CTG)
 BACTÉRIAS :
 > N.GONORRHEA 30%
 > C.TRACHOMATIS 25-43%
 >MYCOPLASMA HOMINI 10-15%
 >ANAERÓBIOS
 RISCO DE INFERTILIDADE (12-50%)
 CRITÉRIOS MAIORES

 CRITÉRIOS MENORES

 CRITÉRIOS ELABORADOS

OBS: - SÃO NECESSÁRIOS 3 CRITÉRIOS MAIORES + 1


CRITÉRIO MENOR
- OU 1 CRITÉRIO ELABORADO
 HEMOGRAMA

 VHS

 PCR

 BETA HCG

 US TRANSVAGINAL

 OUTROS
 MIOMÉTRIO E ENDOMÉTRIO ECOGÊNICO

 ESPESSAMENTO ENDOMETRIAL

 LÍQUIDO LIVRE EM ENDOMÉTRIO (PIOMETRA,


HEMATOMETRA)

 DESVIO TOPOGRÁFICO UTERINO

 CONTORNOS IMPRECISOS
 LÍQUIDO NO SEU INTERIOR, ASPECTO ALONGADO

 IMAGEM DE ABSCESSO

 ACOTOVELAMENTO DA TROMPA
 AUMENTADO

 LIMITES IRREGULARES

 HETEROGÊNEO

 LÍQUIDO PERIOVARIANO

 MULTIPLICIDADE DE CISTOS
 LÍQUIDO LIVRE (FUNDO DE SACO )

 ALÇAS INTESTINAIS COM DISTENSÃO E


AUMENTO DA PERISTALSE

 LESÕES NA SUPERFÍCIE HEPÁTICA


(PERIHEPATITE) > SD. FITZ –HUGH-CURTIS
 DOR AGUDA COM MELHORA GRADATIVA

 APÓS RELAÇAO SEXUAL

 PODE TER TENESMO

 EXAMES DE LABORATÓRIO (BETA HCG E


HEMOGRAMA )

 US PÉLVICA / TRANSVAGINAL
 MASSA SÓLIDA HIPERECOGÊNICA (COÁGULO
RETRAÍDO)

 REFORÇO ACÚSTICO POSTERIOR

 CONTEÚDO ESPESSO COM SEPTAÇÕES (DISSOLUÇÃO


DO COÁGULO)

 COÁGULO ADERIDO A PAREDE PODE SIMULAR LESÃO


VEGETANTE

 LIQUIDO LIVRE EM FUNDO DE SACO OU


PERIOVARIANO (SIMULAM GRAVIDEZ ECTÓPICA )
 MASSA PREDOMINANTEMENTE CÍSTICA

 HIPOECÓICOS COM ECOS INTERNOS


HOMOGÊNEOS

 HETEROGÊNEOS INDICAM HEMORRAGIA


INTERCÍSTICA

 8% PODEM APRESENTAR ASPECTO DE NÓDULO


SÓLIDO
 POUCO FREQUENTE (2,7% DAS CIRURGIAS
GINCOLÓGICAS )

 OCORRE TORÇÃO DO PEDÍCULO OVARIANO


SOBRE SEU EIXO

 MENACME

 UNILATERAL
 CISTOS BENIGNOS

 ESTRANGULAMENTO DO FLUXO SANGUÍNEO

 NECROSE

 DIAGNÓSTICO US DIFÍCIL
 GERALMENTE ASSINTOMÁTICOS

 NECROSE

 ÁREAS HIPOECÓICAS, IRREGULARES, MAL DEFINIDAS

 MIOMAS GRANDES

 MIOMAS PEDICULADOS

 GRAVIDEZ
Segundo a OMS, é definido como a interrupção da gestação
com feto pesando menos de 500 gramas, ou com idade
gestacional até 22 semanas.

 ABORTAMENTO: processo

 ABORTO: produto eliminado


 CLÍNICO: quando ocorre após a gravidez confirmada
pela dosagem de Beta-Hcg ou USG

 SUBCLÍNICO: antes do atraso menstrual >30 a 60%


das gestações.

 80% das gestações interrompidas até 12ª semana


QUANTO A IDADE GESTACIONAL (IG):

 ABORTAMENTO PRECOCE: interrupção da gestação


até a 12ª semana gestacional

 ABORTAMENTO TARDIO: após a 12ª semana


gestacional

 ABORTAMENTO HABITUAL: ocorrência de 3 ou mais


episódios consecutivos de abortamento
 15 a 25% de todas as gestações

 Probabilidade de evolução para abortamento


espontâneo é de 50%

 USG: não há alterações significativas (BCF PRESENTES)


ACHADOS ULTRASSONOGRÁFICOS :
 Embrião vivo

 Descolamento ovular < que 40% da área do ovo

❖MAL PROGNÓSTICO :
 Bradicardia embrionária < 100 Bpm

 Crescimento embrionário abaixo de 2 DP

 Saco gestacional pequeno em relação ao embrião

 VV com morfologia / Dimensões anormais.


DESPROPORÇÃO ENTRE SG E VV
IRREGULARIDADE E/OU IMPLANTAÇÃO BAIXA DE SG
DESPROPORÇÃO ENTRE O SG E O EMBRIÃO
 Sangramento: presente e por vezes intenso


Dor: cólicas, em baixo ventre e lombar


Útero: compatível ou não com IG


Orifício interno do colo: Aberto, bolsa amniótica
herniada


BETA: positivo na maioria das vezes

BCF: PRESENTES OU AUSENTES


DESLOCAMENTO OVULAR


HEMATOMA RETROCORIAL


SG EM PROCESSO DE EXPULSÃO
 Expulsão espontânea e total do feto e dos anexos. Mais
frequente até 8 semanas

 Clínica: parada ou diminuição súbita do sangramento e


das cólicas


Ultrassonografia: útero ou imagens compatíveis com
coágulos/endométrio fino
 SANGRAMENTO: VARIÁVEL

DOR: CÓLICAS

FEBRE: AUSENTE

ÚTERO: < MENOR QUE O ESPERADO PARA IG

ORIFÍCIO DO COLO: FECHADO OU ABERTO

BETA HCG: NEGATIVO OU DECRESCENTE

USG: RESTOS OVULARES /ENDO > 15MM
 SANGRAMENTO: AUSENTE

DOR: AUSENTE

ÚTERO: < IG

COLO: FECHADO

BETA HCG: NEGATIVO OU DECRESCENTE

USG: EMBRIÃO PRESENTE ,SEM BATIMENTOS OU
ANEMBRIONADA
 Saco Gestacional – diâmetro médio >/ = 18 mm sem
embrião

 CCN > / = 5mm sem frequência Cárdio embrionária


(FCE)

 Saco Gestacional Diâmetro Médio >= 8 mm sem VV

 Acalvagamento ósseo (Sinal de Spalding)


 RESPONSÁVEL PELO GRANDE NUM DE
MORTALIDADE MATERNA
 ACRETISMO PLACENTAR > 1:533 A 1: 2510

 CESAREANAS PRÉVIAS

 ENDOMETRITE

 CURETAGEM

 INSERÇÃO BAIXA DE PLACENTA


 ALTA SENSIBILIDADE (77-87%)

 ALTA ESPECIFICIDADE (96-98%)

 ASPECTO DE QUEIJO SUIÇO (ESPAÇOS


VASCULARES DENTRO DA PLACENTA)

 AFILAMENTO DO MIOMÉTRIO ADJACENTE A


PLACENTA
 PERDA DO ESPAÇO HIPOECÓICO
RETROPLACENTAR

 PROTUSÃO DA PLACENTA PARA DENTRO DA


BEXIGA

 DOPPLER > INVASÃO VASCULAR MIOMÉTRIO


 O LA REPRESENTA UM RESERVATÓRIO PARA A
HOMEOSTASIA DA HIDRATAÇÃO FETAL .

 95% DO LA É RENOVADO DIARIAMENTE

 PICO MÁXIMO EM TORNO DE 34 SEMANAS

 REDUZ COM AVANÇO DA IG .

 IMPORTANTE PARA DEFINIR BOAS IMAGENS AO


US
7 SEMANA S 20 ML

12 SEMANAS 50 ML

16 SEMANAS 200 ML

20 SEMANAS 350 ML

30 SEMANAS 600 ML

34 SEMANAS 980-1000 ML

38 SEMANAS 800 ML

40 SEMANAS 600-800 ML

42 SEMANAS 300-540 ML
OLIG GRAVE <1CM

OLIGOAMNIO <2 CM

LA REDUZIDO 2-3 CM

NORMAL 3-8 CM

LA AUMENTADO > 8 CM

POLIDRAMNIO LEVE 8-12 CM

POLIDRAMNIO MODERADO 12-16 CM

POLIDRAMNIO GRAVE > 16 CM


OLIGOAMNIO < 5 CM

LA REDUZIDO >5 E < 8 CM

NORMAL 8 A 22 CM

LA AUMENTADO >22 E < 25 CM

POLIDRAMNIA >OU = 25 CM
 AA.UTERINAS>RASTREAMENTO DEFINIR
PROGNÓSTICO PRESENÇA DE INCISURAS
PROTODIASTÓLICAS

 A.UMBILICAL >AVALIAR COMPARTIMENTO


FETO-PLACENTÁRIA

 A.CEREBRAL MÉDIA > BEM ESTAR FETAL

 DUTO VENOSO>FUNÇÃO CARDÍACA FETAL


 AVALIAÇÃO BEM ESTAR FETAL

 SOFRIMENTO FETAL

 ANEMIA FETAL

 CENTRALIZAÇÃO FETAL : CÉREBRO ,CORAÇÃO E


SUPRA RENAIS
 AVALIAR FUNÇÃO CARDÍACA FETAL

 ALTERAÇÃO = FALÊNCIA MIOCÁRDICA


 AVALIAÇÃO PESO FETAL

 APRESENTAÇÃO FETAL
 PASTORE,Ayrton
Roberto;CERRI,Giovanni.Ultrassonografia em
Ginecologia e Obstetrícia .2 ed.Rio de Janeiro:Revinter
2010
 Curso FETUS
 PROAGRO : Programa de Atualização em Ginecologia
e Obstetricia .