Você está na página 1de 32

CENTRO UNIVERSIDADE - UNINTA

CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

DHEYSON SOARES GUSMÃO


EDSON CARLOS RODRIGUES CORREA
MAX DOUGLAS FRÓES FERREIRA
PEDRO LEANDRO PAIXÃO NETO

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Santa Helena – MA
2018
CENTRO UNIVERSIDADE - UNINTA
CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Projeto apresentado às disciplina


Seminário Interdisciplinar como requisito
parcial para aprovação na disciplina.

Santa Helena – MA
2018
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 4
2 OBJETIVO .................................................................................................................. 6
2.1 GERAL ..................................................................................................................... 6
2.2 ESPECÍFICOS .......................................................................................................... 6
3 PROBLEMÁTICA ....................................................................................................... 7
4 JUSTIFICATIVA .......................................................................................................... 9
5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................... 10
6 METODOLOGIA ......................................................................................................... 28
7 CRONOGAMA ............................................................................................................ 29
8 AVALIAÇÃO ............................................................................................................... 30
9 REFERÊNCIAS............................................................................................................ 31
1 INTRODUÇÃO

A interdisciplinaridade favorece ao estudante reconhecer que os conteúdos estão


articulados e, dessa forma pode contribuir para o desenvolvimento de um conhecimento
mais integrado, contextualizado, amplo e propulsor de novas inter-relações.
Ressalta-se a importância de se almejar um ensino integrado, que ultrapasse a
barreira de um conhecimento estanque e que esteja incorporado à prática diária do
educador. É importante o hábito do diálogo e da cooperação entre os professores, de forma
contínua e intermitente, fazendo com que adotem essa postura de educadores
interdisciplinares. Essa metodologia fortalece o entendimento da função social do
educador e faz também com que o aluno se perceba como parte integrante e importante do
processo educativo, buscando compreender questões complexas do dia a dia por meio da
multiplicidade dos enfoques.
O presente projeto será realizado no dia 17 de junho do referido ano, onde
iremos descrever, falar e mostrar alguns patrimônio histórico de Santa Helena.
O evento acontecerá na escola Antônia Silva Ribeiro com o objetivo e finalidade
de melhorar o aprendizado do público e o conhecimento dos patrimônios de nossa cidade.
2. OBJETIVOS

2.1. Geral

• Despertar o interesse em relação aos patrimônios histórico da nossa


Cidade;

2.2. Específicos

• Reconhecer a importância do patrimônio histórico, cultura e artístico da


memória da cidade
• Conhecer o lugar onde se vive;
• Identificar transformações temporais quanto à ocupação do espaço e
mudança nas paisagens.
3. PROBLEMÁTICA

Por que é importante conhecer melhor o patrimônio histórico da cidade


em que vivemos?
Infelizmente, em geral, a maioria dos patrimônios não são vistos com
tão bons olhos pelas autoridades. São conhecidas as histórias e frequentes os
casos de descaso, demolições e abandono de prédios que são verdadeiras
testemunhas da história local, e que fazem a importante ligação entre a população
e sua identidade cultural.
É claro que não podemos ser contra o progresso, ou esperar que tudo
continue para sempre como está, pois o desenvolvimento não pode ser parado. É
evidente que nossas cidades devem se modernizar, que novas construções devem
surgir e a paisagem mudar, mas o que não deve nunca deve ser deixado de lado é
a preservação do patrimônio histórico, pois ele representa a materialização da
nossa história e da identidade cultural coletiva. A perda do patrimônio representa
a perda da história e da identidade, o que pode ser preocupante, pois a história do
nosso município e do local onde moramos é única e insubstituível, e a destruição
das suas representações materiais representa o esquecimento de parte da nossa
identidade cultura, e esquecer nossa cultura é esquecer quem somos.
4. JUSTIFICATIVA

Pode-se perceber a importância de sabemos quais são os patrimônios


históricos de nossa cidade.
O trabalho consiste em sensibilizar e conscientizar a comunidade por meio
do conhecemos mais abrangente dos pontos em destacados. Como: A Ponte sobre o
Rio Turiaçu, A Beira Rio e outros.
Propõe-se o estudo dos principais fatores que podem ocasionar e
influenciar a nossa cultura, aprendizagem histórica dos pontos missionados
anteriormente.
5. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O patrimônio histórico e cultural pode ser definido como o conjunto das


manifestações que emanam da sociedade num determinado local ao longo do tempo,
abrangendo diversos campos, desde as artes, edificações e praças até o próprio modo de
viver, o paisagismo, os saberes e celebrações. Desta forma, tornam-se referência simbólica
dos cidadãos em relação ao espaço no qual habitam e constituem a própria identidade da
cidade.
Preservar o patrimônio histórico e cultural faz com que as marcas de sua história
se perpetuem no tempo, assegurando sua diversidade cultural e o planejamento de
construções dinâmicas que enriqueçam ainda mais aquela região.
As primeiras manifestações efetivas em prol da preservação do
patrimônio histórico e cultural ocorreram no século XIX, após a Revolução
Francesa e a Revolução Industrial, inicialmente criada para restaurar os
monumentos e edifícios históricos destruídos no decorrer da guerra.
Atualmente, a proteção do patrimônio histórico e cultural, no âmbito do
ordenamento jurídico brasileiro, encontra respaldo em leis específicas, como o
Decreto-Lei nº 25 de 30 de novembro de 1937, e até mesmo na
própria Constituição Federal e em tratados internacionais.
Propõe-se, assim, uma análise acerca do tema, com a explanação sobre a
evolução da legislação pertinente, bem como um estudo jurídico sobre a proteção
do patrimônio histórico e cultural, conforme sua natureza.
Através do patrimônio histórico podemos, portanto, conhecer a história e
tudo que a envolve. Por exemplo, a arte, as tradições, os saberes e a cultura de
determinado povo.
Por esse motivo, existem atualmente diversos órgãos que objetivam a
conservação e preservação desses bens.
Sendo assim, o patrimônio histórico reúne o conjunto de manifestações que
foram desenvolvidas ao longo do tempo e que carrega aspectos simbólicos.
Segundo o Decreto Lei n.º 25 de 1937:
Art. 1.º - Constitui o patrimônio histórico e artístico nacional o conjunto
dos bens móveis e imóveis existentes no país e cuja conservação seja de interesse
público, quer por sua vinculação a fatos memoráveis da história do Brasil, quer
por seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou
artístico."
Patrimônio Histórico e Patrimônio Cultural

Aliado ao conceito de patrimônio histórico está o de patrimônio cultural.


Segundo o artigo 216.º da Constituição, o patrimônio cultural representa os bens:
“(...) de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em
conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos
diferentes grupos formadores da sociedade brasileira”.
Sendo assim, o patrimônio cultural pode ser dividido em:
Patrimônio Cultural Material: como o próprio nome indica,
representa os bens culturais materiais, por exemplo, museus, bibliotecas,
universidades, etc.
Patrimônio Cultural Imaterial: também chamado de “patrimônio
intangível”, ele reúne diversas expressões culturais, por exemplo, os saberes, os
costumes, as festas, as danças, as lendas, as músicas, etc.
Obs: Além do Patrimônio Histórico e Cultural também podemos citar o
Patrimônio Artístico (bens artísticos) e o Patrimônio Natural (bens naturais).
Patrimônio Histórico Brasileiro

No Brasil, o patrimônio histórico é gerido pelo Instituto do Patrimônio


Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o qual está vinculado com o Ministério da
Cultura. Ele foi criado em 1937 pela Lei n.º 378 no governo de Getúlio Vargas.
Essa entidade tem como objetivo proteger e preservar os bens históricos
e culturais do nosso país, assegurando assim sua permanência.
O Brasil é um país de dimensões continentais e, portanto, abriga
diversos bens históricos e culturais. Veja abaixo alguns deles:
Centro Histórico de Olinda (Pernambuco)
Centro Histórico de Ouro Preto (Minas Gerais)
Centro Histórico de Salvador (Bahia)
Pelourinho (Salvador, Bahia)
Conjunto Urbanístico de Brasília
Cristo Redentor (Rio de Janeiro)
Estação da Luz (São Paulo)
Universidade Federal do Paraná (Curitiba)
Ruínas de São Miguel das Missões (Rio Grande do Sul)
Santa Helena – Maranhão

Santa Helena é uma cidade e um município do estado do Maranhão.


Encontra-se na microrregião da Baixada Maranhense, mesorregião do Norte
Maranhense. A cidade de Santa Helena é banhada pelo Rio Turiaçu. Tem 32.223
habitantes (2003) e 2.539 km².
História da Santa Helena Maranhão

O município foi emancipado definitivamente em 1935. Mas o seu


povoamento teve início em princípios do século XIX, por um índio chamado
Pedro Alves, que pediu uma porção de terra às margens do Rio Turiaçu, para o
assentamento de uma aldeia de índios gamelas.
Patrimônio Histórico de Santa Helena

Em nossa cidade atualmente não há tantos locais considerado


patrimônios, mas os poucos existem iremos trazer informações, citações e
também um pouco de história dos mesmos, tais como: A Igreja Matriz, A Escola
Newton Bello, A Beira Rio e a Ponte Sobre o Rio Turiaçu.
Igreja Matriz

Fonte: Autoria Própria (2018)


Em Santa Helena a primeira forma de religião cristã que ali
se estabeleceu foi o catolicismo, devido à sua influência, a
localidade transformou-se em Freguesia ainda no século XIX.
Além dos festejos citados, comemora-se também o Natal, A
Semana Santa, Mês de Maria e Mês da Bíblia. Realizam-se rezas do
rosário para defuntos, ladainhas, benditos, Festa do Divino Espírito
Santo, Santa Bárbara e outros.
Escola Newton Bello

Fonte: Autoria Própria (2018)


O Centro de Ensino Médio Newton Bello – Foi fundado no
século XX em 1944, com o nome de Dr. Paulo Ramos e está
situado à Praça José Sarney, na sede do município. Funciona nos
turnos matutino, vespertino e noturno. As modalidades de Ensino
adotadas é de Ensino Médio. Na sua estrutura interna funciona com
diretor geral, adjunto e um secretário. Tem como programa do
Governo Federal PDDE (programa dinheiro direto na escola).
Obs.: Hoje encontra-se em reformas.
Beira Rio

Fonte: Autoria Própria (2018)


A Beira Rio ou antigamente como era chamada Cais,
começou a ser Construída no Governo do Prefeito Claudionor
Araujo que durou ente 1970 a 1973, trouxe para a população de
Santa Helena Vários Benefícios, principalmente para os povos que
moram no interior do nosso município, fazendo com que os
ribeirinhos tivessem mais uma forma de escoar os seus produtos,
que eram feitas nessa época em lanchas e botes.
Outros prefeitos que vieram depois fizeram certas partes
dessa obra, que é para muitos Helenses um ponto turístico.
Ponte sobre o Rio Turiaçu

Fonte: Autoria Própria (2018)


Construída em 1988, no governo do então, Presidente
José Sarney, a ponte Rio Turiaçu é a principal obra da MA-106
à BR-116, a ponte serve de ligação da baixada com BR. Ela
liga o município de Santa Helena e Turilândia.
Essa construção também é símbolo que marca a história
da nossa terra tem uma profunda identificação com cotidiano
das cidades, ligando duas avenidas, Avenida Duque de Caxias
(Santa Helena) e a Avenida Principal em Turilândia.
Concluída em 1 ano, antes da ponte ser feita nos ano 80
era usado uma Pontão (Balsa) nas travessia dos veículos.
6. METODOLOGIA

Faz se necessário focar o patrimônio histórico em nossa cidade e


os pontos mais importantes segundo que nos diz a história de Santa Helena,
tanto dos alunos de educação física, quanto o público. Para isso foram
adotados.
* Anotações e uso de recursos como os registros fotográficos para
comprovação de quanto mais conhecemos a história da cidade.
* Utilizar de materiais, como: “slide” com informações dos pontos
colocados e outros para interagir com o público na Escola Antônia Silva
Ribeiro, mostrando quanto se é necessário.
* Verificar por meio de questionários aplicados as pessoas sobre o hábito e
o tempo vivido na cidade.
7. CRONOGRAMA

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR

DATA ATIVIDADE DESENVOLVIDA

19.05 INICIO DO PROJETO

28/05 A 02/06 PESQUISA

07/05/2018 A 06/06/18 ENVIO DA ATIVIDADE NO FORUM

06/06/18 A 09/06/18 REENVIO DA ATIVIDADE NA VERSÃO FINAL

17/06/18 APRESENTAÇÃO DO SEMINÁRIO NO POLO


8. AVALIAÇÃO

Com essa pesquisa e citações empregadas em nosso seminário


interdisciplinar, vimos e tivemos algumas dificuldades que diz respeito a
como relatar essas informações requisitadas sobre o patrimônio histórico
citadas em nossa pesquisa.
Todo assunto veio esclarecer e melhorar nosso conhecimento.
Observamos que: há em nossa cidade poucos lugares considerados
patrimônio.
Vamos discorrer o tema com mais clareza possível aos interlocutores
presentes e tenta fazer com que eles entendam o verdadeiro significado o
que é o patrimônio histórico.
9. REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS -ABNT. Rio de


Janeiro: ABNT.
http://www.todamateria.com.br/patrimonio-historico/
http://www.cidades.ibge.gov.br.com/brasil/ma/santa-helena/historico
«Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites
Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de
2008. Consultado em 11 de outubro de 2008.
IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência
do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010.
«2012 Populational Estimate» (PDF). Censo Populacional 2012. Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Julho de 2012. Consultado em 8 de
setembro de 2012.
«Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do
Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
(PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008.
«Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010.
Entrevista: ao Ex- Prefeito: Claudionor Araujo.