Você está na página 1de 54

Instituto Nacional de Telecomunicações

Engenharias

NB-014: Economia

Prof. Vinícius A. Montgomery de Miranda

Agosto/2013
Organização Econômica
Produtividade e Lucro
Por que aumentar a produtividade é tão importante para as
empresas?
Lucro = Faturamento (preço x quant.) – Custos
Insumos
(matéria-prima,
energia, mão- Empresa (processos Produtos e
de-obra e de transformação) serviços
outros)

Pr odução
Pr odutividade 
Insumos

Ao tornar o processo de produção mais eficiente, gasta-se menos insumos,


baixando os custos e aumentando os lucros da empresa. Se a produção
aumentar usando a mesma quantidade de insumos, o faturamento da
empresa aumenta e o lucro também. Por isso, maior produtividade, significa
mais lucro e empresa mais competitiva. 3
Lucro, concorrência e inovação

Lógica Capitalista
1) Busca pela redução de custos para aumentar os lucros
e a competitividade da empresa.
2) O aumento de eficiência produtiva passa pela redução
de desperdícios e pela forma mais inteligente de produzir,
em menor tempo, com menos matéria-prima, utilizando
menos mão de obra (best way).
3) Após atingir o best way, se houver competição e
redução de preços de mercado, o empresário deve buscar
a inovação para voltar a ter lucros extraordinários.

4) Para inovar, o empresário é obrigado a investir em


novas tecnologias, novos equipamentos e contratação de
mão de obra, aumentando a produção e a riqueza na
economia.
4
Organização Econômica

Economia de Mercado (Capitalista)


 O preço determina o que produzir, como produzir, em que quantidade e para
quem produzir.
 Os agentes econômicos resolvem seus problemas, sem interferência do
Estado.
 O objetivo das empresas é obter lucro em um ambiente de concorrência.

Economia Centralmente Planificada (Socialista)


 O que produzir é definido pelo planejamento central e não pelo preço.
 O Estado fixa as metas de produção.
 Os agentes privados não podem decidir livremente sobre o que produzir.

Economia Mista
 Caracterizada por apresentar características de economia de mercado e
planificada simultaneamente.
5
Organização Econômica

Na Economia Mista
O Estado não pode determinar mas pode influir:
 na elaboração de leis.
 na criação de incentivos fiscais (redução de tributos para
estimular a produção).
 na criação de acesso ao crédito.
 na gestão de empresas públicas e gastos do governo.

6
Organização Econômica
Capitalismo x Socialismo

Socialismo Capitalismo

Características: Características:
 O Estado é o proprietários dos  A iniciativa privada é o proprietária
meios de produção dos meios de produção
 O Estado determina preços e  Preços e salários são determinados
salários pelo mercado
 Não existe competição  Existe competição nos mercados

Cuba China França Alemanha

Venezuela Brasil EUA 7


Organização Econômica
Principais diferenças entre o capitalismo e o socialismo

Capitalismo Socialismo
Objetivo (empresas): lucro Objetivo: bem estar social.
Propriedade privada. Propriedade estatal.
Economia de mercado. Economia planificada.
Sociedade dividida em classes. Sociedade “sem classes”.
Pluripartidarismo. Monopartidarismo: PC.
Organização Econômica
A queda do socialismo
O socialismo é a Grande Mentira do século XX. Embora
prometesse a prosperidade, a igualdade e a segurança, só
proporcionou pobreza, penúria e tirania. A igualdade foi
alcançada apenas no sentido de que todos eram iguais em
sua penúria.
Organização Econômica
A queda do socialismo
Principais problemas gerados pelo socialismo:
 Falta de liberdade
 Surgimento de grupo/classes privilegiadas
 Crise econômica
 Defasagem tecnológica
 Altos gastos na área militar
 Queda da produtividade
Organização Econômica

Capitalismo x Socialismo
Apesar de ser o único sistema de governo capaz de gerar
riquezas, o capitalismo não é perfeito.

Quais os principais problemas do capitalismo?


1) Para funcionar corretamente as leis devem ser muito claras e
respeitadas (Instituições fortes)
2) Os indivíduos não preparados podem se tornar
marginalizados pelo sistema.
3) Os excessos do capitalismo levam à destruição de recursos
naturais.

Qual deve ser o papel do governo no sistema capitalista?

11
Condição Coeteris Paribus

Diversas variáveis produzem diferentes efeitos sobre a


demanda e a oferta de bens. Estudar todos esses efeitos
simultaneamente não leva a nenhuma conclusão.

A condição Coeteris Paribus foi criada na economia para


permitir estudar o efeito individual de cada variável sobre
a variável de estudo. Assim, quando há a condição
Coeteris Paribus, estuda-se apenas o efeito de uma
variável, mantendo todas as demais constantes.

Exemplo: suponha que uma empresa produtora de sorvetes deseja


conhecer qual o efeito do aumento de temperatura no consumo do
produto, mas na mesma época do estudo houve um aumento de
renda da população e o lançamento de um produto concorrente. Sem
a condição coeteris paribus seria impossível analisar o efeito da
temperatura sobre a demanda. 12
Demanda, Oferta e
Equilíbrio de Mercado
Definição de demanda

Demanda é a quantidade de um determinado bem


ou serviço que um indivíduo está disposto e
capacitado a comprar, por uma unidade de tempo.

Cuidado para não confundir Demanda com


quantidade demandada.

14
Mudança na quantidade demandada

Preço

$2.00

7 unidades Quantidade
15
Mudança na quantidade demandada

Preço

$2.00

$1.00

7 15 Quantidade

Observe que houve apenas uma mudança no preço do produto. 16


Mudança demanda

Preço

$2.00

7 unidades Quantidade
17
Mudança demanda

Preço

$2.00

Quantidade
7 10
Quais fatores provocam mudança de demanda?18
Estudo da demanda

Os fatores que influenciam a demanda são:

 O preço do bem (quantidade demandada).


 A renda ou salário do consumidor.
 O gosto e a preferência do consumidor (idade, sexo, etc.).
 O preço dos outros bens relacionados.
 A sazonalidade.
 As campanhas de marketing.
 As exportações.
 Disponibilidade de crédito.
19
Quantidade demandada x Demanda

Variável Uma mudança na variável


causa um(a)...
Preço Movimento ao longo da
curva da demanda
Renda Deslocamento da curva
Preço de bem relacionado Deslocamento da curva
Gostos Deslocamento da curva
Expectativa Deslocamento da curva
Número de Compradores Deslocamento da curva

20
Demanda e preço do bem

O preço do bem em estudo é a variável mais importante para


definição de sua demanda.
É de se esperar que um aumento no preço do bem produza uma
redução na quantidade demandada.

E o contrário, é verdadeiro?

Nem sempre!

Se a redução do preço de um bem provoca aumento em sua


demanda, esse bem é chamado de normal. Isso acontece
porque há uma sensação de aumento de poder aquisitivo
(renda). Mas e os bens de consumo saciado como o sal?

Alimentos, roupas de boa qualidade são considerados bens


normais. 21
Bens inferiores e de consumo saciado

Bens inferiores são aqueles para os quais, quando há aumento


de renda do consumidor, eles são trocados por outros bens. A
carne de segunda, por exemplo, é trocada por carne de primeira
se há aumento do poder aquisitivo dos consumidores.
Exemplos de bens inferiores: automóveis semi-novos, roupas
usadas, etc.

Bens de consumo saciado são aqueles para os quais a demanda


não é influenciada pela variação na renda dos consumidores.
Por exemplo, o sal, o arroz, etc.

22
Efeito renda e efeito substituição

Efeito substituição
Suponha um bem que possui um substituto que satisfaça a mesma
necessidade do consumidor. Quando seu preço aumenta, coeteris paribus, o
consumidor passa a adquirir o bem substituto, reduzindo assim, a sua
demanda. Por exemplo, se o preço da manteiga subir, mais consumidores a
substituirão por margarina, diminuindo a demanda por manteiga.

Efeito Renda
Quando o preço de um bem aumenta e tudo o mais permanece constante
(preços de outros bens e renda do consumidor), o consumidor perde poder
aquisitivo, e a demanda por esse produto diminui.

Quando a renda do consumidor aumenta, grande parte dos bens consumidos


passa a ter demanda superior.
23
Bens normais e bens superiores

Bens normais são aqueles que são consumidos regularmente e


que cuja demanda aumenta com o aumento de renda do
consumidor. Exemplos de bens normais: alimentos, vestuário,
medicamentos, etc.

Bens superiores são aqueles bens considerados supérfluos. Ou


seja, quando há aumento de renda, o consumo desses produtos
dispara. Por exemplo, eletrônicos, perfume, produtos
importados, etc.

24
Bens substitutos

Bens substitutos são aqueles que concorrem entre si. Isto é, se


ocorrer o aumento de preço de um bem, o consumidor
procurará o bem substituto, ocorrendo um aumento em sua
demanda. Por exemplo, se a Coca-cola tem preço majorado, a
procura pelo Guaraná Antarctica aumentará.

Outros exemplos: manteiga e margarina; suco e refrigerante,


etanol e gasolina, etc.

25
Bens complementares

Bens complementares são aqueles que são consumidos


simultaneamente. Ou seja, se ocorrer o aumento de preço de
um, ocorrerá redução em sua demanda e na demanda do outro
bem também. Por exemplo, se há aumento no preço do
cafezinho, há redução na demanda de açúcar.

Outros exemplos: carvão e cerveja, pão e manteiga, etc.

26
Escala de demanda individual

Demanda de Refrigerante

Preço Unit. Quant.


(R$) (lata/dia) Ponto

3,00 1 A

AUMENTA
DIMINUI

2,00 2 B

1,00 3 C

0,50 4 D

27
Como elaborar o gráfico de demanda
P

A QD = f(P)
3,00
B QD = 4 – P
2,00
C
1,00 D
0,50

Q
1 2 3 4 28
Derivando a Demanda de Mercado

Q1 = Q11 + Q21
Preço por unidade Preço por unidade Preço por unidade
de quantidade de quantidade de quantidade Q2 = Q12 + Q22

Demanda do
Indivíduo 1 Indivíduo 2 Mercado

P1

P2
Q12 Q22 Q1 Q2
Quantidade Quantidade Quantidade
Q11 (por unid.tempo)
Q21 (por unid.tempo) (por unid.tempo)
29
Gráfico de demanda agregada
Preço

P1 Curva de demanda agregada

P2

Q1 Q2
Quantidade

Observe que a curva de demanda agregada tem inclinação negativa. Isto significa que
a quantidade demandada é inversamente proporcional ao preço do produto. 30
Definição de oferta

Oferta são as diferentes quantidades que os produtores


desejam oferecer no mercado, de acordo com o preço, em
determinado período de tempo.

Cuidado para não confundir Oferta com


quantidade ofertada.

31
Mudança na quantidade ofertada

Preço

QS = f(P)

$2.00 QS = 3 + 2P

Quantidade
7 unidades 32
Mudança na quantidade ofertada
Preço

$2.00

$1.00

Quantidade
1 7
Observe que houve apenas uma mudança no preço do produto.
33
Mudança na Oferta

Preço

$2.00

Quantidade
7 unidades 34
Mudança na Oferta
Preço

$2.00

7 11 Quantidade

Quais fatores provocam mudança de oferta? 35


Estudo da oferta

Os fatores que influenciam a oferta são:

 O preço do bem ofertado (quantidade ofertada).


 O preço dos demais bens.
 O preço dos fatores de produção.
 A tecnologia.
 A sazonalidade.
 O clima.
 Estímulos governamentais.
 As preferências do empresário.
 As importações. 36
Quantidade Ofertada x Oferta

Variável Uma mudança na variável


causa um(a)...
Preço Movimento ao longo da
curva da oferta
Preço dos Insumos Deslocamento da curva
Tecnologia Deslocamento da curva
Expectativa Deslocamento da curva
Número de Ofertantes Deslocamento da curva

37
Oferta e preço do bem

O preço do bem em estudo é a variável mais importante


para definição de sua oferta.
É de se esperar que um aumento no preço do bem produza
um aumento na quantidade ofertada desse bem.

Suponha os preços e ofertas de um determinado produto:

Preço (R$) Quantidade


ofertada de X
25,00 540
20,00 500
15,00 420
10,00 300
5,00 140 38
Gráfico da oferta individual

Preço (R$/unidade) Curva de Oferta do bem X

25

20

15

10

50 100 150 200 250 300 400 500 Quantidade (unidade/mês)

39
Derivando a Oferta de Mercado
Q1 = Q11 + Q21
Preço por unidade Preço por unidade Preço por unidade
de quantidade de quantidade de quantidade Q2 = Q12 + Q22

Oferta de
Indivíduo 1 Indivíduo 2 Mercado

P2

P1
Q12 Q22 Q1 Q2
Quantidade Quantidade Quantidade
Q11 (por unid.tempo)
Q21 (por unid.tempo) (por unid.tempo)
40
Gráfico da oferta agregada
Preço

Curva de oferta agregada

P2

P1

Q1 Q2
Quantidade

Observe que a curva de oferta agregada tem inclinação positiva. Isto significa que a
quantidade ofertada é diretamente proporcional ao preço do produto. 41
Equilíbrio em um Mercado
Competitivo

42
Equilíbrio de Mercado

Preço unitário Quant.Demandada Quant.Ofertada Excesso Pressão preço


R$ 100,00 1.000 11.000 10.000 Para baixo
R$ 90,00 2.000 10.000 8.000 Para baixo
R$ 80,00 3.000 9.000 6.000 Para baixo
R$ 70,00 4.000 8.000 4.000 Para baixo
R$ 60,00 5.000 7.000 2.000 Para baixo
R$ 50,00 6.000 6.000 0 Nula
R$ 40,00 7.000 5.000 -2.000 Para cima
R$ 30,00 8.000 4.000 -4.000 Para cima
R$ 20,00 9.000 3.000 -6.000 Para cima

Observe que o equilíbrio de mercado ocorre quando as quantidades


demandadas são iguais às quantidades ofertadas. Quando isso ocorre, o
preço de mercado fica estabelecido.

Esse equilíbrio é duradouro? 43


Preço

Excesso
Oferta
PE

Excesso Demanda
Demanda

QE Quantidade
44
MUDANÇAS
NO
EQUILÍBRIO

45
Preço Aumento Renda
Redução Preço
Complementar
Aumento
Preço
Substituto
Gosto +
favorável
Quantidade46
Preço Diminuição Renda
Aumento Preço
Complementar
Diminuição
Preço
Substituto
Gosto -
favorável
Quantidade47
Preço
Subsídio à produção
Aumento de
importação
Melhora
Tecnologia
Redução Custo
Fatores

Quantidade48
Mercado de sorvete
Preço

O que ocorre nesse


mercado se houver
Pe uma onda de calor
inesperada?

Qe Quantidade
Suponha que o gráfico retrate o comportamento de equilíbrio de
49
mercado para o sorvete.
Mercado de sorvete
Preço
Novo
Pe’ Equilíbrio

Pe

Q e Q e’ Quantidade
Observe que a onda de calor faz aumentar a demanda, deslocando o
ponto de equilíbrio de mercado. A quantidade consumida aumenta, assim
50
como o preço do sorvete.
Matemática da oferta e demanda

Exemplo 1: suponha que a curva da demanda de um produto


seja dada pela equação: p = 13 – 0,04q e a curva de oferta do
mesmo seja: p = 0,04q – 3. Determine a quantidade e o preço
de equilíbrio de mercado. Esboce o gráfico Oferta x Demanda.

Exemplo 2: o que ocorre no exemplo anterior se a curva de


demanda passar a ser: p = 15- 0,04q, sendo que a curva de
oferta se mantém. Esboce o gráfico.

Exemplo 3: o que ocorre no exemplo 1 se a curva de oferta


passar a ser: p = 0,04q - 1, sendo que a curva de demanda se
mantém. Esboce o gráfico.

Exemplo 4: o que ocorre no exemplo 1 se a curva de oferta


passar a ser: p = 0,01q - 3, sendo que a curva de demanda se
mantém. Esboce o gráfico. 51
Matemática da oferta e demanda

Exercício 1: suponha que a curva da demanda de um produto seja


dada pela equação: p = 12 – 0,05q e a curva de oferta do mesmo
seja: p = 0,05q – 3. Determine a quantidade e o preço de equilíbrio
de mercado. Esboce o gráfico Oferta x Demanda.

Exercício 2: As curvas de oferta e demanda de determinado


produto são dadas por: Qd = 70 – 2P e Qs = 10 + P. Calcule o preço
e a quantidade de equilíbrio. Esboce o gráfico Oferta x Demanda.
Explique o que ocorre com o equilíbrio se o governo cobrar
impostos sobre o produto. Mostre isso no gráfico.

Exercício 3: No exercício anterior, o que ocorreria se o governo


fixasse o preço do produto em R$ 10,00. E se fixasse em R$ 30,00?
Que tipo de excesso haveria? Qual a pressão sobre os preços?

52
Matemática da oferta e demanda

Exercício 4: As curvas de oferta e demanda de determinado


produto são dadas por: Qd = 10 – 3P e Qs = 5 + 2P. Calcule o preço
e a quantidade de equilíbrio. Esboce o gráfico Oferta x Demanda.
Explique o que ocorre com o equilíbrio se houver um aumento do
salário mínimo. Mostre isso no gráfico.

Exercício 5: No exercício anterior, o que ocorreria com o equilíbrio


se o produto em questão for do setor agrícola e o clima for
favorável a sua produção?

Exercício 6: Se a demanda por fertilizantes agrícolas é expressa


por Qd = 5.000 – 120P e a oferta de fertilizantes é expressa por Qs
= 1.000 + 80P, sendo as quantidades mensuradas em toneladas,
qual será o efeito no mercado se o governo impuser um teto
máximo de $ 10 por tonelada? Qual seria a quantidade e o preço
de equilíbrio?
53
FIM

“Always bear in mind that your own resolution to succeed is more important than
any other”. Abraham Lincoln