Você está na página 1de 11

m 6    6  

6  
   
 
   
 
   
à Ú 



  

   
   
 
   
 Ú
       Ã     

       Ã 
   Ã  
   Ã
   Ã 
 Ã     Ã 
 Úm Ã
    
   
 Ú
O ciclo evolutivo deste parasita passa por duas fases:
1ª) desenvolvimento da larva após esta penetrar em alguns tipos
de moluscos que vivem em lugares úmidos;
2ª) ocorre em seguida ao abandono desses hospedeiros, que, livres
podem penetrar no homem através da pele. A penetração ocorre em
lugares úmidos, como, por exemplo, córregos, lagoas, riachos, etc.

Quando este parasita começa a habitar no interior do hospedeiro


definitivo, ele pode se fixar no fígado, na vesícula, no intestino ou
bexiga do homem, causando, desta forma, vários problemas nos
órgãos.
iclo de vida do esquistossomose
¦or se tratar de doença de acometimento mundial e endêmica em
diversos locais (¦enísula Arábica, África, América do Sul e aribe) os
órgãos de saúde pública (OMS ± Organização Mundial de Saúde - e
Ministério da Saúde) possuem programas próprios para controlar a
doença. Basicamente as estratégias para controle da doença
baseiam-se em:

u Identificação e tratamento de portadores.


uSaneamento básico (esgoto e tratamento das águas) além de
combate do molusco hospedeiro intermediário.
uEducação em saúde.
O tratamento de escolha com antiparasitários,
substâncias químicas que são tóxicas ao parasita.
Atualmente existem três grupos de substâncias que
eliminam o parasita, mas a medicação de escolha é o
¦raziquantel, que se toma sob a forma de comprimidos
na maior parte das vezes durante um dia. Isto é
suficiente para eliminar o parasita, o que elimina também
a disseminação dos ovos no meio ambiente. Naqueles
casos de doença crônica as complicações requerem
tratamento específico.
As larvas, denominadas cercárias, se desenvolvem e são
liberadas na água. Em contato com a pele e mucosa
humanas, Ô  
 e podem
causar        o nessas
regiões. Lá, se desenvolvem, reproduzem e eliminam
ovos a partir de veias do fígado e intestino, obstruindo-as.

Os

, quando aparecem, surgem
aproximadamente cinco semanas após o contato com as
larvas.
Imagem
Imagem
Bibliografia

http://www.todabiologia.com/zoologia/Asquistossomose.htm

http://www.algosobre.com.br/biologia/Asquistossomose.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Asquistossomose