Você está na página 1de 12

Coerência e

coesão textual
Coerência e coesão textual

Coerência textual

… a propriedade dos textos que:

 representam a normalidade do mundo;

 se apresentam logicamente ordenados;

 progridem através de relações lógicas internas ou intratextuais – de causa,

de consequência, etc.;

 não apresentam informação contraditória entre si.


Coerência e coesão textual

Coesão textual

Coesão Coesão
lexical gramatical

Coesão Coesão Coesão Coesão


referencial frásica interfrásica temporal
Coerência e coesão textual

Coesão textual

Através de repetições, o texto apresenta-se como um objeto coeso:

elas são a primeira marca evidente de coesão textual, propriedade

dos textos que assentam numa rede sequencial lógica.


Coerência e coesão textual

Coesão lexical

Constrói-se através de:

a. Repetições ou reiterações Exemplo: «sal» (palavra várias


vezes repetida no capítulo).
de palavras ou expressões
Coerência e coesão textual

b. Substituições: Exemplos:

– por sinonímia – «galharda» / « gloriosa » (l. 35)


– por antonímia – «reverência» (l. 27) / «desprezo» (l. 29)
– hiperonímia / hiponímia – peixe / torpedo
– holonímia / meronímia – peixe / barbatanas
Coerência e coesão textual

Coesão gramatical
Coesão
referencial

Constrói-se através de Exemplo:


«Ou é porque o sal não salga, e os Pregadores
a. ANÁFORAS (palavras, não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a
frequentemente pronomes, terra se não deixa salgar, e os ouvintes, sendo
verdadeira a doutrina, que lhes dão, a não
mas também advérbios, que querem receber; […]» (ll. 9-12)
recuperam referentes que [o pronome lhes tem como referente «os
ocorreram antes no texto) ouvintes» e o pronome a refere-se à
«doutrina».]
Coerência e coesão textual

b. CATÁFORAS (palavras, Exemplo: Ouvimo-lo e vimo-lo em S. Roque: o


frequentemente pronomes, Padre António Vieira é um pregador
que antecipam referentes que extraordinário!
ocorrerão depois no texto). [Os dois pronomes antecipam um referente que
ocorre à sua direita no texto.]
Coerência e coesão textual

Coesão gramatical
Coesão
frásica

Constrói-se através de mecanismos de Exemplo:


concordância (entre sujeito e verbo, entre «(…) os ouvintes em vez de servir
sujeito e predicativo do sujeito, entre a Cristo servem a seus apetites.»
complemento direto e predicativo do (l. 16)
complemento direto): marcas idênticas de [Concordância entre sujeito e
pessoa e número, de género e número. verbo – pessoa e número]
Coerência e coesão textual

Coesão gramatical
Coesão
interfrásica

Constrói-se através de conectores Exemplo:


(conjunções e locuções conjuncionais «[…] é lançá-lo fora como inútil, para que
e advérbios conectivos) que ligam seja pisado de todos.» (ll. 24-25)
frases ou orações (coordenação ou [valor de fim ou objetivo]
subordinação). Estes conectores
estabelecem relações de natureza “«Já que me não querem ouvir os
semântica muito variada entre as homens, ouçam-me os peixes.»” (l. 47)
frases ou as orações. [valor de causa]
Coerência e coesão textual

Coesão gramatical
Coesão
temporal

Constrói-se através Exemplo:


a. Da ordenação correlativa «Deixa as praças, vai-se às praias, deixa a
dos tempos verbais: terra, vai-se ao mar, e começa […] (l.46)
fomos… vimos
Coerência e coesão textual

Exemplo:
b. Da utilização de expressões «Muitas vezes vos tenho pregado nesta
adverbiais ou preposicionais de valor Igreja, e noutras de manhã, e de tarde, de
temporal: dia, e de noite, sempre com doutrina muito
de manhã… à tarde; primeiramente… clara(…)» (ll.58-59)