Você está na página 1de 148

Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Centro de Ciências Agrárias – CCA-UFES


Departamento de Computação

ORIGEM, EVOLUÇÃO E DESAFIOS


DA WORLD WIDE WEB

Grupo 04: Fundamentos de Programação Web


2012204355 – CARLOS ANTÔNIO PELUZIO SILVA
2009103927 – CARLOS HENRIQUE GUIMARAES VIDIGAL
2012204576 – DENIS BITTENCOURT
2012204322 – FELIPE SECATO COM06984- 2012-II
2012204327 – JOÃO PAULO ANGELLETI DE SOUZA
2012204353 – JOSIMAR DE MORAES
2012204340 – RAMON FERREIRA DE SOUZA
2012204316 – RAMON PEREIRA DA CUNHA Profª. Simone Dornelas Costa
2012204345 – RODRIGO TORRES SEARES
2012204337 – ROMERSON MEDINA sidornellas@gmail.com
2012204357 – UDSON DOMINGOS DA SILVA
2012204346 – WAGNER AMORIM
http://www.sidornellas.com
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
O que é internet?
Internet é uma rede mundial de computadores. Cada
computador que esteja conectado à Internet é considerado
uma parte dessa rede. Isto significa que até mesmo seu
computador de casa é a internet.

Universidade Federal do Espírito Santo


CCA-UFES
Você se conecta a rede do seu provedor, o seu provedor se conecta a uma rede
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
maior e assim por diante. No topo da árvore esta a infra-estrutura de alta
velocidade que interliga várias redes, é a backbones de alta capacidade.

A Internet é toda baseada em acordos entre


os provedores de backbone que põe em
prática todas as linhas de fibra ótica e
outros aspectos técnicos da Internet.

No contexto de redes de computadores,


o backbone (backbone traduzindo
para português,espinha dorsal, embora no
contexto de redes, backbone signifique rede
de transporte) designa o esquema de
ligações centrais de um sistema mais
amplo, tipicamente de elevado
desempenho.

Universidade Federal do Espírito Santo


3 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O que faz a Internet tão poderosa assim é um processo da informática que


atende pelas siglas TCP/IP (Protocolo de Controle de Transferência/Protocolo
Internet). Todos os computadores que entendem essa linguagem são capazes de
trocar informações entre si.
É grande o crescimento da internet, mas com certeza muito de nós
esquecemos que é um meio de comunicação livre e existe muita coisa boa e
também muita coisa ruim.

Universidade Federal do Espírito Santo


4 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
A internet foi um grande avanço tecnológico e é quase indispensável nos dias
atuais para meios profissionais, educacionais, e outros;

Universidade Federal do Espírito Santo


5 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A Internet é organizada na forma de uma teia.

Esse computador local está conectado a uma máquina em outro estado (ou país) e
assim por diante.

São máquinas de alta capacidade, com grande poder de processamento e conexões


velozes, conhecidas como servidores, controladas por universidades, empresas e órgãos do
Governo.

Essa forma de funcionamento garante um custo baixo de conexão. Essa empresa ou


instituição cobra taxa mensal de cada usuário.

Universidade Federal do Espírito Santo


6 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo
CCA-UFES
7
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Origem da internet
A internet surgiu a partir de pesquisas militares nos períodos áureos
da Guerra Fria.

Na década de 1960, quando dois blocos ideológicos , exerciam enorme


controle e influência no mundo, qualquer mecanismo, qualquer inovação,
qualquer ferramenta nova poderia contribuir nessa disputa liderada
pela União Soviética e pelos Estados Unidos.

Universidade Federal do Espírito Santo


8 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

As duas superpotências compreendiam a eficácia e necessidade absoluta


dos meios de comunicação.
Então foi idealizado um modelo de troca e compartilhamento de informações
que permitisse a descentralização das mesmas.
Era preciso, portanto, criar uma rede, a ARPANET, criada pela ARPA, sigla
para Advanced Research Projects Agency.

Universidade Federal do Espírito Santo


9 CCA-UFES

Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A Arpanet funcionava através de um sistema conhecido como chaveamento


de pacotes, que é um sistema de transmissão de dados em rede de computadores
no qual as informações são divididas em pequenos pacotes, que por sua vez
contém trecho dos dados, o endereço do destinatário e informações que
permitiam a remontagem da mensagem original. O ataque inimigo nunca
aconteceu, mas o que o Departamento de defesa dos Estados Unidos não sabia
era que dava início ao maior fenômeno midiático do século 20', único meio de
comunicação que em apenas 4 anos conseguiria atingir cerca de 50 milhões de
pessoas.
Universidade Federal do Espírito Santo
10 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Em 29 de outubro de 1969 ocorreu a transmissão que pode ser considerada a


primeiro da história. O texto desse primeiro e-mail seria "LOGIN", conforme
desejava o Professor Leonard Kleinrock da Universidade da Califórnia em Los
Angeles (UCLA), mas o computador no Stanford Research Institute, que recebia a
mensagem, parou de funcionar após receber a letra "O".

Já na década de 1970, a tensão entre URSS e EUA diminui. As duas potências


entram definitivamente naquilo em que a história se encarregou de chamar de
Coexistência Pacifica . Não havendo mais a iminência de um ataque imediato,
o governo dos EUA permitiu que pesquisadores que desenvolvessem, nas suas
respectivas universidades, estudos na área de defesa pudessem também entrar
na ARPANET. Dividiu-se então este sistema em dois grupos, a MILNET, que
possuía as localidades militares e a nova ARPANET, que possuía as
localidades não militares.
Universidade Federal do Espírito Santo
11 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo
CCA-UFES
12
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O governo norte-americano investiu na criação de backbones, que são


poderosos computadores conectados por linhas que tem a capacidade de dar
vazão a grandes fluxos de dados, como canais de fibra óptica, elos de satélite e
elos de transmissão por rádio.

Além desses backbones, existem os criados por empresas particulares.

É basicamente isto que consiste a Internet, que não tem um dono específico.

Universidade Federal do Espírito Santo


13 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Cientista Tim Berners-Lee, do CERN, criou a World Wide Web em 1992.

A empresa norte-americana Netscape criou o protocolo HTTPS (HyperText


Transfer Protocol Secure ), possibilitando o envio de dados criptografados para
transações comercias pela internet.

Universidade Federal do Espírito Santo


14 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Características Básicas da Internet

O tema remete a uma responsabilidade no mínimo grande, já que a


internet possui infinitos serviços e facilita o trabalho em milhões de
coisas. Podemos dizer que a internet parte de quatro principais
características sendo elas a Velocidade, Hipertextualidade,
Multimídia e Interatividade.

Universidade Federal do Espírito Santo


15 CCA-UFES
Velocidade
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A Velocidade que talvez seja a principal característica é o grande


atrativo da internet e o que a torna tão útil, a possibilidade de
realizar atividades que normalmente levariam tempo em poucos
segundos.
• E-mail / Cartas do Correio

• Site de Noticias / Jornal impresso

Universidade Federal do Espírito Santo


16 CCA-UFES
Hipertextualidade
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A navegação nas páginas da Internet acontece por intermédio de


hiperlinks, que permitem ao usuário ir de uma página a outra. Todas
as páginas da internet (ou, pelo menos, a maioria esmagadora delas)
remetem seus visitantes a outras páginas, por intermédio dos links.

Determinada Loja que tem


hiperlinks espalhados por toda a
rede, divulga uma imagem, ou usa
uma palavra chave no texto de um
site qualquer, ao clicar no hipertexto
o usuário é redirecionado ao site de
compras.

Universidade Federal do Espírito Santo


17 CCA-UFES
Hipertextualidade
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• O hipertexto pode ser chamado de um texto com


superpoderes, já que um link de acesso a outro site se
esconde num contexto geralmente chamativo
• Podemos então considerar a internet como uma teia de
informações, onde os sites se ligam e você navega de um ao
outro muitas vezes sem perceber.

Universidade Federal do Espírito Santo


18 CCA-UFES
Multimídia
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• Multimídia é a reprodução ou transferência de vídeos,


fotos, áudios através da internet. Assistir um vídeo no
You Tube transferir fotos ou visualiza-las no facebook é
um bom exemplo do uso da multimídia.

Universidade Federal do Espírito Santo


19 CCA-UFES
Multimídia
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• Podemos caracterizar como algo que tem som, vídeo, ou uma


simples imagem, aquilo que foge dos textos longos.

Ao contrario do que
o nome indica (multi) a
multimídia não
necessita de mais de uma
Pessoa para que ocorra.

Universidade Federal do Espírito Santo


20 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Interatividade
A interatividade na internet ocorre de varias maneiras, seja
ela por texto, voz, vídeo, ou quem sabe as três coisas
simultâneas, fato é que a interatividade é indispensável na
vida da rede, é comum em bate-papo de redes sociais como
no facebook, ou até mesmo em programas dedicados como
o Skype que realiza os três tipos de interações.

Universidade Federal do Espírito Santo


21 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Interatividade
• A interatividade ocorre seja ela por negócios, trabalho, ou uma
simples conversa com um amigo.
• Além disso, é possível interagir com os sites de diversas formas,
como por formulários de sites de vendas e até por comentário em
um blog.
• Algo que ajudou a popularizar essa característica é o baixo custo
ou nenhum de uma chamada por vídeo, diferente de ligações
locais e principalmente internacionais com alto custo.

Universidade Federal do Espírito Santo


22 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

População
Apenas 2,5 bilhões de pessoas possui acesso a internet, e um
pouco mais da metade dessas pessoas usam redes sociais
como o Facebook, que possui um pouco mais de 1 bilhão de
pessoas cadastradas. Foram feitos estudos em muitos países,
incluindo o Brasil que ficou em 5º lugar em número de
maior número de internautas. O resultado desse estudo
revelou que 45% da população no nosso país, ou seja 88
milhões de pessoas, tem acesso à internet.

Universidade Federal do Espírito Santo


23 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Por mais cotidiano que a internet pareça para nós, tem pessoas que
nunca acessaram a internet e por incrível que parece tem pessoas
que possivelmente nem saibam que ela exista.

Universidade Federal do Espírito Santo


24 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet
Surgiu a partir de pesquisas militares no período da Guerra Fria

Em 1969 a ARPA (Agência de Pesquisas em Projetos Avançados) criou uma rede


experimental chamada ARPANET

Seu objetivo era conectar os computadores dos seus departamentos de pesquisa.

A Internet nasceu a partir da ARPANET, que interligava quatro instituições:


Universidade da Califórnia, LA e Santa Bárbara; Instituto de Pesquisa de Stanford e
Universidade de Utah.

Universidade Federal do Espírito Santo


25 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet
Em 1969, a ARPANET transmitiu uma mensagem através de sua rede, da
Universidade de Los Angeles até o instituto em Stanford, uma distância media de
650km.

Em 1970 é criado do TCP/IP (Transmission Control Protocol / Internet Protocol),


grupo de protocolos que é à base da Internet desde aqueles tempos até hoje.
Oficialização como único do ARPANET, ocorreu em 1983.

Substitui o NCP, estava obsoleto e não corrigia falhas de envio .

Em 1971, Bob Thomas criou o vírus. Batizado de The Creeper .


Naquela época o vírus servia apenas para quebrar o sistema de segurança de uma
máquina para irritar o usuário e consagrar o programador capaz de criar o invasor.

Universidade Federal do Espírito Santo


26 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet
Ainda 1971 Ray Tomlinson criou o e-mail. Já existia alguns métodos de transmissão
de mensagem, mas faltava um sistema simples que integrasse toda a rede.

Já o símbolo @ foi incorporado tempos depois com objetivo de separar o nome de


usuário e seu servidor.

Em 1988 era criado o IRC que foi escrito pelo programador finlandês Jarkko
Oikarinen na Universidade de Oulu na Finlândia.

Em 1990 Tim Bernes Lee desenvolveu a World Wide Web possibilitando a interface
gráfica e a criação de sites mais dinâmicos e mais interessantes
-Surgimento de navegadores: Internet Explorer da Microsoft e o Netscape
Navigator.

A partir de 1993 a Internet deixou de ser uma instituição de natureza apenas


acadêmica e passou a ser explorada comercialmente
Universidade Federal do Espírito Santo
27 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet no Brasil
Em 1988, o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) conseguiu se
conectar a Universidade de Maryland, acessando a Bitnet.

FAPESP se conectou ao Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab)


em Chicago, também por meio da Bitnet.

Em 1989, a Universidade Federal do Rio de Janeiro também se conectou à Bitnet


através de uma universidade americana, tornando-se a terceira instituição a ter acesso
a essa tecnologia.

No mesmo ano foi criada a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que durante a década
de 1990 foi a responsável por fornecer acesso a internet a aproximadamente 600
instituições, ou seja, por volta de 65 mil usuários.

Já em 1992, ocorreu a implantação de uma rede que interligava onze estados,

Universidade Federal do Espírito Santo


28 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet no Brasil
Em 1994 a Embratel iniciou seu serviço de acesso à internet em caráter experimental.
Cinco mil usuários foram escolhidos para testar o serviço. Alguns meses depois, em
maio de 95, o acesso à internet via Embratel começou a funcionar de modo
definitivo.

Universidade Federal do Espírito Santo


29 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet no Brasil

No ano de 1996 teve um grande desenvolvimento da internet no Brasil.


- Melhorias dos serviços prestados pela Embratel.
-Crescimento natural do mercado

Em 1998, o país já ocupava o 19º lugar em número de hosts no mundo e o liderava o


pódio na América do Sul. No continente americano, ficava atrás apenas dos Estados
Unidos e Canadá.

Quase dez anos depois, em 2007, o Brasil movimentava cerca de 114 bilhões de
dólares em comércio eletrônico e possuía uma base de 40 milhões de computadores
instalados no país.

Universidade Federal do Espírito Santo


30 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Histórico da Internet no Brasil

Universidade Federal do Espírito Santo


31 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

CONEXÕES DE REDE

Sistema de Comunicação
• Qualquer sistema de comunicação é caracterizado pela existência de
um emissor e de um receptor.

Universidade Federal do Espírito Santo


32 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Modelo Genérico de Comunicação

Elementos do Modelo Genérico


Fonte
- Gera o sinal a ser transmitido.
Transmissor
- Converte os dados em sinais que podem ser transmitidos.
Sistema de Transmissão
- Transmite os dados.
Receptor
- Converte o sinal transmitido novamente em dados.
Destino
- Obtém os dados transmitidos.
Universidade Federal do Espírito Santo
33 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Importância das redes

Serviços que têm modificado o comportamento da sociedade:


- Conferência Eletrônica; - Rapidez de comunicação.
- Vídeo-Conferência; - Compartilhamento de recursos;
- Telemedicina; - Comércio Eletrônico;

O uso das redes


- Compartilhar recursos de hardware e de software;
- Propiciar a escalabilidade em termos de carga e desempenho;
- Aumentar a confiabilidade do sistema;
- Diminuir o custo com servidores;

Universidade Federal do Espírito Santo


34 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O uso das redes

Propiciar um meio de comunicação:


- Para acesso à informações remotas,
- Entre pessoas,
- Para diversão interativa.

Questões sociais:
- Assuntos nos grupos de discussão;
- Responsabilidade pelo material divulgado;
- Privacidade na correspondência no ambiente de trabalho.

Universidade Federal do Espírito Santo


35 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Estrutura genérica

Conjunto de computadores
interligados, funcionando
individualmente ou de forma
cooperativa, permitindo a troca de
informações ou a execução de
tarefas em modo compartilhado.

Infra-estrutura de uma rede


• Transportar dados de um computador para outro;
• Formada por um conjunto de hardware, software e meio de
comunicação:
- Hardware – equipamentos
- Software – programas
- Meio de comunicação – cabos, fibra óptica, rádio, microondas, etc.
Universidade Federal do Espírito Santo
36 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Redes Locais, de Longa Distância e Metropolitanas

Redes locais de computadores LAN’s


São redes utilizadas na interconexão de equipamentos processadores
com a finalidade de troca de dados. Tais redes são denominadas locais
por cobrirem apenas uma área limitada (10 Km no máximo, quando
passam a ser denominadas MANs).
Universidade Federal do Espírito Santo
37 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
LAN’s

As LANs são utilizadas para conectar estações, servidores, periféricos e


outros dispositivos que possuam capacidade de processamento em uma
casa, escritório, escola e edifícios próximos.
Características:
• Geografia limitada: Interligam computadores de uma sala, prédio ou
conjunto de prédios;
• Oferecem taxas tipicamente maiores que as WAN: 10 Mbps, 100 Mbps,
1Gbps;
• A distância curta permite estabelecer o tempo máximo de retardo nas
transmissões. A transferência de dados é muito maior.
• Área de abrangência é menor.
• Geralmente estão sob a administração de uma única instituição ou
pessoa.
• Geralmente usam redes de difusão.
• Algumas técnicas de comutação estão disponíveis.
Universidade Federal do Espírito Santo
38 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Exemplo de uma Rede Local - 1

Exemplo de uma rede local – 2

Universidade Federal do Espírito Santo


39 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Rede de longa distância WAN

Interligam computadores em cidades, países e até continentes


distintos;

• Geralmente são redes públicas ou de grandes companhias que


prestam serviços (Brasil-Telecom);
• Oferecem taxas típicas mais baixas que as redes locais: 9600bps,
64Kbps, 1.5Mbps, 2Mbps, 34 Mbps, 155 Mbps;
• Envolvem infra-estrutura dispendiosa: fios, cabos, centrais
comutadoras, cabos submarinos, sistemas de rádio terrestre ou de
satélite;
• Empresas geralmente contratam ou alugam canais de acordo com as
suas necessidades;

Universidade Federal do Espírito Santo


40 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Rede de longa distância WAN

• O compartilhamento da infra-estrutura barateia seu custo.


Envolvem grandes áreas geográficas.
• Podem cruzar redes públicas.
• A velocidade é menor do que em redes locais.
• São mais complexas.
• Podem se basear em técnicas de comutação (troca) de circuito, de
pacotes ou mensagens.

Universidade Federal do Espírito Santo


41 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Redes metropolitanas MAN

Sua utilização é para distâncias intermediárias, tais como


escritórios ou prédios em uma mesma cidade ou em um campus
universitário.

Nesse caso, redes comutadas (WAN) não apresentam uma boa


relação custo/benefício.

Oferecem uma possibilidade de crescimento estruturado.

Utilizam tecnologias semelhantes às LAN’s;

Universidade Federal do Espírito Santo


42 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

São otimizadas para distâncias intermediárias;

Apresentam um tempo de retardo e taxa de erros um pouco maiores


que as LAN’s;

Otimizam a relação custo/benefício: oferecem taxas superiores às


das WAN’s, por custos semelhantes ao das LAN’s.

Aplicações das redes MAN


Interligação entre as LAN’s nos escritórios de
uma empresa, e a WAN nas centrais de comutação.

Interligação de LAN’s com uma distância que


cobre uma cidade, ou campus.

Universidade Federal do Espírito Santo


43 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Exemplo de rede MAN – prédios na mesma cidade ou campus

Universidade Federal do Espírito Santo


44 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
TOPOLOGIAS DE REDES

A topologia da rede é um nome dado ao arranjo dos cabos usados para


interconectar os clientes e servidores.

A topologia refere-se ao "layout físico" e ao meio de conexão dos


dispositivos na rede, ou seja, como estes estão conectados.

As conexões físicas entre os distintos nós de uma rede formam um


grafo que define sua
topologia. Da topologia dependem vários fatores na rede, como a
Operação, Manutenção, Facilidade de expansão e Facilidade de
detecção de nós com falha.

Universidade Federal do Espírito Santo


45 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Uma topologia organiza os enlaces entre os elementos comunicantes.

Ligações ponto-a-ponto: existe uma ligação direta entre duas entidades


comunicantes.

Ligações multiponto: mais do que dois dispositivos compartilham o


mesmo meio de transmissão.

Têm influência no desempenho, expansão e confiabilidade da rede.

Universidade Federal do Espírito Santo


46 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

ANEL

Se uma estação pára, todas param;


• Unidirecionais ou seja Sentido
único de transmissão;
• As mensagens circulam por todo o
anel até serem retiradas pelo nó de
destino ou retornarem à origem.
• Ligações ponto-a-ponto.
• Na comutação por mensagens não existe um caminho físico exclusivo
entre emissor e receptor. Mensagens são roteadas por pontos
intermediários (roteadores).
• Comutação por pacotes é semelhante à comutação por mensagens,
mas as unidades de dados são menores.

Universidade Federal do Espírito Santo


47 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

BARRAMENTO

• Todas as estações se ligam a um mesmo meio de transmissão;


• Interfaces são passivas – falhas não causam a parada total do sistema.
• Bastante comum nas redes locais.
• Baseadas no sistema de difusão (propagação).
• Cada estação conectada à barra pode ouvir as outras estações.
• Deve existir um mecanismo de controle de acesso à barra.
• Em algumas arquiteturas a falha de uma estação não causará a parada
da rede.
Universidade Federal do Espírito Santo
48 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

ESTRELA

• Monitoramento centralizado:
O nó central pode ser um
concentrador ou um chaveador
(switch, hub);

• Mais tolerante a falhas;

• Cada nó é interligado à um nó
central (mestre), através do qual todas as mensagens devem passar.

• Falhas no nó central ocasionarão a parada da rede.

• Expansão limitada à capacidade do nó central.

Universidade Federal do Espírito Santo


49 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
WAP

WAP (sigla para Wireless Application Protocol; em português,


Protocolo para Aplicações sem Fio) é um padrão internacional para
aplicações que utilizam comunicações de dados digitais sem fio
(Internet móvel), como por exemplo o acesso à Internet a partir de
um telefone móvel. WAP foi desenvolvido para prover serviços
equivalentes a um navegador Web com alguns recursos específicos para
serviços móveis. Em seus primeiros anos de existência, sofreu com a
pouca atenção dada pela mídia e tem sido muito criticado por suas
limitações.

Universidade Federal do Espírito Santo


50 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
WAP

A linguagem primária da especificação do


WAP é o WML (Wireless Markup Language,
ou Linguagem de Marcação para
Comunicações sem Fio) que foi desenvolvida
para uso em dispositivos de mão, com
funções específicas para telefonia e seguindo
os padrões XML.

O grupo oficial de desenvolvimento do WAP


era conhecido como WAP Forum, que veio a
se tornar a OMA (Open Mobile Alliance), que
virtualmente engloba todo o desenvolvimento
futuro em serviços de dados sem fio

Universidade Federal do Espírito Santo


51 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Wi-Fi

O padrão Wi-Fi opera em faixas de frequências que não necessitam de


licença para instalação e/ou operação. Este fato as torna atrativas. No
entanto, para uso comercial no Brasil, é necessária licença da Agência
Nacional de Telecomunicações.

Para se ter acesso à internet através de rede Wi-Fi, deve-se estar no raio de
ação ou área de abrangência de um ponto de acesso (normalmente
conhecido por hotspot) ou local público onde opere rede sem fios e se usar
dispositivo móvel, como computador portátil, tablet PC ou PDA com
capacidade de comunicação sem fio, deixando o usuário do Wi-Fi bem à
vontade em usá-lo em lugares de "não acesso" à internet, como aeroportos.
Hoje, muitas operadoras de telefonia estão investindo pesado no Wi-
Fi para ganhos empresariais.
Universidade Federal do Espírito Santo
52 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Wi-Fi

Hotspot Wi-Fi existe para estabelecer ponto de acesso para conexão à


internet. O ponto de acesso transmite o sinal sem fios numa pequena
distância, geralmente de até 100 metros, mas se a rede for do padrão
IEEE 802.11n a distância pode chegar até 300 metros. Quando um
periférico que permite Wi-Fi, como um Pocket PC, encontra
um hotspot, o periférico pode, na mesma hora, conectar-se à rede sem
fio. Muitos hotspots estão localizados em lugares que são acessíveis
ao público, como aeroportos, cafés, hotéis e livrarias. Muitas casas e
escritórios também têm redes Wi-Fi. Enquanto alguns hotspots são
gratuitos, a maioria das redes públicas é suportada por Provedores de
Serviços de Internet (Internet Service Provider - ISPs) que cobram
uma taxa dos usuários para se conectarem.

Universidade Federal do Espírito Santo


53 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Provedores

Os provedores são serviços que têm a


função de conectar um computador à
Internet permitindo a navegação em
sites e acesso a serviços como envio e
recebimento de e-mail. Eles são
intermediários entre o cliente e a
operadora contratada.

É o provedor que fornece o usuário


(email) e senha para que você acessa a internet e fica a cargo da
operadora de telefonia determinar a velocidade e toda a estrutura
necessária para tal acesso (linha telefônica, modem, cabos). Existem
vários provedores de acesso como Globo.com, Terra, UOL, IG entre
outros, e hoje as operadoras oferecem esse serviço junto com os
planos de internet.
Universidade Federal do Espírito Santo
54 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Tipos de Provedores

Além dos provedores de internet existem dois outros tipos que são
fundamentais para que a web funcione, são eles o Provedor de Serviços
e o de Hospedagem.

• Provedor de Serviços – É responsável pelo registro e a manutenção


de domínios e entidades podendo ou não oferecer serviços agregados
como a hospedagem de sites. Um exemplo de provedor de serviços é
o Registro.br.

• Provedor de Hospedagem - É uma empresa que oferece serviços de


hospedagem de sites na Internet e também pode oferecer aos seus
clientes o registro de domínio agregado aos seus serviços. A
Bravulink empresa utilizada pelo Me Ajuda é um provedor de
hospedagem.
Universidade Federal do Espírito Santo
55 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet
- FTP (File Transfer Protocol)
• Definição inicial (RFC 114) - 1971
‣ Servidores MIT
‣ Posteriormente adaptado para ARPANet

• Definição atual (RFC 765 e 959) – 1980 e 1985


‣ Acalmou as discussões sobre o tema e apresentou o protocolo estável.

• Características
‣ Protocolo Simples
‣ Não é considerado seguro (se considerados os padrões atuais de
segurança).
‣ Suporte à IPv6 por meio da RFC 2428.
‣ Utiliza duas conexões durante uma sessão.
✓ Porta 21 (control channel)
✓ Porta 20 (data channel)

Universidade Federal do Espírito Santo


56 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet

Universidade Federal do Espírito Santo


57 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet
- DNS (Domain Name System)
• DNS é uma sigla para Domain Name System (em inglês), ou Sistema de
Nome de Domínio (em português), representa um sistema de
gerenciamento de nome hierárquico e distribuído em rede.

• O sistema de nome de domínio (DNS) é um sistema que nomeia


computadores e serviços de rede e é organizado em uma hierarquia de
domínios. As redes TCP/IP, como a Internet, usam DNS para localizar
computadores e serviços através de nomes amigáveis.

• Primórdios do DNS: um arquivo de texto relacionando cada host à seu


endereço dentro da ARPANet.

• Função:
‣ Tradução do endereço legível à humanos, para endereços IP’s usados
pelos computadores.

Universidade Federal do Espírito Santo


58 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet
- DNS (Domain Name System)
• Problemática que deu origem ao DNS:
‣ Para que uma conexão na internet (ou em outra rede) seja
estabelecida, é necessário conhecer os IP’s dos hosts envolvidos na
conexão.
✓ IP: Protocolo de endereçamento, composto por quatro octetos de 08
bits, que traduzidos para numeração decimal é algo como 192.168.1.1.
✓ Obviamente, uma sequência de números deste porte não é algo que
seja amigável aos seres humanos.
✓ Assim, o DNS realiza a tradução de endereços que sejam
mnemônicos para nós, a endereços IP para os sistemas
computacionais envolvidos na conexão.

✓ Desta forma, o DNS pode ser caracterizado como um enorme banco


de dados, onde está contida a relação entre endereços IP e endereços
como www.google.com.

Universidade Federal do Espírito Santo


59 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet
- DNS (Domain Name System)
• Como o DNS obtém conhecimento de
determinado endereço IP?
‣ Por meio de consultas que são realizadas aos
servidores root de DNS.
✓ Consulta Recursiva.
✓ Consulta Interativa.

• Cache DNS:
‣ Recurso utilizado para diminuir a frequência de
consultas aos servidores raiz, agilizar a resolução
de nomes de domínio, e diminuir o tráfego de
rede gerado pelos servidores DNS.
✓ TTL.

Universidade Federal do Espírito Santo


60 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet

Universidade Federal do Espírito Santo


61 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet
- Telnet
• Protocolo que possibilita a interação entre um host local e um host
remoto.
• Provê um conjunto de ferramentas de forma a ser possível a interação
entre host local e host remoto.
‣ NVT (Network Virtual Terminal).
• Definido na RFC 854.
• Um dos primeiros padrões da internet, segundo IETF.

• Existem alternativas mais sofisticadas, como o rlogin.

Universidade Federal do Espírito Santo


62 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Serviços Básicos da Internet

Universidade Federal do Espírito Santo


63 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

CORREIO ELETRÔNICO – EMAIL


Um correio eletrônico ou e-mail ou correio-e é um método que permite
compor, enviar e receber mensagens através de sistemas eletrônicos de
comunicação. O termo e-mail é aplicado tanto aos sistemas que utilizam a
Internet e são baseados no protocolo SMTP que utilizado a porta TCP 25,
como aqueles sistemas conhecidos como intranets, que permitem a troca de
mensagens dentro de uma empresa ou organização e são, normalmente,
baseados em protocolos proprietários.

O Telegrafo, criado por Samuel Morse, que teve sua primeira transmissão
em 1844, daí a primeira intervenção da eletricidade na mediação da
comunicação entre pessoas. Em 1876, Alexander Graham Bell descreve sua
primeira experiência bem-sucedida com o telefone.
O primeiro sistema de troca de mensagens entre computadores que se tem
notícia foi criado em 1965, e possibilitava a comunicação entre os múltiplos
usuários de um computador do tipo mainframe.

Universidade Federal do Espírito Santo


64 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

CORREIO ELETRÔNICO – EMAIL


-SISTEMA DE MENSAGENS ELETRÔNICAS

acredita-se que os primeiros sistemas criados com tal funcionalidade foram


o Q32 da SDC e o CTSS do MIT.

O sistema eletrônico de mensagens transformou-se rapidamente em um "e-


Mail em rede", foi o sistema AUTODIN em 1966.

O programador Ray Tomlinson iniciou o uso do sinal @ para separar os


nomes do usuário e da máquina no endereço de correio eletrônico em 1971.
É considerado um dos inventores do e-mail,

Universidade Federal do Espírito Santo


65 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

CORREIO ELETRÔNICO – EMAIL


A Campaign Monitor, produtora de um software de mesmo nome, tem
medido a popularidade de clientes de email e webmail entre as bilhões de
mensagens enviadas pelo seu sistema. Esta amostra pode dar uma
panorama geral dos programas ou plataformas de correio-e mais utilizados
atualmente. Pesquisa feita em setembro de 2012.

Universidade Federal do Espírito Santo


66 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

CORREIO ELETRÔNICO – EMAIL


- VANTAGENS DO CORREIO ELETRÔNICO

• Rápido e barato.
• Sendo escrito, você pode compor e revisar a mensagem antes de enviá-la.
• ler e responder a correspondência eletrônica depois.
• de enviar a mesma mensagem a um grupo pré-definido de pessoas.
• Possibilidade de incluir arquivos, documentos, imagens.

- DESVANTAGENS DO CORREIO ELETRÔNICO

• Nem sempre você fica sabendo quando ou se sua mensagem foi lida.
• Difícil de apagar: as mensagens eletrônicas ficam armazenadas em uma
variedade de lugares nos discos dos computadores.
• Não há assinatura autenticada.

Universidade Federal do Espírito Santo


67 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

ENDEREÇOS ELETRÔNICO
O endereço eletrônico é uma forma de se localizar uma pessoa, um arquivo
ou até mesmo um website, assim cada um sera unico no mundo todo com
esse determinado endereço. Precisamos informar nosso endereço correto e
completo para recebermos correspondências via correio eletrônico.

Exemplo: cjsouza@hotmail.com

Jcsouza – é o nome escolhido pelo usuário.

@ (arroba) – símbolo que identifica o endereço de e-mail.

Hotmail – nome do provedor;

.com – Tipo de usuário. É necessário que haja um ponto final (.) entre o
provedor e o tipo.

Universidade Federal do Espírito Santo


68 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

ENDEREÇOS ELETRÔNICO
Seguem os tipos mais utilizados para website que são:

.com: fins comerciais.


.org: organizações sem fins lucrativos.
.edu: organizações educacionais (universidades, escolas etc.).
.gov: governamental.

Também temos a localidade do pais de um website, por exemplo:

www.americanas.com.br (Brasil)
www.sapo.pt (Portugal)
www.juventus.it (Itália)

Universidade Federal do Espírito Santo


69 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Sistemas de Hipermídia
 Conceito
 O texto é uma das formas mais populares de armazenar conhecimento e transmitir
idéias. Quando o texto é organizado e processado em uma forma não linear ele é
denominado hipertexto, e um hipertexto é constituido de fragmentos de textos
interligados. Com isso podemos dizer que o paradigma de hipermídia é
essencialmente a generalização do conceito de hipertexto onde além do texto
outras formas de mídia são adicionados, ou seja, um sistema de hipermídia é um
hipertexto multimídia.

Universidade Federal do Espírito Santo


70 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipermídia
 A hipermídia nos anos 80.
 Também conhecida só como multimídia ela reuniu alguns aspectos.
 O aspecto audiovisual;
• Apresentação da informação, de forma linear, em vários tipos de mídia
(texto, som, imagens, animações e vídeo).

• Mídia sincronizada, por exemplo, imagens animadas com som.

• A multimídia nasceu junto com as interfaces gráficas, uma vez que reúne o
uso do texto, som etc.

Universidade Federal do Espírito Santo


71 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipermídia
 Algum tempo depois a multimídia sofreu algumas mudanças, pois multimídia se
denota a integração de duas mídias como por exemplo áudio e vídeo.

 Já a Hipermídia envolve a multimídia e integra o hipertexto em seus nós que nada


mais são do que links e caminhos para ela.

 Sendo assim a hipermídia contém:


• Hipertexto/Hiperdocumentos
• Hiperlink
• Botões ( texto ou link )
• Nós
• Ligações
• Invólucros
• Destinos
Universidade Federal do Espírito Santo
72 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipermídia estática
 A hipermídia estática nada mais é do que a mídia por si, mais o que isso
quer dizer ?

 Nós sabemos que hipermídia é a junção de várias mídias e dentro dessas


mídias à sua parte estática que é como por exemplo uma imagem ou um
texto, assim podemos concluir que estático é aquilo que não está em
transição ou movimento como vídeos, gifs e outros.

 Assim dizemos que hipermídias estáticas são aquela que não fazem
movimentos ou transições como alguns textos com imagens embutidas e
que não são lineares, ou seja, não se importam com o inicio, meio ou o
final, e você interage com elas porém não as modifica.

Universidade Federal do Espírito Santo


73 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipermídia dinâmica
 As Hipermídias dinâmicas, como o próprio nome já diz são aquelas que
fazem transições, interagem com as pessoas e podem ser modificadas.

 Podemos defini-las como sendo uma mídia que reúne textos, imagens,
sons, vídeos, animações e etc; assim como toda a hipermídia, porém o
que a difere é que podemos usá-la toda de uma vez quando acessamos a
internet, os jogos de computador.

 Ela nos possibilita fazer links com outas mídias como os vídeos interativos,
o cinema interativo, a tv interativa, os sistemas de comunicação funcionais
e outros.

 Com a hipermídia podemos fazer links entre elementos de mídia e


controlar a nossa própria navegação e extrair textos, imagens e sons cuja
sequência constituirá uma versão pessoal desenvolvida pelo usuário.

 Podemos dizer que a hipermídia já é o futuro e que nele poderemos


interagir todas as mídias e compor aquilo que for melhor para nós
usuários, onde podemos modificar, reorganizar e interagir com todas as
mídias bem ao nosso alcance.
Universidade Federal do Espírito Santo
74 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A world wide web


 A complexa história da Internet envolve muitos aspectos tecnológicos,
organizacionais, sociais e políticos. A influência da Internet mostra-se não
só nos campos técnicos das comunicações via computadores, mas também
em toda a sociedade, na medida em que usamos cada vez mais serviços
online para adquirir informação, fazer compras e trabalhar em
comunidade.

 Como surgiu?
• As ideias por trás da Web podem ser identificadas ainda em 1980,
no CERN- Organização Europeia para a Investigação Nuclear (Suíça ),
quando Tim Berners-Lee construiu o ENQUIRE. Ainda que diferente da
Web atualmente, o projeto continha algumas das mesmas ideias
primordiais, e também algumas ideias da web semântica. Seu intento
original do sistema foi tornar mais fácil o compartilhamento de
documentos de pesquisas entre os colegas.

Universidade Federal do Espírito Santo


75 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• Em março de 1989, Tim Berners-Lee escreveu uma proposta de


gerenciamento de informação , que referenciava o ENQUIRE e descrevia
um sistema de informação mais elaborado. Com a ajuda de Robert
Cailliau, ele publicou uma proposta mais formal para a World Wide Web
no final de 1990.

• Um computador NeXTcube foi usado por Berners-Lee com


primeiro servidor web e também para escrever o primeiro navegador,
o WorldWideWeb, em 1990. No final do mesmo ano, Berners-Lee já
havia construído todas as ferramentas necessárias para o sistema : o
navegador, o servidor e as primeiras páginas web , que descreviam o
próprio projeto. Em 6 de agosto de 1991, ele postou um resumo no grupo
de notícias alt.hypertext, onde info.cem.ch foi o primeiro site e servidor a
rolar no NeXTcube. Essa data marca então a estreia da Web como um
serviço publicado na Internet.

Universidade Federal do Espírito Santo


76 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O NeXTcube

Universidade Federal do Espírito Santo


77 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A www.
 Então o que seria a World wide web?
• A World Wide Web (que em português se traduz literalmente por teia
mundial), também conhecida como Web e WWW, é um sistema de
documentos em hipermídia que são interligados e executados na Internet.

• Os documentos podem estar na forma de vídeos, sons, hipertextos e


figuras. Para visualizar a informação, pode-se usar um programa de
computador chamado navegador para descarregar informações (chamadas
"documentos" ou "páginas") de servidores web e mostrá-los na tela do
usuário. O usuário pode então seguir as hiperligações na página para
outros documentos ou mesmo enviar informações de volta para o servidor
para interagir com ele. O ato de seguir hiperligações é, comumente,
chamado "navegar" ou "surfar" na Web.

Universidade Federal do Espírito Santo


78 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Padrões www.
 A funcionalidade da Web é baseada em três padrões::
• URI, um sistema que especifica como cada página de informação recebe
um "endereço" único onde pode ser encontrada. Esse padrão é definido
em RFC 1738 (URL, em dezembro de 1994) e RFC 3986 (URI, em
janeiro de 2005).

• HTTP, um protocolo que especifica como o navegador e servidor


web comunicam entre si. Esse padrão é definido em RFC
1945 (HTTP/1.0, maio de 1996), RFC 2616 (HTTP/1.1, junho de 1999)
e RFC 2617 (autenticação HTTP).

• HTML, uma linguagem de marcação para codificar a informação de modo


que possa ser exibida em uma grande quantidade de dispositivos. Esse
padrão é definido em HTML 1, RFC 1866 (HTML 2.0), HTML 3.2,
HTML 4.01, HTML 5 e XHTML.

Universidade Federal do Espírito Santo


79 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A evolução do código

 Web é todo o conteúdo que o usuário final pode acessar na rede. Sendo
que, a web já passou por transformações evolutivas - evolução do código e
dentre elas existem a: WEB 1.0, WEB 2.0 e WEB 3.0.

 Web 1.0
• A web 1.0 é considerada como estática, sendo que seus conteúdos não
podem ser alterados pelos usuários finais. Todo o conteúdo da página é
somente leitura, por isso o termo estático. Na web 1.0 não existia a
interatividade do usuário com a página, onde somente o webmaster ou o
programador pode realizar alterações ou atualizações da página.

Universidade Federal do Espírito Santo


80 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

 Web 2.0
• A web 2.0 é o que usamos atualmente, destaca-se por ser dinâmica, ao
contrário da web 1.0 que é estática. Referindo-se à web 2.0, dinâmico
indica a interatividade e participação do usuário final com a estrutura e
conteúdo da página. Nela, o usuário final pode postar comentários, enviar
imagens, compartilhar arquivos e fazer milhares de outras coisas que a
web 1.0 não permitia. Outra grande mudança entre a web 1.0 e a web 2.0
foi que o usuário diminuiu a taxa de download e aumentou a de upload, o
que indica que o usuário está interagindo mais com a web e trocando mais
informações por compartilhamento.

• A Web 2 é chamada de Web participativa ou colaborativa

Universidade Federal do Espírito Santo


81 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A evolução do código
• Web 3.0

• A web 3.0 é uma evolução da 2.0, pois tem o intuito de mudar as formas
de pesquisas para facilitar a vida do usuário da web 2.0, a fim de que
possa suprir as necessidades de hoje que são consideradas extravasamento
de dados, ou seja, o usuário está postando muitos dados aleatoriamente e
isso dificulta a localização. A web 3.0 também vem incrementar a
interatividade entre homem e máquina, melhorando as linguagens de
programação para que o homem e a máquina falem a mesma língua.
Como exemplo, podemos utilizar o Google que inovou seu site com uma
nova forma de pesquisa interativa: o usuário pode encontrar informações
sobre o arquivo que ele adicionou na barra de pesquisa do site do Google.
Essa é uma das formas que podemos apresentar a web 3.0 que ainda é só
um conceito que está chegando a sua fase final e entrando em aplicação.

• A Web 3 é chamada de Web semântica ou marketing

Universidade Federal do Espírito Santo


82 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Tecnologias Relacionadas a www


 Plataforma Java
• Um avanço significativo da Web foi a plataforma Java, desenvolvida
pela Sun Microsystems. Ela permite que páginas web incrustem
pequenos programas diretamente dentro da informação enviada que será
rodada no computador do usuário. Esses applets são executados na própria
máquina cliente, fornecendo uma experiência mais rica para o usuário.

 JavaScript
• O JavaScript é uma linguagem de computador interpretada desenvolvida
originalmente para uso em páginas web, cuja versão padronizada
é ECMAScript. Ainda que seu nome seja similar ao da linguagem Java, o
JavaScript foi desenvolvido pela Netscape e não possui semelhanças com
o Java. Em conjunto com a tecnologia de Document Object Model, o
JavaScript tornou-se um método bastante poderoso de manipulação de
páginas web.

Universidade Federal do Espírito Santo


83 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

 Plataforma Flash
• Adobe Flash (antes: Macromedia Flash), ou simplesmente Flash, é um
software primariamente de gráfico vetorial apesar de suportar imagens
bitmap e vídeos utilizado geralmente para a criação de animações
interativas que funcionam embutidas num navegador web. O produto era
desenvolvido e comercializado pela Macromedia, empresa especializada
em desenvolver programas que auxiliam o processo de criação de páginas
web.

Universidade Federal do Espírito Santo


84 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A www profissional
 Mais o que seria a WWW profissional?
• O surgimento da Web representou uma nova fronteira profissional para
diversos setores. À época do seu "estouro"
comercial, jornalistas, publicitários, designers, escritores,
redatores, fotógrafos, além é claro de programadores, e webmasters e
demais especialistas afluíram ao mercado, criando e desenvolvendo
empresas com os mais variados objetivos.

• Com o tempo, o capital de risco, utilizado para fundar e fazer operar as


primeiras empresas afastou-se, levando-as à falência. Foi a chamada
"bolha".

• Hoje o cenário mostra-se diverso, com investidores cautelosos, grandes


corporações investindo com bastante cuidado e uma imensa legião de
profissionais freelances atendendo seus clientes diretamente.

Universidade Federal do Espírito Santo


85 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Afinal o que é a WWW

 World Wide Web, o famoso WWW, é um sistema de documentos


dispostos na Internet que permitem o acesso às informações apresentadas
no formato de hipertexto. Para ter acesso a tais informações pode-se usar
um programa de computador chamado navegador. Os navegadores mais
famosos são: Internet Explorer, Mozilla Firefox,Google Chrome e Safari.

 Mais o que é Hipertexto?


• Os hipertextos são textos exibidos em formato digital, os quais podem
conter informações em formato de imagens, sons, vídeos, etc. O acesso a
tais informações se dá por meio de links, que servem como uma ponte
entre os mais diversos sites da Internet e seus conteúdos.

Universidade Federal do Espírito Santo


86 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

No final isso é a www

Universidade Federal do Espírito Santo


87 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

.
•A World Wide Web (que significa "rede de alcance mundial", em
inglês; também conhecida como Web e WWW).

•A WWW, é, em termos gerais, a interface gráfica da Internet. Ela é um


sistema de informações organizado de maneira a englobar todos os outros
sistemas de informação disponíveis na Internet.

Para ter acesso a tais informações pode-se usar um programa de


computador chamado navegador. Os navegadores mais famosos são:
Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Safari

Universidade Federal do Espírito Santo


88 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

.
• Sua idéia básica é criar um mundo de informações sem
fronteiras, prevendo as seguintes características:
- interface consistente;
- incorporação de um vasto conjunto de tecnologias e tipos de
documentos;
- "leitura universal".
Para isso, implementa três ferramentas importantes:
- um protocolo de transmissão de dados - HTTP;
- um sistema de endereçamento próprio - URL;
- uma linguagem de marcação, para transmitir documentos
formatados através da rede - HTML.
Universidade Federal do Espírito Santo
89 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES


.
A forma padrão das informações do WWW é o hipertexto.
• O protocolo usado para a transferência de informações no
WWW é o HTTP.

Principais características do HTTP:


- comunicação entre os agentes usuários e gateways, permitindo
acesso a hipermídia e a diversos protocolos do mundo Internet.
- obedece ao paradigma de pedido/resposta: um cliente
estabelece uma conexão com um servidor e envia um pedido ao
servidor, o qual o analisa e responde.
- A conexão deve ser estabelecida antes de cada pedido de
cliente e encerrada após a resposta.

Universidade Federal do Espírito Santo


90 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O que é Web?

- Web é uma palavra inglesa que significa teia ou rede.O significado de


web ganhou outro sentido com o aparecimento da internet. A web passou a
designar a rede que conecta computadores por todo mundo, a Word Wide
Web (WWW).

Universidade Federal do Espírito Santo


91 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Como funciona a Web?

• A Internet existe há poucas décadas, e é difícil imaginar a


vida sem ela agora. Para as gerações de antes, que buscavam
informação da maneira tradicional - pesquisando em
bibliotecas, entrevistando pessoas ou indo, literalmente, atrás
dos fatos -, é até possível viver uma vida sem e-mails, sem
mecanismos de buscas, sem web sites. Para a geração pós-
internet, isso é mesmo inimaginável. A cada ano,
engenheiros criam mais dispositivos para integrar com a
Internet - telefones celulares, tocadores de música, leitores
de livros eletrônicos, Laptops.

Universidade Federal do Espírito Santo


92 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
O que a faz funcionar?

Em poucas palavras, dois componentes principais:


• Hardware - inclui tudo, dos cabos que carregam até terabits de
informação por segundo.
• Protocolos - conjunto de regras que as máquinas seguem para
completar tarefas.

Universidade Federal do Espírito Santo


93 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Como funciona a Web

Universidade Federal do Espírito Santo


94 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Como funciona a Web

Universidade Federal do Espírito Santo


95 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
O QUE É UM PROTOCOLO?

• Um protocolo é um método standard que permite a


comunicação entre processos (que se executam
eventualmente em diferentes máquinas), isto é, um conjunto
de regras e procedimentos a respeitar para emitir e receber
dados numa rede.

Universidade Federal do Espírito Santo


96 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Na tabela abaixo listam-se os serviços e
protocolos associados às portas TCP e UDP.
Serviço TCP UDP Observações

FTP 21 21 Transferência de arquivos

SSH 22 22 Protocolo de login remoto encriptado

SMTP 25 25 Para envio de email

DNS 53 53 Resolução de nomes para IP

HTTP 80 80 Para web browser

HTTPS 443 443 Para web browser Seguro

POP3 110 110 Para recepção de email

IMAP 143 143 Para recepção/envio de email

Universidade Federal do Espírito Santo


97 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O que é um Navegador (Browser)

• É um programa que permite o acesso e interpretação de


arquivos HTML, PHP, CSS, Javascript, entre outros.
• É o software que permite que você acesse a Internet e
interaja com os documentos virtuais contido na web.

Universidade Federal do Espírito Santo


98 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

História dos Navegadores (Browser)


Tim Berners-Lee, criou o primeiro
navegador chamado de WorldWideWeb,
em 1990. No início a sua interface era
muito simples, a maior parte das
informações eram no formato de texto,
com poucas imagens. Introduziu o conceito
de hipertexto.

Universidade Federal do Espírito Santo


99 CCA-UFES
1993 Broswer Mosaic.
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

1993 Marc Andreessen, com o intuito de deixar


a internet mais acessível e interativa, Lança o
Mosaic, o primeiro navegador gráfico da web.

Universidade Federal do Espírito Santo


CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

1994 Browser Netscape


• Em 1994 James H. Clacrk em parceria com
Marc Andreessen, criam o navegador Netscape
Navigator, baseado no Mosaic.
• Foram feitos, neste dia, 1 milhão de downloads
do Netscape.
• Iniciou-se a era da internet.
• Iniciou uma lista de inovações como
JavaScript e Cokie

Universidade Federal do Espírito Santo


101 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Universidade Federal do Espírito Santo


102 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Guerra dos Navegadores


• No mundo da informática quem lidera o mercado é aquele que
detém o programa conhecido como plataforma. No caso da
Microsoft o programa plataforma é o Windows. A preocupação
da Microsoft era que estivesse surgindo um novo tipo de
plataforma liderada pela Netscape.

Universidade Federal do Espírito Santo


103 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Guerra dos Navegadores

• Gates percebendo a importância da web e com medo de perder a


liderança do mercado enviou um memorando aos seus
funcionários intitulado “A onda da maré da internet”. A partir
daí começa de fato a guerra dos navegadores. A Netscape era
uma nova concorrente, uma nova batalha iria começar.
• Em 1995 houve um encontro entre a Microsoft e a Netscape.
Sobre este encontro há duas versões.

Universidade Federal do Espírito Santo


104 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Versão Microsoft – Versão Netscape

A reunião foi a respeito de como a Segundo a Netscape a Microsoft chegou e


Microsoft poderia trabalhar com a fez uma oferta de compra de 1 milhão de
netscape, como fariam para usar o dólares. Se esta, a Netscape, não aceitasse
microsoft word rodando junto com o a oferta, eles, iriam copiar tudo.
netscape.
Universidade Federal do Espírito Santo
105 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Ações da Netscape
• A Netscape resolveu abrir seu capital, se tornar pública. agosto
de 1995. De 5 milhões de dólares investidos por Clark para criar
a Netscape, neste dia, houve um retorno de 663 milhões de
dólares, para por fim, a Netscape se tornar uma empresa de 2
bilhões de dólares. .

Universidade Federal do Espírito Santo


106 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A reviravolta da Microsoft

• Em 7 de dezembro de 1995 a Microsoft lança o Internet Explorer


1.0.
• James Clark relata uma história na qual a Microsoft comunicou a
Compaq para que a mesma parasse de distribuir o navegador
Netscape, caso contrário, cancelaria a licença do Windows da
Compaq.

Universidade Federal do Espírito Santo


107 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Internet Explorer 1.0


Universidade Federal do Espírito Santo
108 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Internet Explorer 2.0

• O navegador IE 2 foi lançado em doze idiomas, sendo este


ampliado para 24 idiomas mais tarde. A versão 2.0i apoiado
duplo byte character-set. A sua fatia de mercado foi também foi
baixissima em relação as versões posteriores. Durante seu
"reinado", a sua fatia de mercado foi de 3 para apenas 9%.

Universidade Federal do Espírito Santo


109 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Internet Explorer 3.0

• Lançado em 8 de janeiro de 1997


• Novidades, primeiro grande navegador a ter suporte ao CSS,
suporte para os controles ActiveX, NetMeeting.
• Foi a primeira versão que começou a ser amplamente usada
pelos usuários, porém ainda não vencia o Netscape.
• Subiu de 9% para em torno de 20 a 30% do mercado até o final
de 1997.

Universidade Federal do Espírito Santo


110 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Internet Explorer 4

• Foi lançado em setembro de 1997.


• Ela atingiu pouco mais de 60% do mercado de
navegadores até março de 1999.
• Fim do Netscape, Inicio do Mozilla.

Universidade Federal do Espírito Santo


111 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Mozilla - 1998
• A Netscape anuncia a liberação do código-fonte de seu
navegador. Com isso, o download do programa se torna grátis e
sua programação, open-source, livre para ser usada e modificada
por qualquer um. Para divulgar o código, a Netscape cria a
comunidade Mozilla, que anos depois lançaria o Firefox.

Universidade Federal do Espírito Santo


112 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Safari - 2003
• Em 2003, a Apple anuncia seu próprio navegador, o Safari,
incluído como o seu navegador padrão.
• Com uma interface simples, suas funções são básicas: Abas,
bloqueador de pop-ups,leitor de notícias RSS e modo privado
que evita que terceiros monitorem sua navegação.

Universidade Federal do Espírito Santo


113 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Firefox - 2004
• Evolução do Netscape.
• Projetos (Phoenix, Firebird, Firefox).
• Cerca de 40% do código do programa foi totalmente escrito por
voluntários.

Universidade Federal do Espírito Santo


114 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Google Chrome - 2008


• Finalmente a Google lança seu navegador.
• Em menos de dois anos de uso, o Google Chrome já era o
terceiro browser mais usado do mundo

Universidade Federal do Espírito Santo


115 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Universidade Federal do Espírito Santo


116 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Pesquisa: StatCounter 01/03/2013


Universidade Federal do Espírito Santo
117 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Servidores de Hospedagem
O que é servidor:
Em informática, um servidor é um sistema de computação centralizada que fornece
serviços a uma rede de computadores. Esses serviços podem ser de natureza
diversa, como por exemplo, arquivos e correio eletrônico. Os computadores que
acessam os serviços de um servidor são chamados clientes. As redes que utilizam
servidores são do tipo cliente-servidor, utilizadas em redes de médio e grande porte
(com muitas máquinas) e em redes onde a questão da segurança desempenha um
papel de grande importância. O termo servidor é largamente aplicado a
computadores completos, embora um servidor possa equivaler a um software ou a
partes de um sistema computacional, ou até mesmo a uma máquina que não seja
necessariamente um computador.
Exemplos:
●Servidor de arquivos

●Servidor web

●Servidor de e-mail

●Servidor de impressão

Universidade Federal do Espírito Santo


118 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Servidores de Hospedagem
Servidor Web:
A expressão servidor web pode significar duas coisas:

Um programa de computador responsável por aceitar pedidos HTTP de clientes,


geralmente os navegadores, e servi-los com respostas HTTP, incluindo
opcionalmente dados, que geralmente são páginas web, tais como documentos
HTML com objetos embutidos (imagens, etc.);

Um computador que executa um programa que provê a funcionalidade descrita


acima.

Exemplos de Servidor Web(Software):


● Apache (Linux e Windows)

● IIS (Internet Information Services) (Windows)

Universidade Federal do Espírito Santo


119 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Servidores de Hospedagem
Servidor Web:

Universidade Federal do Espírito Santo


120 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Servidores de Hospedagem
Servidores de Hospedagem:
Servidores de hospedagem são um conjunto de hardware e software responsáveis por
disponibilizar serviços web durante todo o tempo (24/7). As atuais soluções de hospedagem
disponibilizam diversos servidores além do web, é comum na hora de contratar um serviço de
hospedagem adquirir também outros serviços como:

●FTP
●WEBMAIL

●SERVIDOR DE ARQUIVOS

●BANCO DE DADOS

A escolha do servidor de hospedagem vária de acordo com a necessidade, pois existem servidores
que só executam páginas estáticas (HTML) e servidores que executam páginas dinâmicas, sendo
que o servidor que executa a página dinâmica varia de acordo com a linguagem utilizada.

A maioria dos servidores web utilizam a combinação de APACHE + LINUX


Segundo dados da Netcraft Web Server mais de 68% dos sites da internet usavam o Apache como
servidor em fevereiro de 2005.

Universidade Federal do Espírito Santo


121 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Servidores de Hospedagem
Servidores de Hospedagem:
Existem diversas empresas que alugam servidores de hospedagem, sendo que cada
uma possui diferentes tipos de serviços que são disponibilizados, alguns exemplos
de serviço de hospedagem:

Gratuito:
http://xpg.uol.com.br/hospedagem-html-gratis.html (somente páginas html)
http://www.000webhost.com/ (suporte a PHP e MySQL)

Pago:
http://www.locaweb.com.br/ (suporte a diversos serviços, e-mail, banco de dados,
etc)
www.uolhost.com.br/hospedagem-de-sites/ (suporte a diversos serviços, e-mail,
banco de dados, etc)

Universidade Federal do Espírito Santo


122 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
O que é:

Hipertexto é o termo que remete a um texto em formato digital, ao qual se agregam


outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou
sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas hiperlinks,
ou simplesmente links. Esses links ocorrem na forma de termos destacados no
corpo de texto principal, ícones gráficos ou imagens e têm a função de interconectar
os diversos conjuntos de informação, oferecendo acesso sob demanda as
informações que estendem ou complementam o texto principal.

Em palavras mais simples, o hipertexto é uma ligação que facilita a navegação dos
internautas. Um texto pode ter diversas palavras, imagens ou até mesmo sons, que,
ao serem clicados, são remetidos para outra página onde se esclarece com mais
precisão o assunto do link abordado.

Universidade Federal do Espírito Santo


123 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
Principais características:
●Intertextualidade;
●Velocidade;

●Precisão;

●Dinamismo;

●Interatividade;

●Acessibilidade;

●Estrutura em rede;

●Transitoriedade;

●Organização multilinear

Universidade Federal do Espírito Santo


124 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
Hipertexto e Internet :
Uma das maiores controvérsias a respeito deste conceito é sobre sua vinculação
obrigatória ou não com a internet e outros meios digitais. Alguns autores defendem
que o hipertexto acontece apenas nos ambientes digitais, pois estes permitem acesso
imediato a qualquer informação. A internet, através da WWW, seria o meio
hipertextual por excelência, uma vez que toda sua lógica de funcionamento está
baseada nos links.

Outros pesquisadores acreditam que a representação hipertextual da informação


independe do meio. Pode acontecer no papel, por exemplo, desde que as
possibilidades de leitura superem o modelo tradicional contido das narrativas
contínuas (com início, meio e fim). Uma enciclopédia é um clássico exemplo de
hipertexto baseado no papel, pois permite acesso não-linear aos verbetes contidos
em diferentes volumes.

Universidade Federal do Espírito Santo


125 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
Funcionamento do Hipertexto Digital :
Quando falamos de Hipertexto no contexto digital, se faz necessário abordar dois
padrões que possibilitam essa comunicação em hipertexto, são eles:

HTTP - Hypertext Transfer Protocol


É protocolo que permite a comunicação entre as aplicações

HTML - HyperText Markup Language


Linguagem que realiza a “diagramação” do conteúdo de um hipertexto

Universidade Federal do Espírito Santo


126 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
HTML - HyperText Markup Language :
Definição da W3C:
HTML é a linguagem de publicação da World Wide Web.

HTML (abreviação para a expressão inglesa HyperText Markup Language, que


significa Linguagem de Marcação de Hipertexto) é uma linguagem de marcação
utilizada para produzir páginas na Web.

●Tim Berners-Lee criou o HTML original.


●Atualmente esta na versão 5.

●Trabalha com tags.

●Cria somente conteúdo estático.

Universidade Federal do Espírito Santo


127 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
Exemplo de Código HTML :
<html>
<head>
<title>Exemplo de uso HTML</title>
</head>

<body>
<!-- Menu de navegacao do site -->
<ul>
<li><a href="index.html">Home page</a>
<li><a href="cidade.html">Minha cidade</a>
<li><a href="links.html">Links</a>
</ul>

<!-- Conteudo -->


<h1>Contéudo da Página</h1>
</body>

</html>

Universidade Federal do Espírito Santo


128 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
HTTP - Hypertext Transfer Protocol :
O Hypertext Transfer Protocol (HTTP) - Protocolo de Transferência de Hipertexto -
é um protocolo de comunicação.

Coordenado pela World Wide Web Consortium e a Internet Engineering Task Force,
culminou na publicação de uma série de Requests for Comments; mais
notavelmente o RFC 2616, de junho de 1999, que definiu o HTTP/1.1.

Normalmente, este protocolo utiliza a porta 80 e é usado para a comunicação de


sítios web, comunicando na linguagem HTML. Contudo, para haver comunicação
com o servidor do sítio é necessário utilizar comandos adequados, que não estão em
linguagem HTML.

O protocolo HTTP faz a comunicação entre o cliente e o servidor por meio de


mensagens. O cliente envia uma mensagem de requisição de um recurso e o
servidor envia uma mensagem de resposta ao cliente com a solicitação.
Universidade Federal do Espírito Santo
129 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Hipertexto
HTTP - Hypertext Transfer Protocol :

Universidade Federal do Espírito Santo


130 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Conclusão

O funcionamento da web depende de uma variedade de ferramentas, linguagens e


serviços.

Por exemplo:
●HTML.

●Protocolo HTTP.

●Linguagem de programação no caso de páginas dinâmicas.

●Servidores de Hospedagem.

Universidade Federal do Espírito Santo


131 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
O que é URL?
URL (Uniform Resource Locator), em português Localizador-Padrão de Recursos, é
o endereço de um recurso (um arquivo, uma impressora, etc.) diponível em uma
rede; seja a Internet, ou uma rede corporativa, uma intranet.

- Estrutura:

• protocolo://servidor/caminho/recurso

‣protocolo: poderá ser HTTP, HTTPS, FTP, entre outros.


‣servidor: designa o servidor que disponibiliza o recurso.
‣caminho: é o diretório onde estão os recursos.
‣recurso: pode ser um arquivo (.txt, .jpg, .gif, etc.)

✓EX: http://www.meusite.com.br/imagens/foto_01.jpg

Universidade Federal do Espírito Santo


132 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Padrões de URL
O formato das URL é definido pela norma RFC 1738.

RFC descreve os padrões para os diversos componentes que fazem parte


de uma Rede, em especial a Internet.

- Caracteres Inseguros:
• “<”, “>”, “#”, “%”, “(“, “)”, “|”, “\”, “^”, “~”, “[“, “]”, “`”
‣devem ser sempre codificados dentro da URL.
- Caracteres Reservados:
• “;”, “/”, “?”, “:”, “@”, “=”, “&”
‣são usados para fins especiais.

- Esquemas de Hierarquias de Links:


• “/”
‣são utilizados para formar links.

Universidade Federal do Espírito Santo


133 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Regimes Específicos
Segundo o RFC 1738, alguns regimes tem que ser especificados, como
alguns principais protocolos da internet entre outros.

- Regime Comum:
• dados começam com “//”.
‣EX: // : @ : /
- FTP:
• designa caminhos de arquivos e diretórios em um servidor.
‣EX: ftp://<user>:<password>@<host>:<port>/<path>

- HTTP:
• designa recursos na Internet.
‣EX: http://servidor/diretório/arquivo.html
- Mailto:
• designa endereço de uma pessoa ou serviço
‣EX: mailto:email@exemplo.com.br
Universidade Federal do Espírito Santo
134 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Regimes Específicos

- TelNet:
• designa serviços interativos.
‣EX: telnet://<user>:<password>@<host>:<port>/

- FILE:
• designa recursos acessíveis a um computador específico.
‣EX: file:////home/exemplo/arquivo.txt

Considerações de Segurança:
- Regimes de URLs em si não representam uma ameaça à segurança,
porém, usuários devem saber que também não há garantias de que uma
URL não aponte diretórios ou códigos maliciosos.

Universidade Federal do Espírito Santo


135 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
O que é site?
Um web site ou site é um conjunto de páginas web, isto é, de hipertextos
acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na internet. O conjunto de todos
os sites públicos existentes compõe a World Wide Web.

- Páginas da web:
• São organizadas a partir de um URL básico;
• Residem nom mesmo diretório de um servidor;
• São organizadas dentro do site numa hierarquia.

✓Alguns sites, ou parte de sites, exigem uma subscrição, com o pagamento


de uma taxa, por exemplo, mensal, ou então apenas um registro gratuito.
Os exemplos incluem muitos sites pornográficos, partes dos sites de
notícias, sites que fornencem dados do mercado financeiro, etc.

Universidade Federal do Espírito Santo


136 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Propósitos
Institucional:
‣comércio eletrônico, divulgações, eventos, etc.
Informações:
‣veicular notícias.

Aplicações:
‣substituição de aplicações desktop.

Armazenagem de Informações:
‣catalogar registros, sistemas de busca, banco de dados.

Comunitários:
‣Chats, fóruns e sites de relacionamento.

Portais:
‣agregam serviços da internet num mesmo local.
Universidade Federal do Espírito Santo
137 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

O papel do consórcio W3C


• O Consórcio World Wide Web (W3C) é um consórcio
internacional no qual organizações filiadas trabalham juntos para
desenvolver padrões para a Web, como HTML e CSS.
• Consiste em um consórcio internacional com quase 400
membros.

Universidade Federal do Espírito Santo


138 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• Tim Berners-Lee, criou a World Wide Web em 1989 enquanto


trabalhava na Organização Europeia para Pesquisa Nuclear
(CERN), tem servido como Diretor do W3C desde sua fundação,
em 1994.

Universidade Federal do Espírito Santo


139 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• As operações do W3C são administradas em conjunto


pelo Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência
Artificial (CSAIL) do MIT nos EUA, pelo Consórcio Europeu
de Pesquisa para Informática e Matemática (ERCIM) com sede
na França, e pela Universidade de Keio, no Japão. O W3C
também possui escritórios em muitas regiões do mundo.

Universidade Federal do Espírito Santo


140 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

A missão do W3C

• Conduzir a World Wide Web para que atinja todo seu potencial
máximo, desenvolvendo protocolos comuns que garantam seu
crescimento de longo prazo.
• Desde 1994, o W3C publicou mais de 110 desses padrões,
denominados Recomendações do W3C.

Universidade Federal do Espírito Santo


141 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Metas W3C
• Uma das metas básicas do W3C é tornar esses benefícios
disponíveis a todas as pessoas, independentemente do seu
equipamento, software, idioma nativo, cultura, localização
geográfica ou capacidade física ou mental.

Universidade Federal do Espírito Santo


142 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Web em qualquer aparelho

• O objetivo da Iniciativa da Web Móvel do W3C, lançada em


2005, é tornar o acesso à Web a partir de qualquer tipo de
equipamento tipo com Telefones celulares, smartphones,
assistentes pessoais digitais, sistemas de televisão interativos,
sistemas de resposta por voz e até mesmo alguns
eletrodomésticos podem acessar a Internet.

Universidade Federal do Espírito Santo


143 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Credibilidade e confiança

• Uma das metas de longo prazo do W3C é promover


tecnologias que possibilitem um ambiente mais
cooperativo, uma Web na qual a responsabilidade,
segurança, confiança e o sigilo sejam possíveis, e na qual
as pessoas participam de acordo com suas exigências e
preferências individuais de privacidade.

Universidade Federal do Espírito Santo


144 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• O W3C também se envolve em educação e divulgação,


desenvolve softwares e atua como fórum aberto para discussões
sobre a Web.

Universidade Federal do Espírito Santo


145 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

• Para atingir o objetivo de uma Web única, as especificações


para os formatos e protocolos da Web precisam ser
compatíveis entre si e permitir que (todos) os equipamentos
e softwares usados para acessar a Web funcionem juntos.
• O W3C está transformando a arquitetura da Web inicial
(basicamente HTML, URIs e HTTP) na arquitetura da Web
de amanhã.

Universidade Federal do Espírito Santo


146 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES

Escritório W3C no Brasil


• O escritório W3C no Brasil iniciou suas operação no dia 1 de
novembro de 2007.
disseminar a cultura de adoção de padrões para o
desenvolvimento pleno da Web a longo prazo.
organizar atividades na região para promover e demonstrar as
ferramentas e padrões desenvolvidos pelo W3C Mundial.
propor políticas e procedimentos relativos à regulamentação do
uso da Internet.
recomendar padrões técnicos e procedimentos operacionais para
o desenvolvimento da Internet no Brasil.

Universidade Federal do Espírito Santo


147 CCA-UFES
Universidade Federal do Espírito Santo - CCA-UFES
Desafios da Web
Em um mundo cada vez mais conectado, a web também deve estar aberta
para oferecer um leque cada vez maior de possibilidades para interação.
Considerando que muitas pessoas atualmente têm smartphones, tablets,
computadores, smart tvs, etc.

- Desafios:
• Disponibilidade de Endereços IP;
• Aperfeiçoamento de Mecanismos de Busca;
• Interatividade;
• Melhorias na Segurança;

- Tendências:
• IPV6
• Web Semântica / Inteligente
• Mobilidade
• Cloud Computing
Universidade Federal do Espírito Santo
148 CCA-UFES