Você está na página 1de 39

Filipenses 2.19-29.

19 - E espero, no Senhor Jesus, que em breve vos


mandarei Timóteo, para que também eu esteja de
bom ânimo, sabendo dos vossos negócios.
20 - Porque a ninguém tenho de igual sentimento,
que sinceramente cuide do vosso estado;
21 - porque todos buscam o que é seu e não o que é
de Cristo Jesus.
22 - Mas bem sabeis qual a sua experiência, e que
serviu comigo no evangelho, como filho ao pai.
Filipenses 2.19-29.

23 - De sorte que espero enviá-lo a vós logo que


tenha provido a meus negócios.
24 - Mas confio no Senhor que também eu mesmo,
em breve, irei ter convosco.
25 - Julguei, contudo, necessário mandar-vos
Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro
nos combates, e vosso enviado para prover às
minhas necessidades,
26 - porquanto tinha muitas saudades de vós todos e
estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que
ele estivera doente.
Filipenses 2.19-29.

27 - E, de fato, esteve doente e quase à morte,


mas Deus se apiedou dele e não somente dele,
mas também de mim, para que eu não tivesse
tristeza sobre tristeza.
28 - Por isso, vo-lo enviei mais depressa, para
que, vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu
tenha menos tristeza.
29 - Recebei-o, pois, no Senhor, com todo o
gozo, e tende-o em honra [...].
A preocupação de Paulo com a unidade e
a comunhão da igreja filipense era tão
intensa que ele desejava estar presente
naquela comunidade. Todavia, o apóstolo
encontrava-se preso. Impedido de rever
aqueles pelos quais estava disposto a
"sacrificar-se" (Fp 2.17) “E, ainda que seja
oferecido por libação sobre o sacrifício e
serviço da vossa fé, folgo e me regozijo
com todos vós”,
Paulo envia dois obreiros fiéis, Timóteo e Epafrodito,
para cuidar daquela igreja até sua chegada (2.19-30)
“E espero, no Senhor Jesus, que em breve vos
mandarei Timóteo, para que também eu esteja de
bom ânimo, sabendo dos vossos negócios. Porque a
ninguém tenho de igual sentimento, que
sinceramente cuide do vosso estado; porque todos
buscam o que é seu e não o que é de Cristo Jesus.
Mas bem sabeis qual a sua experiência, e que serviu
comigo no evangelho, como filho ao pai. De sorte
que espero enviá-lo a vós logo que tenha provido a
meus negócios.
Mas confio no Senhor que também eu mesmo, em breve,
irei ter convosco. Julguei, contudo, necessário mandar-vos
Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nos
combates, e vosso enviado para prover às minhas
necessidades; porquanto tinha muitas saudades de vós
todos e estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que
ele estivera doente. E, de fato, esteve doente e quase à
morte, mas Deus se apiedou dele e não somente dele, mas
também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre
tristeza. Por isso, vo-lo enviei mais depressa, para que,
vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu tenha menos tristeza.
Recebei-o, pois, no Senhor, com todo o gozo, e tende-o em
honra: porque, pela obra de Cristo, chegou até bem próximo
da morte, não fazendo caso da vida, para suprir para
comigo a falta do vosso serviço.”
Mas confio no Senhor que também eu mesmo, em breve,
irei ter convosco. Julguei, contudo, necessário mandar-vos
Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nos
combates, e vosso enviado para prover às minhas
necessidades; porquanto tinha muitas saudades de vós
todos e estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que
ele estivera doente. E, de fato, esteve doente e quase à
morte, mas Deus se apiedou dele e não somente dele, mas
também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre
tristeza. Por isso, vo-lo enviei mais depressa, para que,
vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu tenha menos tristeza.
Recebei-o, pois, no Senhor, com todo o gozo, e tende-o em
honra: porque, pela obra de Cristo, chegou até bem próximo
da morte, não fazendo caso da vida, para suprir para
comigo a falta do vosso serviço.”
1. Paulo, um líder comprometido com o pastorado. O
versículo do texto áureo revela o coração amoroso de Paulo
que, apesar de encarcerado, ansiava por notícias dos irmãos
na fé. O apóstolo temia que a igreja filipense ficasse exposta
aos "lobos devoradores" que se aproveitam da
vulnerabilidade e da fragilidade das "ovelhas" a fim de
"devorá-las" (Mt 10.16) “Eis que vos envio como ovelhas ao
meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes
e símplices como as pombas” (At 20.29) “Porque eu sei isto:
que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos
cruéis, que não perdoarão o rebanho”. Paulo se preocupava
com a segurança espiritual do rebanho de Filipos e
esforçava-se ao máximo para atendê-lo.
2. Paulo, o mentor de novos obreiros. O apóstolo apresenta
dois obreiros especiais para auxiliar a igreja de Filipos.
Primeiramente, Paulo envia Timóteo, dando testemunho de
que ele era um obreiro qualificado para ouvir e atender às
necessidades espirituais da igreja. Em seguida, o apóstolo
valoriza um obreiro da própria igreja filipense, Epafrodito.
Este gozava de total confiança de Paulo, pois preservava a
pureza do Evangelho recebido. O apóstolo Paulo ainda
destaca a integridade desses dois servos de Deus contra a
avareza dos falsos obreiros (v.21) “porque todos buscam o
que é seu e não o que é de Cristo Jesus”. Estes são líderes
que não zelam pela causa de Cristo, mas se dedicam apenas
aos seus próprios interesses.
3. Paulo, um líder que amava a igreja. Ao longo de toda a
Carta aos Filipenses, percebemos que a relação do apóstolo
Paulo para com esta igreja era estabelecida em amor. Não
era uma relação comercial, pois o apóstolo não tratava a
igreja como um negócio. Ele não era um gerente e muito
menos um patrão. A melhor figura a que Paulo pode ser
comparado em seu comportamento em relação à igreja é a
de um pai que ama os seus filhos gerados na fé de Cristo.
Todas as palavras do apóstolo - admoestações, exortações e
deprecações - demonstram um profundo amor para com a
igreja de Filipos. Precisamos de obreiros que
amem a Igreja do Senhor. Esta é constituída por
pessoas necessitadas, carentes, mas, sobretudo, desejosas
de serem amadas pelos representantes da igreja (2 Tm 2.1-
26).
1. Paulo dá testemunho por Timóteo. O envio
de Timóteo à Filipos tinha a finalidade de
fortalecer a liderança local e,
consequentemente, todo o Corpo de Cristo.
Além de enviar notícias suas à igreja, Paulo
também esperava consolar o seu coração com
boas informações acerca daquela comunidade
de fé. Assim, como Timóteo era uma pessoa de
sua inteira confiança, considerado pelo
apóstolo como um filho
1. Paulo dá testemunho por Timóteo. (1 Tm 1.2) “a
Timóteo, meu verdadeiro filho na fé: graça,
misericórdia e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da
de Cristo Jesus, nosso Senhor”, tratava-se da pessoa
indicada para ir a Filipos, pois sua palavra à igreja
seria íntegra, leal e no temor de Deus). Paulo estava
seguro de que o jovem Timóteo teria a mesma
atitude que ele, ou seja, além de ensinar amorosa e
abnegadamente, pregaria o evangelho com total
comprometimento a Cristo (v.20) “Porque a ninguém
tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide
do vosso estado”.
2. O modelo paulino de liderança.
Timóteo, Epafrodito e Tito foram obreiros
sob a liderança de Paulo. Eles aprenderam
que o exercício do santo ministério é
delineado pela dedicação, humildade,
disposição e amor pela obra de Deus.
Qualquer obreiro que queira honrar ao
Senhor e sua Igreja precisa levar em conta
os sofrimentos enfrentados pelo Corpo de
Cristo na esperança de ser galardoado por
Deus.
2. O modelo paulino de liderança.
Nessa perspectiva, o principal ensino
de Paulo aos seus liderados era que o
líder é o servidor da Igreja. O apóstolo
aprendera com Jesus que o líder
cristão deve servir à Igreja e jamais
servir-se dela (Mt 20.28) “bem como o
Filho do Homem não veio para ser
servido, mas para servir e para dar a
sua vida em resgate de muitos”.
3. As qualidades de Timóteo (2.20-22). Timóteo
aprendeu muito com Paulo em relação à finalidade
da liderança. Ele se solidarizou com o apóstolo e
dispôs-se a cuidar dos interesses dos filipenses como
um autêntico líder. Paulo declarou aos filipenses que
Timóteo, além de "um caráter aprovado", estava
devidamente preparado para exercer a liderança,
pois tinha uma disposição de "servir" ao Senhor e à
igreja. Todo líder cristão precisa desenvolver uma
empatia com a igreja, tornando-se um marco
referencial para toda a comunidade de fé (1 Tm 4.6-
16)
(1 Tm 4.6-16) “Propondo estas coisas aos irmãos,
serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as
palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.
Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e
exercita-te a ti mesmo em piedade. Porque o
exercício corporal para pouco aproveita, mas a
piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa
da vida presente e da que há de vir. Esta palavra é
fiel e digna de toda a aceitação. Porque para isto
trabalhamos e lutamos, pois esperamos no Deus
vivo, que é o Salvador de todos os homens,
principalmente dos fiéis.
Manda estas coisas e ensina-as. Ninguém despreze
a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na
palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na
pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu
vá. Nãodesprezes o dom que há em ti,
o qual te foi dado por profecia, com a
imposição das mãos do presbitério.
Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu
aproveitamento seja manifesto a todos. Tem
cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera
nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás,
tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”.
1. Epafrodito, um mensageiro de confiança.
Epafrodito era grego, um obreiro local exemplar
e de caráter ilibado. O apóstolo Paulo o elogia
como um grande "cooperador e companheiro
nos combates". Sua tarefa inicial era a de
ajudar o apóstolo enquanto ele estivesse preso,
animando-o e fortalecendo-o com boas notícias
dos crentes filipenses. Epafrodito também fora
encarregado de levar a Paulo uma ajuda
financeira da parte da igreja de Filipos,
objetivando custear as despesas da prisão
domiciliar do apóstolo.
2. Epafrodito, um verdadeiro missionário.
Epafrodito não levou apenas boas
notícias para o apóstolo, mas também
propagou o Evangelho nas adjacências da
cidade de Filipos. Em outras palavras,
Epafrodito era um autêntico missionário. À
semelhança de Silvano e Timóteo (1 Ts 1.1-7)
“Paulo, e Silvano, e Timóteo, à igreja dos
tessalonicenses, em Deus, o Pai, e no Senhor
Jesus Cristo: graça e paz tenhais de Deus,
nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
2. Epafrodito, um verdadeiro missionário. Sempre
damos graças a Deus por vós todos, fazendo menção
de vós em nossas orações, lembrando-nos, sem
cessar, da obra da vossa fé, do trabalho da caridade
e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus
Cristo, diante de nosso Deus e Pai, sabendo,
amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus;
porque o nosso evangelho não foi a vós somente em
palavras, mas também em poder, e no Espírito
Santo, e em muita certeza, como bem
sabeis quais fomos entre vós, por amor
de vós.
2. Epafrodito, um verdadeiro missionário.
E vós fostes feitos nossos imitadores e do
Senhor, recebendo a palavra em muita
tribulação, com gozo do Espírito Santo, de
maneira que fostes exemplo para todos os
fiéis na Macedônia e Acaia”, bem como
Barnabé, Tito, Áquila e Priscila, ele
entendia que, se o alvo era pregar o Evangelho,
até mesmo os sofrimentos por causa do nome
de Jesus faziam parte de seu galardão.
3. Paulo envia Epafrodito. Filipenses 2.20
“Porque a ninguém tenho de igual sentimento, que
sinceramente cuide do vosso estado” relata o
desejo de Paulo em mandar alguém para cuidar
dos assuntos da igreja em Filipos. O
pensamento inicial era enviar Timóteo, pois
Epafrodito adoecera vindo quase a falecer.
Deus, porém, teve misericórdia desse obreiro e
o curou (v.27) “E, de fato, esteve doente e
quase à morte, mas Deus se apiedou dele e
não somente dele, mas também de mim, para
que eu não tivesse tristeza sobre tristeza”,
3. Paulo envia Epafrodito. dando ao
apóstolo a oportunidade de enviá-lo à
igreja em Filipos (v.28) “Por isso, vo-lo
enviei mais depressa, para que, vendo-o
outra vez, vos regozijeis, e eu tenha
menos tristeza”. Epafrodito possuía
condições morais e emocionais para tratar
dos problemas daquela igreja. Por isso, o
apóstolo pede aos filipenses que o
recebam em Cristo, honrando-o como
obreiro fiel
3. Paulo envia Epafrodito. (vv.29,30) “Recebei-o,
pois, no Senhor, com todo o gozo, e tende-o em
honra: porque, pela obra de Cristo, chegou até bem
próximo da morte, não fazendo caso da vida, para
suprir para comigo a falta do vosso serviço”. Que os
obreiros cuidem da Igreja de Cristo com amor e zelo,
e que os membros do Corpo do Senhor reconheçam
a maturidade, a fidelidade e a responsabilidade dos
obreiros que Deus dá à Igreja (Hb 13.17) “Obedecei a
vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam
por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta
delas; para que o façam com alegria e não
gemendo, porque isso não vos seria útil”.
A Igreja pertence a Cristo, e nós, os obreiros,
somos os servidores desta grande comunidade
Que
espalhada por Deus pela face da terra.
ouçamos o conselho do apóstolo
Pedro, e venhamos apascentar "o
rebanho de Deus [...], tendo cuidado dele, não
por força, mas voluntariamente; nem por
torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem
como tendo domínio sobre a herança de Deus,
mas servindo de exemplo ao rebanho" (1 Pe
5.2,3).