Você está na página 1de 8

A anestesia geral age sedando uma pessoa

profundamente, de forma que se perde a consciência, a


sensibilidade e os reflexos do corpo, para que sejam
realizadas cirurgias sem que se sinta dor ou
desconfortos durante o procedimento.
Ela pode ser injetada pela veia, tendo um efeito imediato,
ou inalada através de uma máscara, chegando na
circulação sanguínea após passar pelos pulmões, e a
duração do seu efeito é determinada pelo anestesista, que
decide qual será o tipo, a dose e quantidade do
medicamento anestésico.
Estágio 1- Analgesia: O paciente fica sonolento, porém consciente. As
respostas aos estímulos dolorosos são reduzidas.

Estágio 2- Excitação ou Delírio: o individuo perde a consciência e


não responde mais aos estímulos indolores, porém responde, de
maneira reflexa, aos estímulos dolorosos.

Estágio 3- Anestesia cirúrgica: O movimento espontâneo cessa, e a


respiração torna-se regular. Com o aprofundamento da anestesia, esses
reflexos desaparecem e os músculos se relaxam por completo.

Estágio 4- Paralisia: bulbar: A respiração e o controle vasomotor


cessam, havendo morte em poucos minutos.
1. Anestesia inalatória
Esta anestesia é feita pela inalação de gases que contêm
medicamentos anestésicos, e, por isso, demora alguns minutos
para fazer efeito, porque a medicação passa pelos pulmões até
chegar na corrente sanguínea e, em seguida, ao cérebro.

2. Anestesia pela veia


Este tipo de anestesia é feito ao injetar o medicamento
anestésico diretamente na veia, causando uma sedação quase
imediata. A profundidade da sedação depende do tipo e da
quantidade de medicamento injetado pelo anestesia, que
também irá depender da duração da cirurgia, da sensibilidade
de cada pessoa, além da idade, peso, altura e condições de
saúde.
O tempo que leva para acordar leva de alguns minutos a
poucas horas após o término da cirurgia, diferentes dos
que eram usados antigamente, que duravam o dia inteiro,
já que, hoje em dia, os medicamentos estão mais
modernos e eficientes. Por exemplo, a anestesia feita pelo
dentista tem uma dose bem fraca e dura poucos minutos,
enquanto que a anestesia necessária para uma cirurgia do
coração pode durar 10 horas.
Alguns pessoas podem apresentar efeitos colaterais
durante a realização da anestesia ou até algumas horas
depois, como enjoo, vômitos, dor de cabeça e alergias
ao princípio ativo da medicação.
As complicações mais graves, como parada da
respiração, parada cardíaca ou sequelas
neurológicas, são raras, mas podem surgir em pessoas
com a saúde muito debilitada, por desnutrição,
doenças cardíacas, pulmonares ou renais, e que usam
muitos medicamentos ou drogas ilícitas, por exemplo.