Você está na página 1de 17

Imunologia Clínica

5º Período – Biomedicina
Prof. Esp.: Thelma Marchi Afonso
» O RIE foi a primeira técnica imunológica padronizada
capaz de detectar e quantificar substâncias da ordem de
nanograma (bilionésimo do grama) a picogramas
(trilionésimo do grama).

» Torna-se então possível determinar qualquer tipo de


molécula biológica, desde que haja um receptor específico
e que a molécula biológica possa ser marcada.
o DEFINIÇÃO

• O termo radioimunoensaio (RIE) é empregado em ensaios com


antígenos marcados.

» Apresenta alta sensibilidade que é conferida pela detecção radioativa.

» O RIE também apresenta elevada especificidade.

» Graças à sua especificidade, os ensaios podem acontecer diretamente no


líquido biológico.

» Por causa da sua sensibilidade, o volume de amostra pode ser menor.


o Vantagens o Desvantagens
•Método muito sensível, • Instabilidade dos radioisótopos.
específico e de alta afinidade. • Risco operacional.
• Baixo custo. • Necessidades de medidas
• Requer pouca amostra. especiais.
• Rápido. •Elevado custo de biossegurança
e problemas com o descarte de
material.
o Alta sensibilidade → permite dosagem de
substâncias não encontradas em concentrações
suficientes para serem percebidas por outras
técnicas.

• polipeptídios, esteróides, antibióticos, hormônios tireoidianos, proteínas,


vitaminas, drogas e outras.
• vírus da hepatite B.
• marcador tumoral.
Reação de competição por um receptor comum
entre uma substância a ser determinada e a mesma
substância marcada radioisotopicamente.

•Anticorpo radioativo
•Antígeno radioativo
•Amostra a ser
testada
•Leitor radiométrico
Leitor radiométrico
o 125 I

• É o radioisótopo mais comumente empregado.


• Meia vida de 57,5 dias.
• Liga-se facilmente aos resíduos de tirosina das proteínas.
• Produz radiação Υ.
• Dosagem de hormônios protéicos.

o Trítio (3H)
•Produz radiação β .
• Dosagem de esteróides.

o Carbono 14
o De competição com Ag marcado.
o De competição com Ac marcado.
o Sanduíche ou captura de Ag.
o Para detecção de IgE:
• Paper Radioimmunosorbent Test (PRIST).
• Radioallergosorbent Test (RAST).
Inicialmente, uma quantidade conhecida de
anticorpos específicos é colocada na fase
sólida.
Em seguida, adiciona-se o antígeno
marcado com 125 I.
Uma amostra de soro de um paciente
suspeito é então acrescentada.
O antígeno, se presente no soro, compete com
o antígeno radioativo pelos sítios de ligação
nos anticorpos.
A quantificação é feita em aparelho específico
para a leitura de radioatividade.

Y
Antígeno marcado
Antígeno do soro
Y Anticorpo específico
Inicialmente, antígenos são fixados na fase sólida.

A seguir, acrescenta-se a amostra do paciente.


Os anticorpos específicos e marcados com o
radioisótopo são acrescentados.
Se a amostra for positiva, haverá a formação
do complexo Ag/Ac com o Ag do soro.
Quanto maior a quantidade de antígeno na
amostra, maior será a ligação destes aos anticorpos,
formando imunocomplexos, que serão retirados
por lavagem e assim reduzindo a leitura da
radioatividade.

Antígeno marcado
Antígeno do soro
Y Anticorpo marcado
Teste realizado em duas etapas:

Primeira etapa:
1) Fixação de Acs não marcados na fase
sólida.
2) Adição da amostra (que contém Ag
específicos contra o Ac fixado e outros componentes
não específicos).
3) Os Ac capturam os Ag específicos da
amostra.
4) Deverá ocorrer uma primeira lavagem
para eliminação de componentes não específicos.

Segunda etapa:
1) Acrescenta-se um segundo anticorpo
específico e marcado, que formará o “sanduíche”.
2) A formação do imunocomplexo será
revelada por este segundo anticorpo.
Antígeno do soro Y Ac marcado
Y Ac não marcado Componentes não
específicos
Anticorpos anti-IgE e não marcados são
fixados na fase sólida.
Acrescenta-se o soro a ser pesquisado para a
presença de IgE. Em caso positivo, haverá a
Y
Y
Y
Y Y Y união do anticorpo IgE + anticorpo anti-IgE.
Após lavagem para retirada do excesso de Ac
não ligado, acrescenta-se anticorpos anti-IgE
marcados com isótopo para que haja a
Y Y Y revelação da amostra.
Após lavagem, procede-se com a leitura. A
determinação da concentração de IgE total
presente na amostra ocorrerá através de
Y Ag IgE da amostra cálculo que relacionará os valores obtidos com
Y Ac anti-IgE marcado
Y Ac anti-IgE não marcado uma determinada curva padrão.
O alérgeno específico para o Ac IgE
pesquisado é previamente fixado ao fundo
do tubo na fase sólida.
Acrescenta-se soro do paciente.
Havendo presença de IgE específica
ao alérgeno em questão, haverá a
formação do complexo Ag/Ac.
Acrescenta-se o anticorpo anti-IgE
marcado, e este se liga ao Ac IgE
pesquisado.
A reação então será revelada através do
segundo anticorpo.
Alérgeno
Y IgE do soro do paciente
Y Ac anti-IgE marcado