Você está na página 1de 11

Abordagens da cultura na

sociologia contemporânea
Carlos Eduardo Amaral de paiva
As definições de cultura
Não é um conceito estático
Origem – cultivo -> cultivo do espírito.
Alemanha séc. XVIII /XIX-“Kultur” oposto à civilização
francesa.
Herder:
“Homens de todas as regiões do globo que haveis perecido ao longo das épocas,
não vivestes apenas para adubar a terra com vossas cinzas, para que ao final dos
tempos a cultura europeia derramasse felicidade sobre vossa posteridade. A
própria ideia de uma cultura europeia superior é um insulto flagrante à majestade
da Natureza.” (In Williams. 207,p. 120)

Cultura seria a esfera da espontaneidade contra os


artificialismos da civilização.
3 sentidos para cultura
• Processo de desenvolvimento intelectual.

• Modo particular de vida.

• Atividade intelectual, particularmente, artes.


A escola de Frankfurt
Theodor Adorno
A indústria cultural (1942)
A sociedade administrada
A arte como mercadoria.
Walter Benjamin
A Obra de Arte na Era de Sua Reprodutibilidade Técnica (1936)

Cultura como forma de mercadoria.


A influência da técnica na produção cultural.
O valor de culto (uso) é substituído pelo valor de reprodução
Os Estudos Culturais de Birmingham
Edward Thompson “A formação da classe operária inglesa” 1963

Richard Hoggarts “Os usos da literatura” 1957

Raymond Willians “ Cultura e Sociedade” 1958

New Left inglesa


Uma nova perspectiva do marxismo
Uso do método literário
Cultura como experiência
A cultura é ordinária.
Cultura e classes populares
Hegemonia e estruturas de sentimentos
Práticas culturais
Cultura como modo de vida de uma
classe.
• Estamos em condições agora, de saber exatamente o que se
entende por cultura da classe trabalhadora. Não é a arte proletária,
nem um particular uso da língua, nem conselhos deliberativos; é
em vez disso, a básica ideia coletiva, e as instituições, costumes,
hábitos de pensamento e intenções que dela procedem. Cultura
burguesa, por sua vez, é a básica ideia individualista e as
instituições, costumes, hábitos de pensamento que daí procedem.
(...) A classe trabalhadora, por motivo de sua posição, não produziu
desde a Revolução Industrial, uma cultura no sentido mais estrito. A
cultura que produziu e que é importante assinalar é a instituição
democrática coletiva, seja nos sindicatos, no movimento
cooperativo ou no partido político. A cultura da classe trabalhadora,
nos estádios através dos quais vem passando, é antes social (no
sentido em que criou instituições) do que individual (relativa ao
trabalho intelectual ou imaginativo). Considerada no contexto da
sociedade, essa cultura representa uma realização criadora notável.
(WILLIAMS, Cultura e Sociedade. 1969, p.335)
A hegemonia como prática cultural na
luta de classes.
• Assim, a ênfase na hegemonia e no hegemônico passou a
incluir os fatores culturais, além dos políticos e dos
econômicos; o termo distingue-se, nesse sentido da ideia
alternativa de uma base econômica e de uma
superestrutura política e cultural, segundo a qual quando a
base muda a superestrutura também muda, não
importando o grau de obliquidade ou de atraso. (WILLAMS,
Palavras Chaves, 2007, p.200)
Stuart Hall
• Formas de representação da cultura
• Lutas por significação
• Leituras dos discursos e do sentido como
constitutivo da sociedade
• Identidades como construção políticas
• Cultura é prática cotidiana, mas torna-se
também representação
Imagens de negros no Brasil

Debret, Jean Baptiste . Um jantar brasileiro. 1827.


A redenção de Can
Modesto Brocos
em 1895