Você está na página 1de 10

 Igualitário

 Universal
 Participativo
 Descentralizado
 Regionalizado
1º Obstáculo: Subfinanciamento Federal.
 1980- Federação – 75%, estados e municípios
25 %
 1988- Federação -46% Estados e municípios
54%
 1999- cortes orçamentários e terceirização,
modelo neoliberal de gestão.
 1 Desinvestimento em equipamentos
diagnósticos e terapêuticos em tecnologia
dos serviços públicos.
 Crescimento de serviços privados.

 2 drástica limitação do pessoal de saúde e


desumana precarização das relações e gestão
de trabalho.
 Terceirização chega a mais de 60%
 3. O subfinanciamento atinge os três níveis
de atenção de forma desigual.
 Atinge mais Atenção Básica, (AB)
 Menos a de média complexidade (MC)
 Quase nada a de Alta Complexidade (AC)
 Esse modelo leva a uma privatização por
dentro do SUS, peso de interesses privados
na oferta de serviços públicos.
Subvenção crescente com recursos federais ao
mercado de planos privados.
 Incentivos ao setor privado.
 Renuncia fiscal ou isenções no recolhimento de
tributos de empresas da área da saúde.
 Cofinanciamento público de planos privados de
saúde aos servidores federais

 Estes incentivos chegam a 30% do faturamento


anual do conjunto das empresas e planos
privados de saúde. E geram um gasto de quase
metade dos gastos do Ministério da Saúde.
 3º Obstáculo: Grande rigidez na estrutura
administrativa burocrática do Estado.
 Lentidão, má gestão e serviços centralizados.

 4º Obstáculo: Privatização da gestão pública


 Entrega da gestão pública para grupos
privados, insistindo na falsa tese de que o
setor público é incompetente no
gerenciamento de serviços públicos para as
necessidades sociais da população.
 O Estado se torna um financiador de serviços
privados.
 impossibilidade de as unidades básicas de saúde e
equipes de saúde da família desenvolver a Atenção
Básica de qualidade, cobertura universal, afetando os
mais pobres na assistência médica básica.
 Concentração dos baixos recursos nas situações de
urgências e congestionamento de serviços.
 Sucateamento do SUS, adesão a planos privados
baratos e precários.
 75% da população depende só do SUS, enquanto 25%
são consumidores de planos privados e continuam a
depender do SUS, no que se refere a fornecimento de
remédios, procedimentos de alto custo, imunizações
etc...
 A saúde torna-se mais uma direito do
consumidor do que um direito humano a
cidadania.
 Falsa impressão de que o SUS é gratuito em
uma sociedade cujo o sistema tributário
incide sobre os mais pobres.
 A opção pelo mercado privado não incentiva
a ampliação de mercado de maneira
equilibrada, incentivando a formação de
milhares de especialistas de saúde em áreas
de “status” ou maior prestígio social.
A Seguridade Social (todos têm
direito sociais, mesmo os que não
podem pagar) cede para o Seguro
Social (direito de quem paga), o
Estado de Bem-Estar Social cede para
o Estado Mínimo, a Universalidade
cede para a focalização
compensatória, e os Direitos
Trabalhistas cedem para as
terceirizações.